NAS PEGADAS DO MISTERIOSO “MISTER P”; O HOMEM DAS MIL CARAS; O DIABÓLICO PROTEUS. {4}

“O RETORNO DE PROTEUS”

Por Zenaldo Nunes – Caruaru – Pernambuco – Brasil
Janeiro de 2022

Proteus (Perry Drayton): Nome original: Proteu – Criação: Licenciador: Sergio Bonelli Editore.

************************************************************************

Proteus é um adversário clássico do ranger. Mestre dos disfarces, tem esse nome em homenagem ao antigo deus marinho que pode se transformar no que quiser. Sua primeira aparição foi em 1966, em história assinada por Gianluigi Bonelli {22 de Dezembro de 1908, Milão – 12 de Janeiro de 2001, Alexandria / 92 anos} e com desenhos do mestre Guglielmo Letteri {11 de Janeiro de 1926, Roma – 2 de Fevereiro de 2006, Roma / 80 anos}. Fonte:

************************************************************************

4ª aparição: (THI 793, 794; TX 693, 694) – Bruno Ramella / Pasquale Ruju.

Tex nº 593 (O Retorno de Proteus) – Março de 2020 / Editora Mythos / Brasil. Arte: Bruno Ramella. Capa: Claudio Villa – Editor: Dorival Vitor Lopes – Arte: Bruno Ramella – Texto: Pasquale Ruju – Letrista: Marcos Maldonado – Tradutor: Paulo Guanaes. Fonte:

O RETORNO DE PROTEUS

– Penitenciária de Yuma (Sul do Arizona) – pg. 5. {ver matéria 3}

PENITENCIÁRIA DE YUMA, ARIZONA, EUA, 1885 

Prisão Territorial de Yuma – Era um presídio no território do Arizona, nos Estados Unidos da América. O primeiro presidiário deu entrada em 1 de Julho de 1876. Pelos 33 anos seguintes, 3.069 prisioneiros, incluindo 29 mulheres, cumpriram suas penas por crimes vários, desde assassinatos até poligamia. A prisão teve contínuas ampliações e reformas, valendo-se da mão-de-obra dos próprios prisioneiros. Em 1909, o último presidiário deixou a prisão territorial para o Complexo Penitenciário Estadual do Arizona localizado em Florence. Se tornou um museu histórico operado pela Arizona State Parks e sua denominação passou a ser Yuma Territorial Prison State Historic Park. Fonte:

– A abertura do caixão (Proteus) – pg. 8.
– “Proteus” ressurge (caixão) – pg. 9.

O 1º DISFARCE

– O 1º disfarce de “Proteus” (cadáver na penitenciária) – pg. 9. {ver matéria 5}
Nota: Acontece dentro da história supracitada; pois torna-se o 16º disfarce em relação às histórias anteriores (O Misterioso “Mister P”, O Homem das Mil Caras, O Diabólico Proteus e o Retorno de Proteus); por ordem de publicação no Brasil.

MORTES NA PENITENCIÁRIA

– 2 guardas mortos (Proteus) – pgs. 11, 12.
– Ocultando cadáver (Proteus) – pgs. 12 e 13.

O 2º DISFARCE

– O 2º disfarce de “Proteus” (guarda penitenciário) – pg. 13. {ver matéria 5}
Nota: Acontece dentro da história supracitada; pois torna-se o 17º disfarce em relação às histórias anteriores (O Misterioso “Mister P”, O Homem das Mil Caras, O Diabólico Proteus e o Retorno de Proteus); por ordem de publicação no Brasil.

– A fuga de “Proteus” (Yuma) – pg. 14.
– Citação a Sanford (Oeste do Arizona) – pg. 15.

SANFORD, EUA, “Atualmente”

Sanford – É uma cidade localizada no estado americano da Flórida, no condado de Seminole, do qual é sede, onde foi incorporada em 1877. De acordo com o United States Census Bureau, a cidade tem uma área de 68,6 km², onde 59,5 km² estão cobertos por terra e 9,2 km² por água. Segundo o censo nacional de 2010, a sua população é de 53. 570 habitantes e sua densidade populacional é de 900,8 hab/km². É a localidade mais populosa do condado de Seminole e a que, em 10 anos, teve o maior crescimento populacional do condado. Fonte:

– Cúmplices de “Proteus” (Sonny, Ray, Jim Elder) – pg. 17.
– O assalto frustrado (Arizona Bank) – pg. 19.
– Tiroteio na rua principal (2 mortos) – pgs. 20 a 23.

CAVALGADA PERIGOSA

– Perseguindo um bandido (Kit Carson) – pgs. 25 a 27.
– Uma queda mortal (cúmplice) – pg. 27.
– Punhos pesados (Tex) – pgs. 28, 29.
– Expressão: “Sete vidas… como os gatos!” (Kit Carson) – pg. 30.

7 VIDAS!

Nota: A expressão de que “O gato possui 7 vidas” é muito utilizada e conhecida em várias partes do mundo, ganhando diferentes formatos e lendas para a sua explicação. (…) os gatos não possuem 7 vidas, ao contrário, possuem uma só, que pode chegar a até 14 anos. Estes felinos são conhecidos por suas habilidades corporais, visão e audição aguçada, flexibilidade e agilidade, podendo realizar grandes saltos e equilibrar-se facilmente. (…) Não se sabe ao certo qual lenda ou supertição que deu origem a esta conhecida expressão, porém, sabe-se que esta varia de acordo com as regiões do mundo. Existem lendas desde a Idade Média, na Europa mais precisamente, onde se dizia existir uma relação entre bruxas e gatos, de pelagem preta geralmente, que eram possuidores de poderes especiais, como múltiplas vidas. A escolha do 7 para a designação do número de vidas pode ter sido originado de várias fontes; devido o 7º dia ser o dia de descanso de Deus após a criação do universo, serem 7 os pecados capitais, 7 notas musicais, 7 as cores do arco-íris, etc. Fonte:

– A prisão do cúmplice Jim Elder (Xerife Houseman) – pg. 31.
– “Perry Drayton” é citado (Kit Carson) – pg. 31.
– “Proteus” é citado (Kit Carson) – pg. 31.
– O Juiz Lindon é citado (Xerife) – pg. 32.
– Flagstaff (Xerife Houseman) – pg. 32.

FLAGSTAFF, ARIZONA, EUA, “Atualmente”

Flagstaff – É uma cidade atraente e ativa de 55.000 habitantes que serve como centro geográfico, cultural e recreativo do norte do Arizona. É cercada por florestas nacionais e fica no sopé da montanha mais alta do Arizona, o Humphrey’s Peak de 12.634 pés, que oferece um cenário maravilhoso. A 7.000 pés, oferece atividades durante todo o ano. No verão, há caminhadas e mountain bike no ar fresco das montanhas. O inverno traz muita neve com esqui cross-country e esqui alpino. Três monumentos nacionais estão próximos, e um pouco mais longe estão os parques nacionais do Grand Canyon e da Floresta Petrificada. Fica a 80 milhas ao sul do Grand Canyon e 150 milhas ao norte de Phoenix. Fonte:

– Rumo à Flagstaff (cavalgada) – pgs. 36, 37.
– “Juiz Lindon” (Flagstaff) – pg. 38.

O 3º DISFARCE

– O 3º disfarce de “Proteus” (Juiz V. Lindon) – pg. 38. {ver matéria 5}
Nota: Acontece dentro da história supracitada; pois torna-se o 18º disfarce em relação às histórias anteriores (O Misterioso “Mister P”, O Homem das Mil Caras, O Diabólico Proteus e o Retorno de Proteus); por ordem de publicação no Brasil.

– Revelado a fuga de “Proteus” (“Juiz Lindon”) – pg. 38.
– “Um dos criminosos mais perigosos” (à Proteus / Tex) – pg. 39.
– A sala do tribunal (Tribunal do júri) – pg. 41.

SALA DO TRIBUNAL DO JÚRI

No Tribunal do Júri atuam os jurados, cidadãos comuns que decidem se os réus são culpados ou inocentes. O Código de Processo Penal prevê que 25 jurados devem ser sorteados para cada sessão de julgamento. Desses, somente 7 comporão o conselho de sentença. (…) durante o julgamento, os jurados ficam proibidos de conversar sobre o caso, telefonar, ler jornais, assistir TV, ouvir rádio ou acessar a internet. Até a resolução do caso, eles permanecem em regime de isolamento máximo. (…) Na hora de votar, os jurados reúnem-se com o juiz em uma sala secreta e recebem 2 cédulas: uma escrito sim e outra escrito não. O promotor e a defesa devem estar presentes, em atitude meramente fiscalizatória, sem interferir nos trabalhos. O juiz lê cada pergunta, chamada de quesito, e os jurados sem comentar nada escolhem uma das cédulas que tem na mão. Não existe limite de tempo para que os jurados votem, porque o objetivo é que decidam com calma e serenidade.

UM ASSASSINO NUM FUNERAL

– O funeral do pai de “Proteus” – “flashback” – pg. 44.
– Sério, frio , absolutamente sem emoções (o jovem Perry Drayton) – “flashback” – pg. 44.
– “Causa Mortis” (ataque cardíaco) – “flashback” – pg. 44.

CAUSA DA MORTE

Nota: A locução latina causa mortis, deriva da junção de causa, do latim “causa,ae”, e “mortis”, morte. Fonte:

– A mãe de “Perry Drayton” (Edwina) – “flashback” – pg. 45.
– A infância de “Perry Drayton” (vandalismo, roubo, briga, prisão) – “flashback” – pg. 45, 46.

INFÂNCIA DELINQUENTE

Fotografia e edição fotográfica: Bento Gomes. Caruaru – Pernambuco – Brasil.

– O ladrão “Perry Drayton” (jóias e dinheiro da mãe) – “flashback” – pg. 46.

O CIRCO MAGNUS

– O circo Magnus (Kit Carson) – pg. 47. {ver edição anterior}.
– Edgar Plummer (mago, transformista, ladrão) – pg. 48.
– O Mestre de “Proteus” (Edgar Plummer) – pg. 49.
– O discípulo de Edgar Plummer (Proteus) – pg. 49.

OS DISFARCES DE PERRY DRAYTON

– O 1º disfarce de Perry Drayton (como seu Mestre Edgar Plummer) – “flashback” – pg. 49.
– O 2º disfarce de Perry Drayton (Chinês no circo Magnus) – “flashback” – pg. 50.
– O 3º disfarce de Perry Drayton (assaltante) – “flashback” – pg. 50.
– O 4º disfarce de Perry Drayton (Padre assaltante) – “flashback” – pg. 51.
– O 5º disfarce de Perry Drayton (assaltante em fuga) – “flashback” – pg. 51.

A VOCAÇÃO DE “PERRY DRAYTON”

– A vocação (ladrão e fora-da-lei) – pg. 51.
– A captura de Edgar Plummer (Xerife) – pg. 52.
– A 1ª mensagem de “Proteus” (Tex) – pg. 53.

A 1ª MENSAGEM

Nota: Acontece dentro da história supracitada; pois torna-se a 8ª mensagem em relação às histórias anteriores (O Misterioso “Mister P”, O Homem das Mil Caras, O Diabólico Proteus e o Retorno de Proteus); por ordem de publicação no Brasil. Fotografia e edição fotográfica: Bento Gomes. Caruaru – Pernambuco – Brasil.

– Celas subterrâneas (abaixo do Tribunal) – pgs. 56, 57.
– Citação à “Mister P” (Tex) – pg. 59.
– O outro cúmplice de “Proteus” (Miky Welt) – pg. 61.
– Briga no saloon (Tex X cúmplices) – pgs. 64 a 70.

MANTENDO O DISFARCE

– O disfarce mantido (Proteus) – pgs. 73 a 80.
– “Mister P” é citado (Kit Carson) – pg. 76.
– “Proteus” se revela (cúmplice) – pg. 79.
– Morte do cúmplice Mike West (esfaqueamento) – pg. 80.

O 4º DISFARCE

– O 4º disfarce (Xerife Houseman) – pg. 81. {ver matéria 5}
Nota: Acontece dentro da história supracitada; pois torna-se o 19º disfarce em relação às histórias anteriores (O Misterioso “Mister P”, O Homem das Mil Caras, O Diabólico Proteus e o Retorno de Proteus); por ordem de publicação no Brasil.

– “Proteus” se revela (cúmplice Jim Elder) – pg. 83.
– “Proteus” é reconhecido (cúmplice Jim Elder) – pg. 83.
– O cúmplice libertado da delegacia (Proteus) – pg. 86.
– “Proteus” é citado novamente (Tex) – pg. 89.

O 5º DISFARCE

– O 5º disfarce de “Proteus” (cowboy) – pg. 91. {ver matéria 5}
Nota: Acontece dentro da história supracitada; pois torna-se o 20º disfarce em relação às histórias anteriores (O Misterioso “Mister P”, O Homem das Mil Caras, O Diabólico Proteus e o Retorno de Proteus); por ordem de publicação no Brasil.

– “Proteus” explica o plano (cúmplices) – pg. 93.
– À procura do Juiz Lindon (Tex e Kit Carson) – pg. 95.
– Cara a cara com “Proteus” (disfarce) – pgs. 96 a 99.
– Outro cúmplice de “Proteus” (Julius Devan) – pg. 97.

O 6º DISFARCE

– O 6º disfarce de “Proteus” (Juiz V. Lindon) – “reprise” – pg. 99. {ver matéria 5}
Nota: Acontece dentro da história supracitada; pois torna-se o 21º disfarce em relação às histórias anteriores (O Misterioso “Mister P”, O Homem das Mil Caras, O Diabólico Proteus e o Retorno de Proteus); por ordem de publicação no Brasil.

– Descobrindo o disfarce (Tex) – pg. 102.
– Uma nova fuga (Proteus) – pg. 105.
– “Proteus” escapa mais uma vez (Tex) – pg. 109.
– O verdadeiro Juiz Lindon é encontrado (Tex) – pg. 110.
– “Mister P” é citado (Tex) – pg. 112.
– O cadáver encontrado de Miky Welt (Tex e Kit Carson) – pg. 112.
– A “partida” está aberta para jogar (Tex X Proteus) – pg. 114.

KIT CONTRA KIT

Tex 594 – Kit Contra Kit – Editora Mythos-Brasil. Arte: Bruno Ramella. Texto: Pasquale Ruju. Abril de 2020.

– Cidade de Flagstaff – pg. 5.

FLAGSTAFF, ARIZONA, EUA, “Atualmente”

– “O criminoso dos mil rostos” (Proteus) – pg. 5.
– Um fazendeiro Texano (noivo Jamie Caine) – pg. 6.
– O padre Donovan (igreja) – pg. 7.
– Na toca dos cúmplices (esconderijo) – pg. 9.
– Tiroteio infernal (esconderijo) – pgs. 17, 18.
– O cúmplice Julius Devan é encontrado (Tex e Kit Carson) – pg. 19.

“MISTER P” – “PROTEUS”

– “Mister P” é citado (Tex) – pg. 22.
– “Proteus” é citado (Tex) – pg. 22.
– Citação à “Perry Drayton” (cúmplice Julius Devan) – pg. 25.
– O tigre no circo (ver Tex 369) – pg. 25.
– Citação à “Mister P” (cúmplice Julius Devan) – pg. 25.
– O encontro entre Mestre e Discípulo (Penitenciária de Yuma) – pg. 26.
– Citação à “O Conde de Monte Cristo” (Edgar Plummer) – pg. 30.

O CONDE DE MONTE CRISTO
1844

Sinopse: Em 1815, o jovem marinheiro Edmond Dantès, vítima de um complô, é injustamente detido no castelo de If, onde permanece por muitos anos. Na prisão, torna-se amigo de um sábio padre italiano que o auxilia a planejar sua fuga e revela ter um tesouro escondido em uma ilha. Quando consegue escapar, enriquece e parte em busca de uma mirabolante vingança contra seus inimigos, iniciando uma trama repleta de reviravoltas, traições, aventuras e suspense na tentativa de reaver tudo o que lhe foi usurpado. Adaptado diversas vezes para o cinema e a TV, O Conde de Monte Cristo é um clássico da literatura Francesa que, além de retratar fielmente a França do século XIX, sustenta o fôlego do leitor a cada virar de página. O folhetim sobre essa história foi publicado em partes: primeira, de 28 de agosto a 19 de outubro de 1844; segunda, de 31 de outubro a 26 de novembro de 1844; terceira, de 20 de junho 1845 a 15 de janeiro de 1846. Fonte:

ALEXANDRE DUMAS, pai
Foto de 1855

Alexandre Dumas, pai (1802-1870) – É um célebre autor Francês mais conhecido por seus romances de aventura históricos, incluindo “Os Três Mosqueteiros” e “O Conde de Monte Cristo“. Se consagrou como um dos autores mais populares e prolíficos da França. (…) foi um escritor de contos,,romances,,peças e diários de viagem. Seus interesses também abrangiam crimes e escândalos e escreveu 8 volumes de ensaios sobre casos infames da história (…). A história “O Homem da Máscara de Ferro“, também se destaca como um dos mais conhecidos. (…) As aventuras de Dumas continuam a atrair leitores em todo o mundo, com seu trabalho tendo sido traduzido para mais de 100 idiomas e adaptado para uma infinidade de filmes. Fonte:

A PRISÃO DO CONDE DE MONTE CRISTO
CASTELO DE IF, MARSELHA, FRANÇA – “Atualmente”

Nota: Castelo da Ilha de If, que serviu de cenário para o romance O Conde de Monte Cristo, de Alexandre Dumas, pai. Construído entre 1527 e 1529. Transformada em prisão do Estado a partir do século XVII, foi desativada 2 séculos mais tarde. Até 1950 um guarda do farol e a sua família ainda viviam na ilha. Em nossos dias o forte é uma das atrações turísticas de Marselha. Fonte:

O CONDE DE MONTE CRISTO – (Poster de cinema) – seriado – 1918

Nota: Le Comte de Monte Cristo – É um seriado francês produzido pela Le Film d’Art em 1917 e distribuído pela Pathé a partir de 11/01/1918. Veiculou nos cinemas franceses até 15/03/1918, e teve por base o romance homônimo de Alexandre Dumas, pai. (…) Foi lançado em 15 episódios ao longo de 2 meses. Fonte:

O CONDE DE MONTE CRISTO – (Poster de cinema) – 1934

Nota: The Count of Monte Cristo – É um filme de aventura estadunidense de 1934, dirigido por Rowland V. Lee para a distribuição de United Artists. O roteiro adapta o romance homônimo de 1844 de autoria de Alexandre Dumas, pai. Foi a 1ª cinematográfica sonora, tendo sido precedido de 5 versões do cinema mudo.

O CONDE DE MONTE CRISTO – (Poster de cinema) – 1943

O CONDE DE MONTE CRISTO – (Poster de cinema) – 1954

O CONDE DE MONTE CRISTO – (Poster de cinema) – 1961

O CONDE DE MONTE CRISTO (Para TV) – 1975

Sinopse: Edmond Dantès é um marinheiro em Marselha que, apesar de não possuir riquezas e nem conhecimento como ler e escrever, é muito feliz ao lado de sua noiva Mercedez, seu melhor amigo Mondego e seu pai. Após ter arriscado a sua vida para salvar a de seu capitão, consegue ajuda médica de um líder de guerra Francês que, este, pede em troca que entregue uma carta a um suposto amigo em Marselha. As autoridades da cidade descobrem a existência da carta e prendem Edmond acusando-o de traição, onde é condenado a prisão perpétua em Chateau DIf. Lá ele adquire um conhecimento que nunca imaginara ter e planeja friamente sua vingança contra os que ali o aprisionaram. Esta versão alemã do livro, possui a maravilhosa participação de Richard Chamberlain; bastante elogiado por sua desenvoltura no filme transformando-o em uma das melhores versões do romance já produzidos. Baseado na obra homônima de Alexandre Dumas, pai. Fonte:

O CONDE DE MONTE CRISTO (Minissérie) – 1998

Sinopse: Conta a clássica História de Edmond Dantès, baseada na obra homônima de Alexandre Dumas. Fonte:

O CONDE DE MONTE CRISTO – 2002

Sinopse: Edmond Dantès é um jovem ingênuo e honesto que planeja se casar com Mercedes; entretanto, sua vida desmorona quando Fernand, seu melhor amigo que também cobiça Mercedes, lhe prepara uma armadilha que o deixa durante 13 anos aprisionado. Atormentado com tudo o que lhe ocorreu, cada vez mais esquece seus ensinamentos sobre o certo e o errado para elaborar seu plano de vingança, que pretende pôr em prática assim que conseguir deixar a prisão. Com a ajuda de Abbé, outro detento, consegue fugir, transformando-se a partir de então no rico e misterioso Conde de Monte Cristo, infiltrando-se na aristocracia francesa para levar até o fim seu plano de vingança. Baseado na obra homônima de Alexandre Dumas, pai. Fonte:

OBRA LITERÁRIA EM LIVROS

Nota: É uma das obras mais publicadas do mundo; dentre elas, o Teatro (3); o Cinema (10); Séries de televisão (7); Anime (1); Novelas (14) (Brasileiras, Mexicanas, Portuguesas, Venezuelanas) e inúmeras publicações de livros. Fonte:

– Citação à “O Conde de Monte Cristo” (Proteus) – pg. 32.

O TERRÍVEL PLANO DE FUGA

– Plano de fuga de Yuma (Edgar Plummer) – pgs. 33 a 35.
– Assassinato na cela de Yuma (Proteus) – pg. 36.
– “Proteus” mata seu Mestre (sufocamento) – pg. 36.
– Constatado o óbito na cela (Doutor) – pg. 38.
– Fuga de Yuma (Proteus) – 41. pg.
– “Proteus” mata 2 guardas (Yuma) – pg. 42.
– A filha do Prefeito (Francine Carter) – pg. 44.
– O casamento do fazendeiro Jamie Caine (filha do Prefeito) – pgs. 44 a 46.

O 7º DISFARCE

– O 7º disfarce de “Proteus” (Padre Donovan) – pg. 47. {ver matéria 5}
Nota: Acontece dentro da história supracitada; pois torna-se o 22º disfarce em relação às histórias anteriores (O Misterioso “Mister P”, O Homem das Mil Caras, O Diabólico Proteus e o Retorno de Proteus); por ordem de publicação no Brasil.

– O assassinato do fazendeiro (esfaqueado) – pg. 48.
– A prisão do cúmplice (Julius Devan) – pg. 49.
– A suspeita do disfarce (Tex) – pg. 53.
– A 2ª mensagem de “Proteus”(Tex) – pg. 54.

A 2ª MENSAGEM

Nota: Acontece dentro da história supracitada; pois torna-se a 9ª mensagem em relação às histórias anteriores (O Misterioso “Mister P”, O Homem das Mil Caras, O Diabólico Proteus e o Retorno de Proteus); por ordem de publicação no Brasil. Fotografia e edição fotográfica: Bento Gomes. Caruaru – Pernambuco – Brasil.

– A cicatriz acusadora (Proteus) – pg. 62.
– Fuga do trem (Proteus) – pg. 67.

O CAVALO DE FERRO
“Citação Indígena ao trem”

– A falta da cicatriz no braço (Proteus) – pg. 62.
– Resgate no trem (Proteus) – pgs. 66, 67.
– Uma Enfermeira a bordo (trem) – pgs. 69, 70.
– Uso do Láudano (Enfermeira no trem) – pg. 70.

Láudano: (do latim laudanum) – É um termo usado na literatura médica do século XVII que designa um medicamento de eficácia comprovada. Foi preparado pela primeira vez pelo alquimista Paracelso. Em farmacologia, segundo o dicionário Houaiss, é um extrato de ópio que possui efeito sedativo. É citado no filme Tombstone – A Justiça Está Chegando, estrelando Kurt Russel (Wyatt Earp) e Val Kilmer (Dr. Doc Holliday). No filme From Hell, o ator Johnny Depp utiliza para ter visões acerca dos crimes que ele investiga. Também no filme “O Último Pistoleiro“, o personagem de John Wayne, toma para amenizar as dores do câncer que está matando o velho pistoleiro. Tambem é citado nos filmes O Estranho que Nós Amamos, com Clint Eastwood, onde o personagem toma para submeter-se a uma cirurgia e As Desaparecidas, com Tommy Lee Jones, o médico diz que é uma mistura de ópio e álcool. No filme Entrevista com o Vampiro, Kirsten Dunst (Cláudia) dá para 2 gêmeos a fim de matá-los e os entrega para Tom Cruise (Lestat) se alimentar. No 3º episódio da 1ª temporada do seriado de TV americano American Horror Story, é citado como um anestésico que era usado em cirurgias, mas, por possuir como efeito colateral uma séria perda de memória, foi banido em 1934. Fonte:

“PARACELSO” – O ALQUIMISTA

Paracelso – É o pseudônimo de Phillipus Aureolus Theophrastus Bombastus Von Hohenheim, (17 de dezembro de 1493, Einsiedeln, Suíça – 24 de setembro de 1541, Salzburg, Áustria), médico e alquimista suíço.

– A caçada recomeça (Tex) – pg. 71.
– Tiroteio no vale com 4 mortos (cúmplices) – pgs. 75 a 79.
– “Chorar sobre o leite derramado” (Tex) – pg. 80.

Nota: É uma expressão popular na língua portuguesa, utilizada no sentido de reclamar ou se entristecer por algo de ruim que já aconteceu. (…) De acordo com o Almanaque Brasil da Cultura Popular, a origem do ditado popular “chorar sobre o leite derramado” teria surgido a partir de uma história de camponeses. Uma jovem camponesa levava um balde com leite sobre a cabeça e, distraída pensando nas coisas que compraria com o dinheiro que recebesse com a venda do produto, acabou tropeçando, caindo e derramando todo o leite pelo chão. Ao ver a cena, a jovem chegou a conclusão de que não adiantaria lamentar um fato que já havia ocorrido, pois nada faria com aquela situação se remediasse. Fonte:

– Citação à “Perry Drayton” (Tex) – pg. 81.
– Citação à Albuquerque (enfermeira) – pg. 82.

ALBUQUERQUE, NOVO MÉXICO, EUA, 1880

Albuquerque (æ l b ə k ɜr k i) – Sobre este som AL -bə-Kur-kee, Espanhol: (alβukeɾke). Seus apelidos, The Duke City e Burque; ambos fazem referência à sua fundação em 1706 pelo Governador do Nuevo México, Francisco Cuervo y Valdés, como La Villa de Alburquerque. Foi nomeado em homenagem ao Vice-rei da Nova Espanha, o 10º duque de Alburquerque. A cidade de Albuquerque era um posto avançado no Caminho Real que ligava a Cidade do México aos territórios mais ao norte da Nova Espanha. Fonte:

ALBUQUERQUE, NOVO MÉXICO, EUA, “Atualmente”

Albuquerque “vista aérea” – O censo de 2020 descobriu que a população da cidade era de 564.559 habitantes, tornando-se a cidade mais populosa do estado de US New Mexico e a 32ª cidade mais populosa dos Estados Unidos. É a principal cidade da área metropolitana de Albuquerque, que tinha 916.528 residentes em julho de 2020. Fonte:

O 8º DISFARCE

– O 8º disfarce de “Proteus” (fazendeiro Jamie Caine) – pg. 48. {ver matéria 5}
Nota: Acontece dentro da história supracitada; pois torna-se o 23º disfarce em relação às histórias anteriores (O Misterioso “Mister P”, O Homem das Mil Caras, O Diabólico Proteus e o Retorno de Proteus); por ordem de publicação no Brasil.

– Os “olhos” de “Proteus” (a noiva) – pg. 83.
– O posto telegráfico (telégrafo) – pgs. 85, 86.

TELÉGRAFO NO VELHO OESTE, EUA

Nota: Samuel Morse ainda era estudante, quando em 1832, teve contato com conhecedores do eletroímã. Esse fato foi crucial para que o inventor tivesse a ideia de construir um equipamento para comunicações à longa distância por meio de códigos. Três anos mais tarde, ele tinha um primeiro protótipo do telégrafo. (…) Até a popularização do telefone, no início do século XX, o telégrafo foi o principal mecanismo de comunicação; incluindo o período do Velho Oeste. Fonte:

Nota: O Código Morse, o mais difundido para esse tipo de equipamento, usa pontos e traços para construir que possam ser transmitidas de maneira rápida e segura, evitando que as informações sejam entendidas por pessoas indesejadas. Fonte:

– O telegrama à Kit Willer (telégrafo) – pg. 86.
– Estação de Gallup (trem) – pg. 87.

REFERÊNCIA FERROVIÁRIA À GALLUP, EUA

– Agentes da Pinkerton (National Detective Agency) – pg. 89.

ALLAN PINKERTON

Allan J. Pinkerton (25 de Agosto de 1819 – 1 de Julho de 1884), detetive e espião, foi o criador da Agência Nacional de Detetives (Pinkerton National Detective Agency). Fonte:

AGÊNCIA PINKERTON

“WE NEVER SLEEP” (Nós Nunca Dormimos)

O 9º DISFARCE

– O 9º disfarce de “Proteus” (bilheteiro no trem) – pg. 84. {ver matéria 5}
Nota: Acontece dentro da história supracitada; pois torna-se o 24º disfarce em relação às histórias anteriores (O Misterioso “Mister P”, O Homem das Mil Caras, O Diabólico Proteus e o Retorno de Proteus); por ordem de publicação no Brasil.

ASSASSINATOS NO TREM

– Guarda esfaqueado (Proteus) – pg. 96.
– Agente Pinkerton esfaqueado (Proteus) – pg. 97.

O 10º DISFARCE

– O 10º disfarce de Proteus (Enfermeira do trem) – pg. 97. {ver matéria 5}
Nota: Acontece dentro da história supracitada; pois torna-se o 25º disfarce em relação às histórias anteriores (O Misterioso “Mister P”, O Homem das Mil Caras, O Diabólico Proteus e o Retorno de Proteus); por ordem de publicação no Brasil.

– Citação à Boston (Proteus) – pg. 98.

BOSTON, MASSACHUSETTS, EUA, “Atualmente”

Boston – É a capital e cidade mais populosa do estado norte-americano de Massachusetts. Localiza-se no condado de Suffolk, do qual é sede. A cidade conta com cerca de 4,9 milhões de habitantes na sua área metropolitana, sendo a maior cidade da zona de Nova Inglaterra e uma cidade global possuidora de um extenso centro financeiro, comercial, industrial e universitário. É a 24ª cidade mais populosa do país. Fundada pelos ingleses em 1630, tornou-se o principal centro cultural da América Anglo-Saxônica. (…) é um dos principais polos educacionais dos Estados Unidos, onde se destacam instituições de educação superior tais como a Universidade de Harvard e o Instituto de Tecnologia de Massachusetts em Cambridge. Além disso, uma das 5 melhores escolas de língua inglesa do mundo; a Escola de Inglês da Nova Inglaterra, que fica na Praça de Harvard. Fonte:

O 10º DISFARCE

– O 11º disfarce de Proteus (Agente da Pinkerton) – pg. 99. {ver matéria 5}
Nota: Acontece dentro da história supracitada; pois torna-se o 26º disfarce em relação às histórias anteriores (O Misterioso “Mister P”, O Homem das Mil Caras, O Diabólico Proteus e o Retorno de Proteus); por ordem de publicação no Brasil.

– 3 Agentes Pinkerton assassinados (envenenamento) – pg. 99.
– Estação de Albuquerque (trem) – pg. 100.

REFERÊNCIA FERROVIÁRIA À ALBUQUERQUE, EUA

– Agressão à Kit Willer (coronhada) – pg. 102.
– Agressão à Kit Willer (paulada na cabeça) – pg. 103.
– Citação ao Federal Bank – pg. 106.

FEDERAL BANK, EUA, “Atualmente”

Nota: Federal Reserve Bank – é o banco central norte-americano. (…) tem 5 funções principais; são elas: conduzir a política monetária dos Estados Unidos; manter a estabilidade do sistema financeiro norte-americano; fazer a gestão do sistema de pagamentos; supervisionar e regular as instituições financeiras; promover o desenvolvimento sustentável da economia. (…) é responsável por controlar a quantidade de moeda em circulação, o crédito e a taxa de juros, buscando o equilíbrio entre a oferta e a demanda de moeda. (…) atua em favor da estabilidade do sistema financeiro nacional e diminuir riscos sistêmicos que possam surgir nos mercados financeiros. (…) A escolha dos membros é de responsabilidade do Presidente dos Estados Unidos. No entanto, as nomeações devem ser confirmadas e aprovadas pelo Senado. (…) E tem a liberdade de executar políticas econômicas sem a necessidade de aprovação do governo. Fonte:

O 12º DISFARCE

– O 12º disfarce de “Proteus” (Kit Willer) – pg. 107. {ver matéria 5}
Nota: Acontece dentro da história supracitada; pois torna-se o 27º disfarce em relação às histórias anteriores (O Misterioso “Mister P”, O Homem das Mil Caras, O Diabólico Proteus e o Retorno de Proteus); por ordem de publicação no Brasil.

– O “outro” Kit Willer (disfarce) – pg. 108.
– Kit contra Kit (sósia) – pgs. 110 a 113.

“OLHOS DE SERPENTE VENENOSA”

– Os “olhos” de “Proteus” (Tex) – pg. 112.
– Uma decisão difícil e arriscada (Tex) – pg. 113.
– “Proteus” é atingido mortalmente (Tex) – pgs. 113, 114.

“O ÚLTIMO TREM PARA O INFERNO”

{1 tiro próximo do coração com bala calibre .45 e atropelado pelo trem}

Será o fim do diabólico “Proteus”? Só o tempo dirá! Aguardemos…************************************************************************

PPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPP

DISFARCES DE “PROTEUS”
{ver matéria 5}

– O 1º disfarce de Proteus (cadáver na penitenciária) – (o 16º nos “arcos históricos”)
– O 2º disfarce de Proteus (guarda penitenciário) – (o 17º nos “arcos históricos”)
– O 3º disfarce de Proteus (Juiz V. Lindon) – (o 18º nos “arcos históricos”)
– O 4º disfarce de Proteus (Xerife Houseman) – (o 19º nos “arcos históricos”)
– O 5º disfarce de Proteus (cowboy) – (o 20º nos “arcos históricos”)
– O 6º disfarce de Proteus (Juiz V. Lindon) – “reprise” (o 21º nos “arcos históricos”)

“KIT CONTRA KIT”

– “Flashback” – O 1º disfarce de Proteus (presidiário morto) – (o 16º nos “arcos históricos”) – pg. 40.
– O 7º disfarce de Proteus (Padre Donovan) – (o 22º nos “arcos históricos”) – pg. 47.
– O 8º disfarce de Proteus (fazendeiro Jamie Caine) – (o 23º nos “arcos históricos”) – pg. 48.
– O 9º disfarce de Proteus (bilheteiro do trem) – (o 24º nos “arcos históricos”) – pg. 84.
– O 10º disfarce de Proteus (Enfermeira do trem) – (o 25º nos “arcos históricos”) – pg. 97.
– O 11º disfarce de Proteus (Agente da Pinkerton) – (o 26º nos “arcos históricos”) – pg. 99.
– O 12º disfarce de Proteus (Kit Willer) – (o 27º nos “arcos históricos”) – pg. 106.

********************************************************************

DISFARCES DE “PERRY DRAYTON”

– O 1º disfarce de Perry Drayton (como seu Mestre Edgar Plummer) – “flashback”.
– O 2º disfarce de Perry Drayton (Chinês no circo Magnus) – “flashback”.
– O 3º disfarce de Perry Drayton (assaltante) – “flashback”.
– O 4º disfarce de Perry Drayton (Padre assaltante) – “flashback”.
– O 5º disfarce de Perry Drayton (assaltante em fuga) – “flashback”.

*********************************************************************

MENSAGENS DE “PROTEUS”

– A 1ª mensagem de “Proteus” (Tex) – (A 8ª nos “arcos históricos”).
– A 2ª mensagem de “Proteus” (Tex) – (A 9ª nos “arcos históricos”).

PPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPP

************************************************************************
CURIOSIDADE
************************************************************************

“O MESTRE DO DISFARCE”

UrutauEm tupi, significa “ave fantasma” e é também conhecida como “mãe-da-lua”. Do (grego) nux = noite; e bios = vida; nuktibios = aquele que se alimenta na noite; e do (latim) griseus = acinzentado, cinza. ⇒ (Pássaro) cinza que se alimenta a noite, da ordem Nyctibiiformes e da família Nyctibiidae. A ave é mestre em disfarces e consegue ficar horas paralisada, sem se mexer. Tem hábitos noturnos e um canto triste, cheio de lendas, mas que serve como comunicação entre pais e filhos, uma forma de marcar território, e atrair o parceiro na época do acasalamento. Ela esconde outro segredo: um olho mágico. “Ela tem um olho, que quando aberto é um amarelo muito intenso e seria facilmente perceptível para os predadores; então permanece de olho fechado, mas possui uma fenda que consegue enxergar tudo o que está acontecendo ao seu lado”. Essa espécie não faz ninho; escolhendo um buraco no galho de uma árvore, onde coloca apenas um ovo por vez. Na amazônia Peruana, é arraigada na mitologia dos indígenas , onde é conhecido como “Ayaymama”, pois seu canto também lembra uma criança exclamando “ai, ai, mama!”. A lenda conta que um bebê foi abandonado por sua mãe na floresta para evitar que morresse por uma peste que já havia dizimado todo o povo. Ele então se transformou em uma ave, que todas as noites lamenta por sua mãe. Há muita superstição em torno dessa ave, onde pessoas, por desconhecimento acabam por rejeitá-la com medo de mau agouro ou má sorte. Fonte:

PPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPP

************************************************************************

Tex nº 593 – O Retorno de Proteus (com reedição em formato Italiano – “on demand”)

Personagens: Tex, Kit Carson, Proteus (Mister P), Jim Elder, Miky Welt, Xerife Houseman – Capa: Claudio Villa – Editor: Dorival Vitor Lopes – Arte: Bruno Ramella – Texto: Pasquale Ruju – Letrista: Marcos Maldonado – Tradutor: Paulo Guanaes – Número de páginas: 116 – Formato: (13,5 cm x 17,5 cm) – Preto e branco / Lombada quadrada – Publicada originalmente em Tex n° 693/2018 – Sergio Bonelli Editore. Fonte:

Proteus escapa da prisão de Yuma e volta a tecer sua grossa teia de intrigas… Tex Willer e Kit Carson chegam a Flagstaff seguindo o rastro de sangue deixado por suas armadilhas e seus disfarces. Fonte:

O RETORNO DE PROTEUS

(Março de 2019 – Editora Mythos)

************************************************************************

Tex nº 594 – Kit Contra Kit (com reedição em formato Italiano – “on demand”)

Personagens: Tex, Kit Carson, Kit, Proteus (Mister P), Xerife Houseman, Jim Elder – Capa: Claudio Villa – Editor: Dorival Vitor Lopes – Arte: Bruno Ramella – Texto: Pasquale Ruju – Letrista: Marcos Maldonado – Tradutor: Paulo Guanaes – Número de páginas: 116 – Formato: (13,5 cm x 17,5 cm) – Preto e branco / Lombada quadrada – Publicada originalmente em Tex n° 694/2018 – Sergio Bonelli Editore. Fonte:

Impiedoso, indescritível, capaz de imitar a todos, mudando de aparência em pouco tempo! Proteus continua a perseguir seu plano criminoso, composto de intrigas inesperadas e assassinatos brutais. Depois de se passar por juiz Lindon e xerife Houseman, ninguém sabe qual a sua real aparência agora, e nem quais as suas intenções! Ninguém, exceto Tex! Para derrotar o infame “Mister P“, o Ranger terá que fazer uma escolha que pode ser fatal! Fonte:

KIT CONTRA KIT

(Abril de 2019 – Editora Mythos)

Nota: É a 2ª capa da publicação regular no Brasil em que Tex não está. Publicado em Abril de 2019 (regular) e Janeiro de 2020 (edição limitada – formato Italiano – “on demand”) – Editora Mythos; como também, Tex nº 39A Batalha dos Vingadores – Publicado em Maio de 1974 (regular) e em Julho de 1980 (regular / 2ª edição) – Editora Vecchi. Fonte:

EDIÇÕES “SEM TEX” NAS CAPAS

(Maio de 1974 – Editora Vecchi)

(Julho de 1980 (2ª edição) – Editora Vecchi)

************************************************************************

EDIÇÃO ESPECIAL – “ON DEMAND”

Tex nº 593 – O Retorno de Proteus – (Formato Italiano / Acompanha cartão postal).

Personagens: Tex, Kit Carson, Proteus (Mister P), Jim Elder, Miky Welt, Xerife Houseman – Capa: Claudio Villa – Editor: Dorival Vitor Lopes – Arte: Bruno Ramella – Texto: Pasquale Ruju – Letrista: Marcos Maldonado – Tradutor: Paulo Guanaes – Número de páginas: 116 – Formato: (16 cm x 21 cm) – Preto e branco / Lombada quadrada – Publicada originalmente em Tex n° 693/2018 – Sergio Bonelli Editore. Fonte:

Proteus escapa da prisão de Yuma e volta a tecer sua grossa teia de intrigas… Tex Willer e Kit Carson chegam a Flagstaff seguindo o rastro de sangue deixado por suas armadilhas e seus disfarces. Fonte:

(Maio de 2019 – Editora Mythos)

************************************************************************

Tex nº 594 – Kit Contra Kit – (Formato Italiano / Acompanha cartão postal).

Personagens: Tex, Kit Carson, Proteus (Mister P), Jim Elder, Miky Welt, Xerife Houseman – Capa: Claudio Villa – Editor: Dorival Vitor Lopes – Arte: Bruno Ramella – Texto: Pasquale Ruju – Letrista: Marcos Maldonado – Tradutor: Paulo Guanaes – Número de páginas: 116 – Formato: (16 cm x 21 cm) – Preto e branco / Lombada quadrada – Publicada originalmente em Tex n° 694/2018 – Sergio Bonelli Editore. Fonte:

Impiedoso, indescritível, capaz de imitar a todos, mudando de aparência em pouco tempo! Proteus continua a perseguir seu plano criminoso, composto de intrigas inesperadas e assassinatos brutais. Depois de se passar por juiz Lindon e xerife Houseman, ninguém sabe qual a sua real aparência agora, e nem quais as suas intenções! Ninguém, exceto Tex! Para derrotar o infame “Mister P“, o Ranger terá que fazer uma escolha que pode ser fatal! Fonte:

(Maio de 2019 – Editora Mythos)

Nota 1: Tex Edição Especial – Formato Italiano – “On demand”; teve a publicação iniciada em Maio de 2019 e cancelada em Novembro de 2020. Foi publicada do nº 586 (2019) a 613 (2020); incluindo a capa variante do nº 600 (2019) – Edição em cores com card exclusivo e brinde: {Fac-símile de Júnior 28 – “Aventuras de Texas Kid“, com “a primeira aparição de Tex no Brasil”}. A edição 595 (2019) é colorida como no original; porém em formatinho veio em preto e branco. Todas acompanham card com desenho de Claudio Villa.

Nota 2: É a 2ª capa da publicação regular no Brasil em que Tex não está. Publicado em Abril de 2019 (regular) e Janeiro de 2020 (edição limitada – formato Italiano – “on demand”) – Editora Mythos; como também, Tex nº 39A Batalha dos Vingadores – Publicado em Maio de 1974 (regular) e em Julho de 1980 (regular / 2ª edição) – Editora Vecchi. Fonte:

PPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPP

************************************************************************

Para ler a primeira parte da matéria de Zenaldo Nunes dedicada ao Tex intitulada “NAS PEGADAS DO MISTERIOSO “MISTER P”; O HOMEM DAS MIL CARAS; O DIABÓLICO PROTEUS”, clique AQUI!

Para ler a segunda parte da matéria de Zenaldo Nunes dedicada ao Tex intitulada “NAS PEGADAS DO MISTERIOSO “MISTER P”; O HOMEM DAS MIL CARAS; O DIABÓLICO PROTEUS”, clique AQUI!

Para ler a terceira parte da matéria de Zenaldo Nunes dedicada ao Tex intitulada “NAS PEGADAS DO MISTERIOSO “MISTER P”; O HOMEM DAS MIL CARAS; O DIABÓLICO PROTEUS”, clique AQUI!

Para ler a quinta parte da matéria de Zenaldo Nunes dedicada ao Tex intitulada “NAS PEGADAS DO MISTERIOSO “MISTER P”; O HOMEM DAS MIL CARAS; O DIABÓLICO PROTEUS”, clique AQUI!

************************************************************************

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *