Entrevista com o fã e coleccionador: Reinaldo Valdez

Entrevista conduzida por José Carlos Francisco.

Para começar, fale um pouco de si. Onde e quando nasceu? O que faz profissionalmente?
Reinaldo Valdez: Sou gaúcho, nasci em Porto Alegre, Brasil. Actualmente moro em Santa Cruz do Sul, interior do Rio Grande do Sul. Tenho 33 anos, estudo Letras e trabalho numa escola.

Quando nasceu o seu interesse pela banda desenhada?
Reinaldo Valdez: Aprendi a ler muito cedo, antes mesmo de frequentar a escola. A minha primeira revista em quadrinhos foi a minha avó que me deu.

Quando descobriu Tex?
Reinaldo Valdez: Tex eu descobri com uns oito anos de idade. Foi o meu tio que me deu o meu primeiro Tex. Foi o número 65 do Tex Coleção “Kit contra Tex”. Fiquei fascinado pela história. Até hoje eu sei de cor a sequência dos quadros de tão impactante que essa história foi para mim.

Porquê esta paixão por Tex?
Reinaldo Valdez: O Velho Oeste sempre me fascinou. Eu acho que Tex é o que melhor representa esta ideia romântica do Velho Oeste que faz parte do nosso imaginário.

O que tem Tex de diferente de tantos outros heróis dos quadradinhos?
Reinaldo Valdez: É difícil determinar isso, não é? Talvez as histórias tenham a dose certa de verosimilhança, de heroísmo, dose certa de situações que poderiam ser reais, misturadas com um universo fantástico habitado por bruxos, fantasmas, mistérios. Talvez seja isso.

Qual o total de revistas de Tex que você tem na sua colecção? E qual a mais importante para si?
Reinaldo Valdez: Possuo quase 800 revistas do Tex. Tenho muitas revistas importantes, principalmente as desenhadas por Ticci, Marcello, Fusco e Giolitti. Acho que a mais importante, por ser uma revista rara, é a nº 8 da 1ª edição da editora Vecchi “Horda selvagem”. Outra que pela qual tenho um carinho especial, é o Tex Gigante “Terrra sem lei”, desenhada pelo génio, Giolitti, um dos meus desenhadores favoritos.

Colecciona apenas livros ou tudo o que diga respeita à personagem italiana?
Reinaldo Valdez: Colecciono apenas as revistas.

Qual o objecto Tex que mais gostaria de possuir?
Reinaldo Valdez: A nº 1 da primeira edição brasileira “O signo da serpente”. Não pela história que, em minha opinião, é bem fraca, mas por ser uma revista rara.

Qual a sua história favorita? E qual o desenhador de Tex que mais aprecia? E o argumentista?
Reinaldo Valdez: Posso citar mais de uma? Minhas histórias favoritas são: “O passado de Kit Carson”, “O bando dos irlandeses” e “Os sete assassinos”, todas desenhadas pelo mestre Marcello. Meu argumentista favorito é o Boselli.

O que lhe agrada mais em Tex? E o que lhe agrada menos?
Reinaldo Valdez: O que me agrada mais são histórias que deixam transparecer o lado humano das personagens, suas fraquezas, seus medos (como essas histórias que citei acima). O que me desagrada é a má qualidade dos enredos e dos desenhos de muitas histórias recentes. Além da má qualidade gráfica que algumas revistas apresentam.

Em sua opinião o que faz de Tex o ícone que é?
Reinaldo Valdez: Acho que é uma série de factores. O carisma das personagens, cada uma com as suas características já sedimentadas durante todos estes anos de publicação.

Costuma encontrar-se com outros coleccionadores?
Reinaldo Valdez: Raramente me encontro com outros coleccionadores.

Para concluir, como vê o futuro do Ranger?
Reinaldo Valdez: Tenho que ser optimista, não é? Apesar da crise editorial, a mudança de hábitos da população, apesar de viver no Brasil, um país onde as pessoas quase não lêem, eu acredito que a personagem Tex terá vida longa ainda. O ser humano gosta de boas histórias. Claro, acho que tem que haver uma preocupação por parte dos editores em manter a qualidade das revistas num certo padrão, com bons enredos, bons desenhadores, uma distribuição eficiente, uma boa divulgação.

Prezado pard Reinaldo Valdez agradecemos muitíssimo pela entrevista que gentilmente nos concedeu.

(Para aproveitar a extensão completa das imagens acima, clique nas mesmas)

2 Comentários

  1. Parabens pale entrevista Reinaldo! Uma coisa que você não citou para a questão do futuro do nosso amado Ranger é o valor das revistas no BR, está complicado comprar todas por causa dos valores de edições como TEX ANUAL, OURO, GIGANTE… preços muito elevado para o padrão do brasileiro médio !

Responder a Cayman Moreira Cancelar resposta

O seu endereço de email não será publicado.