ESPECIAL CELEBRAÇÃO TEX 70 ANOS V – DE VOLTA AO PASSADO

Por Zenaldo Nunes – Caruaru / Pernambuco / Brasil

Lembro que há 40 anos; em Janeiro de 1978, ganhei do meu querido e saudoso pai (in memoriam), a revista de Tex nº 82, com o título Pat, o Irlandês, (1ª edição). Aquela capa “encheu-me os olhos” pela beleza daquele tipo de desenho, onde naquela ocasião, me estava sendo apresentado aquele magnífico personagem de faroeste. Lamentável que posteriormente não teve a mesma qualidade na 2ª edição (Outubro de 1982) e pela mesma editora. Cito também a primeira revista de Tex que comprei, sendo a nº 21, Os Renegados de Virgínia City (2ª edição – Janeiro de 1979). Todos publicados pela extinta Editora VECCHI.

Há 40 anos que acompanho Tex e Ele me acompanha. Na minha vida, muitas das decisões tomadas foram espelhadas em Tex Willer e seus Pards, até mesmo o meu carácter foi “moldado”, baseado em tudo que Tex é e representa. Ele é o “espelho” de rectidão, lei e justiça, indo contra tudo e todos que simpatizem ou exerçam o preconceito, a escravidão, o racismo, a corrupção e toda e qualquer situação que promova a “injustiça”. Tenho prazer imenso de gostar da 9ª Arte (Banda Desenhada) e orgulho de coleccionar, divulgar e ser apaixonado pelo grande Águia da Noite.

Naquela ocasião, já conhecia os Seriados de BatMasterson, Bonanza, Daniel Boone, Durango Kid, Lone Ranger, O Homem do Rifle, Paladino do Oeste, RinTinTin e Zorro. Personagens estes já existentes em Histórias em Quadrinhos.Apesar de que não tinha condições financeiras para comprar as BD’s sobre as séries supracitadas e a acessibilidade de locais de compra era difícil onde eu morava.

A partir daquele momento nasceu a “minha paixão” pelo Ranger TexWiller e seus pards, durante todo este tempo e até os dias actuais.

No passado mês, Janeiro de 2018, pesquisando na Internet sobre o Universo de Tex, encontro este desenho supracitado; onde um garoto está lendo uma revista de Tex, cercado de tantos outros; incluindo póster e vestido caracterizado como o herói o qual estava lendo, sendo um verdadeiro Cosplay naquele instante.

Lembro que no tempo de minha infância, só havia para vender máscaras (Lone Ranger, Zorro), lenços pretos (Durango Kid), chapéu, capa e espada (Zorro); colt de plástico ou alumínio e que não havia ainda o devido conhecimento e nem divulgações através de qualquer tipo de mídia sobre o “UNIVERSO COSPLAY”.

Nota: Cosplay é um termo em inglês, formado pela junção das palavras costume (fantasia) e roleplay (brincadeira ou interpretação). É considerado um hobby onde os participantes se fantasiam de personagens fictícios da cultura pop japonesa. Pode estar relacionado com personagens de games, animes e mangás e também englobar qualquer outro tipo de caracterização que pertença à cultura pop ocidental. Normalmente, os cosplayers (pessoas que fazem cosplay) são fãs dos personagens que representam e das respectivas séries, filmes, games ou desenhos a que este personagem venha a pertencer.
(Fonte: https://www.significados.com.br/cosplay/)

Chamou-me a atenção; o calendário datado do ano de 1978, aonde me vieram saudosas lembranças de minha juventude, acrescida de emoções. Senti-me como se tivesse “servido de modelo” para a realização do desenho (rs); onde eu era loiro e tinha 14 anos na época supracitada (talvez a idade do garoto do desenho).

O desenho supracitado é de autoria do grande desenhador Pasquale Frisenda, mas senti-me “homenageado” diante desta “grande coincidência” ou daquele velho paradoxo “estava escrito”. Neste ano em que se comemoram os 70 anos de criação do nosso amado Ranger, no dia 30de Setembro, registo os meus 40 anos de paixão, aprendizado e emoção com uma imensidão de momentos de felicidade. Hoje em dia, além de coleccionar e pesquisar; promovo e divulgo Tex, sempre que posso e dentro das minhas condições financeiras e temporais, com imenso prazer e realização pessoal.

Minha eterna gratidão para o seu criador Gian Luigi Bonelli e Aurelio Galleppini (criador gráfico); como também à Sergio Bonelli Editora – SBE, Tex Willer Blog (Zeca), Portal Texbr (Gervásio Santana), Confraria Bonelli (Joana Rosa), Tex Willer- Águia da Noite (G.G. Carsan), Quarto dos Sonhos (Adriano Rainho), Mythos Editora (Dorival Lopes) e a todos aqueles que ajudam a promover e divulgar no mundo este magnífico personagem do genuíno faroeste. E antes e acima de tudo a Deus por me permitir estar vivendo tudo isto actualmente e durante estes 40 anos. Vida longa a Tex Willer.

TEX NÃO É APENAS UMA HISTÓRIA EM QUADRINHOS DE UM COWBOY. É UM ESTILO DE VIDA. (Zenaldo Nunes)

(Para aproveitar a extensão completa das imagens acima, clique nas mesmas)

4 Comentários

  1. Longa vida a Tex.
    Também tenho recordação de infância associadas a Tex.
    O meu primeiro Tex foi o património do irlandês, da Vecchi, primeira edição.
    Já não o tenho… infelizmente.

  2. Bela matéria, meu amigo Zenaldo.
    Tex também foi uma de minhas primeiras incursões no mundo dos quadrinhos. Ainda possuo tais relíquias, Os Apaches Atacam, Os Espíritos da Noite, A Cidade Morta e A Farsa. Tenho outras edições mas essas ficaram na memória com carinho. Vida longa ao melhor ranger do Oeste!

  3. As aventuras de Tex através dos anos me fizeram enfrentar diversas situações na vida, em que os quadrinhos com seus “balões falantes” ajudaram-me a tomar certas decisões. Obrigado pelas palavras pards e ao Ivo por mais um título recebido com muita honra (rs).

Responder a Ivo F. Almada Cancelar resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *