Fanzine “A Conquista do Oeste” – Maio/Novembro 2001 – Página 80 – Roy Rogers

ROY ROGERS

Temos pena, mas este será o último artista que irá figurar destacadamente neste espaço. Infelizmente e pelo que temos vindo a lançar no computador, estão já contadas mais de 50 páginas e, como ainda nos falta incluir tanto material, as 100 páginas previstas não vão chegar. E temos que admitir que ultrapassar tal número, está fora de questão. Todos os outros artistas irão unicamente aparecer com os seus nomes e pouco mais, apesar de sabermos que, muitos deles mereciam ainda, mais linhas.

Leonard Slye (seu nome verdadeiro), nasceu a 5 de Novembro de 1912, em Cincinnati, em Ohio.
Contemporâneo de Gene Autry, Roy Rogers foi, sem dúvida, a partir de 1943, o “Rei dos Cow-boys” do Cinema, mantendo o seu título durante 12 anos seguidos, suplantando o do seu rival, que permaneceu destacado unicamente durante 6 anos. Como se isso não bastasse, os seus parceiros eram “Trigger” (o cavalo mais esperto do Cinema) e sua mulher Dale Evans (a rainha do Oeste), com quem contracenou durante 20 filmes.

Roy Rogers não era um grande actor, mas o seu estilo alegre e natural, proporcionou-lhe a popularidade que alcançaria. Estreou-se no Cinema em 1935, como cantor integrante do grupo “Sons of The Pioneers”. Teve o seu primeiro papel com o nome de “Dick West”, sendo baptizado como “Roy Rogers”, em 1938, pelo o então presidente da Republica Pictures, Herbert J. Yates, no filme “Under Western Stars”. O seu segundo filme, “Billy The Kid Returns”, embora mais emocionante que o anterior, não deu a Roy Rogers, a consagração que Gene Autry tinha alcançado. Somente quando este ingressou nas Forças Armadas, em 1942, é que Rogers veio a ocupar o primeiro lugar nos filmes de “western”.

Até 1940 os seus filmes foram sempre musicais, tornando-se mais intensos em relação à acção, a partir de finais dessa década, como em “Springtime In The Sierras”.
Seu último filme de “western” seria “Palms of The Golden West” (1951), embora ainda entrasse no ano seguinte em outro filme com Bob Hope, “Son of Paleface”. Depois disso retirou-se e passou unicamente a entrar em filmes da TV.

Alguns dos seus filmes: “Brazil”, “The Ranger And The Lady”, “Son of Nevada”, “Yellow Rose of Texas” (de 1940), “Along The Navarro Trail”, “Don’t Fence Me In”, “Sunset In Eldorado” (de 1945), “Heldorado”, “My Pal Trigger”,  “Rainbow Over Texas”, “Roll On Texas Moon” (de 1946), “Apache Rose”, “Bells of San Angelo”, “On The Old Spanish Trail” (de 1948), “The Gay Ranchero”, “Eyes of Texas” e “Grand Canyon Trail” (de 1948).

(Para aproveitar a extensão completa da imagem acima, e/ou imprimí-la, clique na mesma)

2 Comentários

  1. Ótima lembrança do saudoso cowboy Roy Rogers, foi bom relembrar fotos e dados sobre sua história.
    Infelizmente, a foto que aparece no inicio da matéria, logo abaixo do nome Roy Rogers, é de outro ator, cujo nome é Clint Walker, ator de vários filmes western.
    Apreciaria se fosse feita a retificação.

    • Muito obrigado pelo seu comentário e pelo seu aviso, prezado Eoclecio Manosso. Já rectificamos de imediato a legenda da foto de Clint Walker 😉

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.