6 Comentários

  1. Quando vejo esses exemplares fico triste de não ter dado certo no Brasil. Merecia pelo menos tiragem limitada, quem sabe por algum grande colecionador…

  2. Sugiro a todos a aquisição dos originais italianos (através de nosso amigo José Ricardo). Além de curtirem a obra intacta, (exceto a colorização posterior), com um pouco de esforço e boa vontade, aprenderão também muito da língua italiana. Reunam-se em um gruopo de 10 interessados, e comprem uma coleção compartilhada.
    Em português, como diz Milton Neves, é mais difícil do que o Saci cruzar as pernas.

  3. Eu sou um que tenho interesse em adquirir essa coleção, ainda é possível conseguir os primeiros numeros? Por favor me avisem das possibilidades.

  4. Não pode a Equipe da Mythos aproveitar os TEX COLORIDOS e confeccioná-los em preto e branco no Almanaque TEX ou EDIÇÃO OURO? E como TEX ESPECIAL – também preto e branco?

  5. Eu queria poder ter essas edições nem que eu tivese que fazer do jeito que o Ruy disse, e também, eu sempre quis aprender italiano.

  6. A Mythos pelo menos podia publicar essa história nem que fosse em preto e branco, talvez no Tex Ouro ou Almanaque.

Responder a Ruy José Furst Gonçalves Cancelar resposta

O seu endereço de email não será publicado.