Morreu Giovanni Romanini (participou no Tex Gigante “O Vale do Terror”, desenhado por Magnus)

Giovanni Romanini (27 de Dezembro de 1945 – 20 de Março de 2020)

27 Dezembro 1945 – 20 Março 2020

Com 74 anos, faleceu nesta última sexta-feira, dia 20 de Março, na sua Bolonha (cidade italiana onde nasceu a 27 de Dezembro de 1945), Giovanni Romanini, veterano da banda desenhada italiana, conhecido pelos fãs de Tex sobretudo por ter sido o “escudeiro” do amigo e concidadão Roberto Raviola, popularmente conhecido por Magnus (1939-1996).

Por Mário João Marques

Giovanni Romanini foi um dos grandes nomes do fumetto italiano. Desenhador eclético, o que muitos eventualmente desconhecem foi o seu papel como colaborador e amigo de Magnus, nomeadamente, para o leitor texiano, no célebre Texone O Vale do Terror, e talvez por isso a sua carreira não tenha alcançado o relevo e o valor que Romanini merecia.

Estudo a quatro mãos para o Tex Gigante O vale do terror – Magnus e Giovanni Romanini

Nascido em Bolonha (1945), Romanini deixou o mundo dos vivos ontem, 20 de Março. Antes de começar a trabalhar nos fumetti, iniciou a sua longa carreira no cinema de animação, colaborando no programa televisivo Carosello. Conhece Roberto Raviola (Magnus) no final dos anos sessenta do século passado, assimilando o seu estilo e grafismo, o que lhe permite auxiliá-lo em séries como Kriminal, Satanik ou Alan Ford, dedicando-se a esta última após o abandono de Magnus. Desenhou também inúmeras personagens do género policial e eróticas como Wallestein, Theo Kalì, Ulula, Bionika, Pornostar, Lady Domina ou I Ragazzi Della 3a B. A sua última colaboração com Magnus foi a já referida aventura de Tex, onde desenha os cavalos e refaz algumas pranchas. Colaborou ainda com a Disney e nos últimos anos encontrava-se na equipa regular de Martin Mystère.

Tex Willer, Kit Carson e Jack Tigre na fenomenal arte de Giovanni Romanini

Desenhador eclético, Romanini foi sempre um grande profissional, capaz de conjugar rapidez com qualidade, mantendo-se sempre longe dos holofotes a que outros anseiam. Quem com ele privou não se coíbe de afirmar que se tratava de uma pessoa excepcional, sempre a fervilhar de ideias e paixões.

“Autógrafo desenhado” por Giovanni Romanini para José Carlos Francisco

(Para aproveitar a extensão completa das imagens acima, clique nas mesmas)

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.