O editorial da revista nº 10 do Clube Tex Portugal

O editorial da revista nº 10 do Clube Tex Portugal

Caros amigos e leitores, com algum atraso, aqui está mais um número da nossa revista, sempre presente com artigos que julgamos do interesse de todos. E uma vez mais com duas capas originais, da autoria de Giacomo Danubio, um desenhador que paulatinamente tem vindo a subir no firmamento texiano e a recolher elogios junto dos texianos. Não só agradecemos ao autor, como também ao nosso querido consócio Francesco Micoli, também ele artificie, porque teve a ideia do convite ao desenhador italiano e também a ele se deve todo o acompanhamento e os contactos posteriores, nomeadamente de preparação de uma entrevista.

No que que respeita ao conteúdo deste número, recheado de muita matéria texiana e de western, para além do artigo escrito por Mário João Marques de apresentação de Giacomo Danubio, que inclui excertos de uma entrevista ao desenhador, que o Blogue Tex Willer em breve irá publicar na íntegra, destaque-se a participação vinda de terras transalpinas, através dos sempre interessantes artigos do Sandro Palmas e do Moreno Burattini, o primeiro a escrever sobre as capas de Claudio Villa, enquanto o editor de Zagor apresenta El Morisco, uma das mais interessantes e queridas personagens da nossa série preferida. Do Brasil chega-nos mais um excelente artigo do Jesus Nabor Ferreira, que como sempre nos tem brindado com a sua presença e dedicação, desta vez sobre uma das melhores aventuras de Tex (Il Messaggio dei Dakotas – A Noite dos Assassinos) e que o Jesus dedica ao nosso saudoso Jorge Magalhães. Ainda de terras de Vera Cruz, não poderia faltar o nosso querido Julio Schneider com um artigo sobre Giorgio Giusfredi, redator e argumentista na Sergio Bonelli Editore, desta vez acompanhado pelo João Marin, o maior colecionador brasileiro de Tex e um dos seus maiores divulgadores, que muito nos honra com a sua presença. De terras lusas, saúde-se o regresso do Sérgio Sousa, que consideramos ser um dos bons conhecedores de Tex e da realidade das publicações Bonelli, com um artigo bem documentado sobre Guido Nolitta, a “outra face” de Sergio Bonelli; do José Carlos Francisco com mais uma curiosidade que ficou famosa e que até motivou um debate na redação da editora, o célebre murro de Tex a Carson; do Jorge Machado-Dias com um ensaio biográfico sobre alguns desenhadores de Tex; do Ricardo Leite sobre figuras de Tex; e do Rui Cunha, que nos vem falar de mais uma série franco-belga, Comanche, de Hermann e Greg.

Agradecimentos, que nunca esquecemos, à Sergio Bonelli Editore pela colaboração, assim como a Stefano Biglia, Bruno Brindisi e Alessandro Bocci pelos magníficos materiais enviados, sempre em exclusivo para a nossa revista. Por fim, e não menos importante, um especial agradecimento ao Sérgio Streiechen, pela colorização das capas, trabalho cuja qualidade mereceu a prévia aprovação da editora italiana e rasgados elogios do próprio Giacomo Danubio.

Boas leituras.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *