Tex Platinum nº 1 traz a história “O Caçador de fósseis”

Por José Carlos Francisco

Tex Platinum é a nova série da Mythos Editora, com lançamento previsto no Brasil para 23 deste mês de Fevereiro (e com um preço de venda ao público de 24.90 Reais), que reedita o Tex Anual na exacta sequência em que foi publicado no Brasil, com novo texto, novas letras e com a capa original de Claudio Villa, depois de inúmeros pedidos, chegados à redacção Mythosiana, de coleccionadores de Tex que desejavam adquirir os cada vez mais raros exemplares iniciais de Tex Anual e que estavam completamente esgotados há vários anos na Mythos Editora.

Tex Platinum nº 1

E neste primeiro número, cuja capa damos a conhecer hoje, teremos então a história “O Caçador de Fósseis“, a aventura com que o espanhol Antonio Segura se estreou a escrever o Ranger e que contou com a espectacular arte de José Ortiz nos desenhos, a primeira de várias colaborações conjuntas dos mestres espanhóis, ambos já falecidos, para a série Tex!

O caçador de fósseis, de Antonio Segura e José Ortiz

Nesta aventura especial e completa, Tex Willer trilha o caminho que conduz aos restos fósseis de gigantescos dinossauros e cruza com dois impiedosos inimigos. O primeiro é Four Bears, um índio de extraordinária personalidade e astúcia, que ficou louco por seu ódio aos brancos. Como se não bastasse, ainda temos Charles Sutter, o paleontólogo da perna de madeira, cujo dinheiro e inteligência estão a serviço do crime. Nesta luta mortal, Tex conta com a companhia de Kit Carson, mais brilhante do que nunca, de um simpático mineiro beberrão, de um cientista distraído e, sobretudo, de um caçador de recompensas cuja crise moral ajudará nosso heróis a saírem de um terrível problema.

Antonio Segura e José Ortiz na 32ª Mostra Internacional de Valencia em 2011

(Para aproveitar a extensão completa das imagens acima, clique nas mesmas)

30 Comentários

  1. A ideia é republicar todos os anuais? Então porque não começar com Oklahoma? Que, tecnicamente é considerada a primeira Maxi Tex?

  2. A Mythos está perdendo uma grande oportunidade de encantar o fã brasileiro . Ela poderia reeditar está linda coleção que é a Maxi Tex no mesmo padrão editado na Itália. Fica a dica !

  3. Caro João Marcos,
    a sua ideia é muito boa. Entretanto, a história “Oklahoma!” saiu na série “Tex” e não na “Maxi Tex“; assim, tanto a SBE e a Mythos Editora não consideram que aquela edição seja integrante da série anual, mesmo sendo a “zero”. Eu espero que a Mythos publique “Oklahoma!” em uma edição especial, comemorativa.
    Prezada Elizabete Rocha,
    eu penso que a editora manterá o formato brasileiro devido ao preço de cada álbum não ficar mais alto, ser uma reedição e manter o formato original da série “Tex Anual“. A sua ideia também é muito boa.
    Saudações texianas.

  4. Eles estão perdendo leitores assim como eu que leio há mais de 30 anos, pela quantidade de histórias repetidas, começando pela coleção gigante a cores que até agora não apresentou nada de novo. Platinun deveria conter histórias inéditas,depois dizem que não sabem porque os leitores deixam de comprar. Acorda Mythos.

  5. P&B tudo ótimo, mas formatinho? Que mancada… Todos esperando um fornato italiano, que agradaria tanto aos que já possuem o Anual e gostariam do upgrade como aqueles que não conhecem devido ao formatinho parecer algo ultrapassado nesses tempos de encadernados cada vez mais luxuosos (o que não é frescura quando a arte é boa). Uma pena…

  6. Mas Ilvo, não existe mais historias inéditas de Tex para serem publicadas no Platinum, aliás as inéditas estão reservadas para o Tex mensal, o anual, o gigante e o colorido anual, além do Tex Graphic Novel. Agora existem vários leitores novos que não tem essas historias então as republicações não são ruins assim. O Tex gigante em cores é uma republicação em cores, então o que são novos é o formato e acabamento de primeira e as cores.

  7. Uma correção na minha mensagem precedente: A Mythos Editora publicou “Oklahoma!” em “Tex”, enquanto a SBE em “Maxi Tex”, portanto ela é a primeira história dessa série.
    Eu acabei fazendo confusão com as duas coleções anuais.

  8. Na verdade foi a Globo quem publicou Oklahoma no Tex mensal 300. Mas a Mythos já republicou essa história em um Tex Ouro.

  9. Apesar de achar a capa bonita, ainda acho muita informação sobre o desenho. Acho que deveria lançar em cores! Eu mesmo estou vendendo todos os Tex meus preto e branco. Só estou comprando os coloridos e inéditos, pois já tenho as coleções coloridas italianas!
    Acho que repeteco tem que ter um bom motivo para comprar! Se Tex tem tanto leitor novo assim, para justificar uma reprise, Tex colorido era para ter vendido muito e não ter sido cancelado pela quinta vez!

  10. Nem formato italiano? Que decepção, desculpa do preço não cola porque 24,90 pra um formatinho é caro. Se fosse ao menos formato italiano compraria com certeza, agora, provavelmente não.

  11. Eu não gosto de republicação, mas gostei da novidade. Coleciono Tex há 20 anos, tinha (ate pouco tempo atrás) todos os anuais, mas perdi toda minha coleção.
    Hoje, venho a muito custo readquirindo meus exemplares e o Anual é a série mais difícil de se conseguir os primeiros exemplares (e quando consigo acha-los, são muito caros).

    Sem falar dos inúmeros leitores novos surgidos aqui no Brasil desde o primeiro lançamento do Anual.

    Já vimos também que as republicações coloridas de antigas historias em P&B não deram certo aqui no Brasil.

    Comemoro e parabenizo a Mythos pela publicação! Lamento apenas o formato não ser italiano.

  12. Apesar de admirar a ideia dessa coleção em cores ou no mínimo em formato italiano, acho acertada a escolha da Mythos em publica-la nos moldes tradicionais e com preço mais acessível, aumentando assim a chance de êxito dessa série.

  13. Caro Zeca, externei essa opinião na sua página no Facebook que republico aqui:
    A Mythos deu mancada. Uma forma de seduzir a rapaziada da velha guarda de colecionadores e de atrair novos leitores, seria o relançamento em formato italiano. Temos inúmeros exemplos pendurados nas bancas brasileiras e, se não me engano, nos quiosques portugueses de republicações em arcos fechados de outros personagens… Outro detalhe: recomeçaria com a ordem original do Maxi Tex em italiano. Oklahoma (Berardi/Letteri) puxando a fila.

  14. Os comentários aqui demonstram que a maioria dos leitores não liga para colorização mas não aprova o tamanho escolhido, sendo que muitos (eu inclusive) devem deixar de comprar por causa disso. Que a Mythos use essa informação em seu planejamento…

  15. Boa tarde pessoal.
    Quanta reclamação nos comentários, quanto pessimismo. Deve ser muito frustrante pro pessoal da editora acompanhar a opinião dos leitores. Eu contei SEIS reclamações diferentes e dai parei (formato, sequência, papel, repeteco, valor……). A Mythos tem publicado para TODOS os gostos:
    – Papel bom (Tex Gigante Colorido) mas dai consideram caro
    – Cores (Tex em Cores e outros) mas dai não compram porque é colorido, é caro, não respeita o número de páginas da publicação italiana
    – Formato italiano (Tex em cores e outros) mas dai não compram porque é repeteco………..
    – Infinitas reclamações

    Eu particularmente DETESTO o formato italiano. É grande, desajeitado pra ler. Não gosto do papel do Tex em Cores… mas parei de reclamar. Compro, leio, guardo, coleciono, sou fã.

    Parem de reclamar tanto e pensem um pouco: se a editora for agradar a todos… vai ter que publicar a mesma história com (no mínimo) 50 opções diferentes.

    Que seja muito bem vinda a coleção TEX PLATINUM.

  16. Percebi que algumas pessoas não estão satisfeitas com a escolha da Mythos em publicar essa série no formato tradicional e em Preto e Branco, Mas sinceramente, depois de tantos cancelamentos e melhor ter essa série nos moldes simples e que dure por pelo menos os 9 números iniciais do que uma edição de luxo que não ultrapasse 2 ou 3 edições. O que acham?

  17. Mais um repeteco tão ao gosto da Mythos. Lei do menor risco, pois sempre terá alguns (cada vez menos) poucos milhares de leitores abnegados que compram mesmo já tendo lido a aventura em outra série.

    O diferencial seria vir em tamanho italiano, pois isto estimularia muito mais leitores a começar uma nova coleção de repetecos.

    Alegam que o preço ficaria alto. Faroles! Não pensaram assim quando quando lançaram Tex em Cores com um papel tão caro. Também não pensaram assim quando lançaram o Tex Gigante em Cores. Pra que uma edição tão luxuosa e cara se todos sabemos que o leitor médio de Tex não conseguiria comprar. Que uma grande parte ainda prefere comprar as revistas em sebos para comprar mais barato.

    Estas duas edições mencionadas, fazendo uma analogia com o cinema, foram sucesso absoluto de crítica e um tremendo fiasco de bilheteria.

    E eu falo com propriedade, pois coleciono as duas. Além de Júlia, Tex Mensal, Tex Ouro, Tex Anual, Almanaque Tex e o Tex colorido.

    Qual o atrativo de novas letras e novo texto, se os da Mythos sempre foram excelentes? Se fossem histórias só publicadas pela Vecchi ou Globo, ainda justificaria, pois o trabalho deles era sofrível. Mas nessa parte a Mythos sempre foi excelente. O mesmo se aplica para as capas.

    Bem, vou comprar o #01,mas os outros só Deus sabe. Se fosse formato italiano eu compraria todos com o maior prazer.

    Abraços

    Alvarez

  18. Acho que a Mythos errou em tudo, não vejo nenhum entusiasmo pelos fóruns de quadrinhos por parte dos novatos que não tem essa série estavam ansiosos aguardando a publicação nos moldes italianos, com Oklahoma iniciando a coleção e mesmo formato e designer com aquelas belas lombadas daí esse balde de água fria. Se o bónus era a capa do Villa, a editora deu um jeito de a tornar muito feia, sem estética nenhuma com tanta coisa cobrindo o desenho, tem que aprender que numa capa de quadrinho menos é mais pois o leitor quer ver a arte do capista.

    Enfim, decepcionante.

  19. A Mythos passa ao lado de uma grande coleção.
    Ao lançar Tex a cores mensal a Mythos matou essa publicação á nascença. Sendo um repeteco como alguns referem não deixa de ser talvez a melhor publicação de Tex a longo prazo.
    É verdade que em termos de tamanho gosto mais do clássico e também gosto do preto e branco, mas a longo prazo e observando Tex collezione storica a colori vejo que está a anos luz das restantes publicações da Mythos.
    Sendo uma empresa a Mythos devia ter feito o trabalho de casa no que respeita ao seu público alvo como fez e bem em relação ao lançamento de Tex Coleção quinzenal.
    O público alvo de Tex no Brasil e Portugal tem um poder de compra inferior por exemplo em relação ao italiano, como tal o lançamento de Tex a cores deveria respeitar isso mesmo devendo a Mythos ter criado uma brecha no escalonamento das publicações já existentes.
    Porque é que Tex normal é o gibi que vende mais: preço e principalmente longevidade.
    Tex Anual vende muito porque embora algo caro sendo anual torna-se possível a sua aquisição.
    O que Tex a cores traz de novo: novidade, cor, qualidade e também poderá cativar um público mais jovem.
    Bastava à Mythos por exemplo alterar o lançamento de Tex Ouro e Histórico (verdadeiros repetecos) para 4 meses criando espaço para Tex a cores com moldes iguais ao italiano, tiragem superior para baixar no preço e trimestral podendo no futuro alterar para bimestral dependendo da aceitação. É incompreensível que uma coleção desta qualidade seja depositada na prateleira e sejam colocadas à venda coleções como Tex Gigante de valor muito superior ou seja para alguns ou coleções a cores de papel de 3ª como a recente coleção de Tex colorida em formato italiano.
    Para finalizar caros amigos da Mythos organizem a casa e deem espaço que nós fazemos o resto.
    Um abraço.

  20. Jozemar de Souza,
    de fato, foi a Editora Globo que publicou a história “Oklahoma” em “Tex” nº 300 – e mudando a capa. Essa edição está em minha EstanTex, logo ao meu alcance. 😉
    Eu concordo com os pards que gostariam do seguinte em “Tex Platinum”:
    1) Começar por “Oklahoma!“, conforme a série “Maxi Tex“;
    2) Formato italiano;
    3) Lombada original;
    4) Capa menos poluída.
    O meu comentário, no Fórum TexBR, sobre a nova série texiana da Mythos Editora:
    Harmonica,
    eu penso que a história “O Veneno do Cobra” não será publicada na 2ª edição de “Tex Anual”, assim com as lombadas. Eu concordo com você quanto seguir a ordem original da SBE.
    Rinpel,
    além do exposto acima, eu creio que o formato não será italiano. Haverá três imagens de Tex na capa; poderia ser apenas os demais pards ao lado de Platinum com Tex sobre a logomarca da Mythos.

  21. Acho uma falta de respeito com os leitores, a editora ao menos deveria ter feito anúncios sobre esse “novo” lançamento, em formatinho, um absurdo, eu não sei porque continuar insistindo nesse formato, por que não o italiano? E o preço, exagerado como sempre. Por mim todas as edições de Tex, migravam para o formato italiano, seguindo à sequência, esse aí não comprarei! A melhor edição de Tex foi cancelado novamente. (Tex em Cores) aí vem esse tal de “Platinum“. Vai entender o que se passa na cabeça do editor Dorival.

  22. Não entendo, por que ocupar os tradutores e letristas com essa nova coleção enquanto o Tex Coleção é feito nas coxas, com reimpressão de material ainda com letreiramento à mão da época da Globo. Além de eu já ter esse material na mensal (ou seja, porque compraria algo que já tenho exatamente daquele jeito?) a impressão fica terrível. Mal dá pra ler alguns diálogos e os desenhos ficam terríveis. E não adianta reclamar que as vendas dos “Tex em Cores” (as duas coleções) estão baixas, vocês da Mythos estavam lançando mensalmente!! Por que essa pressa de mandar pras bancas? Não dava pra ser bimestral ou trimestral? Obrigado por nos trazer essas informações, Zeca.
    Abraços.

  23. Eu também estou desiludido com o trabalho da Mythos em algumas colecções, mais precisamente, TEX COLECÇÃO, OURO E HISTÓRICA. relativamente ao PLATINUM, tenho receio que siga o padrão destas colecções. Quando tomei conhecimento da nova colecção, desconhecendo os moldes em que iria ser publicada escrevi: “Em situação normal receberia com muito agrado a notícia de uma nova coleção de Tex, no entanto, após ter observado com detalhe a qualidade das coleções de reedições, receio que TEX PLATINUM seja apenas mais uma coleção em formatinho, impressa em papel de jornal de fraca qualidade e com preço elevado, que apenas desperte o interesse de quem não possui os primeiros números de TEX ANUAL.” O texto completo que expressa a minha opinião está disponível em: http://thebonelliemporium.blogspot.pt/2016/02/o-limite-da-tolerancia.html

  24. Excelente texto, Sérgio. Concordo em tudo com o que foi dito na postagem. As republicações com exceção das coloridas, tem um nível sofrível de impressão, se o leitor puder correr atrás das mesmas histórias que saíram originalmente a um tempo pela Globo, Vecchi ou a própria Mythos o faça, pois a impressão está excelente.

    Já as edições em cores como Tex em Cores e Tex Gigante em Cores tem um nível de aproveitamento muito grande, principalmente a última que apesar do preço está praticamente perfeita, até melhor que a italiana.

    Abraços.

  25. Sim! E no famigerado formatinho. Falta de ousadia das editoras Brasileiras! Exceto da editora Record, na época em que deteve os direitos autorais de Zagor e outros personagens da Sergio Bonelli.

  26. Affff, Mais uma oportunidade perdida pela Mythos. Além de começar a coleção sem seguir a ordem Italiana (o número 1 foi Oklahoma) me vem novamente com o famigerado formatinho. Não vou comprar pelo simples motivo que já tenho a coleção em formatinho e porque faria uma segunda? Mais um tiro no pé.

  27. Eu estou vendo daqui os sinais de fumaça de vocês, caros texianos… Gente eu amei a ideia e espero que esta revista venha pra minha cidade.
    Aqui é um inferno pra receber meus Tex por questão de distribuição.
    Meus Tex anual aliás estão velhos e este número 1 minha ex rasgou e está todo emendado.
    Abraços.

  28. Olá, pessoal!

    Sou um novato no mundo de Tex, apesar de ser um leitor de hq’s veterano. Decidi começar a ler Tex justamente por causa do lançamento da coleção Platinum e estou gostando bastante. É claro que ainda não tenho muita referência para opinar sobre a qualidade editorial dessa coleção e muito menos de compará-la com outras versões, mas acho que ela vai servir sim de porta de entrada para vários novos leitores de Tex no Brasil, como aconteceu comigo. Isso por si só já é uma coisa boa pois ajuda manter a publicação do personagem em seus vários títulos.

  29. Valeu sempre Mythos. O FORMATINHO 13,5 x 17,5 e o preto e branco são ótimo!!!! Espero que permaneça neste formato e o italiano seja apenas em algumas publicações…
    Concordo em gênero, número e grau com o amigo Everton Junior Pelisson!!!!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.