13 Comentários

  1. Perdão Antonio, concordo plenamente. Eu apenas equivoquei-me ao me expressar. Fica aqui um grande abraço!

  2. Ninguém tem competência para fazer o que o Sergio fazia com maestria e genialidade, eu quis expressar sucessor como sendo alguém que poderá continuar o trabalho do Sergio, não quer dizer substituir…

  3. Belíssima homenagem.
    Não sei se alguém pode ser substituído, ainda mais alguém como Sergio Bonelli, mas se alguns dos requisitos são: simplicidade, simpatia e talento, com certeza Civitelli é um daqueles que hão de manter Tex nas bancas por muitos e muitos anos.

  4. Eu acredito que o Civitelli deva ser o sucessor do Sergio Bonelli, é articulado, gentil, inteligente, aprecia o personagem como grande ilustrador que é, e, além de tudo é um grande fã do Sergio e da editora.
    Claro que prefiro como grande desenhista, porém considero-o um dos sustentáculos da Bonelli.

  5. Nem parece o Civitelli e, como Orlando disse, reflete bem o sentimento que existe no artista quando até seu próprio traço se desconfigura na tristeza.
    Bonita homenagem, Fábio, expressiva além do desenho.

    • Para a menor “qualidade” do traço do Civitelli nesta homenagem a Sergio Bonelli há que levar em conta que foi um desenho feito em meia dúzia de minutos, para um fã (Marco Andrea Corbetta) e ainda por cima num pequeno caderno…

  6. Tocante homenagem de Fabio Civitelli ao grande mestre desaparecido. O rosto de Tex consegue exprimir, com poucos traços, uma tristeza vinda do fundo da alma… olhando a águia que voa ao sol!

  7. Orlando, o que você citou, percebe-se no traço de Fabio Civitelli nessa ilustração: está desproporcional, com menos qualidade do que o habitual. Entretanto, uma linda homenagem ao saudoso mestre Sergio Bonelli.
    Tchau, Sergio! Voa alto.

  8. Um desenho que de certeza custou muito a fazer ao Mestre Civitelli. Uma sentida homenagem

Responder a Orlando Loureiro Cancelar resposta

O seu endereço de email não será publicado.