UM ANO BOMBÁSTICO: Dylan Dog, Martin Mystère, Nick Raider, Nathan Never e Mágico Vento publicados em língua portuguesa em 2018

Por José Carlos Francisco


2018 apresta-se para ser um ano memorável no Brasil, mas também em Portugal, no que aos fumetti da Sergio Bonelli Editore diz respeito já que para além de se comemorar os 70 anos de Tex vamos ter grandes regressos de consagrados personagens da Casa Editrice Milanesa que voltarão a “falar” em língua portuguesa: Dylan Dog, Martin Mystère, Nick Raider, Nathan Never e Mágico Vento voltam no próximo ano ao catálogo da Mythos Editora para alegria de milhares e milhares de leitores órfãos destes personagens há já alguns anos, excepção feita a Mágico Vento que teve este ano (2017) a sua primeira edição luxuosa na forma de Graphic Novel Deluxe e que devido ao sucesso terá em 2018 mais duas edições totalmente a cores, contendo novamente capa dura, papel especial nas suas 204 páginas e o formato 198 x 267 mm.

Mas a grande notícia que damos hoje em rigoroso exclusivo é o regresso de Dylan Dog, Martin Mystère, Nick Raider e Nathan Never ao catálogo da Mythos Editora, num plano muito mais ousado do que os anteriores e com um investimento bastante grande, já que as negociações com a Bonelli não foram nada fáceis, como eu mesmo pude comprovar em Outubro ao participar numa primeira reunião em Milão com Davide Bonelli, Simone Airoldi, Ornella Castellini, Dorival Vitor Lopes e Júlio Schneider. Mas com certeza a Mythos Editora vai  capitalizar esse esforço em prestígio junto aos seus milhares de leitores, até porque como será anunciado em breve as novidades (e que novidades) para 2018 não se ficarão por aqui, sobretudo no que a Tex diz respeito já que há grandes novidades relacionadas com o Ranger que daremos a conhecer em breve aos nossos leitores aqui no blogue do Tex.

E só para se ter uma ideia da grandeza do plano editorial exclusivamente bonelliano para o próximo ano, podemos já informar que a editora brasileira publicará o incrível número de 16.384 páginas, uma média mensal de 1.366 páginas, que a tornam indiscutivelmente uma das maiores editoras a nível mundial, havendo ainda hipóteses desse já de si incrível número de páginas poder aumentar já que ainda há possibilidades de termos mais algumas edições especiais que estão ainda a ser negociadas para 2018.


Mas voltando às estrelas desta notícia: Dylan Dog, Martin Mystère, Nick Raider (o Tex de Nova York!) e Nathan Never em 2018 poderemos então matar a saudade destes velhos amigos, que retornarão em edições especiais de dar água na boca. E os regressos começarão em Março, mais precisamente no dia 9, com a publicação de  Dylan Dog #1, edição contendo 96 páginas. Mas ainda nesse mesmo mês de Março, no dia 23, teremos a edição de Martin Mystère #1 igualmente com 96 páginas. No mês seguinte, em Abril, teremos as edições nº 2 igualmente de Dylan Dog (dia 10) e de Martin Mystère (dia 23), ambas também com o mesmo (96) número de páginas.

Em Maio vamos ter as estreias de Nick Raider #1 (dia 10) e Nathan Never #1 (dia 23), igualmente com 96 páginas cada publicação, mas nesse mesmo mês de Maio vamos ter ainda Dylan Dog Graphic Novel #1 com 104 páginas. Em Junho teremos os segundos números de Nick Raider (dia 11) e Nathan Never (dia 20), igualmente com 96 páginas cada volume. A iniciar o segundo semestre de 2018 (Julho) teremos Dylan Dog #3 (dia 10) e Martin Mystère #3 (dia 23), também com 96 páginas cada. Em Agosto será a vez de Nick Raider #3 (dia 10) e Nathan Never #3 (dia 23), sempre com 96 páginas. Setembro trará Dylan Dog #4 (dia 10) e Martin Mystère #4 (dia 23). Por fim, em Outubro de 2018 serão publicados os volumes 4 de Nick Raider (dia 10) e Nathan Never (dia 23), mantendo-se as habituais 96 páginas por edição.

Em breve anunciaremos aqui mesmo no blogue do Tex os títulos e autores de todos estes volumes, mas diga-se já que no que se refere a outras personagens Bonelli publicadas pela Mythos Editora, que Júlia e Zagor continuarão em 2018 com as suas edições bimestrais, e o Espírito da Machadinha ainda terá quatro edições da série Zagor Especial e mais três edições coloridas, incluindo um volume para comemorar os 40 anos do herói no Brasil (é, parece que foi ontem, mas 1978 já passou faz um tempinho). Quanto a Tex, bem, as novidades são muitas, teremos inclusive uma edição oficial de 70 anos de vida editorial, uma efeméride que a Mythos não poderia deixar passar em branco, mas em breve vamos, aqui mesmo, trazer as notícias mythosianas relativas ao Ranger. Com tudo isto teremos muita leitura de primeira qualidade para 2018. Muito obrigado por tal, prezados editores Dorival Vitor Lopes e Helcio de Carvalho. Sem vocês o mundo de milhares de bonellianos de língua seria certamente menos bom!


Por fim, no início do texto escrevemos “2018 apresta-se para ser um ano memorável no Brasil, mas também em Portugal”, frase escrita intencionalmente já que em 2018 poderemos ter também edições bonellianas exclusivas para Portugal, por isso prezados leitores continuem atentos ao blogue português do Tex que mais uma vez comprova que se encontra na vanguarda da informação texiana em particular e bonelliana em geral!

2018 - Mythos & Bonelli, uma parceria de sucesso

2018 – Mythos & Bonelli, uma parceria de sucesso

(Para aproveitar a extensão completa das imagens acima, clique nas mesmas)

44 Comentários

  1. Noticias maravilhosas.
    Obrigado por partilhar.
    Vou comprar tudo.
    Gosto de todos estes personagens mas adoro Dylan e Mystère.

  2. Comprarei todos e que não venham no penoso formatinho, aguardo notícias sobre Mister No. 2018 será um grande ano.

  3. Então… era isso que estava fervendo na panela, Dylan Dog e Martin Mystère me interessam, queria portanto mais informações sobre o Dylan Dog Graphic Novel, tipo, é colorido ou pb, e me passou um frio no escalpo por favor não me digam que o especial 70 anos de Tex terá “O signo de Yama” reprisado em outro formato, quanto a Nick Raider veremos e o Never eu não simpatizei com ele, os Zagor coloridos bem que poderiam trazer o material dos color Zagor entre os vários repetecos clássicos… Mister No ficou de fora “Sniff!” e o Chico pelo tempo… pelo jeito never.

  4. Mas meu sonho seria uma coleção de luxo de A História do Oeste. Quem sabe um dia?! Bom Natal para todos!!!

  5. Isso sim que é uma ótima notícia, vários personagens Bonelli ao mesmo tempo, espero eu que seja em “formato italiano.”
    Valeu Zeca, pelas antecipações das novidades.

  6. O Dorival merece todos os nossos elogios por apostar no mercado editorial brasileiro em um momento tão complicado como o atual. Todos os títulos anunciados são de extrema qualidade, resultado de um trabalho espetacular da Sergio Bonelli Editore, e merecem ser lidos em português. Espero que os leitores realmente comprem as edições para que a Mythos possa dar continuidade a elas.

  7. Maravilhosa notícia, amigo Zeca!
    Parabéns ao Dorival e ao Hélcio pela arrojada iniciativa.
    Todos os amantes da Bonelli agradecem.
    Grande abraço.
    Alvarez

  8. Excelente notícia!!! Agora minha esperança é que tudo isso que foi anunciado seja enviado pras livrarias aí vai ser completa a festa, já que eu particularmente quase não compro mais em bancas.

  9. Pois é, vai ser o ano Bonelli em 2018, talvez igualando 2002, quando a Mythos trouxe pela primeira vez Martin Mystère, Nick Raider, etc. Só faltou Mister No, já que faz parte dos grandes heróis Bonelli. E ano que vem também teremos Dampyr pela editora 85, e o segundo volume de Face Oculta do Manfredi pela Panini, já confirmado.

  10. Zeca, já se tem a informação sobre quais histórias de cada personagem serão publicadas? As coleções seguirão a ordem cronológica dos originais italianos?
    Abraço!

  11. Eu sei que Nick Raider foi cancelado há muitos anos atrás pela Bonelli, e vão ter que analisar o melhor material do Raider pra revista não ter problemas. Não sei se a Mythos devesse ousar e trazer personagens novos para o Brasil/Portugal. Me lembro que quando o pard Zeca participava do fórum TexBR, ele falou bem da série “Dragonero”, talvez a Mythos devesse tentar.

  12. Parabéns a Mythos pela bela iniciativa… Só não entendi a publicação de DYLAN DOG, pois está sendo publicado pela Lorentz. Daqui a pouco abre um precedente perigoso e OUTRA EDITORA publica TEX e ZAGOR por exemplo… Há, e faltou o querido MISTER NO… Mas, fora essa parada do DD, tomara que dessa vez esses personagens emplaquem.

  13. Olá, José Carlos existe alguma possibilidade de uma 3a edição de TEX, já que é difícil conseguir os primeiros 150 exemplares em boas condições?
    O Dorival cogita da Mythos lançar uma 3a edição para que os novos e até mesmo os antigos colecionadores tenham estes exemplares novos?
    Para finalizar, espero que o TEX em Cores continue a ser publicado.

  14. Boa notícia esses lançamentos para 2018, mas no lugar do Nathan Never poderiam ter colocado o Mister No. Será formatinho ou formato italiano? A Mythos poderia publicar bimestral com 192 págs, igual Zagor.

  15. Respondendo ao Teodoro Barros e a outros queridos leitores.
    A terceira edição de Tex já existe… é o TEX EM CORES! Uma edição maravilhosa, a melhor coleção de Tex já feita no Brasil: formato Bonelli, em cores, papel de luxo, aventuras na ordem italiana, desde a primeiríssima, e sem nenhum corte. Mas os leitores não compraram e tivemos que parar. Depois, voltamos com outro papel e preço mais baixo, mas também não compraram. Agora tivemos que parar com ela novamente no nr. 34. Talvez ela volte no futuro em tiragem menor e venda só pelo site e gibiterias. O leitor é assim, pede uma série, garantindo que milhares de outros também a querem e depois não compra. Aconteceu o mesmo com a série Demian e Cassidy, dois personagens interessantíssimos, uma revista linda, formato Bonelli, preço acessível, mas ninguém comprou. E ainda tem gente que pede novos personagens. Sobre MM, DD, NR e NN, será em formato Bonelli, com histórias escolhidas e completas. Falar em Tex Coleção mensal seria um retrocesso. Passamos essa série para quinzenal a pedido de um grande número de leitores, que reclamavam que iam levar 40 anos para completar a coleção se ela continuasse mensal. Este ano fomos ousados e fizemos um grande investimento no novo contrato com a Bonelli e esperamos que os leitores aceitem bem tudo o que vamos lançar. Continuem acompanhando o blog do Tex e nossas páginas de cartas dos leitores para mais informações. Um abraço a todos.

  16. Amigo Dorival, genial a iniciativa de vocês para 2018! Já que “Tex em cores” é a “terceira edição” que tal se você diminuir a periodicidade ao menos para bimestral? Pois assim como está, tri, fica muito distante uma edição da outra! Parabéns pelos novos lançamentos que virão! Ah, diga aí para todos nós, será em formato italiano? Espero que sim!
    Um abraço.

  17. Pô meu amigo, não faça isso com nós leitores, cancelar Tex em cores novamente?!… Na contra-mão dos lançamentos, isso é um baita retrocesso! Como você mencionou, essa é a melhor coleção de Tex no momento, juntamente com Tex coleção. Por favor, repense e não pare Tex em cores… Essa notícia do cancelamento de Tex em cores, apagou a alegria que tive sobre os outros lançamentos que virão! Fiquei muito desapontado…

  18. O Dorival acabou de dizer que Tex em Cores já era, pard Beto Sousa, não deu certo, talvez retorne apenas sendo vendido pelo site. Uma pena, talvez devam tentar trazer o Classic Tex em formatinho e a cores no lugar do Tex em Cores.

  19. Dorival, já fizemos várias enquetes e postagens sobre a 3a edição de Tex e posso te afirmar o seguinte: o pessoal gostaria demais de ver essa coleção nas bancas novamente, mas nos mesmos moldes em que foi publicada pela editora Vecchi. Mesma ordem e numeração das histórias pois muitos desejam completar suas coleções de Tex Mensal e os exemplares antigos são encontrados a preços absurdos na internet. Existem até fac similes por mais de 150 reais, alguns chegando até absurdos 250 reais. Tex em cores não satisfaz os anseios de quem coleciona Tex Mensal, embora respeite a ordem cronológica italiana. Nós já temos isso em Tex Coleção e Tex Edição Histórica. Faca uma consulta de mercado e veja a resposta dos leitores. Quem sabe até um lançamento teste com os 20 primeiros números ou venda direta pela Mythos sem distribuição em banca. Tenho certeza que você irá se surpreender com o resultado. Particularmente eu não compraria Tex em Cores mas iria adquirir dois exemplares de cada número da 3a edição de Tex. Um abraço e fique com Deus. Vida longa a Tex!!!

  20. Formatinho não, pelo amor de Deus, basta as que existem até hoje! O Brasil é o único que adota esse formato ridículo.

  21. Eu sei que é cedo. Mas se o Tex Gold da Salvat tiver êxito a Mythos poderia fazer um acordo com a Salvat e criar uma nova coleção Tex em Cores daqui uns 2 anos.

  22. Tex em cores, parou de novo, que notícia ruim. Segundo o Dorival “Agora tivemos que parar com ela novamente no nr. 34. Talvez ela volte no futuro em tiragem menor e venda só pelo site e gibiterias”. Faz assinaturas e aí vai só para quem tem interesse. Essa coleção era para ser tipo o Tex Edição Histórica com historias fechadas. Aí venderia bem. Acabou de vez com o ano dos Texianos Colecionadores.

  23. Grande notícia! Achei um belo presente de natal, especialmente as edições de MM. Vamos se o formato atende bem a demanda que no fim das contas é como o DVL falou, o leitor pede e não compra! E aí é o que toda empresa precisa, de receita. Se o produto não dá lucro não tem como continuar. Só nos resta comprar e torcer!

    Queria que existissem versões digitais que fosse levemente mais baratas.

  24. Ah! Só reforçando, a Mythos poderia trazer a edição histórica em cores de Martin Mystère, nesse formato de graphic novels!

  25. Infelizmente com o cancelamento do Tex edição colorida teremos que nos contentar com apenas 04 edições no ano. A edição especial colorida e os Graphic Novels.
    Será um ano bom para a Salvat que alimentará o mercado nacional com edições coloridas que para alguns leitores são indispensáveis.
    Torcer que mesmo pelo site ela retorne pois essa coleção é o sonho de consumo de nós colecionadores.

  26. Eu gosto do Tex em Cores. O que prejudica a publicação é responsabilidade de ser mensal ou bimestral. Talvez o ideal é sair por temporada. Por exemplo sair apenas no verão brasileiro, 4 edições num formato mais luxuoso com caixinha pra colocar os volumes. Tem muitas revistas Tex nas bancas não se pode jogar tudo de uma vez.

  27. O grande problema dos leitores (?) Bonelli no Brasil é que eles “compram” muito pelas redes sociais, mas na hora de passar nas bancas e comprar de verdade… Haja visto o Tex em Cores. E se a Mythos, num surto de loucura do Dorival, lançasse uma 3a edição de Tex seria a mesma coisa, na hora que estivesse nas bancas não apareceriam compradores, seria outro fracasso de vendas, como já foi Tex e os Aventureiros, Grandes Clássicos de Tex, Nick Raider, Mister No, Martin Mystère e Dylan Dog.
    Acho que a Mythos deve ser arrojada, mas sem deixar de ser cautelosa.

  28. Eu só COMPRO o TEX EM CORES e dele passei a comprar os Tex Edição Especial em Cores e as Tex Graphic Novel Mythos, fora um ou outro Tex centenário em cores.

    E, como disse ao Dorival lá na Mythos, edições as Tex em Cores deveriam ser com histórias completas e que custassem mais mesmo, e vendidas para quem COMPRA de verdade, via site, Amazons e Saraivas da vida e ponto, eliminando distribuição inútil e cara do processo, mesmo que o preço variasse como dito pelo Dorival, e o eterno ‘mimimi’ de quem nem compra!

    O restante dos lançamentos poderiam ter ‘planos de venda’ via site da Mythos e colocadas à venda nos sites da Saraiva e Amazon, pois mesmo morando em SP, não há bancas próximas (leia-se nos próximos 6 Km, e subsequentes quilômetros)!!

    E se pensando em ‘plano de vendas’ no site da Mythos nunca consigo comprar todas as edições do mês de uma vez e se uma tem desconto (que ajuda abater o frete pelo montante adquirido) as outras nem aparecem – isto dentro do mesmo mês -, para entrar no carrinho.

    Desta forma sempre fica a coisa de fazer 2 ou mais compras num mesmo mês, ou ainda aguardar tudo ser lançado para se comprar (sem frete grátis e desconto), e é o que faço, mas que prejudica o fluxo de venda no mês a mês, além de me deixar sem nada de Zagor e Tex por ler, durante meses!

    Uma pena para com o Dylan Dog Lorentz, que inclusive fizemos DIVULGAÇÃO aqui no evento ao por e doar via SORTEIO o volume 01 a mais de 5 mil pessoas na ExpoParelheiros.

    Obviamente torcíamos pela continuidade pela Lorentz, entre outros fatores, devido o grande empenho em trazer um material sempre pedido por todos e em todos canais de divulgação, mas que NINGUÉM trouxe do limbo nesta última década, e veio com preço acessível de capa, frete baixo para compra on line e trabalho gráfico primoroso.

    Saudades do Sergio Bonelli, pois este saberia o que significa honra e palavra empenhada! Contrato se quebra com as devidas multas e tudo certo, são só negócios! E nisto, leva quem pode mais, a Lorentz perdeu DyD, mas Conquistou nosso RESPEITO eterno feito a Record: fãs e leitores apaixonados!

    PS: E o que falo acima, falo sempre por mim exclusivamente: Wilson Sacramento.

    Aparte: Uma galera presente aqui na Brasil Fumetti Con Parelheiros ficará feliz com o retorno de Nathan Never, é um dos melhores personagens da Bonelli, e o povo aqui ficaram maravilhados com a edição Globo (formato italiano) que lá estava para exposição.

    E que se mantenha a mesma pegada em Nathan Never (acabamento, páginas, formato), este material junto com o Zagor e Dylan Dog Record eram meus prediletos na infância/adolescência!!

    E até hoje me sinto meio fora do tempo – igual o Nathan e seu colecionismo de LPs, VHS, CDs, Livros – enquanto um colecionador ao vermos que todos migraram para o ‘virtual’ e seguimos presos na mídia física.

  29. Tenho notado que muitos tem solicitado as reedições das séries que pararam mas, já sabemos o que acontece depois que elas vão para as bancas. A idéia é muito boa e deve ter seu fundamento, mas infelizmente com tantas edições publicadas é IMPOSSÍVEL comprar todas elas, atualmente mal consigo estar em dia com as publicações do TEX. imagina elas todas nas Bancas. Mas é preciso ter variedades, pois há muitos leitores para cada tipo de título! E vamos que vamos!

  30. O que acho irônico, são essa gama de leitores pedirem para que seja publicado o Tex a cores na ordem cronológica e quando é iniciada a publicação esses mesmo leitores boicotam a série. Inventam todo tipo de crítica, falam um monte de bobagens e assim mais uma vez a continuidade da série estaciona e ficamos sem ter essa coleção maravilhosa. Só posso dizer que esses leitores modinhas são culpados sim de não haver a continuidade devido a esse lamentos desnecessários. A culpa é sim da maioria dos leitores modinhas.

  31. Uma grande notícia e uma grande perda, para os colecionadores dos quadrinhos Bonelli, e comprarei seja no formato Bonelli ou formatinho, para mim não importa, pois eu quero é ler e ter esses maravilhosos personagens na minha estante. Aqui se pede todo tipo de publicação, mas na hora de comprar, começa todo tipo de crítica e nada vai para frente. Tex em cores, uma coleção maravilhosa, com um papel excelente, e com um preço que estava em similaridade com outras edições da Panini, tanto no preço, quanto na quantidade de páginas e o que aconteceu, não vendeu. Como disse Dorival, mudou o papel para ver se vendia, um papel inferior, mas também não vendeu, e agora parou mais uma vez, quando começam as grandes histórias, uma pena. Espero que Dorival traga ela de volta sim, em edições fechadas, para livrarias ou vendas diretas, ou assinaturas para aqueles que realmente querem. VIDA LONGA AOS QUADRINHOS BONELLI.

  32. Espero que o Dorival volte a publicar o TEX EM CORES, pois é a melhor coleção de Tex no Brasil realmente, mesmo que seja para a venda só no site da MYTHOS e livrarias on line. É uma pena as vendas serem poucas, já que é em cores, formato italiano e em ordem cronológica sem nenhum corte, sendo mais fiel que o TEX EDIÇÃO HISTÓRICA, vamos aguardar e esperar boas notícias, e apoiar a MYTHOS, comprando as revistas do TEX para que o mesmo continue sempre a ser publicado.

  33. Acho que o Tex em cores deveria voltar, mas diferente, só com histórias clássicas e completas, ou seja, uma nova coleção, em formato maior e papel especial, com tiragem limitada. Sobre os novos lançamentos, faltou o Mister No. Como disse o Dorival serão em formato italiano com histórias fechadas, assim têm mais chances de vender mais.

  34. Creio que essa coleção (Tex em cores), até volte no futuro. O momento econômico vivido pelo País não é dos melhores. A parte de lazer é uma das que sofrem cortes nesses momentos. Não creio que uma 3a. edição seja algo de outro mundo. Pode até ser que o momento não seja este, mas acredito na sua viabilidade futura. Um lançamento desse poderia ser feito com tiragem limitada, venda pela internet (diretamente pela Mythos ou outra credenciada) com isso o custo de distribuição seria eliminado. A tiragem poderia ser feita com base em vendas antecipadas…
    Acho que, com uma boa análise e no tempo certo (futuro), pode ser encontrada uma forma de brindar os leitores que anseiam por esta coleção (pelo menos os 37 primeiros).

  35. Dorival Vitor Lopes, eu compro tudo o que a editora Mythos publicou, publica e publicará dos personagens Bonelli (e tenho comprado outras coisas também, Conan, Elric, Vampirela…). Compro e leio, independentemente do formato, cor, papel, valor…
    Algumas edições deixam muito a desejar em se tratando de qualidade do papel, colagem, padrão de lombada…
    Mas vá lá… que seja. Agora, tem uma coisa que eu não me conformo: qual o motivo do distanciamento da editora com o leitor? Qual o motivo para a editora não interagir com o leitor utilizando as ferramentas que a tecnologia oferece? Porque a editora não utiliza as mídias sociais (Youtube, Facebook, site) para divulgar seu trabalho? Esse tipo de notícia que está aqui no Blog deveria, OBRIGATORIAMENTE, estar no site da editora, no canal do Youtube da editora (que teve um vídeo postado no ano de 1727 e depois nunca mais) e na página do Facebook da editora. Nada contra o blog (pelo contrário, o blog é uma referência e o Zeca, e demais fãs portugueses, faz um excelente trabalho. Inclusive sou sócio do Fã Clube português, já que o fã clube aqui do Brasil é uma lástima). Não é de hoje que sou um critico dessa postura da editora que me parece fazer um trabalho na base da tentativa. Nunca tinha ouvido falar da SALVAT até um ano atrás e agora vejo todos os dias postagens deles fazendo referência a coleção do Tex, recebo e-mails… os caras não querem ser esquecidos. Tenho acompanhado (e comprado) o trabalho da editora Pipoca e Nanquim. Os caras estão TODO dia (200x por dia) no Facebook, no Instagran, no Youtube… não tem como não ver o trabalho dos caras. E esse tipo de divulgação é incrivelmente barata (pra não dizer que o custo é ZERO). Infelizmente, na minha opinião, em termos de divulgação, a Mythos está na década de 1970.

  36. Dorival, olha que belíssima edição que a Lorentz fez com o Dylan Dog. Façam algo parecido. Capa cartonada, papel excelente, lombada alinhada e preço justíssimo. Por favor, deem mais atenção às lombadas Bonelli. Padronize as cores. TEX Platinum ficou horroroso. Pra quem gosta de expor sua coleção em uma prateleira, foi um desastre total.

    Por favor, cuidem mais do acabamento das edições. Um pouco mais de capricho.

  37. Sobre as novas publicações que estão por vir: vou comprar todos, gosto de todos (gostaria muito que fosse finalizada a série do Demyan e Cassidy). Mas já vou antecipar, não vai vender.

  38. Everton Júnior, eu também não me conformo com esse anonimato da editora, chega ser revoltante! Se não fosse pelo (blog do Tex), não saberíamos das novidades, até tomaríamos um espanto, ao deparar com determinados lançamentos nas bancas, sem aviso prévio algum.

  39. Concordo com o pard Everton. Anos atrás algum leitor também reclamou sobre redes sociais. Não sei quem da Mythos falou isso: “A obrigação da editora é lançar as revistas nas bancas, ao do leitor comprar”. Infelizmente a mentalidade da diretoria da Mythos ainda ficou nos anos 70 e 80, quando não tinha Internet. As coisas mudaram, menos os velhos editores. Se não sabem mexer com Internet tudo bem, mas contratem a molecada pra trabalhar nas redes sociais da editora. Se não fosse o Zeca, jamais saberíamos sobre as novidades bonellianas vindouras.

  40. Banzé e outros que falam de divulgação, como se houvesse uma bola de cristal para estas matérias, digo que saberíamos as notícias de maneira igualitária e de forma justa para com todos os canais se enviassem em forma de email para o UniversoHQ, Fumetteiros, PlanetaGibi, Pipoca, Omelete, Mansão, TexBR, Brasil Fumetti Con etc etc etc.

    Nas duas vezes que estivemos no Programa HQ&Cia, a mesma reclamação: Não há informes para as Mídias (isto se falando em JORNALISTAS em canais oficiais!) sobre HQs por parte da Mythos, e em todos os canais que se conversa sempre a mesma coisa, se implora por informações!

    É uma escolha política (editorial, coleguismo, contratual ou que seja) da Mythos e do Dorival para com o blogue do Zeca e ponto, respeita-se a ‘primazia’, ‘privilégio’ ou que seja nestes ‘furos’ que são realizados neste espaço.

    Obviamente que se dá graças ao trabalho sério do Zeca, a penetração do blogue no mundo do Tex, e a certeza de que se alcançará uma audiência direcionada a Tex, em especial, e sob hipótese alguma, digo isto, nos desmerecendo enquanto produtores de conteúdo, pois não tenho síndrome de vira latas, mas o justo deve ser dito, e é inegável a presença do blogue enquanto canal.

    Algumas vezes, e aqui dizendo enquanto parte da equipe do blogue do Zagor (Zagor Brasil), página e grupo Zagor Brasil dos quais faço parte e que existem desde do falecido Orkut (+ de 1 década) e em conjunto com o portal TexBR, recebemos sim informações da Mythos.

    Estas informações são repassadas na íntegra e sem ‘sectarismo’ de quaisquer tipo, porém são sob demanda constante junto ao Dorival, em sua maioria.

    Tem que se pedir com certa insistência e fico achando muitas vezes que vai beirando a chatice para obter informações sobre material zagoriano!

    E nem sempre se recebe respostas, infelizmente, apesar de todo o trabalho e solicitações … e não temos bola de cristal, ficamos sem nada, pois é feito cortina de fumaça e silêncio, nestes casos!

    Mas nem por isto desistimos, estamos divulgando, debatendo e construindo canais, e se perdemos nosso tempo aqui, é por que ainda consumimos, recomendamos e respeitamos o trabalho desenvolvido pela fogueirinha, pelo Dorival (enquanto figura presente e representativa), se eu não me importar mais, passo longe sem pestanejar!

  41. Faço minhas palavras às dos meus companheiros: NÃO PAREM TEX EDIÇÃO EM CORES. Para mim é a melhor série que vocês já lançaram do ranger. Essa é uma série que pesca novos e também velhos leitores saudosos de uma boa história e muito bem escrita. O problema é que muitos leitores reclamam da arte dos artistas. Uma pena! Mas é essa série e colorida que enche os olhos. Como diria meu falecido pai (talvez o mais velho leitor de Tex no Brasil, e quiçá no mundo) “Tex em Cores é o que tem de melhor”. Por isso reveja sua decisão.

  42. Pois eu fiquei contente com o cancelamento do Tex em cores, porque cor não combina com papel jornal. Agora a Mythos poderia aproveitar pra começar tudo outra vez lançando o Classic Tex, quinzenal e 64 páginas com o mesmo papel do TEC 1 a 30. Acredito que custaria no máximo uns 12,90 cada edição. (TEC 252 págs 39,90 > 64 págs x 39,90/252 págs = 10,13).

Responder a João Batista Gonçalves Cancelar resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *