TEX: 600 álbuns; 80.000 páginas; 400 histórias

Depois do grande interesse suscitado com o seu precedente artigo dedicado aos números totais de Tex e atendendo à sugestão do pard português José Eduardo Monteiro que pretendia saber o número de histórias produzidas por cada argumentista e por cada desenhador de Tex, Saverio Ceri inseriu um comentário de sua própria autoria com essas informações e portanto devido à importância do dito comentário, apressamo-nos a dar o merecido destaque que as palavras de Saverio Ceri merecem, publicando-o num post exclusivamente criado para o efeito, com as suas informações, que damos a conhecer de seguida a todos os interessados, já traduzido para a nossa língua:

Por Saverio Ceri

Devido ao interesse em saber quantas histórias foram escritas e desenhadas pelos vários autores de Tex, deixo-vos então os dados referentes aos argumentistas:

G. L. Bonelli – 189,5 histórias
Nizzi – 130,5
Boselli – 42,18
Nolitta – 18,32
Segura – 6
Faraci – 4
Ruju – 3
Manfredi – 2
Medda – 2
Canzio – 1,5
Berardi – 1
D’Antonio – 1

Existem números decimais porque algumas das aventuras de Tex foram escritas a quatro mãos e nem sempre em partes iguais entre os dois argumentistas. Por exemplo a última história de Guido Nolitta foi roteirizada em 120 páginas (equivalente a 32%) pelo próprio Nolitta e por Boselli nas restantes 252 páginas. A mesma coisa aconteceu, de maneira mais amiúde, com os desenhadores, portanto na classificação que se segue encontrarão muitos números decimais.

Galep – 103,37 histórias
Letteri – 49,92
Ticci – 29,79
Fusco – 27,5
Nicolò – 21,95
Civitelli – 15,7
Ortiz – 15
Monti – 11,08
Muzzi – 10,67
Repetto – 10
Marcello – 9
F. Gamba – 8,49
Font – 8
Villa – 6
Blasco – 6
Venturi – 6
De La Fuente– 5
Diso – 4
Giolitti – 3,65
Mastantuono – 3
Raul e Gianluca Cestaro – 3
Capitanio – 3
Seijas – 3
Sommer – 2,82
Della Monica – 2,08
Del Vecchio – 2
Uggeri – 2
R. Rossi – 1,8
Brindisi – 1,68
Bianchini e Santucci – 1
Cossu – 1
Alessandrini – 1
Ambrosini – 1
Bernet – 1
Buzzelli – 1
De Angelis – 1
Filippucci – 1
Frisenda – 1
Kubert – 1
Magnus – 1
Milazzo – 1
Parlov – 1
Suarez – 1
Wilson – 1
Zaniboni – 1
Bruzzo – 1
Milano – 1
Piccinelli – 1
Spada – 1
Devescovi – 1
Andreucci – 1
Jeva – 0,66
Calegari – 0,5
Dotti – 0,5
Gattia – 0,5
Raschitelli – 0,38
Zamperoni – 0,28
Biglia – 0,25
Copello – 0,25
Leomacs – 0,18

Estes são os números e estão actualizados com o Tex número 602, edição italiana obviamente, e se qualquer pard se dispuser ao incómodo de somar todas as histórias, descobrirá que são 401!

Isto porque ao compilar a classificação por histórias, depois da anterior por páginas, dei-me conta de um banalíssimo erro na minha base de dados no Excel.  Tex 600 não era a 401ª história do Ranger, mas sim a 400ª! O que torna ainda mais incrível a série de coincidências verificadas com aquele número especial: 600 álbuns, 80.000 páginas e 400 histórias.

Um cumprimento a todos os leitores portugueses e brasileiros de Tex e aos responsáveis deste interessantíssimo blogue.

Saverio Ceri, um leitor italiano
(Tradução e adaptação de José Carlos Francisco)

10 Comentários

  1. 600 álbuns, 80 mil págs e 400 histórias… são números notáveis, que atestam o sucesso absoluto de Tex e a incrível produção realizada em mais de meio século pelos escribas e desenhistas italianos. Estes são números expressivos que deveriam constar no Livro dos Recordes, pois duvido que alguma outra série de western tenha tido números tão expressivos durante a fase de produção.
    Parabéns, ao pesquisador por ter levantado números tão exatos e expressivos.
    Adorei! See you later, cowboy!

  2. Estou inteiramente de acordo com a opinião de Tony Fernandes de que Tex é uma série de BD que deveria constar do Livro dos Recordes, pois nenhum outro “western” dos quadradinhos consegue igualá-lo em números tão impressionantes, nem sequer andar lá perto… mesmo aqueles que, como Cisco Kid, foram publicados inicialmente nos jornais, em tira diária, e duraram também muitos anos. Cisco Kid, por exemplo, teve 66 aventuras (cito de memória, mas não devo estar errado), incomensuravelmente longe, portanto, da cifra “astronómica” das aventuras de Tex.
    Nem mesmo o Lone Ranger consegue alcançar o 1º lugar do pódio. Esse pertence a Tex, por legítimo direito, e não há qualquer hipótese de surgir outro “corredor de fundo” que possa vir a batê-lo.
    Felicitações e obrigado a Saverio Ceri por este precioso trabalho, que já tardava em ser feito.

  3. Estou totalmente de acordo com as opiniões expressas anteriormente. Graças a este trabalho ilumina-se de forma bastante mais reluzente a importância e a dimensão de Tex na BD mundial. Provavelmente não encontramos nenhuma outra série, de qualquer tipo, com estas características.
    Excelente trabalho realizado por Saverio Ceri que me deixa a sensação de que muita mais informação está na sua posse e que, por razões óbvias, considerou não apresentar no “post” inicial.
    Ao Zé Carlos, mais uma vez, muito obrigado, porque sem ele estaríamos todos mais longe de tudo isto e muitos de nós, provavelmente, não nos apaixonaríamos pelo Tex da mesma forma.

  4. Um excelente trabalho de pesquisa, parabéns ao Saverio Ceri. E os números 600 álbuns, 80.000 páginas e 400 histórias são impressionantes. Ainda bem que somos fanáticos deste herói, temos muito que ler! Um abraço

  5. Bem, e depois de tudo isto, fica a pergunta: o que é preciso fazer para que TEX entre, de facto, no Livro dos Recordes? Uma petição? Uma inscrição?
    Provavelmente, quem deveria avançar para um processo desse tipo seria a Sergio Bonelli Editore (se estiver interessada nisso, claro) mas o blogue do Tex terá também (e julgo que muitos concordarão comigo) toda a legitimidade para propor ao Guiness uma candidatura como esta.
    O que me dizes, Zeca?
    Um abraço e parabéns pelo trabalho excelente em torno desta personagem.
    Carlos Rico

  6. Com toda a certeza o Tex é o campeão indiscutível. Interessante os leitores e fãs comentarem tanto o nosso querido herói bonelliano. E sempre é uma satisfação ler algo sobre o grande Tex Willer.

  7. A sugestão de candidatar Tex Willer ao Livro dos Recordes é bastante interessante e acredito que seja viável, de todo o modo antes de mais nada, irei contactar Sergio Bonelli de modo a que seja ele e a sua editora a fazerem os devidos contactos com o Guiness, caso desejem obviamente ver Tex Willer inscrito no livro com este recorde que realmente merece ser bem realçado!
    Abraços a todos e obrigado por terem dado força a uma ideia nascida aqui no blogue e que certamente terá pernas para andar 😉

  8. Um número imenso de páginas, com detalhe, tudo com esmerado padrão de qualidade. Parabéns novamente amigos, pesquisas minuciosas, um presente de natal aos autenticos fãs do Tex.

Responder a Afranio Braga Cancelar resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *