Um brinde a Tex Willer de olho no futuro!

setembro 3, 2016

Um brinde a Tex Willer de olho no futuro!

Adriano Rainho

Por Adriano Rainho [1]

* Os 45 anos da publicação sem interrupção de Tex nas bancas e discussão sobre o seu futuro editorial no Brasil.
.

Tex é publicado no Brasil, sem interrupções, todos os meses, desde o mês de Fevereiro do ano de 1971, por quatro editoras diferentes: Vecchi, RGE, Globo e Mythos.


.

.

Trata-se de um fenómeno editorial, sem dúvidas, além de ser o meu grande herói dos quadradinhos.

É de carne e osso como nós – ele não tem super poderes – mas sempre está lutando pela justiça em suas aventuras no Velho Oeste Americano!

.

.

O número 1 tem como história O Signo da Serpente e veio com um brinde – um arco e flecha de brinquedo. Nos números 1 ao nº 37 – O Temível Coiote Negro as revistas apresentavam formato italiano, 14cm de largura x 20,5 de altura; a partir do nº 38 o tamanho da revista mudou para 13,5 cm de largura x 17,7 cm de altura.

A colecção principal de Tex – eu costumo chamar de 1ª edição – inicialmente não seguiu a ordem cronológica italiana. A editora Vecchi, primeira a editar Tex, como estratégia de vendas publicou somente histórias completas em cada revista, do nº 1 até o nº 39. Somente a partir do nº 40 começou a publicar histórias continuadas em dois ou três números:

40 – O Bruxo Mouro
41 – O Mistério das pedras Venenosas
42 – A Caverna do Vale dos Gigantes

Desta aventura continuada publicada em três revistas surgiu o único filme de Tex para o cinema no ano de 1985: Tex Willer e Os Senhores do Abismo na Itália, tendo como actor protagonista o famoso Giuliano Gemma interpretando Tex. Lançado no Brasil primeiramente em VHS pela F J Lucas Vídeo.


E depois em DVD pela Classic Line.


Nas revistas nº 78 de Agosto de 1977 com a história Espectros e na nº 160 de Janeiro de 1983 com a história O Vale da Morte, publicadas pela editora Vecchi, vieram encartados de brinde um póster super especial.


A editora Vecchi foi quem publicou Tex até meados do ano de 1983 – desde o nº 1 até o nº 164 – Selva Cruel. Em Outubro de 1983 a editora RGE (Rio Gráfica)  manteve a numeração e lançou Tex-165 – O Rosto do Traidor.

Publicando Tex até Dezembro de 1986 com o nº 206 – Fuga de Anderville. Em Janeiro de 1987 Tex passa a ser publicado pela editora Globo com o nº 207 – O Hotel dos Fantasmas.


Permanecendo nesta editora até Dezembro de 1998 com o Tex nº 350 – A Bomba Humana. A nova fase com a editora Mythos se iniciou no nº 351 – O Bando dos Irlandeses de Janeiro de 1999 e segue até os dias de hoje com o nº 562 – Caravana dos Bravos de Agosto de 2016.


A colecção de Tex teve uma segunda edição que se iniciou em Abril de 1977 com o nº 1. Foram ao todo 150 números de Tex que vão dos nºs 1 ao 149. A diferença ocorre porque enquanto Tex-094 da 1ª edição trouxe uma aventura completa com o título Pacto de Sangue, a segunda edição trouxe Tex 094 – Pacto de Sangue e Tex 094A – A Vingança de Águia da Noite, ou seja, a mesma aventura dividida em dois números.


A 2ª edição de Tex foi publicada por três editoras: Vecchi (dos nºs 1 ao 94), Rio Gráfica (dos nºs 94A a 134) e Globo (dos nºs 135 ao 149).


A primeira e autêntica aparição de Tex no Brasil ocorreu na revista Júnior nº 28 (que circulou em 25 de Fevereiro de 1951), quando o ranger recebeu o nome de Texas Kid, editado na época pela Rio Gráfica e Editora. Importante destacar que até o nº 27 a revista Júnior publicava outras personagens.

Tex foi a única personagem publicado na revista Júnior até a edição nº 263 (Julho de 1957) em histórias continuadas. Na ordem cronológica e no mesmo formato “uma tira” (talão de cheque) que era publicado na Itália até o nº 177.


E depois em formato um pouco maior em duas tiras até o nº 263. A partir do nº 264 a revista Júnior passou a publicar histórias completas de outras personagens até o seu final, no nº 277.

Na época da editora Vecchi foi publicada uma edição especial de luxo no formato gigante com capa dura no ano de 1980 com o seguinte título: O Ídolo de Cristal.


Nos início dos anos 80 a editora Vecchi lançou uma nova colecção aproveitando o sucesso que Tex fazia na época com o nome de Histórias do Faroeste. Uma curiosidade foi que esta colecção chegou a ter dois números 22 no mês de Setembro de 1981, um normal e definitivo com a capa com a história Welcome to Springville e depois, com o tempo, ficou-se sabendo que chegou a ser editado antes ¨um outro número 22¨ tendo como capa a primeira aventura de Tex contendo a primeira história publicada na Itália que nunca chegou as bancas naquele mês, – diz a lenda que a editora Bonelli não permitia publicar Tex em uma revista que não fosse somente de Tex e a editora Vecchi foi obrigada a destruir todos os números produzidos, mas o editor da época pegou um punhado destas revistas que conseguiu juntar nas mãos antes e guardou para ele, hoje raríssimas, que estão nas mãos de alguns poucos coleccionadores sortudos – eu sou um deles… rsss.


Outra grande publicação foi o álbum de figurinhas de Tex editado em 1981, que faz parte da colecção livros de ouro da juventude da editora Vecchi – nº 52, sendo uma réplica do mesmo álbum que tinha sido publicado na Itália anteriormente.

A coleção de Tex 1ª edição ou “normal” como outros coleccionadores costumam dizer já comemorou 100, 200, 300, 400, 500 números. Que venha o nº 600!

Nº 300 – Oklahoma publicado pela editora Globo – veio de brinde um adesivo (autocolante) especial.


No nº 400 veio de brinde um livreto com as 400 capas de Tex.

No nº 500 veio de brinde um livreto com as 500 capas de Tex.


Enfim podemos garantir o quanto foi maravilhosa esta trajectória editorial de Tex Brasil até agora, mas a importante discussão actual é:

O futuro de Tex Willer e outras personagens Bonelli no Brasil

Nos dias 30 e 31 de Março e 01 de Abril de 2016 aqui mesmo no conceituado blogue português de Tex coordenado pelo pard José Carlos Francisco, o nosso querido pard Zeca, o editor da Mythos Editora, Dorival Vitor Lopes fez um comunicado importante e em seguida alguns comentários sobre a continuidade das publicações das personagens Bonelli no Brasil:

Primeiramente deixou claro para nós leitores que a crise económica e política pela qual o nosso país está atravessando está afectando directamente nos custos de todas as matérias primas e custos fixos utilizados para edição das revistas até o momento em que são publicadas e distribuídas no país.

Em segundo lugar com o custo de vida cada vez mais alto os leitores estão cada vez mais sem poder aquisitivo para adquirir os vários títulos que a editora publica, sendo que para segurar o aumento de preços existe o risco do cancelamento da publicação de algumas colecções.

E também o aumento dos royalties pagos à Editora Bonelli que são feitos em euros.

Ao final do comunicado, Dorival comunica que no momento existem três opções:

Podemos fazer só revistas de luxo, em tiragens pequenas, para aqueles poucos que têm condições de adquiri-las.

Podemos ficar só com Tex Mensal e mais dois ou três títulos Tex que não dão prejuízo.

Podemos partir para as publicações on demand.

Mas logo em seguida tranquilizou a todos nós pelo menos em curto prazo dizendo que para este ano, pelo menos, nada deverá mudar na nossa grade de publicações – a não ser que haja uma catástrofe no Brasil, o que não acontecerá.

Sendo assim, achei muito importante esta comunicação por parte da editora antes que no futuro o barco possa naufragar, demonstrando uma abertura nas discussões. Até hoje sempre senti que existia uma barreira entre nós leitores para com a editora, mas mesmo com algumas falhas da Mythos Editora no decorrer dos anos, devemos hoje agradecer e muito, por ela manter Tex e as outras personagens Bonelli vivas aqui no Brasil através de muitas colecções diferentes, a meu ver com uma qualidade de edição superior às três editoras que publicaram Tex e outras personagens Bonelli antes dela.

No meu ponto de vista, o mais importante é que estando a par desta situação, podemos juntos, com visões e pontos de vista diferentes, as partes interessadas editora, leitores e coleccionadores Bonelli e de quadradinhos em geral, encontrar e discutir soluções para todos os problemas existentes. Lógico que não existe uma fórmula mágica, mas com várias cabeças pensando e com as mãos na massa, não ficando apenas nas teorias, podemos traçar um caminho com várias estratégias diferenciadas.

Proponho então o seguinte ao Editor Dorival Vitor Lopes: uma reunião na sede da editora Mythos, em uma data e horário marcados previamente e com antecedência, com todos aqueles que realmente queiram contribuir com suas ideias individuais e colectivas. Logicamente quem for participar desta reunião deve confirmar com antecedência a sua participação. Tenho certeza que desta reunião irão surgir novas luzes no final do túnel!

Eu, Adriano Rodrigues Rainho, no meu site www.gibitecabrasil.com.br, ou através do contato por email contato@gibitecabrasil.com.br, peço também que o pard GG Carsan nos seus grupos de discussão criados no Facebook, Jessé Bico de Pena através do Clube Tex e Zagor Brasil, José Carlos Francisco no blogue português de Tex, Portal TexBR, além de outros amantes dos quadradinhos através das suas redes sociais, fazer este chamado para todos aqueles que desejam participar desta reunião e quem não puder comparecer pessoalmente que participe enviando as suas ideias e também as suas contribuições individuais através destes canais de comunicação acima mencionados que iremos colocar tudo em pauta para análise e discussão.

Como apaixonado pelas aventuras de meu Herói Tex Willer e de outras personagens Bonelli e querendo continuar a ler as aventuras destas personagens dos quadadrinhos por muitos anos, tenho o dever de arregaçar as mangas e conto com todos que queiram colaborar para que esta ou outra proposta vinda de outra pessoa siga em frente.

Aguardo a resposta deste chamado primeiramente do Editor Dorival Vitor Lopes confirmando se aceita criar e agendar esta reunião e em caso afirmativo da sua parte, espero o contacto de todos aqueles que queiram participar para iniciar a divulgação em todos os meios de comunicação possíveis.

Viva Tex Willer, seus pards e todas as personagens Bonelli. Tenho certeza que Gian Luigi Bonelli e Sergio Bonelli estarão lá no céu nos dando aquela força para que mais 45 anos no mínimo as personagens Bonelli continuem a ser publicadas aqui no Brasil, a segunda casa de Tex no mundo, depois somente da Itália, onde ele é considerado um mito!!!!

Prezo a amizade, a honestidade e o senso de justiça entre as pessoas!!!
Aprendi com meu herói dos quadrinhos Tex Willer!

(Adriano Rainho)

[1] (Texto publicado originalmente no Síte “Colecionadores de HQs“, em 1 de Setembro de 2016)

(Para aproveitar a extensão completa das imagens acima, clique nas mesmas)

3

As Leituras do Pedro: Tex – O herói e a lenda

setembro 2, 2016

As Leituras do Pedro*

“No Oeste, se a lenda se encontra com a realidade, vence a lenda.”
In The Man Who Shot Liberty Valance, de John Ford

A questão é (cada vez mais) recorrente (nos tempos actuais): a sucessiva retoma de heróis por outros autores desvirtua-os ou torna-os maiores? A resposta será sempre dúbia – e depende muito do maior ou menor apego de cada um ao herói em causa – mas, no caso de O herói e a lenda, a contribuição de Serpieri para o universo ‘texiano’ fez jus à frase que abre este texto; contribui para ampliar a verdadeira lenda dos quadradinhos que Tex já é.

Como sempre, entrei nesta leitura de pé atrás. Já sabia que não ia ter mulheres voluptuosas, sensuais e pouco vestidas à imagem – limitativa – da imagem de marca do criador de Druuna – ainda é (muito) cedo para isso em Tex – mas também não sabia o que ia encontrar.

Entre críticas entusiásticas e outras arrasadoras, dispus-me a julgar por mim o regresso de Serpieri a um género que já conhecia bem e que durante anos cultivou. Em O herói e a lenda, o autor italiano fez de um envelhecido Kit Carson o narrador de uma aventura da juventude de Tex Willer, proporcionando-nos ao mesmo tempo o primeiro encontro entre os dois ‘pards’. Para isso, ignorou a ‘cronologia oficial de Tex’ (seja lá isso o que for!), introduziu alguns atropelos anacrónicos e desenhou o futuro ranger à sua maneira – possivelmente mais fiel à realidade da época – mas algo distante da imagem que lhe reconhecemos.


Com ele – para ele – narra uma história de ritmo lento, devido à quantidade de texto – aqui e ali excessiva – baseada numa perseguição de Tex a uns traficantes de armas, também raptores de uma mulher, e do confronto final entre o maior dos heróis Bonelli e o chefe comanche Lua Negra, a quem ambas – armas e mulher – se destinavam.

Com o traço que lhe reconhecemos e a planificação alargada, que ignora limites de vinhetas e (quase) da própria prancha, como elemento extra de dinamização da narrativa, Serpieri confirma a excelente representação da anatomia humana e o rigor extremo, baseado em ricas fontes documentais, na reprodução de elementos de época – visuais, armas, indumentárias…
Da união de todos estes elementos, com um extra de violência (pudicamente sugerida) invulgar mesmo nos mais duros Tex, resulta uma história (mais) credível que, com o inesperado mas bem conseguido remate final, consegue até justificar os anacronismos que (assumidamente) o autor italiano introduziu e contribuir assim para o alargar da lenda ‘texiana’, mesmo para aqueles que possam ter alguma dificuldade em reconhecerem no (jovem) Tex de Serpieri o ranger tradicional que cavalga e impõe a lei e a justiça há quase sete décadas.


Nota final
Volume inicial da colecção que a Mythos baptizou como Tex Graphic Novel, O herói a lenda não faz mais do que transportar Tex para o formato tradicional franco-belga – a que a editora brasileira retirou a capa dura… – de 48 páginas coloridas.

Se a diversificação de formato tem como objectivo chegar a leitores pouco familiarizados com os tradicionais formatos Bonelli, desta vez há algo mais em vista: conseguir cativar autores – com Hermann à cabeça? – a quem mais de duzentas pranchas de aventura sempre afastaram da rota de Tex…

O herói e a lenda
Colecção Tex Graphic Novel #1
Paolo Eleuteri Serpieri

Mythos Editora

Brasil, Maio de 2016
205 x 275 mm, 48 p., cor, capa mole
R$ 29,90 / 10,00 €

*Pedro Cleto, Porto, Portugal, 1964; engenheiro químico de formação, leitor, crítico, divulgador (também no Jornal de Notícias), coleccionador (de figuras) de BD por vocação e também autor do blogue As Leituras do Pedro (http://asleiturasdopedro.blogspot.com/).

(Para aproveitar a extensão completa das imagens acima, clique nas mesmas)

6

Portugal – Edições da Mythos Editora à venda em Setembro

setembro 1, 2016

Relação das revistas da Mythos Editora, distribuídas em Portugal, pela VASP – Distribuidora de Publicações Lda, para o mês de SETEMBRO de 2016:

TEX 522
A revanche
Texto: Pasquale Ruju – Desenhos: Alfonso Font

História originalmente publicada em Tex italiano 622

Após ter sido salvo por Tex, o jovem mestiço Makua, conhecido como Pequeno Rifle, continuou a sua vida ao lado do traficante Edward Santos, a quem se sente ligado por causa do seu pai, que também era mexicano. Mesmo sem cometer grandes crimes, o rapaz não vive exactamente dentro da lei e no dia em que Tex chega para destruir o negócio de contrabando de Santos, Makua terá que escolher um lado: a quem ele deve mais lealdade? A Santos, que o ensinou e protegeu ou a Tex, que salvou a sua vida?
3,60€

TEX COLEÇÃO 316
Terras malditas

Texto: G. L. Bonelli – Desenhos: V. Monti

História originalmente publicada em Tex italiano 263

A Overland, companhia de transportes de propriedade de Ned Turpin, boicota com métodos ilegais a Butterfield, uma empresa concorrente. Tex e Carson eliminam Sam Brendall e Gila Kid, dois criminosos a serviço de Turpin, que tinham a tarefa de incitar os apaches de Oreado contra as caravanas da Butterfield. Em seguida, os heróis enfrentam o cúmplice dos dois pistoleiros, Carlos El Corto, inescrupuloso dono de uma isolada taberna chamada Toca do Diabo.
3,40€

TEX COLEÇÃO 317
Investigação perigosa

Texto: G. L. Bonelli – Desenhos: V. Monti/G. Ticci

História originalmente publicada em Tex italiano 264

Tex e Carson estão investigando a Overland, uma companhia de transportes de propriedade de Ned Turpin que boicota ilegalmente uma companhia concorrente, a Butterfield. Tex suspeita que por trás dos ataques haja um negócio maior, um comércio de armas e uísque com os índios rebeldes da região. O ranger interroga Bill Wyman, braço direito de Turpin, prometendo-lhe impunidade em troca de informações para desbaratar a tramóia.
3,40€

TEX EDIÇÃO HISTÓRICA 94
Little Rock
Texto: G. L. Bonelli – Desenhos: Erio Nicolò

História originalmente publicada em Tex italiano 186 a 188

Tex e Carson chegam à cidade de Little Rock para investigar o desaparecimento de um velho amigo, Randy Brandt, que tinha pedido a ajuda deles através de uma carta e que foi morto no desmoronamento de uma galeria de uma antiga fundição que foi transformada em prisão. Ao prosseguir a investigação, os pards acabam sabendo que os presidiários fazem escavações na antiga fundição, por conta de uma companhia de mineração, e estão mancomunados com os guardas do cárcere, cujo director, Harry Field, pretende roubar uma enorme quantidade de ouro.
10,00€

TEX OURO 81
A máscara do terror

Texto:  Claudio Nizzi – Desenhos: José Ortiz

História originalmente publicada em Tex italiano 494 a 496

Quem se esconde por trás da máscara do Caveira? Será só uma figura lendária que surgiu nas conversas em volta das fogueiras? O chefe dakota Urso Silencioso está convencido que não. Por isso, convida Tex e Carson para investigar o misterioso indivíduo, enquanto a voz dos tambores não pára de ecoar nas florestas de Montana, e muitos jovens guerreiros deixam-se levar pelo chamado sedutor que os leva a acreditar no sucesso de uma revolta, abandonando a tribo e pondo em risco a sobrevivência do povo dakota.
11,00€

TEX EM CORES 30
A décima terceira múmia
Texto: G. L. Bonelli – Desenhos: Aurelio Galleppini

História originalmente publicada em Tex italiano 49 a 51

Na fronteira entre o México e o Arizona, o arqueólogo professor Nizon, a sua filha Glória e alguns ajudantes estão à procura do Templo do Tigre, um monumento asteca de grande valor arqueológico. Após muito vagarem pelo deserto eles finalmente encontram o que procuram. No interior do templo, o professor chega a uma sala cerimonial oval onde estão dispostas 13 figuras mumificadas. De repente, uma das múmias adquire vida e torna-se um terrível pesadelo para os exploradores. Meses depois, Tex e Carson são convocados para descobrir o que aconteceu com a Expedição Nizon e vão viver uma das suas mais perigosas e estranhas aventuras.
18,00€

AVENTURAS DE UMA CRIMINÓLOGA 119
Policial corrupto!
Texto: Giancarlo Berardi e L. Calza. Desenhos: Claudio Piccoli
Um vídeo gravado por agentes de tocaia mostra Alan Webb recebendo uma valise de um conhecido criminoso. A Corregedoria começa a investigá-lo por corrupção. Júlia não acredita e, com a ajuda de Leo Baxter e de colegas de Webb, está decidida a fazer surgir outra verdade!

O grande salto
Texto: Giancarlo Berardi e M. Mantero. Desenhos: Luigi Pittaluga e Federico Antonori
Um homem assalta um shopping e segue para o aeroporto de Garden City, onde embarca num pequeno avião, fazendo seus rastos perderem-se no céu azul. Tempos depois, a irmã do piloto do avião em que o assaltante embarcou, e que desapareceu juntamente com o bandido, pede para Júlia investigar. Com a ajuda de Leo Baxter, ela procura reconstruir os factos e, seguindo a rota do avião, tenta reatar os fios da verdade.
Histórias originalmente publicadas em Júlia italiana 132 e 133
10,00€

Juiz Dredd Megazine 23
Formato Magazine 20,5 x 27,5 cm – 68 Páginas; Capa de Phil Winslade

Numa alucinada corrida pelas ruas de Mega-City Um, Dredd caça um piloto campeão em fugas, e ai de quem não sair da frente! E mais: Dredd leva a sua justiça implacável à Terra Maldita para provar que ninguém está acima da Lei! Área Cinzenta: o capitão Adam Bulliet é surpreendido por uma visita inesperada e sinistra. E ainda: a volta de Áquila! Para completar, as Distorções Temporais de Alan Moore!
6,00€

(Para aproveitar a extensão completa das imagens acima, clique nas mesmas)

0

Collezione storica a colori nº 233 – Uomini ed eroi

agosto 31, 2016

Tex nº 233 UOMINI ED EROI


1

Entrevista com o fã e coleccionador: Adão Ávila

agosto 30, 2016

Entrevista conduzida por José Carlos Francisco.

Para começar, fale um pouco de si. Onde e quando nasceu? O que faz profissionalmente?
Adão Ávila: O meu nome é Adão Nilton Moraes Ávila. Nasci no dia 25 de Março de 1970 e sou motociclista numa rede de fast food. Como sou motociclista, tenho um grupo de integrantes, somos uma família estradeira  que percorremos o Brasil inteiro nos eventos… o nome do meu moto grupo é TEX MOTOGRUPO!

Quando nasceu o seu interesse pela Banda Desenhada?
Adão Ávila: Na década de 80, inclusive eu doei para o Fã-Clube Tex Brasil um botom de 1986, tipo chaveiro de borracha. Só saíram 50exemplares pela editora Globo. Aqui, penso que só eu tinha esse.

Quando descobriu Tex?
Adão Ávila: Em 1977, com 7 anos o meu vizinho me deu o primeiro livro do Tex. Apaixonei-me na hora.

Porquê esta paixão por Tex?
Adão Ávila: Sempre gostei de ler, acho que nasci com esse pensamento… ler… e o primeiro livro que vi foi Tex. Foi paixão na hora.

O que tem Tex de diferente de tantos outros heróis dos quadradinhos?
Adão Ávila: É difícil explicar, quando você se apaixona por alguém, por uma personagem, você só vê ela como a melhor.

Qual o total de revistas de Tex que você tem na sua colecção? E qual a mais importante para si?
Adão Ávila: Na década de 80 você tinha que comprar quatro revistas para terminar a história, depois veio morte dele, veio a Internet, tudo mudou… mas tenho uma modesta colecção de 550 revistas.

Colecciona apenas livros ou tudo o que diga respeita à personagem italiana?
Adão Ávila: Livros do Tex e tudo o que se relaciona com o Ranger.

Qual o objecto Tex que mais gosta de possuir?
Adão Ávila: Hoje tenho o traje dele completo, e quando vou para o interior pratico tiro ao alvo.

Qual a sua história favorita?
Adão Ávila: Várias, quase todas, em especial a da morte da mulher dele e sequestro na colina do vento…

O que lhe agrada mais em Tex? E o que lhe agrada menos?
Adão Ávila: Tudo o que é relacionado a Tex agrada-me, o que mais me desagrada é que acho que Tex já não é como antigamente…

Em sua opinião o que faz de Tex o ícone que é?
Adão Ávila: Sua conduta, autodefesa e honestidade.

Costuma encontrar-se com outros coleccionadores?
Adão Ávila: Sim, sobretudo nos encontros anuais do Fã-Clube do Tex.

Para concluir, como vê o futuro do Ranger?
Adão Ávila: Como falei antes, na década de 80 era mais prazeroso, depois veio a morte e a Internet, mas ele continua na minha mente e paixão.

Prezado pard Adão Ávila agradecemos muitíssimo pela entrevista que gentilmente nos concedeu.


(Para aproveitar a extensão completa das imagens acima, clique nas mesmas)

2

Póster Tex Nuova Ristampa 268

agosto 29, 2016

Póster Tex Nuova Ristampa 268

Nesta belíssima ilustração de Claudio Villa, vemos Tex Willer, na gélida região de Kaibab, a ser surpreendido por Nick Guerrero, tendo o Ranger sido salvo no último instante pelo guardião de Klaatu, um guerreiro indígena  que defendia o local sagrado onde estava o ouro.

Desenho INÉDITO no Brasil e inspirado na história “L’oro di Klaatu”, de Decio Canzio e Fernando Fusco (Tex italiano #401 a #403).
(Para aproveitar a extensão completa do póster, clique no mesmo)

0

Tex e Carson na MAGNÍFICA arte de Alexander Vachkov-Sash

agosto 28, 2016

Tex e Carson na MAGNÍFICA arte de

Alexander Vachkov-Sash

Por José Carlos Francisco

Apesar de Tex Willer não ser publicado na Bulgária, Alexander Vachkov-Sash, um conceituado desenhador búlgaro, é um grande fã e coleccionador do Ranger Tex Willer e tem como um dos maiores sonhos desenhar o nosso intrépido herói para a Sergio Bonelli Editore.

Alexander Vachkov-Sash, de 47 anos é um frequentador assíduo do blogue português do Tex e tem muita qualidade, inclusive para desenhar Tex Willer como se comprova de seguida através drês maravilhosas arte (a lápis) do Ranger (e de Kit Carson) enviada pelo próprio Alexander Vachkov-Sash que teve a gentileza de nos enviar esperando que seja apreciada pelos nossos inúmeros leitores, mas também pelos responsáveis da Sergio Bonelli Editore que assiduamente visitam o nosso blogue.


(Para aproveitar a extensão completa das imagens acima, clique nas mesmas)

2