As críticas do Marinho: “Tex no Brasil – O Grande Herói do Faroeste”, da autoria de G. G. Carsan

Por Mário João Marques

Já cá o tinha em casa desde há algum tempo. Já cá o tinha e devidamente autografado pelo autor. Estava ali, junto a tão boa companhia. Na minha bedeteca, encostado a vários outros, cujo destino mais ou menos próximo será o mesmo que este agora teve.

Estou a falar de um livro. Um livro que o seu autor G. G. Carsan escreveu com um enorme carinho. O carinho e a paixão de um dos grandes texianos do mundo. Afinal, todo o texiano não será ele alguém que nutre uma enorme paixão e um profundo amor pela personagem? G. G. Carsan distingue-se de alguns de nós, fervorosos apaixonados pelo seu saber, pelos seus profundos conhecimentos, por ter sido testemunha da evolução editorial de Tex no Brasil, no fundo alguém que acompanhou as muitas aventuras do herói, mas também os altos e baixos da sua actividade editorial em terras brasileiras.

Este é o meu primeiro agradecimento ao autor, o me ter permitido viajar no tempo, aquele tempo em que muitos de nós aqui neste pais à beira mar plantado também ansiávamos pelo próximo número nas bancas. G. G. Carsan permitiu-me voltar ao passado e relembrar-me factos tão agradáveis como a passagem da revista a quinzenal, o aparecimento de reedições, a descoberta de autores de grande quilate, enfim, voltei a um tempo muito querido.

A obra, embora privilegiando Tex no Brasil, é no entanto um trabalho completo sobre a série, sendo a publicação de uma listagem de todas as histórias como que a cereja no topo do bolo, só ao alcance de um texiano puro e conhecedor da causa.
Texianos (mas não só): aqueles que ainda não leram esta obra, façam-no. Os que já a leram, pois bem releiam e guardem o livro com inusitado carinho, que bem merece.

Eu peço desculpa por só nesta Páscoa ter tido a oportunidade de o fazer, para mais com o lindo rio Tejo em frente. Certamente que a junção destes dois factores contribuíram para ter escrito estas linhas, ainda um pouco com o calor que tamanha sensação me provocou.


Obrigado G. G. Carsan e continue escrevendo e partilhando estas emoções com todos nós.

(Para aproveitar a extensão completa das imagens acima, clique nas mesmas)

Um comentário

  1. Parabéns ao G.G. Carsan pelo livro (o qual eu também o tenho) e ao Marinho pelo texto apreciativo da obra sobre nosso herói.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *