Póster Tex Nuova Ristampa 288

janeiro 19, 2018

Póster Tex Nuova Ristampa 288

Em mais uma bela ilustração realizada por Claudio Villa, vemos Tex Willer e Kit Carson a observarem atentamente um bilhete – que trazia a assinatura do Tigre Negro -, dado pelo xerife Nat Mac Kenneth e que tinha sido encontrado num cadáver pescado no rio Mississipi.

Desenho INÉDITO no Brasil e inspirado na história “Il ritorno della Tigre Nera” de Claudio Nizzi e Fabio Civitelli (Tex italiano #443 a #445).
(Para aproveitar a extensão completa do póster, clique no mesmo)

2

Tex: Um 2018 de aventuras

janeiro 18, 2018

Tex: Um 2018 de aventuras

Hoje no blogue do Tex vamos lançar um olhar à programação OFICIAL* das edições de Tex em 2018 (ano em que Tex comemora 70 anos de vida editorial) para descobrir em antestreia, através de uma viagem de várias etapas, o que Tex oferecerá aos seus leitores nos próximos doze meses.

O 2018 de Tex inclui os 70 anos de vida editorial do Ranger

Por Mauro Boselli e Giorgio Giusfredi*

Tex, o seu irmão Sam e o ranger Jim Callahan empenhados em desbaratar o bando de invasores que matou Ken Willer, na arte de Corrado Mastantuono

Tex tem setenta anos! Mas aparenta quarenta. Ou melhor, cerca de vinte… O que é que isso significa? Em Fevereiro sai um novo álbum cartonado a cores, de Boselli e Mastantuono, que concluirá a aventura iniciada no álbum “Il Vendicatore” (“O vingador) e verá Tex, o seu irmão Sam e o ranger Jim Callahan empenhados em desbaratar o bando de invasores que matou Ken Willer. Sobre o jovem Tex haverá outras grandes surpresas, mas iremos descobri-las quando – em Setembro – festejarmos o seu aniversário…

Uma das grandes surpresas reservadas para o Outono de 2018 - Arte de Fabio Civitelli

Na série regular, o Tex que todos nós conhecemos, na plenitude da sua maturidade e na companhia dos Pards, enfrentará, como é costume, todos os géneros de perigos: da seita chinesa das Tríades, activas no porto de San Diego, aos Apaches Chiricahua, do retorno do inexpugnável homem dos cem rostos, o “ressuscitado” Proteus, a outro grande regresso do criminoso louco conhecido como o Mestre, que, depois de San Francisco e New Orleans, aterrorizará nada menos do que a cidade de New York, obrigando Tex, Carson e Pat Mac Ryan, com a colaboração de Buffalo Bill e Ned Buntline, a lutarem entre os canyons de edifícios altos e comboios elevados, na selva urbana da maior metrópole do mundo.

Tex e as Tríades Chinesas na arte de Ugolino Cossu

Tex e os Apaches Chiricahua na arte de Yannis Ginosatis

Tex e Carson em New York na arte de Maurizio Dotti

Proteus regressa na arte de Bruno Ramella

Tex também participará de uma “Grande Corrida” através do Oeste selvagem, encontrará dois velhos conhecidos do seu passado, Tesah e o xerife Mallory, e voltará a evocar-nos o seu amor pela Lilyth e a última aventura do seu file Dinamite!

A última aventura do fiel Dinamite na arte de Roberto De Angelis

O habitual Tex Gigante a publicar em Junho, escrito por Mauro Boselli, traz desenhos de Majo, e verá Tex enfrentar a rebelião do seu filho Kit, que estará com um “Corpo Especial” dos Rangers!

Kit Willer à luta, na arte de Majo

Não é tudo, porque como dissemos anteriormente, teremos muitas outras surpresas no Outono!

*Texto apresentado no sítio da Sergio Bonelli Editore em 12 de Janeiro de 2018.
Tradução e adaptação a cargo de José Carlos Francisco.
Copyright: © 2018, Sergio Bonelli Editore S.p.A.

1

A capa INÉDITA de Tex Platinum #13 – O Longo Braço da Lei e Zagor Especial em Cores #2

janeiro 17, 2018

A capa INÉDITA de Tex Platinum #13

O Longo Braço da Lei

e Zagor Especial em Cores #2


Tex Platinum #13 – O Longo Braço da Lei, aventura escrita por António Segura, desenhada por José Ortiz e que foi publicada anteriormente no Tex Anual #13, em 2011, é o novo lançamento Mythos Editora marcado para dia 17 de Fevereiro e para gáudio de muitos leitores e coleccionadores tem, como sempre, uma particularidade interessante: traz mais uma capa  inédita (TODAS as capas de Tex Platinum são inéditas. É um dos diferenciais dessa colecção, além das matérias), realizada por Claudio Villa, capa essa inspirada em duas vinhetas da história, como se pode constatar de seguida, comparando depois com a arte original de Villa para a respectiva capa:

Quanto à trama de “O longo braço da lei“, à cabeça de um grupo de rangers, Tex escolta cinco presos que estão a ser transferidos de Sierra Vista para Phoenix. No entanto, no caminho, são atacados e os presos libertados. Único sobrevivente do grupo, Tex parte no encalço dos fugitivos, que entretanto se separaram, não só com o intuito de fazer justiça mas também de descobrir qual deles motivou o ataque.

Mas nem só de Tex “vive” a Mythos Editora, pois hoje também podemos já anunciar o grande lançamento de Zagor marcado para o mês de Fevereiro,  mais precisamente no dia 9:  Zagor Especial em Cores #2, uma edição especial totalmente a cores e que trará duas aventuras completas:


- O caçador de homens“,  onde Lorde Alex Nicholson é um caçador infalível, acostumado a desafiar todo o tipo de presa em busca de emoções cada vez mais fortes. Cansado de enfrentar somente feras, encarrega os seus homens de raptarem guerreiros índios para poder caçá-los na sua ilha. Mas a última presa humana é realmente especial: Zagor, o Espírito da Machadinha.

- “Um dia azarado“: Zagor  e Chico descobrem que o ladrão menestrel Guitar Jim voltou a agir na região de Darkwood e decidem sair à procura do simpático ladrão cantor. Para isso usam o estratagema de se fingirem ricos garimpeiros e são capturados por uma quadrilha de assaltantes, e também acabam invadindo uma casa estacionada no meio de um rio!


Duas edições realmente imperdíveis para os fãs de Tex e Zagor! Mas Fevereiro trará mais edições verdadeiramente especiais com o selo da Mythos Editora, por isso não deixe de estar atento ao Blogue do Tex para saber das novidades Bonellianas em primeiríssima mão!

(Para aproveitar a extensão completa das imagens acima, clique nas mesmas)

4

Fumetti #1: A nova e gratuita revista (digital) sobre os quadradinhos da Bonelli

janeiro 16, 2018

Fumetti #1: A nova e gratuita revista (digital)

sobre os quadradinhos da Bonelli

Capa da revista Fumetti #1

Fumetti é uma nova revista digital sobre os quadradinhos Bonelli que acabou de ser lançada no Brasil por Thadeu Fayad, um grande fã e conhecedor das personagens da Sergio Bonelli Editore, em particular por Martin Mystère. Segundo o autor desta nobre iniciativa “Acredito que há um número grande de leitores Bonellianos pelo Brasil afora e não temos nenhuma revista “especializada”. Claro que o carro chefe da primeira edição é Tex e os seus 70 anos, mas também dedico espaço a outras séries Bonelli, novidades da Mythos, Calendário de lançamentos, resenhas das edições em banca… enfim… comecei com Martin Mystère e redescobri a minha paixão por escrever, criar e compartilhar. A revista é 100% grátis e digital (em formato PDF).
.

.
Mas para sabermos mais sobre este novo lançamento que certamente será do agrado dos leitores bonellianos em língua portuguesa, até porque se trata da primeira revista gratuita com conteúdo Bonelli exclusivamente em língua portuguesa, damos a conhecer de seguida o editorial deste primeiro número:
Foi muito difícil dar o primeiro passo desse projecto há muitos anos engavetado. Começar algo que praticamente não foi feito antes no Brasil é um desafio enorme.

Ainda mais em um cenário bastante desfavorável ainda mais quando o conteúdo a ser desenvolvido é totalmente gratuito. Tempo é o nosso bem mais precioso e algo que doamos cada vez menos actualmente.

Coleccionadores de um modo geral são pessoas que colocam a paixão acima de todas essas dificuldades para seguir com seu desejo de estar ao lado dos seus heróis, no nosso caso específico, mas existem coleccionadores de todo tipo de coisas e claro eles são como nós.

Claro que existem outras revistas destinadas a falar de quadradinhos, como a extinta Wizard (apesar de ainda existir lá fora), a “Mundo dos Super-heróis”, ainda em publicação e várias outras que surgiram e sumiram. Mas destinada a falar unicamente de personagens italianos, fora da Itália, realmente são poucas. No Brasil, talvez, nenhuma!

Vivemos a era da informação, temos acesso a todo tipo de matéria, de conteúdos, de sites…, mas o coleccionador de quadradinhos gosta de revista, pode não ser aquela que você pode ter em mãos, mas foi pensada e planeada para ter a mesma qualidade de tantas outras publicações.

Ainda vamos evoluir, adaptar, corrigir, mudar, evoluir… mas queremos aqui contribuir, resgatar e ampliar o desejo que temos de coleccionar essas personagens, de viver suas aventuras, de torcer por seus desafios e relacionamentos.

Nossa caminhada por essas terras está só começando e queremos muito mais do que sua participação. Queremos que você faça parte desse universo.

Contribuindo com seu conhecimento, com as imagens da sua colecção, com histórias que te fizeram sorrir, chorar, se emocionar… momentos que fizeram você encorajar um amigo a coleccionar.

Boa leitura!

Para poder ler ou descarregar a revista Fumetti #1, faça o respectivo download, clicando AQUI!
(Para aproveitar a extensão completa das imagens acima, clique nas mesmas)
2

5ª Mostra do Clube Tex Portugal, realiza-se a 28 e 29 de Abril, em Anadia, e contará novamente com a presença de DOIS autores de Tex!

janeiro 15, 2018

5ª Mostra do Clube Tex Portugal,

realiza-se a 28 e 29 de Abril, em Anadia,

e contará novamente com a presença de

DOIS AUTORES de Tex!

Por José Carlos Francisco

*O Clube Tex Portugal, único Clube em Portugal dedicado exclusivamente a um herói da BD e o primeiro Clube oficial de Tex no mundo, trará este ano NOVAMENTE DOIS conceituados desenhadores italianos a Portugal.
.

*O evento a realizar em Abril em plena capital da Bairrada (Anadia), para além da presença dos consagrados desenhadores contará também com DUAS mostras pessoais dos próprios autores com a exposição de várias pranchas de histórias suas de Tex.

Tex voltará em Abril de 2018 à capital bairradina

Depois dos ESTRONDOSOS sucessos ocorridos com a 1ª Mostra do Clube Tex Portugal, realizada em Agosto de 2014 e que contou com a presença do consagrado desenhador italiano Pasquale Del Vecchio, da 2ª Mostra ocorrida em Maio de 2015 com as ilustres participações dos desenhadores Pasquale Frisenda e Stefano Biglia, da 3ª Mostra realizada em Abril do ano passado com as presenças dos conceituados desenhadores Massimo Rotundo e Maurizio Dotti e da 4ª Mostra efectuada o ano passado com a participação dos mestres italianos Andrea Venturi e Leomacs, todas as quatro Mostras ocorridas no luxuoso Museu do Vinho Bairrada localizado na capital bairradina, a direcção do Clube Tex Portugal dá a conhecer a todos os sócios, mas também aos fãs e coleccionadores da personagem Tex, assim como aos amantes da banda desenhada e ao público em geral que a 5ª Mostra do Clube Tex Portugal, irá realizar-se novamente na cidade de Anadia, no próximo mês de Abril, mais precisamente no fim de semana de 28 e 29 de Abril.

Comunidade texiana, aqui com Pasquale Del Vecchio, voltará a encontrar-se, em 2018, no Museu do Vinho Bairrada

Pelo quinto ano consecutivo a Mostra vai realizar-se em Anadia, devido ao interesse e apoio da autarquia bairradina, na pessoa da Excelentíssima Senhora Presidente da Câmara Municipal de Anadia, Eng.ª Maria Teresa Belém Correia Cardoso, do Excelentíssimo Senhor Vice-Presidente da Câmara Municipal de Anadia, Eng.º Jorge Sampaio e do Director do Museu do Vinho Bairrada, o Excelentíssimo Senhor Doutor Pedro Dias, disponibilizando novamente o luxuoso e mui nobre Museu para a realização de mais esta Exposição Texiana.

Comunidade texiana, aqui com Pasquale Frisenda e Stefano Biglia, voltará a encontrar-se, em 2018, no Museu do Vinho Bairrada

E para gáudio dos sócios do Clube, mas também dos apreciadores da Nona Arte, a Mostra deste ano contará NOVAMENTE com a presença de DOIS consagrados desenhadores do staff oficial de Tex, enriquecendo ainda mais este evento que voltará novamente a ficar na história de Tex e da própria banda desenhada em Portugal.

Comunidade texiana, aqui com Massimo Rotundo e Maurizio Dotti, voltará a encontrar-se, em 2018, no Museu do Vinho Bairrada

A divulgação dos dois autores será anunciada muito em breve, aqui mesmo no blogue português do Tex, mas caso algum dos nossos leitores queira tentar adivinhar quem serão os desenhadores que nos brindarão com a sua ilustre presença, pode fazê-lo na forma de comentário a este post. Como forma de ajuda, dizemos que são ambos entradas recentes na actual equipa de desenhadores do ranger, tendo um deles já publicado uma história (de 220 páginas) na série principal de Tex e tendo o outro publicado duas histórias curtas, uma a preto & branco e outra a cores.

Família Texiana no Museu do Vinho Bairrada em Abril de 2017 na companhia de Andrea Venturi e Leomacs

Cada um dos autores italianos, como forma de agradecimento por este convite português fará uma magnífica ilustração de Tex EXCLUSIVA para o evento de Anadia, numa tradição já habitual e que ocorre sempre que um autor de Tex nos visita de modo a registar a sua passagem por Portugal! Ambas as ilustrações passarão depois a estar expostas na Mostra Permanente de Tex no Museu do Vinho Bairrada juntando-se às artes de Pasquale Del Vecchio, Stefano Biglia, Massimo Rotundo, Maurizio Dotti, Andrea venturi e Leomacs!

Tex (Mário João Marques), José Carlos Francisco, Vice-Presidente da Câmara Municipal de Anadia (Eng. Jorge Sampaio) e Dr. Pedro Dias (Director do Museu do Vinho Bairrada) e o estatuto de Anadia - Capital Portuguesa do Tex!

Por tudo isto e muito mais, caro leitor, reserve já na sua agenda os dias 28 e 29 de Abril para poder marcar presença em mais este grandioso evento que se perspectiva e onde uma vez mais a convivência com autores e coleccionadores será algo de verdadeiramente excepcional e grandioso!

José Carlos Francisco e Hernâni Portovedo, dois dos maiores coleccionadores de Tex no mundo (um feito do Município de Anadia) com Pasquale Del Vecchio e com o Vice-Presidente Jorge Sampaio, na 1ª Mostra do Clube, em 2014

Eng.ª Maria Teresa Belém Correia Cardoso, Presidente da Câmara Municipal de Anadia, Ricardo "Tex" Leite e José Carlos Francisco com o cartaz oficial da 2ª Mostra do Clube Tex Portugal

José Carlos Francisco, Maurizio Dotti, Vice-Presidente da Câmara Municipal de Anadia (Eng. Jorge Sampaio), Massimo Rotundo, vereador Lino Pintado e Dr. Pedro Dias (director do Museu do Vinho Bairrada)

Kit Carson (Ricardo Leite), Tex (Mário Marques), José Carlos Francisco, Vice-Presidente da Câmara Municipal de Anadia (Eng. Jorge Sampaio), Leomacs, Andrea Venturi e Dr. Pedro Dias (Director do Museu do Vinho Bairrada)

Quem ainda não é sócio e queira fazer parte do Clube Tex Portugal – cujos estatutos podem ser vistos aqui pode inscrever-se escrevendo via e-mail para José Carlos Francisco sendo necessário pagar uma jóia de inscrição de 5,00 € e uma quota mensal de 2,00 € (2,50 € se não for residente em Portugal).

Direcção do Clube Tex Portugal brinda ao sucesso da 5ª Mostra do Clube Tex Portugal

(Para aproveitar a extensão completa  das imagens acima, clique nas mesmas)

2

AUDÁCIA EDITORIAL OU LOUCURA EMPRESARIAL?

janeiro 14, 2018

AUDÁCIA EDITORIAL

OU

LOUCURA EMPRESARIAL?

Por Sérgio Madeira de Sousa [*]

Com o anunciado regresso das personagens Dylan Dog (DD), Martin Mystère (MM), Nick Raider (NR) e Nathan Never (NN) às bancas brasileiras previsto para o final de Inverno, início de Primavera, 2018 prepara-se para ser um ano magnifico para os apreciadores da banda desenhada, especialmente para os fãs da gama Bonelli. Além dos aguardados regressos, a destacar o lançamento de várias edições especiais de Tex, (originadas pelos 70 anos da personagem), e a manutenção de todas as colecções da gama com excepção do TEX EM CORES (TC), que foi cancelado[1]. Adicionalmente, em concorrência com as publicações da Mythos, teremos o fantástico TEX GOLD da Salvat. O elevado número de publicações previsto para 2018 torna o Brasil no segundo maior mercado Bonelli, somente suplantado pela Itália, facto surpreendente tendo em conta que o país continua a atravessar uma grave crise económica, financeira e politica!

As novas publicações apresentar-se-ão no formato Bonelli, com histórias completas e seleccionadas, pelo que se deduz, sem respeito pela cronologia. Todos sabemos que existem coleccionadores que não apreciam histórias em continuação, pelo que as opções da Mythos por histórias completas e seleccionadas são perfeitamente compreensíveis, ainda mais justificadas pelo elevado número de aventuras, disponíveis, que continuam inéditas no Brasil.
No entanto, atendendo ao elevado número de publicações prevista para 2018, à grave crise que afecta o povo brasileiro, à concorrência provocada pela Salvat, com o excelente TEX GOLD que além da excelente qualidade acrescenta um óptimo preço, poderão estas publicações ter sucesso?

E a selecção de personagens? Serão estas os mais adequadas para lançar? Porque não Mister No ou, a excelente série, A HISTÓRIA DO OESTE?  Quais os critérios de selecção das personagens a publicar?
O formato italiano e o numero de páginas por edição são outras questões pertinentes! Muitos leitores demonstram a preferência por este formato e, verdade seja dita, a editora já tentou, sem sucesso, implementa-lo[2] nas suas publicações. Porque é que esta tentativa há de ser diferente?
Mais grave, será que estes lançamentos não colocarão em causa publicações como ZAGOR, ZAGOR ESPECIAL (ZE) ou JÚLIA que em 2013 foram alvo de alterações, à forma como se apresentam, para se manterem nas bancas?
As intenções da Mythos são muito ambiciosas e louváveis, mas, aparentemente, a tomada de decisão é mais ditada pelo coração do que pela razão, senão vejamos:

Em 2012, em entrevista realizada por Pedro Cleto publicada aqui no blogue do Tex, Dorival Vitor Lopes (DVL) confidenciou que os títulos da editora que menos vendiam eram ZAGOR, MÁGICO VENTO (MV) e JÚLIA, que as vendas destas personagens tinham estabilizado, e que publicar revistas no formato original italiano significaria aumentar muito o preço de capa. Se considerarmos que nestes últimos 6 anos a conjuntura económica brasileira piorou drasticamente, que DD, MM, NR e NN já foram publicados no Brasil[3] e que foram cancelados, pressupõe-se, por venderem menos que Zagor, Mágico Vento e Júlia[4], que razões é que levam a editora a acreditar que é possível lançar, com sucesso, as 4 publicações em formato italiano, em datas tão próximas[5]?
O próprio editor da Mythos reconhece que os coleccionadores exigem todo o tipo de colecções, mas na altura de comprar encontram mil e uma desculpas para não o fazer[6]. O formato, o preço, o papel, por não ser colorido, por ser colorido, por não respeitar a cronologia, etc.

Em Agosto de 2013 a Mythos procedeu a modificações nas coleções de Zagor e Júlia, dobrando o numero de páginas por edição e o preço, e alterando a periodicidade para bimestral. Alterações que visavam adaptar/melhorar o sistema de distribuição, recolhimento e pagamento das revistas, com o objetivo de melhorar a rentabilidade das mesmas. Considerando que estas alterações visavam as publicações menos rentáveis, e que as novas publicações a lançar em 2018 vendiam menos, quando publicadas, que ZAGOR, ZE e JÚLIA, e que por este motivo foram canceladas, não seria mais adequado implementar essas alterações nas novas publicações?

Em Março de 2016 a Mythos dirigiu-se aos fãs, num comunicado intitulado “O futuro de Tex e demais personagens Bonelli no Brasil”, demonstrando grande preocupação com as suas publicações. No comunicado, DVL informava que ZAGOR, JÚLIA E TEX COLEÇÃO (TXC) tinham entrado no vermelho, isto é, tinham começado a dar prejuízo juntamente com TC e TEX GIGANTE COLORIDO e transmitia a ideia de que o futuro das publicações estava nas mãos dos coleccionadores o que gerou uma onda de comentários:
…. Realmente com a crise que afeta o nosso país (Brasil) eu mesmo de um ano para cá passei a comprar apenas o Tex mensal e algumas poucas outras edições, como por exemplo Tex Ouro, Tex Gigante. …[7]
Como sugestão eu digo que os repetecos com cara de encalhe com capa nova não irão atrair novos leitores. Por isso acho que deveria enxugar o número de edições no mercado. …[8]
…. Se a editora pensar logicamente, pensando em lucrar e se sustentar no mercado sem trabalhar no vermelho, precisa rever algumas coisas. Precisa se organizar.  Antes de mais nada deve reduzir a quantidade de “coleções” de Tex que está indo pra banca. …[9]
Eu tenho comprado regularmente tudo que a Mythos publica de nosso Tex – sou fã e colecionador há mais de 30 anos. Mas confesso que tenho enfrentado muita dificuldade para continuar. …[10]
…. Reduzir o numero de títulos e publicar só historias inéditas é uma forma de aumentar as vendas de cada um. Perante o cenário manifestado, talvez seja a única forma da manutenção, de, pelo menos, alguns títulos.[11]

As sugestões e criticas são muito variadas, mas há uma critica que se destaca pela quantidade: excesso de publicações à venda! Como se pode observar pelos comentários já apresentados e que continuam:
… diminuir a quantidade de repetecos, estamos vivendo uma época de crise, isto é um fato e os leitores não tem condições de adquirir todas as edições que saem nas bancas, …[12]
…. Eu acho que existe muito repetecos em Tex, … Como disse o Everton a editora tem que pensar na sua própria sobrevivência, vai ter repensar. Me desculpe ai, mas não entendi o porquê deste Tex Platinum, para mim totalmente desnecessário este lançamento, … Só porque tem um acabamento melhor? Isso não, dinheiro não dá em árvore.[13]
Sou colecionador há mais de 25 anos. Tenho 14.000 revistas em minha coleção (de tudo que é estilo). Acho que a Mythos sobrecarregou o mercado com títulos Tex. Isso pode ser bom pra pessoas que podem comprar tudo, mas não é nada salutar para um mercado em crise como o brasileiro.  Reduzam para o essencial.[14]
Disse, quando não vende cancela, muitos inclusive o Editor foram contra, o que fazer então se uma revista não está vendendo, a Editora vai bancar os prejuízos pra agradar os leitores? Os que não querem as suas revistas canceladas vão pagar um preço 10 vezes a mais pra manter as revistas em banca? Sou contra pagar esses preços exorbitantes nessas revistas, …[15]

Estes são alguns dos variados comentários de coleccionadores que pensam que existem demasiadas colecções de reedições, eu próprio me identifico com essa posição “…. Em minha opinião existem demasiadas coleções de reedições em publicação, muitas delas sem qualidade, reduzindo as vendas de todas porque dividem os poucos colecionadores na hora de comprar, porque são raros os que compram tudo.[16]
O editor percebeu que uma das sugestões dadas pelos coleccionadores era a redução das publicações existentes “…. Nos comentários acima, nota-se que quase todos defendem as coleções que fazem: “Nas minhas vocês não devem mexer, nas outras que eu não compro, pode.”
O que é um facto! Grande parte dos leitores não se importa com o cancelamento de determinadas séries, as que não colecciona! O editor argumenta: “…Como editor eu tenho que pensar em TODOS os leitores. … As republicações – que muitos criticam – são importantes para os leitores novos. …
Sem dúvida, as republicações são importantes e devem existir, mas não podem, por serem demasiadas e por concorrerem entre elas, colocar em causa a existência de todas. Como referiu Pedro Pereira “…. Diz-se que por vezes é preciso cortar uma mão para salvar um braço e talvez seja isso que há a fazer: reduzir o número de publicações!…”.

Confesso que não compreendo as opções da Mythos! Não as percebi quando lançou TC e manteve OS GRANDES CLÁSSICOS TEX (OGCT)[17] em concorrência directa. Não compreendo o excesso de republicações que dividem as vendas, esmagam as margens de lucro e colocam em causa, porventura, ZAGOR, ZE e JÚLIA, as publicações que menos vendem. Não compreendo que em época de grave crise se lancem, praticamente em simultâneo e sem ter conhecimento das vendas de cada, quatro personagens que quando publicadas pela mesma editora[18], vendiam menos que qualquer uma das actualmente publicadas. Não compreendo que não se faça uma sondagem aos leitores/compradores sobre as personagens que gostariam/comprariam[19]. E não compreendo que as medidas adoptadas para rentabilizar ZAGOR, ZE E JÚLIA, mais precisamente, edições bimestrais e 200 páginas por edição não sejam utilizadas nas novas publicações.

É verdade que o lançamento de qualquer publicação, de qualquer personagem, tem riscos! E também é verdade que o público em geral não tem acesso aos dados que possibilitaram a tomada de decisão. Todavia, a difícil conjuntura que o Brasil atravessa, a concorrência movida pelo TEX GOLD da Salvat, o excesso de publicações Bonelli nas bancas, os poucos leitores que as novas personagens têm no Brasil, e o ritmo acelerado com que as novas publicações vão entrar nas bancas, leva-me a perspectivar que as novas colecções terão uma vida editorial muito curta, e que a tomada de decisão para os respectivos lançamentos, aparenta ter, mais de “loucura” empresarial do que audácia editorial.

NOTAS FINAIS:
Nota 1: Mais do que criticar a Mythos e seus responsáveis, que considero pessoas muito competentes, com larga experiência na área, aos quais a BD e os coleccionadores muito devem, pretendo expressar a minha opinião, e se à algo que a Mythos não pode ser acusada é de falta de coragem ao lançar 4 colecções na actual situação.
Nota 2: Relativamente às novas publicações, apenas tenciono comprar MM que, em minha opinião, juntamente com DD, são as únicas que têm algumas probabilidades de sucesso. A publicação de NN é a menos compreensível, sinceramente acredito que será cancelada antes do quarto numero e que Mister No ou A HISTÓRIA DO OESTE teriam maiores probabilidades de sucesso. Do material mais recente da SBE gostaria que a Mythos publicasse “Le Storie”, aventuras fechadas e diversificadas.
Nota 3: Não sou contra republicações! Sou contra republicações que dão prejuízo e que colocam em causa outras publicações pela divisão dos coleccionadores na altura da compra. Se a colecção dá lucro então deve manter-se. Até 2016 comprava todas as publicações da Mythos da gama Bonelli com excepção de JÚLIA. Parei de comprar TXC, TEX OURO E TEX EDIÇÃO HISTÓRICA por considerar publicações caras e por não terem qualidade e nunca comprei TEX PLATINUM. Como referi são demasiadas publicações e, à semelhança da grande maioria dos coleccionadores, não tenho poder aquisitivo para adquirir tudo o que é publicado pelo que, tenho de fazer opções.
Nota 4: Não sou a favor do cancelamento se a colecção dá prejuízo! Sou a favor do cancelamento se a colecção dá prejuízo, reiteradamente, ao longo de um largo período e sem perspectivas de viabilidade.

REFERENCIAS:
http://texwillerblog.com/wordpress/?p=75194
http://texwillerblog.com/wordpress/?p=75141#comments
http://texwillerblog.com/wordpress/?p=75158
http://texwillerblog.com/wordpress/?p=74667
http://texwillerblog.com/wordpress/?p=64888
http://texwillerblog.com/wordpress/?p=46774
http://texwillerblog.com/wordpress/?p=35364

[1] Num comentário ao POST “UM ANO BOMBÁSTICO” DVL coloca a hipótese de continuar a colecção futuramente.
[2] Tex e os Aventureiros, dos 6 números previstos, como resultado das baixas vendas, o sexto numero já foi publicada no “formatinho”. Tex em Cores, a publicação foi interrompida por diversas vezes sendo o ultimo número o 34. Cassidy&Demien que inclui duas mini-séries dos duas personagens, de 18 volumes cada, foi cancelada no número 5.
[3] Dylan Dog teve 40 edições regulares publicadas pela Mythos entre Julho de 2002 e Dezembro de 2005. Martin Mystère teve 42 edições pela Mythos e foi publicado entre Agosto de 2002 e Janeiro de 2006. A colecção Nick Raider da Mythos teve apenas 16 números publicados entre Agosto de 2002 e Fevereiro de 2004. Nathan Never é a única personagem das 4 anunciadas que nunca teve colecção própria na Mythos, teve apenas uma história curta publicada no TEX E OS AVENTUREIROS Nº1.
[4] Nick Raider já tinha sido cancelado aquando do lançamento de Júlia.
[5] Dylan Dog e Martin Mystère têm o lançamento previsto para Março e os seguintes números para Abril, Julho e Setembro. Nick Raider e Nathan Never prevê-se a estreia em Maio, com os números seguintes a serem publicados, respectivamente, em Junho, Agosto e Outubro. Pelas datas de publicação não é possível identificar a periodicidade, no entanto, se as colecções tiverem continuação após os 4 números previstos para 2018, aparentam ser bimestrais.
[6] Tex e os Aventureiros, Tex em Cores e Demien & Cassidy são 3 exemplos de publicações que foram canceladas devido ao baixo volume de vendas.
[7] Comentário de Jean César Vasconcelos
[8] Comentário de Jessé Bicodepena
[9] Comentário de Everton Junior Pelisson
[10] Comentário de Rouxinol do Rinaré

[11] Comentário de Jorge de Carvalho
[12] Comentário de Paulinho
[13] Comentário de Lupercio Brambilla
[14] Comentário de Walber Feijó
[15] Comentário de Nei Campos
[16] No texto intitulado “O limite da tolerância“ expressei a minha opinião sobre o número excessivo de títulos de Tex existentes nas bancas e prováveis consequências que, felizmente até ao momento, não se verificaram.
[17] No artigo “RECOMEÇAR” procurei demonstrar que a manutenção da colecção Os Grandes Clássicos de Tex em simultâneo com Tex em Cores poderia resultar no insucesso de ambas.
[18] Somente Nathan Never não teve uma colecção pela editora Mythos.
[19] A Mythos possui no seu site o registo muito fiável para efectuar uma sondagem: os clientes da loja que efectuam as suas compras directamente na Mythos. Um simples inquérito enviado para o email dos clientes questionando-os sobre que personagem Bonelli gostariam de ver nas bancas, formato, quantidade de páginas, etc., seria uma forma bastante eficaz de recolher a informação para fundamentar a escolha. Como contrapartida para incentivar os clientes a responder oferecer uma revista a enviar em futura compra, (para não ter custos com o envio).

[*] Sérgio Madeira de Sousa escreve regularmente artigos bonellianos no seu excelente blogue Thebonelliemporiumhttp://thebonelliemporium.blogspot.pt/

17

Os 4 pards e as suas companheiras na arte de Marcos Junio Ferreira dos Santos

janeiro 13, 2018

Os 4 pards e as suas companheiras

na arte de

Marcos Junio Ferreira dos Santos

O blogue do Tex dá hoje a conhecer uma vez mais a arte texiana de Marcos Junio Ferreira dos Santos, um pard brasileiro de Ibitinga que no passado participou diversas vezes aqui mesmo no blogue do Tex expondo a sua arte!

Marcos Santos e a sua colecção de Tex

Desta vez Marcos Santos brinda-nos uma ilustração muito especial e muito bem conseguida onde os 4 pards (Tex, Carson, Kit e Tigre) estão sentados em amena cavaqueira com as suas companheiras (Lilyth com Tex, Lena com Kit Carson, Donna com Kit Willer e Taniah com Jack Tigre) ao lado e cujo título é “A Utopia de Tex“:

A Utopia de Tex na arte a preto e branco de Marcos Santos

A Utopia de Tex na arte colorida de Marcos Santos

(Para aproveitar a extensão completa das imagens acima, clique nas mesmas)

1