My name is Tex, de Graziano Romani

My name is Tex!

Por Sílvio Raimundo

My name is Tex!
Série
– CD conceitual dedicado à personagem Tex

Título
My name is Tex
Produtor
– Graziano Romani
Compositor/Cantor
– Graziano Romani
Ilustrações
– Giovanni Ticci
Argumentistas das BDs do Livreto
– Nizzi, Nolitta e Graziano Romani
Articulistas –
Bonelli, Burattini, Boschi, Boselli e Graziano Romani
Editora –
Panini Comics

Graziano Romani é um cantor e compositor italiano nascido em ’59 na região da Emília, que fica ao Norte do País.

Dono de uma voz rouca e poderosa, que segundo a crítica especializada lembra os bluesmen do Sul dos EUA, é adepto dos géneros rock, soul e folk e, nas suas próprias palavras, um apaixonado por quadradinhos italianos – fã confesso de Zagor desde a infância – tanto o é que em parceria com o argumentista Moreno Burattini, já escreveu alguns livros para a série Lezioni di Fumetto da Coniglio Editore, mostrando a obra de alguns dos Mestres da SBE:

  • Gallieno Ferri – Una vita con Zagor – Coniglio Editore – ’09;
  • Giovanni Ticci – Un americano per Tex – Coniglio Editore – ’10;
  • Guido Nolitta: Sergio Bonelli sono io – Coniglio Editore – ’11.

Como não poderia deixar de acontecer, no ano de 2009 as paixões pela música e pelos quadradinhos finalmente se unem e desse encontro nasce o disco conceitual “Zagor king of Darkwood”, sempre pela Coniglio Editore. Para este projecto Gallieno Ferri cria a capa do disco e fornece várias outras ilustrações inéditas – incluindo a capa do livreto, que emula a do #100 de Zagor italiano, com a cena vista por outro ângulo – que são utilizadas no livreto que acompanha o vinil ou o CD.

Em 2011, novo projecto para outro CD conceitual, dessa vez dedicado ao justiceiro della camicia gialla, Tex Willer. O nome do projecto é My name is Tex e para auxiliar graficamente foi escalado o Mestre dos espaços abertos, Giovanni Ticci, de cuja arte Graziano é um apreciador.

O artista concebeu a capa do encarte do CD, a do livreto que o acompanha, fez uma aguarela que está no centro do encarte, cujo lápis ainda por finalizar foi usado para estampar o próprio CD, fez a arte do “cocho” do CD e da embalagem do conjunto e todas as três BDs do livreto são de sua autoria, sendo uma delas inédita.

O CD

O CD contém 13 faixas, sendo que quatro delas não são de autoria do Graziano Romani.

  1. My name is Tex;
  2. Goldeena;
  3. Carson;
  4. Texas Rangers;
  5. Mephisto;
  6. Red river Valley;
  7. So long, Lilyth;
  8. Showdown with El Muerto;
  9. Wait for the wagon;
  10. Streets of Laredo;
  11. Four brave riders;
  12. Quien sabe hombre?
  13. May name is Tex (reprise com variações na letra).

Durante a concepção do projecto o artista teve várias reuniões com Sergio Bonelli, inclusive com este sugerindo a inserção das músicas Texas Rangers, Red river Valley, Wait for the wagon e Streets of Laredo no CD. Em uma dessas reuniões Sergio Bonelli impressionou-se pelo facto de Graziano conseguir identificar pelo traço os autores dos desenhos emoldurados nas paredes do seu escritório.

Com arranjos belíssimos, letras fortes e interpretações emocionadas, este é um grande CD, que deve ser ouvido não apenas pelos que gostam ou conhecem a Personagem Bonelliana, mas, por quem aprecia música de qualidade. Pelos títulos de algumas canções, já de cara podemos notar que o artista não se restringe apenas ao universo Zagoriano, estando bem familiarizado com o Texiano.

O CD é permeado de folk, country, rock country, algumas belas baladas e até uma respeitável levada mexicana na canção em que homenageia El Muerto. A banda que o acompanha é muito boa e nas canções, como não poderia faltar nestes géneros musicais, temos muitas guitarras acústicas, acordeom, gaita, banjo e trompetes.

O Livreto

De todas as artes concebidas por Ticci para este projecto, a mais “pobre” é a que fora utilizada como capa do livreto. Apesar de mostrar um Tex imponente a segurar o seu Winchester tendo logo atrás algumas montanhas do que parece ser o Monument Valley, o fundo totalmente branco não valorizou a arte. O livreto é aberto por um belo texto escrito pelo saudoso Sergio Bonelli, intitulado Um filme para escutar, onde ele fala do seu amor pelas trilhas sonoras dos cult movie de faroeste e obviamente, do seu envolvimento com o projecto My name is Tex e o prazer de vê-lo/ouvi-lo pronto:

…aquilo que dele nasceu é verdadeiramente um álbum conceitual, um fascinante afresco narrativo (não apenas sonoro) no qual Águia da Noite, os seus fieis Pards, a sua amada Lilyth e até mesmo os seus piores inimigos parecem magicamente ganhar vida, come se fossem as personagens de um filme que ainda está sendo filmado, mas para o qual já está pronta a mais perfeita trilha sonora.

No rodapé desse texto tem uma nota da redacção da Panini, dando a Sergio Bonelli um afectuoso até breve, que partira justo no dia em que o livreto fora enviado à gráfica.

Para falar dos temas centrais abordados nas músicas do CD, os seguintes Srs. puseram-se à obra:

  • Moreno Burattini – Quatro bravos cavaleiros e Carson;
  • Luca Boschi – Mefisto e Lilyth;
  • Mauro Boselli – O Oeste em quadradinhos e A música no Velho Oeste;
  • Graziano Romani – “Quién sabe, hombre?”

Três mini BDs fazem parte do Livreto, todas ilustradas pelo Maestro Ticci:

  1. Morte no Deserto – ­De Nizzi e Ticci (recolorida para o projecto);
  2. Um quente entardecer – De Nolitta e Ticci (recolorida para o projecto);
  3. “Quién sabe, hombre?” – De Graziano Romani e Ticci (inédita, especialmente concebida para o projecto).

Curiosidade

Como fã de Zagor, Graziano Romani diz identificar-se muito com a personagem de Guitar Jim, talvez – segundo suas palavras – pelo facto de ambos gostarem de música, de guitarras e nunca ficarem muito tempo no mesmo lugar.

Assim, conspirou o destino para que, nas reuniões com a Panini Italiana para o projecto My name is Tex, enquanto avaliavam as histórias curtas e raras que possivelmente seriam publicadas no livreto, alguém propusesse de se escrever uma especialmente para o projecto, desde que fosse curta, de no máximo três páginas. Quando se brincou de um possível encontro entre Tex e Zagor, a ideia foi logo descartada, haja vista haver um delay de cerca de 40 anos entre a existência de cada uma das personagens, mas, nesse momento Graziano diz ter pensado em um Guitar Jim ancião, então, como que lendo os pensamentos deste, um dos coordenadores da Panini propôs ao cantor que a roteirizasse. Ele descartou a possibilidade, mas a ideia ficou a martelar-lhe os pensamentos, até que nas suas férias de Verão, nasceu Quién sabe, hombre?

A história tem apenas duas páginas, mostrando o encontro de Tex com um velho e enrugado Guitar Jim, ainda com os cabelos loiros, em uma noite de lua cheia no Deserto do Arizona. O velho menestrel está fervendo café enquanto toca On top of old smoky, a mesma com a qual ele aparece no álbum #34 – Gli sciacalli della foresta, da série italiana de Zagor em ’68 e, uma das canções folk preferidas de Sergio Bonelli.

No seu texto para o livreto, Graziano Romani diz que a canção Quién sabe, hombre? tem um significado muito especial para ele, assim, quando recebeu a confirmação de que o seu roteiro para a história homónima tinha sido aprovado e que a trabalhar nele já estava Giovanni Ticci ele diz ter se sentido no sétimo céu!

O Livreto traz ainda as letras das canções (apenas as escritas pelo artista) traduzidas para o italiano, pois, todo o CD é cantado em inglês. E aqui vai, pois uma segunda tradução da faixa título do CD (reprise), dessa vez para o nosso bom português:

Meu nome é Tex
Sou apenas um homem, um cowboy nesta estrada dura
Estou acostumado a enfrentar este mundo sem regras
Dizem que eu sou um gatilho rápido, aprendi tudo o que sei com os truques do Gunny Bill,
Então te aconselho a mover-te bem devagar
Esta solitária estrela de prata diz que sou um Ranger
Jurei combater pela justiça, não temo o perigo
Os homens vermelhos chamam-me de Águia da Noite e o meu Filho chama-me Pai
E acredito que de agora em diante você deveria saber quem sou de verdade…
O meu nome é Tex, Tex Willer
Tex, sim, Tex, e digo-te que vi coisas boas e ruins, sempre escolhendo estar do lado certo
O meu nome é Tex Willer, filho, você sabe que…
O meu nome é Tex, Tex Willer, Tex, sim, Tex, meu amigo
Tenho pouca paciência quando tenho assuntos a resolver
O meu nome é Tex Willer, você sabe.
Tex, sim, Tex, sim, Tex
O meu nome é Tex, sim, Tex.

Na página do cantor na Internet duas notícias trarão muitas alegrias à nação Bonelliana:

A primeira trata do relançamento do CD My name is Tex pela Panini, dessa vez em um estojo de luxo, contendo além do CD e do Livreto, um póster ilustrado por Ticci com os quatro Pards.

A segunda fala do seu novo livro, lançado na Itália no dia 15 de Novembro pela Panini Comics. Dessa vez escrevendo sozinho Graziano foca na arte do criador gráfico de Tex, Aurelio Galleppini, com o título L’arte di Galep.

Escrevi essa review prazerosamente escutando o CD My name is Tex, ao qual sem titubear outorgo cinco Winchesters! (Isso pelo simples facto de a nota máxima ser esta…).

(Para aproveitar a extensão completa das imagens acima, clique nas mesmas)

3 Comentários

  1. Quando soube desta edição, que achei uma tremenda ideia, quis logo ter e graças a amigos já está na minha coleção! Muito bom!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *