Tex indiano em evento texiano realizado em Bangalore, sul da Índia

Por José Carlos Francisco

Decorreu no passado fim de semana de 1 e 2 de Junho deste ano, no Koramangala Indoor Stadium, situado em Bangalore, uma cidade da Índia, capital e maior cidade do Estado de Karnataka, localizado no sul do país e com uma região metropolitana, com pouco menos de 8.800.000 habitantes, o Comic Con Bangalore 2013, um evento relacionado com a Banda Desenhada, onde as edições de Tex Willer estiveram presentes graças à Lion Comics, a editora indiana que publica Tex (e muitas outras personagens) na Índia.

Shriam Lakshmanan, o Tex Willer indiano compareceu ao evento realizado em Bangalore

E sendo Tex Willer uma personagem universal, existem também na Índia muitos fãs e coleccionadores que aproveitando o evento se deslocaram a Bangalore para desfrutarem de um seguramente aprazível convívio que contou com a presença do tradutor de Tex na Índia, Jerome Saincantin de seu nome, inclusive não faltou um verdadeiro Tex Willer indiano, Shriam Lakshmanan de seu nome real, como comprovam as diversas fotos que ilustram este texto e que comprovam uma vez mais que o Ranger continua a marcar o imaginário colectivo de meio mundo, sendo portador de um diálogo entre culturas graças também ao empreendimento dos seus fãs espalhados pelo mundo.

Fãs e coleccionadores indianos de Tex prestigiaram o evento com a sua presença

Tex e demais pards indianos

Tex com uma sua fã indiana

Tex Willer divulgando as suas edições indianas

Um sempre sorridente Tex Willer indiano

Tex Willer com o seu tradutor Jerome Saincantin

Um Kit Carson indiano sem cavanhaque?

(Para aproveitar a extensão completa das fotos acima, clique nas mesmas)

25 Comentários

  1. Tex aparece em um cartaz na sétima e nona imagens; Blueberry, o irmão francês do Ranger, aparece em cartaz na sexta imagem e em capa de álbum na nona imagem.
    Parabéns ao José Francisco pela descoberta de Tex em um evento na Índia.

    • Esta “descoberta” do Tex indiano e do evento na Índia mostra também a força do blogue do Tex, pois foi o próprio Tex, ou melhor o Shriam Lakshmanan, que contactou o blogue português do Tex dando conta do evento e pedindo para ser publicada a notícia porque o blogue português do Tex também é muito visto e conceituado na Índia, sobretudo por parte dos inúmeros fãs de Tex 😉

  2. Nem outra coisa era de esperar, José Carlos. Alguém tem dúvidas de que o blogue português do Tex chega a toda a parte onde Tex é lido e apreciado?
    A propósito deste evento bedéfilo na Índia, em que também participaram muitos fãs locais de Tex, era curioso saber que tiragens atingem as edições do Ranger e de outros heróis da Bonelli nesse fabuloso país.

  3. Pard Zeca, tenho 1 exemplar de Tex publicado na Índia, entre as Tex de 10 países que tenho. Assim que der vou fotografar minhas novidades (raridades) e te enviar.

    Abraços texianos!

  4. Puxa! Na Índia também!!! Vamos esperar que Tex chegue no Afeganistão, na Síria, etc. e que os fãs pensem menos no terrorismo e mais na paz…

  5. Meu pensamento bate com o de Jorge Magalhães, de tentar saber mesmo que por alto, uma estimativa de leitores texianos naquele superpopuloso país. E até nos demais onde Tex é publicado.

    Fico feliz de saber que não apenas nós brazucas temos o hábito de (alguém) vestir a roupa do personagem favorito, mas que isso ocorre também no Antigo Continente, e justamente com o nosso Tex.

    Zeca, acredito que o lugar mais longe do mundo é o Japão por analogia, mas também algumas ilhas remotas dos Mares do Sul, e talvez algum arquipélago pós Tasmânia, mas com certeza, se lá houver um texiano que seja, tem acesso ao Blog do Tex.
    Tem um pessoal indo a Marte, sem viagem de volta. Vamos ver se enviamos uns Tex pra lá. Assim não ficam tão mórbidos durante a viagem.

    Perguntinha que não quer calar: qual o idioma em que Tex é publicado? Lá tem duas línguas oficiais: Hindi e Inglês e outras 21 também oficiais de cada região, fora os 400 dialetos. Uma loucura!!!
    Então minha mensagem:

    एक टेक्स के सभी भारतीय पाठकों के लिए गले और हमेशा इस महान नायक के साथ जारी है, महान साहसिक, अच्छी शिक्षा और बहुत खुशी की गारंटी.
    भारतीय टेक्स के लिए बधाई हो!
    Tradução:
    Um abraço a todos os leitores indianos de Tex e continuem sempre com este nobre herói, garantia de grandes aventuras, bom aprendizado e ótimo lazer.
    Parabéns ao Tex indiano!!!

    • Vou ver se o Shriam Lakshmanan está disponível para fazer um artigo dedicado às edições de Tex na Índia de modo a que fiquemos a conhecer mais deste sucesso do Ranger por lá, até porque Tex já é publicado na Índia desde 1985.

      Entretanto posso confirmar que Tex por lá é publicado na língua tâmil, uma língua dravídica falada no sul da Índia (oficial no estado de Tamil Nadu), Sri Lanka, Myanmar (ex-Birmânia), Malásia, Indonésia, Vietname, Singapura e ainda em zonas do sul e leste da África, pelo povo tâmil, num total de 77 milhões de falantes, dos quais 68 milhões de nativos.

      Uma particularidade constatada pelas 3 edições indianas que possuo é que as capas são (literalmente) “inspiradas” nas edições italianas mas realizadas num estilo oriental por autores indianos:

      Edições de Tex publicadas na Índia em língua tâmil

  6. Zeca, coloque a opção de curtir ou compartilhar nas redes, pois muitas pessoas poderiam difundir ainda mais este belo espaço mundo afora.

    Parabéns à família Bonelli na Índia, e que vejamos mais e mais, belos eventos assim, mundo afora, e estamos todos juntos.

  7. Olá amigos,

    Há muitos texianos na Índia, basicamente pertencentes ao povo tâmil.
    Uma correção: Jerome Sainctin é tradutor para Cinebook não propriamente da Lion Comics.
    Estou preparando um bom post sobre a “vida” de Tex até agora na Índia. Publicarei em breve.

    Mas neste evento vivi um grande momento Tex…

    Texfan

  8. Excelentes informações sobre o Tex indiano… e mais virão a caminho, graças aos bons ofícios deste blogue, para satisfação de todos nós. Aliás, não me admira que Tex tenha tanta divulgação na Índia, desde 1985, porque há uma grande tradição de BD, em vários estados indianos, com desenhadores autóctones, tal como noutros países daquelas regiões, o que prova que os quadrinhos são, de facto, uma linguagem universal.
    Uma perguntinha ao pard Carsan: onde é que ele aprendeu indiano (ou hindi… suponho que se trata desse idioma)? O Google terá dado uma ajuda?
    Abraços para todos.

  9. Olá Magalhães, boa tarde!!!
    Pard, na verdade, o google tradutor deu todas as mãos possíveis. É hindi sim.
    A ideia de colocar na língua do pard Shriam foi para que ele pudesse entender a amistosidade e futuramente venha a fazer parte do nosso convívio.
    Para mim, a curiosidade histórica de Tex num mega país como a Índia é tão envolvente quanto aquela curiosidade que me acomete diante dos vários e vários livros e edições especiais que são publicadas na Itália sobre Tex.
    Usando uma gíria nossa: fiquei com a mão coçando (tamanha a curiosidade).
    Abração!

  10. Fantástica reportagem Zeca, mostrando a força dos quadrinhos Bonelli também na Índia. Que venha mais artigos como esse e que Shriam Lakshmanan possa nos falar da tiragem de Tex nesse populoso País. Uma curiosidade Zeca, tem mais outro personagem Bonelli sendo publicado por lá além de Tex? Abraços.

  11. Excelente! Quanto mais for vendido o produto TEX, mais e melhor ele ficará. Um abraço a todos, do Brasil. Ruy

  12. Parabéns aos Indianos! É TEX ultrapassando fronteiras… uma edição cairia bem na minha coleção… quem sabe!!

  13. Como aparenta, pelas fotos, ser simpático esse povo indiano. Foi com muita curiosidade que li essa matéria. A força que um personagem como Tex tem é universal. Méritos do grande GL Bonelli, um escritor que teve uma obra prima que cruza o tempo e o espaço. Não é pouca coisa isso.

Responder a Miguel Zinelli Cancelar resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *