Homenagem Tex nº 100: Aventura em Utah

Por Jesus Nabor Ferreira[1]

Tex nº 100: centésimo e especialíssimo número

Enquanto aguardamos a tão esperada e já mítica edição número 500 da revista Tex, quero fazer uma homenagem há já também histórica centésima edição desta mesma série Tex. Lançada no ano de 1979 pela competente editora Vecchi, naquele mês de Junho, a centésima revista do Ranger mais famoso dos quadradinhos chegava a todas as bancas do imenso Brasil trazendo uma simples chamada de capa onde se lia apenas o seguinte: ESPECIAL – Uma aventura completa!

A capa desta especialíssima edição vinha desenhada por um autor Brasileiro (não era novidade, pois no número 94, também uma edição especial de fim de ano, o capista era o desenhista Brasileiro Watson Portela) Renato Sbrissa!

A edição foi um marco para todo fã e coleccionador de Tex, pois pela primeira vez no Brasil tinha-se conhecimento de diversos detalhes de bastidores sobre a produção das histórias e também sobre os seus autores.
Com o titulo de “Assim é Tex”, Paulo Vieira, iniciava um lindo artigo, ilustrado com vários quadros, onde mostrava um pouco do universo Bonelliano da época. Além das biografias de G.L.Bonelli e Galep, o texto trazia esboços de roteiro de uma aventura onde se dava a conhecer a maneira como Bonelli preparava para o desenhador as páginas que ia roteirizando. Também de maneira genial, o editor colocou diversas imagens do rosto de Tex interpretado por vários desenhadores da época!

Mas este número centenário era deveras muito especial e ainda ia trazer mais um grande mimo para os milhares de fãs e coleccionadores apaixonados por esta imortal criação dos mestres Bonelli e Galep: um caderno com TODAS as 100 capas da colecção. Pela primeira vez era feito algo assim no Brasil! Pelo menos eu não me lembro de nenhum outro título que tenha elaborado uma galeria de fotos de capas antes desta. Num momento onde ainda não havia a Internet, onde pouquíssimos tinham acesso a um telefone, onde fotocópias ainda eram coisas apenas para grandes empresas, onde a comunicação se dava através de cartas, a informação era algo ainda restrito a poucos, o leitor e coleccionador ter de repente, a apenas um folhear de páginas, TODAS as capas do título coleccionador, foi algo sem precedentes.

Dava-nos júbilo ver todas aquelas capas, poder dar uma imagem àqueles títulos que víamos nas relações de histórias já publicadas e que só podíamos imaginar como seriam. Tex nº 100 foi uma revista realmente feita para ficar marcada na história da editora Vecchi e hoje quando estamos às portas de comemorar a edição de Tex nº 500 esta justa homenagem a este grande momento da banda desenhada pareceu-me pertinente e necessária.

Foi a primeira e última vez que vimos algo assim, pois alguns anos adiante a Vecchi deixaria para sempre as bancas brasileiras. Mas o nosso Ranger não ficaria no limbo, outra grande editora assumiria a tarefa de seguir levando mensalmente a todos nós as aventuras de Tex e seus pards. Mas aí, como costuma dizer o titã… já é uma outra história!

TEX Nº 100 – Primeira edição – AVENTURA EM UTAH! – Editora Vecchi – 1979
Autores : G.L.Bonelli e A.Galleppini

(Para aproveitar a extensão completa das imagens, clique nas mesmas)
——————————————————————————–
(Texto publicado originalmente no Blogue Zona Franca Comics, em 28   de Junho de 2011)
[1] Coleccionador de Banda Desenhada desde 1976
Contacto: zonafranca34@hotmail.com

6 Comentários

  1. Amigo e pard Nabor, boas recordações… quando comecei a colecionar Tex (por volta de 1984) consegui 1 exemplar da nº 100 com a lombada toda estragada, mas o “miolo” intácto, e fiquei muito feliz ao me deparar com tudo isso que você recordou… hoje já a tenho em ótimo estado de conservação.

    Grande abraço.

  2. Caro amigo, esta edição é realmente muito especial para todo colecionador de Tex e mais ainda para aqueles de nós que a compramos na época de seu lançamento em banca. Pegar uma edição zérinho, com aquele cheiro de revista nova. Indescritível a sensação!
    Eu tive a sorte de viver estes momentos, meu caro, de desde muito novo comprar mensalmente o Tex. Infelizmente alguns contratempos da vida,algum tempo depois, fez com que eu tivesse de deixar de comprar não só o Tex mas outros títulos também. Porém, mais tarde, já com a vida organizada, pude retornar a minha coleção e recuperar aqueles maravilhosos exemplares que em um momento de necessidade tive de me desfazer.
    Um grande abraço e espero que você aprecie o nº 500 do Tex da mesma maneira que apreciou o 100.
    Jesus Ferreira

  3. Rever esta capa em destaque me leva a fazer comparações com as capas de hoje.
    As edições de Tex evoluíram muito desde então.
    Imaginem se tivéssemos um “capista” como o Villa naquela época.
    Tex que vendia estupendamente naquela época, certamente dobraria suas vendas com as capas cinematográficas de Villa.

  4. Amigo Moreira,
    Você deve se lembrar muito bem das capas das revistas da própria Vecchi nos anos 60, ou então das editoras O CRUZEIRO, ou ainda as da Rio Gráfica Editora. E as da Ebal ? Você diria que aquelas capas não lhe causavam um impacto maior do que as de hoje? E não entro no mérito técnico da coisa… Lembrar aquelas capas, muitas delas pintadas com grande qualidade, é nostálgico.
    Abraço

  5. Caro amigo Jesus.

    TEX Nº 100 é uma das mais bonitas capas que considero. Ela tem um desenho “diferente” das demais, e muito bem feita e causa um ótimo impacto visual!!! Não que ela tenha sido desenhada pelo Alegretense Renato Acosta Sbrissa.!!

    Por isso que admiro as antigas capas da Vecchi!

  6. Amei esta matéria…
    Eu tenho esta revista, mas em outros lançamentos deveria lançarem a número 200 pois muitos não têm… como eu kkkk

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *