TEX SEM FRONTEIRAS: Guglielmo Letteri

agosto 22, 2010

Por G. G. Carsan*

TEX SEM FRONTEIRAS

“Guglielmo Letteri”

.
Meus amigos texianos,
Quando a gente pensa que já viu, ouviu, cheirou, sentiu e degustou tudo do universo de Tex, Tex Willer ou Águia da Noite, eis que surgem factos novos, positivos ou não (felizmente, mais positivos do que negativos), até porque a publicação do decano Ranger do Texas está de vento em popa na Itália e no Brasil, os dois países onde ocorrem mais leitores da personagem da casa Bonelli, e por isso, novas ocorrências saltam da panela para as nossas vidas de fãs e coleccionadores.

Guglielmo LetteriPara mim é muito fácil escrever sobre Tex haja vista a minha vivência com a personagem, o difícil e que me incomoda é conseguir agradar aos leitores que acompanham os meus escritos, mas vamos tentando fazer o melhor, na intenção de levar novas informações e análises sinceras e técnicas sobre essa publicação de sucesso.

Para abrir esta rubrica, que optamos por chamar de “Tex sem Fronteiras”, pois Tex não tem limites, pode ser degustado por qualquer um, de qualquer idade, em qualquer lugar, trazemos algumas considerações sobre o desenhador Guglielmo Lettèri, uns dos mais indesejados pelos fãs e coleccionadores que não lhe economizam críticas.

Antes de fritar ou crucificar o Lettèri, é necessário saber que ele foi uma das bases de sustentação da personagem durante 5 décadas. Juntamente com Galep (criador gráfico de Tex) e Ticci (Vingança de Índia, Texas Bill*), formou o tripé responsável pelo crescimento do Ranger, para que fosse possível ter a revista nas bancas, para que não atrasasse.

Arte de Guglielmo LetteriLettèri, a quem chamo de O Homem-Mistério no livro ‘Tex no Brasil – O Grande Herói do Faroeste’, nasceu em 1926 em Roma e dei-lhe este apelido devido às aventuras que lhe caíram nas mãos para desenhar, sempre puxando para o mistério, como Tex 65 (A Flor da Morte), Tex 92 (Diablero), Tex 119 (O Homem das Mil Caras), Tex 215 (A Tragédia do Shangay Lady), Tex 297 (Retorno a Pilares), etc. Somente em Tex normal desenhou 42 aventuras.

E pergunto-me porque G. L. Bonelli (criador de Tex), Sergio Bonelli (Guido Nolitta em Zagor) ou o Decio Canzio (curador de Tex durante décadas) sempre escolheram as aventuras envolvendo mistério para ele desenhar – as aventuras eram escritas sob medida para o seu traço e talento? Havemos de pensar que não era caso de coincidência, pois foram dezenas de histórias assim. Vem mais imaginação: Talvez ele contribuísse com o roteirista na formação da história.

Tex letteriano em acçãoFoi o primeiro a se revezar com o Galep na década de 60. Ganhou o respeito dos leitores à época, tanto que permaneceu firme com Tex até à sua morte, mas não conseguiu ser bem quisto e passou a ser combatido pelos leitores mais recentes. Hoje, nas pesquisas e opiniões na Internet, é difícil uma palavra elogiosa.

Logicamente que a minha defesa se faz porque gosto do seu traço, muito mais do que de outros que passaram por Tex, mas principalmente porque acredito que a sua importância foi grande, marcante e essencial para termos uma personagem firme e forte no mercado há mais de 60 anos e não podemos deixar de lhe dar o devido valor, tributo, reconhecimento.

Uma coisa que não podemos negar é o padrão imposto pelo desenhador, tanto que não percebemos muita diferença entre os seus primeiros e últimos Tex, como aconteceu, por exemplo, com Fusco (Caçada Humana, Morte no Rio das Almas) e Ticci, cujas personagens receberam mudança radical entre épocas. O Tex letteriano é singular, constante, segue um ritmo tranquilo, boa dosagem de branco e preto. Existe um cuidado muito grande na formação e desenvolvimento das acções, nas personagens e nas aventuras que tomou conta.

Tex Willer por Guglielmo LetteriEm todas as actividades existem os melhores, os maiores, mas seria no mínimo injusto de nossa parte, desmerecer, ocultar e diminuir a importância de Lettèri no universo texiano. Por isso, ao me confraternizar com Lettèri, que já está nas Grandes Pradarias de Manitu desde 2006, é para lhe creditar definitivamente os meus, e de tantos outros anónimos, os mais sinceros parabéns e dizer de alto e bom som ‘obrigado Lettèri, descanse em paz, pois tu foste grande e o teu trabalho muito importante tanto para o Tex como para os seus milhares de leitores’.

E assim, esperamos caro amigo texiano, ter realizado um tributo ao mestre dos mistérios e ter chamado a sua atenção para a importância desse ícone na saga do Tex, cuja ficha de serviços prestados é das mais intensas e primordiais, ao tempo que lembramos que eficiente e eficaz não é somente o mais bonito, mas aquele que não falha, não quebra, não se esconde, e cumpre a sua missão dentro da equipa.

Forte abraço a todos e até a próxima.

G. G. Carsan

Texas Bill* - Na realidade, e como fomos alertados através de um comentário, “Texas Bill” foi desenhada por Galep e Muzzi.

G. G. Carsan

.

* G.G.Carsan, 45 anos, paraibano, fã, coleccionador e divulgador, começou aos 7 anos a ler Tex e nunca mais parou. Realizou 5 exposições em João Pessoa, escreveu várias aventuras para Tex (algumas publicadas na Internet) e um livro sobre a personagem no Brasil. Escreve para o Portal TexBr e participa de chats e comunidades no orkut. Fez matérias especiais para o HQ Maniacs e Universo HQ nas comemorações de 60 anos. Mantém a biblioteca aberta para visitantes..

.
(Para aproveitar a extensão completa das imagens acima, clique nas mesmas)

30 Responses to “TEX SEM FRONTEIRAS: Guglielmo Letteri”

  1. Olá Carsan…
    Partilho da sua opinião em relaçao a Letteri… em todos os meus anos como desenhista tive como referências os grandes desenhistas italianos, em particular Ticci, posteriormente Villa… o fato é que como desenhista de quadrinhos nós lemos com outros olhos, com olhos de quem busca não somente um quadrinho e um balão com texto, vemos todos os detalhes, desde a composiçao ao acabamento do desenho, sempre procurando estrair a melhor informaçao visual para acrescentar no nosso trabalho.
    Confesso que nunca vi em Letteri um exemplo de habilidade como em Ticci por exemplo, mas sempre soube ver a tecnica apurada, e acima de tudo, um estilo unico… que não precisa assinar para sabermos de onde saiu.Um grande mestre como ele não precisa agradar a todos, pois todos os que ele agradou é mais do que muitos poderia conseguir.

    Grande abraço.

  2. Grande GG Carsan,
    Excelente, a lembrança de Letteri. Parabéns, você está sempre nos surpreendendo com sua incansável capacidade produtiva e uma singular generosidade sobre o Mundo de TEX.
    Essa matéria levou-me de volta ao anos 70, quando, depois de um período afastado das leituras de nosso ranger, deparei-me nas trocas de gibis com um colega, as revistas com as aventuras: “O Misterioso Mister P” e a “A Flor da Morte“. Ou era Galep ou Letteri para aventuras à la “mistério/terror/ficção-científica”. Foi através destas aventuras que retornei para TEX e ao desejo de completar a coleção.
    GG, estarei aguardando ansioso por outros de teus artigos no “TSF-TEX Sem Fronteiras“.
    Um forte abraço deste que torce por você.

  3. Obrigado aos dois pards por suas palavras e entendimento.
    Expus o que sinto realmente e digo mais, no mesmo naipe coloco o Erio Nicolò, de traços simples, sensuais, o Tex mais belo de todos. Em Tex 74 (Na Fronteira do Colorado), Nicolò colocou uma loira que é tão linda e talvez tenha inspirado o Civitelli com sua Alison (Tex 391 – O Homem que Veio do Rio), a mulher que pode preencher o imenso vazio deixado por Lilyth.
    Assim, Lettèri e Nicolò servem-me de referencial, até porque foi com eles e Galep que iniciei no Tex, junto ao Ticci, que por variar muito o seu Tex (vide 50, 95, 406), por vezes me desgostava.
    Abraços para ambos e mais uma vez, obrigado.
    G.G.Carsan

  4. Mais um grande colaborador se junta ao Blogue do Tex. Sejas bem-vindo, GG. Força sempre! Nossos heróis merecem!

  5. O Letteri, um dos mais indesejados? Considero-o o melhor desenhista de Tex.

  6. Nunca pensei que o Letteri fosse ser considerado indesejado pelos leitores. Só se for dos leitores atuais, que talvez curtam um estilo mais moderno. O que seriam da história do Estripador ou de Tezcalipoca (aquela dos Homens-Onça, lembram-se?) se não fossem os traços de Letteri? Gostaria, inclusive, que o Letteri tivesse desenhado alguma aventura de Dylan Dog.

  7. Considero o Letteri um dos melhores desenhistas de Tex.

  8. Brincadeira de mau gosto essa de falar que LETTERI não é um dos grandes desenhistas, pra mim esses que falam não sabem nada, LETTERI foi e sempre será um dos maiores desenhistas de todos os tempos.

  9. Juntamente com Ticci, Claudio Villa e Civitelli acho Letteri um dos melhores desenhistas de Tex.

  10. Dos desenhistas de Tex, Guglielmo Lettèri é o meu favorito. Não concebo comentários negativos a seu respeito.

  11. Das centenas de aventuras de Tex, Letteri é dos meus preferidos. Tem um estilo limpo, homogéneo e fiel. Tem equilíbrio, dinâmica, boa composição e retrata excelentemente a época e o universo próprio do far-west.
    Um dos aspectos negativos global do desenho de Tex é a sua enorme variedade decorrente do estilo livre dos muitos desenhadores. É certo que se ganhou nos aspectos positivos da diversidade, mas em contrapartida perdeu-se na coerência e às tantas torna-se confuso assimilar um Tex de mil rostos em que nem por vezes o modelo do chapéu se salva. Afinal poder-se-ia mudar o estilo mas a fisionomia e proporções do herói nunca deveriam ter mudado. Não conheço um herói do universo da BD que tenha sido tão despersonalizado. Felizmente existe a figura do “pard” Kit Carson, que pelas suas características fisionómicas muito específicas, tem resistido mais do que Tex à avalanche de despersonalização. Penso que Kit é apesar de tudo o único elemento comum e agregador das diversas faces e estilos de Tex.
    Por conseguinte, Letteri será sempre o desenhador do verdadeiro Tex.

  12. Não concordo.
    A diversidade de estilo entre os desenhistas de Tex é o que eu mais gosto.
    Há desenhistas próprios para aventuras dentro de cidades, outros são melhores nos desenhos de aventuras nas pradarias, outros nas florestas ou na neve do norte, ou seja, além disso admiro as caracteristas fisicas que cada um deles imprime a cada Tex.

  13. Completando meu comentário acima, se eu tivesse que escolher o desenhista que melhor tenha retratado Tex, eu elegeria Ticci, pois as características físicas do seu Tex é de um verdadeiro Texano.
    Se eu fosse escolher um desenhista para desenhar Tex daqui para frente, eu escolheria os irmãos Cestaro.
    Se fosse eleger o melhor no momento seria o Civitelli.
    Como podem ver, meu gosto é bastante diversificado.
    He, he, he.

  14. Geraldo,
    Guglielmo Lettèri é o desenhista preferido do meu irmão Afonso Geraldo, cujo diz que Tex letteriano tem cara de malandro.
    Parabéns pela homenagem ao saudoso mestre das pranchas do Ranger mais temido do Oeste.
    AMora,
    o meu desenhista texiano preferido também é Giovanni Ticci.

  15. Falar mal do Letteri é renegar as origens de Tex.
    Os leitores novos são acostumados com videogame e manga por isso não apreciam a qualidade dos clássicos.
    Corrigindo, quem desenhou TEXAS BILL* foi MUZZI e Galep e não TICCI como dito em cima.

  16. Melhor que Lettèri somente Galep, sempre fui fã do Lettèri, lembro de uma das minhas histórias preferidas, o número 115 “Chinatown“, publicado pela editora Vecchi.

  17. Por mil diabos!
    Verdade pard Sioux, Texas Bill* não foi do Ticci, e só pode ser um mistério que tenha saído assim. Como vamos longe no tempo desde essa postagem, não me lembro do momento e do que me levou a pensar e digitar assim.
    Felizmente, quem lê atentamente, consegue captar erros assim. Eu escrevi, li, já devo ter relido depois de publicado, e mesmo assim ainda aparece um erro.
    É a Lei de Murphy.
    Então, deixo-vos minhas humildes desculpas.

  18. Afrânio, concordo com seu irmão, Tex by Letteri além de malandro tem também aquele ar de sedutor.

  19. Geraldo,
    não seria a história seguinte a “Texas Bill” aquela desenhada por Giovanni Ticci?
    Mauro Ivan,
    Tex letteriano esteve cercado por lindas mulheres em suas aventuras, então, com o cigarro na boca e um copo de uísque na mão, lançava o olhar e, por trás dos panos dos quadrinhos, talvez ficasse mais íntimo das “donne“.

  20. Letteri um dos piores?? Mas nunca!!! Comparar Letteri com esses péssimos desenhistas atuais é uma heresia. Histórias marcantes como Chinatown e tantas outras são trocentas vezes melhores desenhadas (e roteirizadas) que essas de hoje em dia…

  21. Parabéns ao grande fã e estudioso G.G. Carsan por este oportuno e bem fundamentado artigo.
    Letteri foi inegavelmente um bom profissional e muito contribuiu para a estabilidade e o sucesso de Tex, como pilar da equipa que assegurou o seu futuro, juntamente com Galep, Muzzi, Nicolò e Ticci. O seu estilo era homogéneo, equilibrado, fiel à época e aos ambientes onde decorria a acção, e emprestou o seu traço a personagens que fizeram (e fazem) história na saga de Tex.
    Mas não se pode dizer que fosse um desenhador inspirado, de grandes rasgos, como Ticci, Civitelli ou Villa, para só citar estes três Mestres. A sua toada gráfica tornou-se, por isso, um pouco monótona, o que não significa que não tenha sabido interpretar, como poucos, as figuras e os cenários (sobretudo urbanos) das aventuras escritas por Gian Luigi Bonelli, Guido Nolitta e outros, dando a Tex e aos seus pards os traços físicos definitivos, aqueles que mais facilmente conservamos na nossa memória.
    Posto isto, acho que alguns desenhadores têm a sua época, enquanto que outros são intemporais, vivem para além do seu mundo, tornam-se lendas e o seu nome é independente das suas próprias criações. Tal não foi o caso de Letteri, que ficará sempre na sombra da obra que realizou pacientemente como desenhista de Tex (mais nenhum foi capaz de se encarregar de uma história com quase 600 páginas), continuando a dividir as opiniões e a despertar a nostalgia dos mais puristas, dos mais arreigados (no bom sentido) aos valores e às tradições do universo bonelliano.

  22. Ticci o melhor desenhista de Tex [genial], Letteri o pior desenhista de Tex [péssimo], não entende nada do genero western.
    Quem entende de arte sabe do que estou falando.

    Nei Campos!

  23. Eu considero Letteri o melhor desenhista de Tex. Ele conseguia desenhar muito bem as expressões dos personagens. É uma injustiça tremenda as críticas a ele. Abraços.

  24. Nei Campos,
    de fato, o sienês Giovanni Ticci é o melhor desenhista de “Tex”. Entretanto, o saudoso romano Guglielmo Lettèri não é o pior do staff texiano.
    Guglielmo, em Italiano, é Guilherme, em Português. Coincidentemente, o segundo nome do autor do artigo sobre o artista das páginas do Ranger mais temido do Oeste, o nosso prezado pard G. G. Carsan.

  25. Você tem razão Afrânio, exagerei ao dizer que Lettéri é o pior desenhista de Tex, como o seu desenho não me agrada e ilustrou muitas histórias do personagem acabei em todos esses anos me irritando cada vez que pegava um “gibí” pra ler e via os seus traços impressos nas páginas.
    Por isso quando alguém diz que Lettéri é o “melhor” desenhista de Tex me incomoda e acabo exagerando nas palavras,até porque temos o prazer de ler histórias ilustradas por gênios do calibre de Giovanni Ticci, Alberto Giolitti que foi o seu mestre e é simplesmente fenomenal, pois das melhores ilustrações de histórias do Tex eu incluo as do Giolitti, também o grande Claudio Villa, Fabio Civitelli, Pasquale Frisenda, Andrea Venturi, Alessandro Piccinelli, os irmãos Cestaro e também alguns novos desenhadores que estão chegando e com muito talento.
    Quero dizer que respeito o gosto de cada um, e que Lettéri na minha opinião foi um desenhador muito esforçado que trabalhou fielmente para o nosso Tex, mas para o genero western ele não me agradava, que me desculpem seus fãs.

    Um abraço!

    Nei Campos!

  26. Guglielmo Letteri.

    Com certeza está entre os grandes.

  27. G. G. Carsan, sou de Campina Grande, pertinho de você, somos conterrâneos, meu amigo! Também sou um paraibano como você e há muito que admiro seu trabalho, pois também sou um fã incondicional do grande Tex Willer, dos amigos e dos inimigos dele! Você está de parabéns, continue assim, conterrâneo!
    Assim como sou fã de Tex, também sou fã de seus desenhistas, e devo dizer que quem injustiça Guglielmo Letteri parece nunca ter notado que seus desenhos têm um toque preciso, são lindos, firmes, expressivos, o Tex de Letteri parece simplesmente uma escultura! E, como você próprio afirmou, as alterações que os desenhos letterianos sofreram desde o início de carreira até o fim dela são ínfimas, quase nenhuma, muito diferente de todos os desenhistas de Tex da antiga, que sempre passaram por alterações de estilo até encontrar o definitivo (até o mestre Galep passou por isso!)! O Tex de Letteri foi o único que já surgiu como teria de ficar pra sempre! Isso é de se levar em conta, tamanha é a firmeza dos traços de G. Letteri!
    Claro que todos têm seus gostos, mas não sei como não gostar dos desenhos de G. Letteri! São limpos, extremamente limpos, firmes, nítidos, exprimem uma sensação de volume e elegância aos personagens, e são lindos desenhos! Guglielmo Letteri está entre os cinco que considero até hoje os melhores desenhistas de Tex, e, pra mim, os melhores desenhistas de Tex são, indiscutivelmente: Galep, Letteri, Nicoló, Fusco e Civitelli! Pra mim, em matéria de desenhar Tex, esses são os caras!
    E G. Letteri também tem outra característica interessante: com ele surgiu o Bruxo Morisco, surgiram inimigos perigosos como Proteus e o Mestre, foi o desenhista de Tex que mais desenhou os chineses! Os índios de Letteri são muito elegantes, altivos… e as paisagens naturais retratadas por ele parecem quadros (às vezes bem mais bonitos que muitos quadros que existem por aí!)! Também dos desenhos de Letteri surgiram aventuras que chegariam a dar largadas para muitas outras feitas bem depois. O Tesouro do Templo (onde Tex e Carson conhecem El Morisco e Eusébio), O Mistério das Pedras Venenosas são histórias que ainda dão pano pra manga pra várias aventuras de Tex no México, e envolvendo os Astecas! Histórias como “Traficantes de Armas“, onde Tex e Carson combatem o “ring” de Mark Winter também são largada pra várias outras aventuras de Tex feitas depois!
    Guglielmo Letteri é uma das molas mestras de Tex, sem dúvida! E, cá pra nós, os desenhos do cara são demais!
    Um abração, G. G. Carsan, grande texiano e conterrâneo meu! E Deus abençoe a todos nós!

  28. É, gosto é gosto, e temos que respeitar, fazer o quê…!

    Um abraço.
    Nei Campos

  29. Nei,
    para o meu irmão mais velho, Afonso, Guglielmo Letteri fazia Tex com cara de malandro (no sentido de esperto, sagaz, velhaco, raposa velha), sendo o seu desenhista texiano preferido.
    No final de sua colaboração à saga de Tex Willer, o desenhista romano sentiu o peso da idade e a sua arte declinou um pouco, mas, sem jamais perder o charme apresentado nas páginas do Ranger bonelliano.

  30. Hoje, 19 de Setembro de 2013 é um dos dias mais especiais da minha vida de fã e colecionador de Tex… isto porque ao chegar a casa tinha à minha espera um TEXouro enviado pela filha do Mestre Guglielmo Letteri (que habita em Portugal)… uma prancha original (na verdade são três striscias coladas de forma a formar uma página, como era confeccionada a prancha no passado), mais precisamente a página 96 do Tex italiano nº 435, a história da Volta do Mestre, escrita pelo Boselli (no Brasil, Tex 348).
    Sem dúvida alguma é um dos presenTEX’s mais importantes, especiais e valiosos de toda a minha colecção dedicada ao Ranger:

    José Carlos Francisco e a prancha original de Guglielmo Letteri

    Prancha original de Guglielmo Letteri

    José Carlos Fracisco com o original e com a revista italiana

Leave a Reply