Tex Gigante de Ernesto Garcia Seijas e uma NOVA série de Tex Gigantes INTEGRALMENTE A CORES, serão uma REALIDADE ainda em 2011, tal como as DESPEDIDAS de Claudio Nizzi e Antonio Segura

Por José Carlos Francisco

Na conferência realizada no passado fim de semana em sua honra, no Festival de banda desenhada realizado em Rimini, Itália e denominado Rimini Comix 2011,  o editor Sergio Bonelli revelou que após vários anos de repouso no limbo, chegará no próximo Outono aos quiosques italianos o já lendário Tex Gigante desenhado pelo argentino Ernesto Garcia Seijas, o que proporcionará, tal como aconteceu em 1996 com as edições desenhadas por Roberto Raviola (Magnus) e Jordi Bernet, que este ano tenhamos DOIS Texoni (Tex Gigantes) visto que recentemente tivemos já o Tex Gigante intitulado “Verso l’Oregon“, escrito por Gianfranco Manfredi e desenhado pelo também argentino Carlos Gomez.

Tal decisão de Sergio Bonelli prende-se com o facto de Nizzi ter-se aposentado definitivamente e o editor milanês querer que todas as suas histórias sejam publicadas. Para além desta história produzida há alguns anos, há somente uma outra história de Claudio Nizzi em fase terminal de produção (será publicada ainda este ano), trata-se de “Inferno bianco” (titulo provisório), que está a ser desenhada por Lucio Filippucci, o consagrado desenhador italiano que recentemente acompanhou Fabio Civitelli na edição nº 0 da Gibicon de Curitiba.

Mas voltando ao Tex Gigante guardado numa das gavetas de Sergio Bonelli há vários anos, a história tem então argumento e roteiro de Claudio Nizzi e foi desenhada pelo argentino Ernesto Garcia Seijas tendo como título provisório “I quattro giustizieri” (Os Quatro Justiceiros). Nas páginas que tivemos acesso (conforme se pode constatar aqui ao lado) comparecem, com efeito, todos os quatro pards.

Seijas começou a trabalhar nesta história no já longínquo ano de 2000 e segundo consta, na programação da Sergio Bonelli Editore a história deveria figurar no 17° albo speciale (nome dado na Itália ao Tex Gigante) e portanto ser publicada em Julho de 2003. Por outro lado Seijas terminou os desenhos, por causa da sua lentidão, somente quatro anos depois do seu início.

A letrista Monica Husler iniciou a legendagem da história no Outono desse mesmo ano, em 2004. A lógica sugeria então uma publicação em Junho de 2005. Entretanto Sergio Bonelli controla pessoalmente todas páginas já então legendadas, como sempre faz com todas as histórias do Ranger, e decide inexplicavelmente publicar naquela data o Tex Gigante desenhado por Carlo Ambrosini.

Houve um chumbo? Tudo indica que sim, ao menos em parte. Falava-se em surdina, que na história havia mulheres a mais. A especialidade, no fim de contas, do artista argentino. Numa entrevista concedida em exclusivo por Ernesto Garcia Seijas, ao nosso blogue do Tex, o próprio Seijas  explicou o sucedido e confirmava os rumores: “Sergio Bonelli controla pessoalmente cada página de Tex. Inclusive neste Texone ainda inédito, houve 11 páginas que tive de refazer, porque apareciam mulheres e Sergio Bonelli não entendia porque apareciam essas mulheres ali, já que não eram necessárias para a história. Ele fez com que mudassem o argumento e eu tive de refazer as páginas. Parece que a ele, não lhe agrada que apareçam muitas mulheres nas histórias de Tex.

As onze páginas, considerada a média mensal produzida pelo autor argentino, foram redesenhadas em apenas um mês. Mas não obstante as correcções, tudo permaneceu na mesma, ou quase. Murmurava-se que o editor pretendia publicar a história no Outono de 2008 como forma de comemorar os 60 anos de Tex. Mas afinal, nada.

Sergio Bonelli brincava com a situação, convidando os cobiçosos curiosos para visionarem as páginas, no seu gabinete situado na Via Buonarroti, “estão todas ali dentro“, dizia, “numa gaveta“. Entretanto em torno deste Tex Gigante  cresceu pouco a pouco uma auréola de mistério cada vez mais densa, todos falavam mas ninguém sabia nada de concreto.

Agora que finalmente este Tex Gigante verá a luz do dia, o blogue do Tex, apresenta hoje duas páginas inéditas desta já mítica história, com desenhos soberbos da obra realizada por Seijas. Julguem e comentem!

Continuando no tema “Tex Gigante“, Sergio Bonelli nesta sua conferência também revelou que um outro grande autor argentino convocado para desenhar um Tex Gigante foi Enrique Breccia, filho do lendário Alberto Breccia e também ele muito apreciado pelos leitores italianos. A história terá um argumento de Tito Faraci.

Todavia Sergio Bonelli informou que os próximos Tex Gigantes serão desenhados por Fabio Civitelli, Claudio Villa, Andrea Venturi e… Massimo Carnevale, todos eles escritos por Mauro Boselli.

Ainda no tema “Tex Gigantes” Sergio Bonelli também confirmou o que já se ouvia em surdina há alguns tempos: em breve a Collezione Storica a Colori” (Colecção Histórica a Cores), a iniciativa, lançada em Fevereiro de 2007, que continua a ser um sucesso extraordinário, como bem atestam ainda os cerca de 70.000 exemplares vendidos todas as semanas, chegará ao fim com a edição nº 239, mas somente porque esta fabulosa iniciativa que repropôs a um ritmo semanal as aventuras de Tex, pela primeira vez integralmente em “technicolor”, enriquecida por uma capa inédita, criada para a ocasião por Claudio Villa, e complementada pelos artigos e comentários assinados pelo crítico Luca Raffaelli e pelo próprio editor Sergio Bonelli, alcançará a edição actual da série inédita de Tex, mas se uma nova série de Tex se encerra, outra nascerá em breve após uma curta pausa e sempre agregada ao quotidiano “La Repubblica” e ao semanário “L’espresso”: falamos da republicação de todos os Tex Gigantes, também eles integralmente em “technicolor e numa cadência semanal e igualmente complementada pelos artigos e comentários assinados por Luca Raffaelli e pelo próprio editor Sergio Bonelli.

A nova série terá o mesmo formato da colecção que está a chegar ao fim, embora tendo cerca de menos 80 páginas, mas tendo a particularidade de apresentar as capas originais realizadas pelos respectivos desenhadores de cada álbum.

Para finalizar este texto damos uma notícia que certamente será uma má surpresa para muitos fãs de Tex: informamos que não foi somente Claudio Nizzi a abandonar o Ranger, pois ainda este ano a Sergio Bonelli Editore publicará a última história escrita pelo espanhol Antonio Segura, história essa desenhada pelo também espanhol José Ortiz e que será publicada no Maxi Tex de Outubro e assim deste modo chega ao fim uma colaboração de quase 15 anos e onde o autor espanhol nos brindou com histórias memoráveis!

(Para aproveitar a extensão completa das imagens acima, clique nas mesmas)

15 Comentários

  1. Caros amigos texianos,
    Como se diz na gíria, a fila andou.
    Estamos acostumados às mudanças e desaparecimentos de figuras carimbadas de verdade da saga texiana; a mais sentida, sem dúvida a de G. L. Bonelli e também Galep. De lá pra cá muitos se foram e outros chegaram.
    Na verdade, dos que se foram, não morreram, pois suas obras continuam vivas nas casas de cada colecionador.
    Que venha o Gigante do Seijas, que venha o novo Tex Color, que venha o Maxi Tex destes novos guerreiros de Águia da Noite… e o meu muito obrigado e reconhecimento do valor dos que se vão, com a certeza do dever cumprido e com a grandeza que adaptaram do Tex e também emprestaram ao personagem ao longo de suas existências.
    Em suma, venham as mudanças, mas vocês jamais serão esquecidos.
    Abraços,
    G.G.Carsan

  2. Apenas na espera pelas próximas edições de Tex que vierem e é uma pena Nizzi sair, o cara é muito fera.

  3. Uma notícia que afinal contém muitas notícias e novidades (parecia as bonecas russas…). Quanto ao Tex envelhecido, primeiro fiquei espantado (além da ideia ousada, que me pareceu bastante inovadora), depois pensei “Tex vai cair na bebida“? Ficou com ar do actor Mickey Rourke…

  4. Também demorei a reconhecer aquele Tex envelhecido. Realmente, uma ideia ousada desenhar Tex com a idade de Carson, rsss
    Então, agora serão os Texones a serem republicados em cores?! Pode-se dizer os texianos em geral aprovaram as histórias em cores, dada a quantidade de publicações coloridas que estamos tendo nos últimos tempos. E finalmente sairá o Tex Gigante desenhado por Seijas! Ufa, quanta informação preciosa em um só texto!

  5. Valeu grande Zeca, obrigado por todas essas notícias maravilhosas.
    Estou esperando ansioso para poder adquirir esses Texones ilustrados por Civitelli, Villa, Venturi, Carnevale e Breccia. E também alguns Texones coloridos como do Giolitti e do Ticci por exemplo.
    Um abraço à todos!

  6. Como sempre o Zeca traz ótimas notícias para os texianos. Eu já sabia dessas histórias de bastidores, mas vê-las escritas e narradas tão bem pelo Zeca dá outra dimensão aos fatos. Lamento muitíssimo a aposentadoria do Nizzi, o melhor roteirista de Tex (disparado) depois de G. L. Bonelli, mas sabemos que não há mal que sempre dure nem bem que nunca se acabe. O mesmo vale para o Antonio Segura, um excelente contador de histórias de Tex. Deixou uma obra pequena mas muito intensa. Falando em Tex Gigante, acabei de traduzir o TXG nr. 25 (o Júlio já me perdoou) e posso garantir que o roteiro de Manfredi (Mágico Vento) é excelente e os desenhos de Carlos Gomez são espetaculares, o melhor trabalho que vi nos últimos anos. Apesar de ser argentino (Ah, ah, ah!), o rapaz é um artista fantástico. Podem correr às bancas em outubro que vocês vão ter uma obra maravilhosa nas mãos.
    Um abraço ao Zeca e a todos os texianos.

  7. Puxa, quanta novidade! Fiquei chateado com a aposentadoria do Segura, admiro muito suas histórias. E acho que nunca havia visto o rosto de Ortiz, que boa surpresa!

    Quanto aos TXG em cores, acho que isso é mais um indicativo de que no futuro Tex passará a ser feito sempre em cores… Eu prefiro em preto e branco, mas fico feliz se a colorização impedir o cancelamento dos Bonelli Comics.

  8. P U X A !!!!! Zeca !!! Você teve a honra de ter o comentário do caro amigo Dorival ! Não é todo dia, né?
    Parabéns pelas notícias, que são ainda melhores do que já sabia pelo que foi dito nos fóruns italianos.
    Obrigado; um abraço para si e outro para o Dorival

  9. Nada mais justo que ambos possam finalmente descansar depois de tanto se doarem para um grande público, sentiremos muito a falta deles, mas serão eternamente lembrados assim como o Péle, Romário e Ronaldo, é melhor parar ainda em vida e serem reconhecidos pelos seus fãs, eles com certeza merecem algumas páginas especiais em alguma edição de Tex com a trajetória de vida de cada um como homenagem por tudo que fez para o Mundo de Tex.
    Quanto ao Tex Gigante colorido,melhor noticia impossível,com isso surge um novo público infanto-juvenil que ainda não tinha olhares para o Tex e que o manterão vivo eternamente.

  10. Grande Zeca,

    Muitas informações, que entendo ser um novo fôlego para Águia da Noite.

    O que mais me chamou a atenção, foi que teremos um “Texone” de Civitelli e Villa. Muito bom!

    Abraços,

    Joe Fábio

  11. Lamentável a aposentadoria do Nizzi, o melhor roteirista de Tex ao lado de G.L Bonelli, uma tríplice coroa de génios chega ao fim com G.L.Bonelli, Sergio Bonelli e Claudio Nizzi. Será difícil alguém à altura, mas, em se tratando de Tex tudo podemos esperar de bom.

  12. Olá Amigos!

    Ótimas notícias essas que aqui foram postadas pelo Grande Pard LusoBrasileiro, o Zeca.

    Mas, o que mais chamou a minha atenção foi o Sr. Dorival afirmar ter traduzido um Texone, que breve estará nas bancas para o nosso deleite. Grata surpresa essa, pelo menos para mim. Parabéns, Sr. Dorival!

    Forte abraço a todos!

    Sílvio Introvabili

  13. Sensacional o desenho do Tex envelhecido!! Alguém diga ao Boselli pra aproveitar esse gancho e fazer uma história com os pards sendo forçados a sair da aposentadoria, no início do século XX, para resolver um caso. Tex estaria desse jeito do desenho (parecido com o David Carradine), Carson já estaria com a cara do Ian McKellen (ou John Hurt), Kit Willer pareceria o Tommy Lee Jones e Tigre seria uma versão do Graham Greene (ou Wes Study). Seria uma mistura de “Unforgiven” com “Space Cowboys“, hehehe

    E um Texone desenhado por Enrique Breccia? Que sensacional. Bonelli não está de brincadeira… Constrói um time de artistas cada vez mais impressionante nessa linha.

Responder a João Adolfo Guerreiro Cancelar resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *