2ª Mostra do Clube Tex Portugal foi destaque no prestigiado Jornal de Notícias de 9 de Maio de 2015

maio 23, 2015

2ª Mostra do Clube Tex Portugal

foi destaque no prestigiado

Jornal de Notícias de 9 de Maio de 2015

Texto da secção Artes de 09/05/2015
BD
F. Cleto e Pina

2ª Mostra do Clube Tex Portugal foi destaque no prestigiado Jornal de Notícias de 9 de Maio de 2015

Justiceiro Tex levanta estandarte de Anadia

Dois desenhadores do herói vão estar hoje presentes na 2.ª Mostra do Clube Tex
.

O Museu do Vinho da Bairrada, em Anadia, distrito de Aveiro, acolhe este fim de semana a 2.ª Mostra do Clube Tex Portugal, e conta com a presença dos desenhadores italianos Stefano Biglia e Pasquale Frisenda.

É o regresso do evento organizado pelo único clube oficial em todo o Mundo dedicado ao herói da BD – e que surge junto à Câmara local no cartaz desenhado por Biglia.

Tex em Anadia, em destaque no Jornal de Notícias

Hoje, entre as 14.30 e as 19 horas, e manhã, das 10 às 19 horas, os visitantes poderão apreciar pranchas – algumas ainda inéditas – dos dois autores convidados, e assistir a conversas, sessões de autógrafos, de desenho ao vivo e à exibição do documentário “Como Tex ninguém jamais”, de Giancarlo Soldi, dedicado ao protagonista do mais antigo western dos quadradinhos, em publicação desde que foi criado em 1948 por Gianluigi Bonelli e Aurelio Galleppini.

Aproveitando a presença, apenas hoje, de Frisenda, a Polvo Edições lança o Tex Gigante “Patagónia”, unanimemente considerado uma das melhores histórias do herói.

Escrito por Mauro Boselli e desenhado por Frisenda, “Patagónia” é uma aventura épica cuja acção decorre nas pampas argentinas e narra a tentativa de sobrevivência de um povo, os índios perseguidos pelo exército ocupante.

A edição é uma excepção à regra, pois as aventuras deste ranger normalmente chegam aos seus seguidores portugueses através de edições brasileiras, distribuídas mensalmente nos quiosques nacionais, de forma quase ininterrupta desde a década de 1970.

Copyright: © 2015 Jornal de Notícias; F. Cleto e Pina

(Para aproveitar a extensão completa das imagens acima, clique nas mesmas)

1

O blogue do Tex em Arezzo na Mostra “Fabio Civitelli o meu Tex, a lenda do Oeste”

maio 22, 2015

O blogue do Tex em Arezzo na Mostra

Fabio Civitelli o meu Tex, a lenda do Oeste

Por Francesco Micoli[*]

Fabio Civitelli o meu Tex a lenda do Oeste; 16 a 24 de Maio de 2015

Cartaz do evento Fabio Civitelli o meu Tex, a lenda do Oeste, em Lucignano

Lucignano (província de Arezzo), 16 de Maio de 2015.

Lucignano, província de Arezzo, a cidade que viu nascer Fabio Civitelli, organizou para o seu mais ilustre cidadão uma mostra de páginas de banda desenhada, antestreias, ilustrações e telas. A mostra está inserida nas festividades anuais mais importantes desta pequena comunidade Toscana, a famosa “Maggiolata Lucignanese”, com desfile de carros alegóricos decorados com flores, trajes medievais e bandas musicais.

Lucignano engalanou-se para receber a mostra de Fabio Civitelli

Fabio Civitelli, nasceu em Lucignano a 9 de Abril de 1955, sendo desenhador há quase meio século e desde 1984 integra o staff de Tex tornando-se um dos pilares da série. É o único desenhador de banda desenhada que expõe nas feiras de arte contemporrânea de Padova, Verona, Bolonha, Roma e na bienal de Veneza, tendo já realizado exposições pessoais por toda a Itália mas também  em Portugal no Brasil, Croácia, Finlândia, etc., etc.

Cerimónia de inauguração da mostra

Para a Little Nemo de Sergio Pignatone, editora sediada em Turim, publicou Il mio Tex, La ballata del West de Civitelli e Verger e Il West secondo Civitelli, além de inúmeros desenhos para a enciclopédia Texiana Cavalcando con Tex. Em 2013 sempre para a Little Nemo o seu Tex Gigante La cavalcata del morto, foi publicado numa edição de luxo com o formato das pranchas originais, enriquecido com uma capa exclusiva d o próprio Fabio Civitelli.

Modelo Tex da autoria de Fabio Civitelli

A mostra de Lucignano expõe os mais recentes trabalhos de Fabio, havendo páginas do Texone La cavalcata del morto, onde o autor explica como nasce uma página, do roteiro aos esboços a lápis até à passagem da tinta da china passando pelos seus famosos pontinhos. Estão também em exibição algumas páginas da futura história de Yama, que aparenta ser extraordinária, existem também modelos à escala natural, ilustrações de “Tex il romanzo della mia vita”, outras a cores de Tex e Lilyth, e ainda a história curta colorida que foi publicada no suplemento La lettura do periódico Corriere della sera, em Junho de 2012 “La preda”, aventura publicada em Portugal no BD Jornal com o título A presa.

Página original de Fabio Civitelli

A inauguração no salão nobre do Conselho Municipal de Lucignano, decorreu na presença do presidente do município, do próprio Fabio Civitelli e do nosso caríssimo crítico de arte e fã pela banda desenhada, Italo Marucci. Posso dizer que tudo ocorreu num cenário medieval, verdadeirament rico de conteúdos artísticos e particularmente rico em conteúdo humano. O nosso Fabio já nos habituou a elevar bem alto a nona arte e graças a ele a sua arte é cada vez mais uma Arte com “A” maiúscula. E com isso o nosso Tex é cada vez mais reconhecido em termos de popularidade sendo equiparado como uma BD de autor.

Fabio Civitelli e o crítico de arte Italo Marucci

Marucci de facto sublinhou que Civitelli é a expressão máxima do verdadeiro artista, isto é artista por vocação e bravura e não porque estudou numa escola artística e recomendou ao público que em vez de comprar um péssimo quadro, compre antes uma excelente banda desenhada. E falando de óptima banda desenhada naturalmente referia-se ao Tex de Fabio Civitelli.

Fabio Civitelli, Francesco Micoli e Italo Marucci com Carlo Monni ao fundo

Obrigado Fabio por tudo aquilo que nos dás; dos teus desenhos, das tuas páginas brilha o trabalho de um grande desenhador, de um grande artista que nos faz sonhar com cada movimento do teu lápis. Esta mostra de Lucignano é o justo reconhecimento de tudo aquilo que fazes pelo desenho, mas sobretudo pelo nosso Tex!

Tex e Dinamite na arte de Fabio Civitelli

[*] Francesco Micoli é um dos maiores fãs e coleccionadores italianos de Tex e sócio nº 69 do Clube Tex Portugal.

(Para aproveitar a extensão completa das fotografias acima, clique nas mesmas)

4

Fabio Civitelli il mio Tex la leggenda del West 16-24 maggio 2015

maio 22, 2015

Fabio Civitelli il mio Tex la leggenda del West

16-24 maggio 2015

Per Francesco Micoli

Lucignano (AR), 16 Maggio 2015.

Lucignano, provincia di Arezzo, paese che ha dato i natali a Fabio Civitelli, ha organizzato per il suo cittadino più illustre una mostra di tavole a fumetti, anteprime, illustrazioni e tele. La mostra è inserita nella festa più importante dell’anno della piccola comunità Toscana, la famosa “Maggiolata Lucignanese”, sfilata di carri infiorati, costumi d’epoca medievale, bande musicali e magiorette.

.
Fabio Civitelli, nasce a Lucignano il 09 aprile 1955, disegnatore da quasi mezzo secolo, dal 1984 colonna sempre più portante di Tex. E’ l’unico disegnatore di fumetti che espone nelle fiere di arte contemporanea di Padova, Verona, Bologna, Roma e alla biennale di Venezia. Sue personali si sono tenute in tutta Italia, Portogallo, Brasile, Croazia, Finlandia ecc. ecc.

.
Per la Little Nemo di Sergio Pignatone Torino ha pubblicato Il mio Tex, La ballata del West di Civitelli e Verger e Il West secondo Civitelli, oltre ad innumerevoli disegni per l’enciclopedia Texiana Cavalcando con Tex. Nel 2013 sempre per la Little Nemo il suo Texone La cavalcata del morto, è stato stampato in edizione De luxe in formato tavola originale, arricchita con una nuova copertina sempre dello stesso Fabio Civitelli.

.
La mostra di Lucignano è il percorso delle ultime fatiche di Fabio, ci sono tavole tratte dal Texone la cavalcata del morto, dove l’autore spiega come nasce una tavola, dalla sceneggiatura alla squadratura a matita dei disegni fino alla china e ai suoi famosi puntini. Alcune tavole della futura storia di Yama, che si presenta straordinaria, ci sono tele, sagome a grandezza naturale, disegni da: “Tex il romanzo della mia vita”, altri a colori di Tex e Lilyth, per finire ad una storia breve a colori che è uscita sull’inserto La lettura del Corriere della sera nel giugno 2012 “La preda”.

.
L’inaugurazione presso la sala del Consiglio Comunale di Lucignano, alla presenza del Sindaco, della Pro Loco, naturalmente Fabio Civitelli e il nostro carissimo critico d’arte e appassionato di fumetti, Italo Marucci. Posso dire che il tutto si è svolto in uno scenario medievale, veramente ricco di contenuti artistici e soprattutto ricco di contenuti umani. Il nostro Fabio ormai ci ha abituato a volare in alto, l’arte del disegno grazie a lui è sempre di più Arte con la “A” maiuscola. Ed il nostro Tex da tutto questo non ha che da guadagnare in termini di popolarità e di essere sempre più un fumetto d’autore.

.
Marucci ha infatti sottolineato che Civitelli è l’espressione massima dell’artista vero, cioè artista per vocazione e bravura e non perché ha studiato la scuola artistica. Piuttosto che comprare un pessimo quadro comprate un ottimo fumetto. E parlando di ottimo fumetto naturalmente si riferisce al Tex di Fabio Civitelli.

.
Grazie Fabio per tutto quello che ci dai, dai tuoi disegni, dalle tue tavole traspare lavoro di una grande disegnatore, di un artista che ci fa sognare ad ogni tratto della sua matita. La mostra di Lucignano è il giusto riconoscimento di tutto quello che fai per il disegno, ma soprattutto per il nostro Tex!

.
(Cliccare sulle immagini per vederle a grandezza naturale)

0

Jornal Região Bairradina noticia a 2ª Mostra do Clube Tex Portugal realizada no Museu do Vinho Bairrada com CHAMADA DE CAPA

maio 21, 2015

Jornal Região Bairradina noticia a 2ª Mostra

do Clube Tex Portugal realizada no Museu do

Vinho Bairrada com CHAMADA DE CAPA

Jornal Região Bairradina, de 20/05/2015
Texto da secção Bairrada
Anadia

Inês Maia de Almeida

Segunda Mostra do Clube Tex Portugal traz

centenas de pessoas ao Museu do Vinho

Jornal Região Bairradina de 20 de Maio de 2015 noticia a 2ª Mostra do Clube Tex Portugal realizada no Museu do Vinho Bairrada

O Museu do Vinho Bairrada, em Anadia, recebeu uma vez mais a mostra nacional do Clube Tex Portugal. Nos passados dia 9 e 10 cerca de quatro centenas de pessoas estiveram presentes naquela que é já a segunda edição desta iniciativa.

Em conversa com o Região Bairradina, o responsável pelo clube, José Carlos, revelou que o balanço da segunda Mostra” é extremamente positivo a todos os níveis, sobretudo porque foi mais um grande evento que atraiu centenas de amantes da banda desenhada em geral e da personagem Tex em particular, à capital da Bairrada, mas sobretudo pelos ecos elogiosos que nos foram transmitidos por todos os participantes e visitantes e onde durante os dois dias o público pôde assistir, entre outras coisas, a conversas, sessões de autógrafos, de desenho ao vivo mas especialmente ao lançamento pela Editora Polvo da edição portuguesa de Patagónia, o magnífico Tex Gigante desenhado por Pasquale Frisenda e escrito por Mauro Boselli, uma edição altamente elogiada, sobretudo pela qualidade do papel usado e da magnífica impressão que surpreendeu, obviamente pela positiva, inclusive o próprio desenhador.”

Chamada de capa: 2ª Mostra do Club Tex foi extremamente positiva a todos os níveis

Ainda assim, o responsável confessa que há ainda algumas arestas a limar para as próximas edições, mas atesta que se realizarão com toda a certeza em Anadia. “A base das Mostras do Clube foi criada o ano passado e agora há ´apenas` que consolidar, já que o evento está implementado, pelo que todos os progressos doravante alcançados irão reforçar o posicionamento do mesmo, permitindo-lhe progredir de forma sólida. Espera-se um crescimento sustentado, alicerçado no sucesso dos dois primeiros eventos, bem como na constante interação com o público como mais uma vez se registou este ano e que agradou a todos”.

Capa do Jornal Região Bairradina de 20 de Maio de 2015

PRESENÇA DOS AUTORES PASQUALE FRISENDA E STEFANO BIGLIA
A mostra contou com a presença dos autores Pasquale Frisenda e Stefano Biglia que segundo José Carlos “elogiaram imenso a eficiente organização do evento assim como o carinho e a paixão sentida pelo público português, agradecendo  a grande hospitalidade e generosidade recebida por parte do público presente que tornou este evento inesquecível para ambos devido sobretudo ao enorme calor humano vivenciado tornando esta experiência impressionante”. O responsável rematou ainda que ambos ficaram com vontade de regressar a Portugal também para conhecer melhor o país.

PRÓXIMAS AÇÕES DO CLUBE TEX PORTUGAL
A próxima ação do Clube está prevista já para o próximo mês de Junho e será com o lançamento da segunda revista, uma edição gratuita para todos os sócios do Clube. José Carlos levantou o véu revelando que será ainda levado a cabo um convívio natalício a realizar na região de Lisboa e que “contará certamente com a presença de dezenas de sócios, ocasião em que aproveitaremos para publicar a nossa revista nº 3 que este ano passou a ter uma periodicidade semestral”, rematou.

Segunda Mostra do Clube Tex Portugal traz centenas de pessoas ao Museu do Vinho

Copyright: © 2015 Jornal Região Bairradina & Inês Maia de Almeida

(Para aproveitar a extensão completa das imagens acima, clique nas mesmas)

1

As Leituras do Pedro – Tex Gigante #29 – A Horda do Crepúsculo

maio 20, 2015

As Leituras do Pedro*

Tex Gigante #29A Horda do Crepúsculo
Pasquale Ruju (argumento)
Corrado Roi (desenho)
Mythos Editora (Brasil, Outubro de 2014)
185 x 275 mm, 242 p., pb, brochado
R$ 21,90 / 11,00 €

Actualmente distribuído em Portugal, graças a uma daquelas surpresas que a distribuidora VASP recorrentemente tem feito aos leitores das edições da Mythos, este Tex Gigante tem como desenhador convidado o italiano Corrado Roi, com um longo percurso aos quadradinhos ligado especialmente a relatos fantásticos e de terror.

É essa a razão porque o argumentista Pasquale Ruju, construiu uma trama em que imperam o mistério e o suspense, sem que isso ponha em causa o que é expectável numa história do ranger.

Em A Horda do Crepúsculo uma série de assaltos e massacres perpetrados por um bando liderado por uma personagem misteriosa chamada Vladar, de ar sombrio e estatura imponente, leva Tex Willer e Kit Carson até ao Arizona. Aí, encontrarão Constantin Florian, um príncipe búlgaro exilado, e a sua bela sobrinha. A ligação intuída (também pelos leitores) entre Florian e Vladar e a descoberta do laço que une os dois, são a base de uma história misteriosa, sob tensão constante, em que ambição, honra, vingança e duas histórias de amor se irão cruzar, embora nem sempre da forma esperada.

Corrado Roi, com um argumento à medida do seu traço, consegue brilhar ao nível das expressões – em especial dos olhos – e resolve bastante bem aspectos ‘técnicos’, como o desenho de cavalos ou carroças, que normalmente complicam a vida aos desenhadores exteriores ao western, mas no que diz respeito a espaços abertos ou cenas panorâmicas, o seu traço surge menos desenvolto, demasiado despido e por vezes mesmo algo rígido.

*Pedro Cleto, Porto, Portugal, 1964; engenheiro químico de formação, leitor, crítico, divulgador (também no Jornal de Notícias), coleccionador (de figuras) de BD por vocação e também autor do blogue As Leituras do Pedro (http://asleiturasdopedro.blogspot.com/).

(Para aproveitar a extensão completa das imagens acima, clique nas mesmas)

0

Tex Willer e Kit Carson na deslumbrante arte de Ernesto Garcia Seijas

maio 19, 2015

Tex Willer e Kit Carson na deslumbrante arte de Ernesto Garcia Seijas

(Para aproveitar a extensão completa do desenho, clique no mesmo)

0

João Miguel Lameiras e um Punhado de Imagens da 2ª Mostra do Clube Tex Portugal

maio 18, 2015

João Miguel Lameiras e um Punhado de

Imagens da 2ª Mostra do Clube Tex Portugal

Por João Miguel Lameiras*[1]

Uma semana depois, aqui vos deixo as minhas impressões da 2ª Mostra do Clube Tex Portugal, que decorreu no passado fim-de-semana no Museu do Vinho, na Anadia, a uma vintena de quilómetros de Coimbra. A convite do incansável José Carlos Francisco, tive oportunidade de fazer umas perguntas e moderar a conversa com Stefano Biglia, um dos dois desenhadores do Tex presentes (o outro era Pasquale Frisenda) na tarde de domingo.

Mas o grande dia desta mostra foi o sábado, com o lançamento pela Polvo da edição portuguesa de Patagónia, o Tex Gigante desenhado por Frisenda que já tinha tido distribuição em Portugal  em 2011, via edição brasileira da Mythos, de que falei aqui.

Para além de se tratar de um excelente livro, a edição da Polvo, apesar de ligeiramente mais pequena do que a edição da Mythos, compensa essa diferença de 3 cm na altura, com um tipo de papel muito superior à edição da Mythos que permite uma reprodução imaculada do traço de Frisenda, que capta todas as nuances do excelente trabalho de preto e branco de Frisenda.

Com uma tiragem de apenas 500 exemplares, este segundo Tex “Made in Portugal”  (o primeiro foi o volume 8 da colecção Série Ouro dos Clássicos da Banda Desenhada, lançada em 2003, com o jornal Correio da Manhã) tem tudo para ser um sucesso, face ao entusiasmo e à militância dos fãs portugueses do cowboy da editora Bonelli, pelo que não me admirava que a organização da Mostra e a Polvo, em próximas edições articulassem mais uma vez a vinda dos desenhadores, com a edição em português dos seus trabalhos.


Apenas consegui estar presente no sábado ao final da tarde, mas ainda deu para encontrar uma série de caras conhecidas destas andanças, como o João Amaral e a Cristina (a quem “roubei” a foto de grupo que publico neste post), o Geraldes Lino, Pedro Cleto, Ricardo Leite, Pedro Bouça, entre muitos outros que enchiam o Museu do Vinho.

Infelizmente, não tive grande ocasião de falar com Pasquale Frisenda, que, por razões familiares, apenas esteve presente no sábado, regressando a Itália logo de seguida, mas compensei no dia seguinte com Stefano Biglia, um ilustrador tão simpático como talentoso, que me fez uma belíssima “dedicace” em aguarela, que está entre as melhores da minha colecção.

Aqui vos deixo com um punhado de imagens desse fim-de-semana texiano, na sua maioria da autoria do fotógrafo Marco Guerra, que fez a cobertura do evento.

*João Miguel Lameiras, crítico e especialista de BD e também autor do blogue Por um punhado de imagens.
[1] (Texto publicado originalmente no Blogue “Por um punhado de imagens, em 15 de Maio de 2015)

(Para aproveitar a extensão completa das imagens acima, clique nas mesmas)

0