Tex Gigante: A Marca da Serpente

A Marca da SerpenteArgumento de Claudio Nizzi, desenhos e capa de Aurelio Galleppini. 
Com o título original Il segno del serpente, a história foi publicada em Itália no Tex Albo Speciale nº 3 em 1990 e no Brasil pela Editora Globo em 1993 e 1998.
 
Aquando de uma missão de patrulhamento numa zona fronteiriça com o México, um grupo de soldados depara-se com um estranho desenho – uma serpente de duas cabeças – e decide ir investigar, descobrindo as ruínas de uma antiga fortaleza. Ao regressarem ao forte para comunicarem a estranha ocorrência, deparam-se com um número infindável de serpentes, sendo todo o grupo morto, com excepção do soldado Morrison que consegue escapar, vindo a morrer mais tarde, não sem antes conseguir contar a ocorrência. A juntar aos recentes roubos que têm ocorrido em minas de cobre, o Coronel solicita a Tex e Carson que investiguem o que se passa, levando os rangers a uma aventura que mistura alquimia, bruxaria, subterrâneos, monges, mexicanos, índios e a busca da célebre pedra filosofal, com a sempre prestimosa ajuda do já célebre Bruxo Mouro.
 
Uma das características que deram celebridade a Tex foi esta capacidade de poder juntar no western o elemento religioso e sobrenatural, uma  mistura de elementos estranhos ao meio ambiente do ranger. Nizzi, no fundo, homenageia o criador GL Bonelli, porque foi este que trouxe para a série toda esta panóplia de elementos estranhos, surreais e místicos. Por isso, não falta aventura, não falta uma certa inspiração clássica, um certo sabor de nostalgia que o verdadeiro texiano sempre acaba por sentir quando de repente se lembra que o grande GL Bonelli já não escreve mais para Tex.
 
Tex Willer de GalepInstintivamente, ou talvez não, a verdade é que esta  Marca da Serpente foi ficando para o fim na minha lista de leituras de Tex Gigantes. Digo-o, não por qualquer motivo especial, apenas porque, de facto, ela é ilustrada por Galep. E  Galep foi tão somente o criador gráfico do nosso herói, foi o ilustrador por excelência de Tex (mais de 15 mil páginas) e foi o autor de 400 capas. Por isso, o que não é de somenos, merece o meu  sincero respeito, merece todo o nosso respeito.
 
Quando comecei a ler Tex, Galep era o meu ilustrador preferido, posteriormente descobri Ticci e Fusco, mas Galep permaneceu sempre como um mestre. Isso foi há cerca de vinte anos atrás. Hoje, com mais alguma modesta experiência, muito mais páginas lidas, muitos outros autores e obras conhecidas, a verdade é que descubro em Galep fraquezas que antes não via, traços rebuscados e anatomias físicas falhas de volume, por fim um estilo que serviu uma época, mas que hoje nunca poderia competir com um Villa, um Citiveli ou um Venturi.
 
Tex Willer por GalepMas, Galep merece, repito-o, todo o nosso respeito a nossa mais profunda admiração. O seu desenho em A Marca da Serpente faz jus ao melhor Galep, nomeadamente os planos de conjunto, as paisagens ou mesmo algumas cenas nocturnas. Mas quando nos habituámos a ver o nosso ranger num traço vigoroso de Ticci, num certo cinismo de Fusco ou na rudeza de Ortiz, já não falando nos elegantes Villa, Citivelli ou Venturi, já não nos conseguimos habituar a ver Tex à semelhança de um Gary Cooper dos velhos filmes de Oeste, tal e qual Galep o imaginou e o moldou.
 
Gostamos sempre de reviver um velho clássico, mas a sensação é de que algo mudou, algo evoluiu e alguma coisa foi ficando no sabor do tempo que, entretanto, passou. A sensação desta Marca da Serpente é de uma certa nostalgia, um certo reviver dos tempos mais clássicos do herói, mas como em tudo, quando se muda para melhor, devemos considerar-nos felizes e, afinal, o nosso ranger está hoje melhor que nunca. Obrigado Sr. Gallep.
 
Texto de Mário João Marques

9 Comentários

  1. Cari amici
    io non conosco la vostra lingua ma comunque essendo un fans di Tex visito spesso il vostro sito scaricandomi con molto piacere il materiale che mettete. Mi piacerebbe se in un prossimo futuro possiate mettere le copertine dei Tex a colori pubblicati da la “repubblica”. Mi fareste davvero cosa gradita. Adesso vi saluto augurando a voi e al vostro sito un felice avvenire.
    Grazie
    Angelo

  2. Cari Amici
    vi ringrazio tantissimo per la bellissima sorpresa spero che man mano che usciranno le pubblicherete tutte quante.
    Ancor più vi ringrazio per aver risposto al mio piccolo messaggio. Ora approfitto per chiedervi un’altra cosa: tempo fa ho letto sul vostro sito che doveva uscire il film Tex e il signore degli abissi in DVD nella collana della hobby e work “spaghetti western” ma ancora non è uscito potrei sapere quando esce ?
    Vi saluto ringraziandovi ancora una volta per aver accolto il mio piccolo “grido di aiuto” augurandovi lunga vita e prosperità a voi e al vostro bellissimo e utilissimo sito.
    Angelo

    PS.
    non ti preuccupare per l’italiano, ti esprimi benissimo.

  3. Ciao pard Angelo De Marco!

    Ecco la risposta che il servizio clienti di H & Work mi ha inviato:

    “Gentile Cliente,
    la informiamo che la data è stata posticipata ma non si sa ancora a quando.
    Cordiali saluti
    Servizio clienti H&W”

  4. Ciao Pard
    grazie ancora per la tua cortese e sollecita risposta anche se purtroppo non per colpa tua abbastanza evasiva.
    Speriamo che alla fine esce anche se incomincio ad avere i miei dubbi. Ti raccomando continua a mettere nel sito le copertine dei volumi di Tex a colori e i mini poster di Tex nuova ristampa in quanto io scarico tutto.
    Ancora lunga vita al “nostro” bellissimo sito e un
    fortissimo abbraccio a te
    Angelo

  5. Ciao Pard
    augurissimi di una felicissima Pasqua e grazie ancora per il bellissimo sito e per tutto quello che ci mettete da scaricare.
    Angelo

  6. Carissimo Amico Angelo De Marco, una felicissima Pasqua anche per te e famiglia e grazie anche per tutto.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *