Entrevista com o fã e coleccionador: Genivaldo Alberto Custódio

Entrevista conduzida por José Carlos Francisco.

Para começar, fale um pouco de si. Onde e quando nasceu? O que faz profissionalmente?
Genivaldo Alberto Custódio: Olá! Meu nome é Genivaldo Alberto Custódio, nasci em 15 de Fevereiro de 1962, no bairro Vila Real, cidade de Balneário Camboriú, Estado de Santa Catarina, Brasil. Esse bairro já viveu com mais intensidade suas características açorianas. Aliás, foi na Barra, bairro vizinho à Vila Real, que iniciou-se a colonização da cidade de Camboriú, que depois dividiu-se em duas cidades: Balneário Camboriú e Camboriú.
Quanto a mim, vivo no mesmo lugar onde nasci e atualmente sou servidor público estadual. Nas horas vagas, continuo lendo e colecionando TEX.

Quando nasceu o seu interesse pela banda desenhada?
Genivaldo Alberto Custódio: Desde quando aprendi a ler, já adorava gibis e não recusava nenhum, lia de tudo: Heróis da TV, Mandrake, Fantasma, Recruta Zero, Hagar, o Terrível, Disney, etc… Lia de tudo com muito interesse. Até jornais e revistas velhas.

Quando descobriu Tex?
Genivaldo Alberto Custódio: Foi um pouco depois desse (+- 75/76). Não tinha dinheiro para comprar gibis e ia sempre na casa de um amigo de escola pegar alguns para ler; Num dia, junto com os personagens citados acima, veio um gibi de bang-bang em preto e branco com um nome estranho e chamativo na capa: TEX. Não lembro o nome da história, mas lembro que depois da leitura voltei à casa desse meu amigo e pedi mais gibis daquele TEX. Me emprestou mais alguns que ele tinha e depois disso, a coisa ficou viciante. Esse meu amigo me disse que conseguia os gibis com um primo mais velho que já trabalhava e podia comprar gibis e colecionava TEX e tinha o mesmo espírito dos colecionadores de hoje: Gostava de incentivar a leitura do herói italiano e emprestava com prazer suas revistas.

Porquê esta paixão por Tex?
Genivaldo Alberto Custódio: Costumo dizer que a paixão por TEX não se explica, se multiplica! Suas histórias e seus desenhos eram e ainda são cativantes. Em minha criancice eu era tão fanático por TEX que em todas as situações vividas por mim ou que assistia na TV em noticiários, imaginava que tudo se resolveria se TEX estivesse presente. Isso se estendeu, sem vergonha de admitir, até mesmo na adolescência.

O que tem Tex de diferente de tantos outros heróis dos quadradinhos?
Genivaldo Alberto Custódio: TEX tem a densidade na medida exata de todas as qualidades de um ser humano. Tem caráter, é honesto, companheiro leal, determinado e possui um senso de justiça inigualável.

Qual o total de revistas de Tex que você tem na sua colecção? E qual a mais importante para si?
Genivaldo Alberto Custódio: Possuo a coleção completa das seguintes edições: SALVAT, Os Clássicos de TEX, As Grandes Aventuras de TEX, Superalmanaque TEX, TEX Anual, TEX colorida, TEX Edição Histórica, além das duas minisséries publicadas no Brasil: A Volta de Mefisto e Mercadores de Morte. Me desfiz de TEX mensal (tinha até o 432) porque dei preferência às edições com histórias completas.

Colecciona apenas livros ou tudo o que diga respeita à personagem italiana?
Genivaldo Alberto Custódio: Coleciono as edições acima e todos os livros publicados no Brasil com referência à TEX, em especial os de G.G. Carsan e Adriano Rainho.

Qual o objecto Tex que mais gostaria de possuir?
Genivaldo Alberto Custódio: Sem dúvida, meu objeto de desejo é o Albúm de TEX com todas as figurinhas.

Qual a sua história favorita? E qual o desenhador de Tex que mais aprecia? E o argumentista?
Genivaldo Alberto Custódio: Não gosto de citar essas preferências porque parece que estou traindo todas as demais belíssimas histórias de TEX (E, no caso de GL BONELLI e GALEP, são TODAS, mesmo). Entretanto, para não fugir da pergunta, entendo que devemos responder essas perguntas dividindo as respostas em 02 fases.
Na fase GL BONELLI/GALEP, a história republicada no Superalmanaque TEX nº 1: “A Grande Intriga”, mas que originalmente foi publicada no início dos anos 80 em 05 revistas e depois em TEX EDIÇÃO HISTÓRICA Nº 73/74. Quanto aos desenhos, GALEP é insuperável (considerando as duas fases).
Na fase PÓS GL BONELLI/GALEP: Adoro as histórias de Mauro Boselli, em especial “Os Invencíveis”, publicado na mensal do TEX nº 351 a 353 e no TEX OURO nº 61, (O bando dos irlandeses) mas que li no volume 4 de “As Grandes Aventuras de TEX”. Quanto aos desenhos, quase todos são excelentes (alguns são terríveis!), mas prefiro os argentinos Miguel Angel Repetto e Ernesto Garcia Seijas.

O que lhe agrada mais em Tex? E o que lhe agrada menos?
Genivaldo Alberto Custódio: Como mencionei acima, do personagem me agradam, o caráter, a fidelidade e o senso de justiça; das histórias, o enredo e a dinâmica das ações. O que me desagradam são histórias e desenhistas que tiram a essência do personagem. Gente que tenta, inutilmente, ser melhor do que os originais. Ninguém tem autoridade para alterar o caráter de TEX, que seus falecidos criadores delinearam.

Em sua opinião o que faz de Tex o ícone que é?
Genivaldo Alberto Custódio: Tirando todas as razões já mencionadas acima, o fato de sua longevidade editorial no Brasil é um grande contribuidor para todo o sucesso de TEX.

Costuma encontrar-se com outros coleccionadores?
Genivaldo Alberto Custódio: Infelizmente, ainda não. Mas pretendo.

Para concluir, como vê o futuro do Ranger?
Genivaldo Alberto Custódio: Não muito auspicioso, infelizmente! Temo que a longevidade citada como fator importante para o sucesso do personagem seja interrompida por diversos fatores; dentre eles, o que está acontecendo agora, que é a interrupção da distribuição das revistas nas bancas físicas, o que limita não só a venda, mas também a divulgação da revista. Acrescento, ainda, o fato de alguns aproveitadores “espertos” (entre aspas, porquê no mau sentido) vendam e outros do mesmo naipe comprem revistas digitalizadas de TEX, retirando alguma receita da editora e desistimulando, a longo prazo, criadores e revendedores. Acredito que só não é mais tenebroso em razão de abnegados divulgadores como vocês do Blog Tex Willer, José Carlos Francisco, G.G. Carsan, Adriano Rainho e tantos outros que acompanho em redes sociais.

Prezado pard Genivaldo Alberto Custódio, agradecemos muitíssimo pela entrevista que gentilmente nos concedeu.

(Para aproveitar a extensão completa das imagens acima, clique nas mesmas)

2 Comentários

  1. Bom dia Genivaldo,
    Sou de Itajai S.C. aqui do lado e se possível gostaria de me encontrar com você para falarmos desse nosso herói em comum. Sou de 65 e coleciono desde os 12 anos no geral. Acredito ser grande fã de Tex, também não conheço ninguém pessoalmente que goste de Tex, se tiver interesse me contate.
    Obrigado e obrigado a você José Carlos por este magnifico blog…!!!

  2. Grande entrevista. Parabéns Genivaldo.
    Aproveitando o gancho de como o colecionador mais velho semeava as sementes do colecionismo, semana passada uma amiga postou no Facebook a foto do menino dela lendo um gibi do Cebolinha. Imediatamente peguei alguns que tinha em casa e enviei para ele. No meio de uns Disney eu “descuidadamente” coloquei um Tex. É o jeito de manter o futuro dos gibis.

Responder a Nildo Cancelar resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *