Entrevista com o fã e coleccionador: York Correa

Entrevista conduzida por José Carlos Francisco.

Para começar, fale um pouco de si. Onde e quando nasceu? O que faz profissionalmente?
York Correa: Chamo-me York Correa, nasci no ano de 1974 em Maracaju, no estado de Mato Grosso do Sul . Sou Agropecuarista e trabalho nas propriedades da minha família.

Quando nasceu o seu interesse pela banda desenhada?
York Correa: Na minha infância como era de costume de todas as crianças da época, afinal gibis eram das poucas coisas que tínhamos de entretenimento.

Quando descobriu Tex?
York Correa: Foi no ano de 1981 quando li A Vinganca de Apache Kid.

Porquê esta paixão por Tex?
York Correa: Pela dinâmica das histórias, além de gostar do ambiente onde elas se passavam.

O que tem Tex de diferente de tantos outros heróis dos quadradinhos?
York Correa: Acho que a conduta dele é mais regular que dos outros. A sua conduta de valores é muito bem definida.

Qual o total de revistas de Tex que você tem na sua colecção? E qual a mais importante para si?
York Correa: Hoje tenho mais de 3600 revistas do Tex, tenho as colações completas mensais italiana e brasileira, como também tenho as reedições Tutto Tex, Tex segunda edição e Tex Coleção. Tenho algumas coisas bastante raras como os álbuns do Tex da Vecchi e o seu similar italiano que fora lançado 3 anos antes. Tenho a famosa revista Histórias de Faroeste #22 com a capa do Tex, tenho também a colecção completa argentina Rayo Rojo com histórias desenhadas e escritas por artistas argentinos sem a devida permissão da Bonelli. Portanto fica difícil eu escolher algo predilecto.

Colecciona apenas livros ou tudo o que diga respeita à personagem italiana?
York Correa: Tenho algumas coisas sim, mas dedico-me mais à aquisição de revistas mesmo. Quero ser o recordista em número de revistas do Tex. 🙂

Qual o objecto Tex que mais gostaria de possuir?
York Correa: Uma arte original do Galep.

Qual o argumentista de Tex que mais aprecia? E o desenhador?
York Correa: Gosto muito dos roteiros do Boselli e desenhos do Fusco e Civitelli.

O que lhe agrada mais em Tex? E o que lhe agrada menos?
York Correa: Gosto de tudo, mas acho que está na hora de se arriscar mais em novos argumentos pois já se esgotou um pouco dos enredos interessantes, afinal é muito difícil ficar escrevendo 70 anos sobre uma história passada em um local e um tempo bem determinado sem ser um pouco repetitivo.

Em sua opinião o que faz de Tex o ícone que é?
York Correa: A fidelidade dos fãs.

Costuma encontrar-se com outros coleccionadores?
York Correa: Sim com alguns, mas a maioria através de redes sociais.

Para concluir, como vê o futuro do Ranger?
York Correa: Acho que está na hora do Tex se reinventar com novas histórias que experimentem novas perspectivas como por exemplo terror, magias, mistérios, política, novos lugares. Pois como eu disse, minha opinião é que Tex está um pouco repetitivo e está na hora de tentar mudar um pouco. Outro grande desafio é que as editoras tem que estreitar mais a relação com os leitores via mídias sociais (Blogues, YouTube, etc.) afinal estamos em pleno século 21 e se elas não se modernizarem nesse quesito… o leitor quer saber das novidades, conhecer o dia a dia da redacção, conversar com os desenhadores, etc. Estamos na idade média em relação ao relacionamento editora x leitor ! Isso tem que mudar pois senão ficará mais difícil angariar novos leitores!!!


Prezado pard York Correa, agradecemos muitíssimo pela entrevista que gentilmente nos concedeu.

(Para aproveitar a extensão completa das imagens acima, clique nas mesmas)

3 Comentários

  1. Linda coleção York. Concordo com você no fato de achar que está um pouco repetitivo, acredito que os roteiros deveriam atingir novos horizontes. Eu por exemplo, escrevi 10 roteiros com histórias envolvendo Lilyth nas aventuras, com a proposta de ser um box para colecionadores, capa dura, luxo, colorido, inclusive o Zeca até publicou a matéria, mas a editora Bonelli nem quis apreciar. Essa interação entre os leitores deveria acontecer. Mas, infelizmente ainda não abriram os olhos para esse fato.
    Saudações Texianas. SILMAR.

  2. Parabéns mais uma vez, York, por sua linda coleção. Eu que vi ela crescendo pouco a pouco, desde as primeira aquisições da série mensal da 1ª edição, sei do teu empenho em ir adquirindo todos estes maravilhosos itens. É de fato uma coleção fantástica que demonstra todo teu carinho pelo personagem. Excelente tua entrevista para o Zeca, com considerações importantes e pertinentes. Um forte abraço.
    Jesus

Responder a Matheus Garcia Henriques Cancelar resposta

O seu endereço de email não será publicado.