Giovanni Ticci: terceiro desenhador de Tex

Por Saverio Ceri * (em EXCLUSIVO para o blogue português do Tex)

Como mencionado anteriormente o número 600 da edição italiana de Tex, fez o Ranger alcançar, de uma só vez, muitos feitos: 600 álbuns da série regular, 400 histórias (entre a série regular e as edições especiais) e 80.000 páginas (sempre entre a série regular e os especiais). Giovanni Ticci, desenhador da história em questão, pode adicionar a esta incrível série de coincidências, dois outros recordes muito pessoais.

Em primeiro lugar, com estas 110 páginas supera a marca das 7.000 páginas de Tex. Do mesmo resultado, por enquanto, só podem gabar-se apenas dois outros desenhadores: Aurelio Galleppini, o criador da personagem, que o alcançou em 1963, para depois prosseguir até às 15.000, e Guglielmo Lettèri que superou essa barreira em 1987, encerrando o final da sua carreira com quase 11.000 páginas.

O outro resultado importante para Ticci é a ultrapassagem a Fernando Fusco que recentemente encerrou a sua carreira de desenhador com 6.980 páginas, o que o leva ao terceiro posto entre os desenhadores mais prolíficos de Tex.

Não é a primeira vez que Ticci ocupa esta posição. Já aconteceu entre Julho de 1994, quando ultrapassou Erio Niccolò, que por duas décadas esteve em terceiro na classificação, e Abril de 1995, quando por sua vez Fusco o superou. Iniciou-se então uma série de ultrapassagens e contra-ultrapassagens entre os dois desenhadores, que viram Ticci na frente de Fusco entre Janeiro de 1997 e Janeiro de 1998, entre Outubro de 1999 e Março de 2001, depois entre Outubro de 2001 e Março de 2003, novamente entre Abril e Dezembro de 2004 e, finalmente, entre Maio de 2008 e Fevereiro de 2010.

Em suma, Ticci ocupou o degrau mais baixo do pódio em 6 dos últimos 15 anos. O que há então de tão diferente nesta enésima ultrapassagem? Simples: é a ultrapassagem definitiva, porque a corrida termina aqui: Fernando Fusco terminou a sua carreira com a história publicada no Almanacco del West de 2010, fixando-se definitivamente nas 6.980 páginas.

Giovanni Ticci torna-se assim definitivamente o terceiro desenhador de Tex na quantidade de páginas desenhadas, após Galep e Lettèri.
O termo “definitivamente” não é utilizado ao acaso: ninguém, quase seguramente, poderá jamais insidiar esta sua posição.
De Fusco já falamos; dos outros desenhadores ainda em actividade, os mais próximos são José Ortiz, em sexto com 3.902 páginas, com uma perspectiva de carreira que o poderá levar a alcançar em torno de 5.000 páginas, e Fabio Civitelli, sétimo com 3.572 páginas, que mesmo augurando outros 25 anos de aventuras na companhia do Ranger, poderá dobrar o seu actual score, atingindo assim também ele as 7.000 páginas, mas entretanto, Ticci terá seguramente realizado pelo menos mais um milhar de páginas. Entre os outros autores não se antevê nenhum outro que avance a um ritmo tal de ameaçar o terceiro posto de Ticci. Pelo menos até ao centésimo aniversário de Tex…

* Tradução e adaptação a cargo de José Carlos Francisco

(Para aproveitar a extensão completa das imagens acima, clique nas mesmas)

15 Comentários

  1. Mais números impressionantes que nos dão uma ideia da escala verdadeiramente olímpica a que se guindaram Tex e alguns dos seus realizadores gráficos e literários… talvez única na história da BD, mesmo em compita com o prolífico universo dos “comic books” norte-americanos e dos seus heróis mais carismáticos: Superman, Batman, Capitão América, Homem-Aranha, X-Men, Quarteto Fantástico e por aí fora…
    Mas no campo do “western” é seguramente a série mais longa e produtiva de todas, com recordes globais e individuais difíceis de ultrapassar a médio e mesmo a longo prazo, como salienta Saverio Ceri.
    Esta minúcia numerológica irá certamente colmatar muitas lacunas de que a maioria dos fãs texianos se queixava, sem hipóteses de as completar pelos próprios meios.
    Obrigado, Saverio! E obrigado também ao Zé Carlos e ao blogue do Tex, patronos da iniciativa…

  2. Ticci!
    O melhor desenhista de Tex, aquele que melhor retrata o velho oeste seus personagens.
    AMoreira.

  3. Ticci de inicio de carreira, um génio, depois nem tanto, ainda assim um grande desenhista. Assalto ao Trem, A Noite dos Assassinos, Território Apache, Vingança de Índia: obras-primas perfeitas!

  4. Concordo com vc AMoreira, o traço do Ticci ainda hoje é de encher os olhos.

    Matias, ser desenhista é um trabalho solitário e inglório, pois, poucos são aqueles que com o passar dos anos conseguem manter a mesma qualidade do traço.

    Abraços,

    Sílvio Introvabili

  5. É isso mesmo Silvio.
    Veja esse ultimo quadro aí em cima.
    Olhem a composição… os cavalos em movimento de contenção, os índios ao redor em perfeita perspectiva… genial!

  6. Sem dúvida, Ticci, pra mim, é inigualável. Adoro seu traço marcante e suas paisagens deslumbrantes e suas gdes cenas de ação, sem usar recurso fotográfico.
    Acompanho o trabalho deste grande mestre desde os tempos da editora americana chamada Gold Key (anos 60\70), qdo vi seus primeiros trabalhos em: Turock, Voyage To The Botton Of The Sea, King Kong, etc.
    Sempre manteve o mesmo pique, a mesma qualidade e seu traço é inconfundível.
    Este, de fato, faz BDs, de verdade!

  7. É isso aí Tony, Giovanni gênio Ticci, simplesmente o melhor desenhador, fabuloso.

    Nei Campos!

  8. Ainda acho, que depois de Galep vem em segundo lugar o querido
    Ticci e lógico em terceiro Fusco, mais meu preferido é Ticci.
    Fuiiii!

  9. Sou desenhista e posso falar com certeza o maior de todos os desenhista do mundo é G. Ticci, para tirar suas dúvida é só dar uma olhada na Revista Tex nº 111 “Ao Sul de Nogales“, a realeza dos desenhos é grade de mais e superior a todos.

  10. Não existe o melhor, existe o(s) preferido(s) de cada um.
    Os meus são Villa e Civitelli.

  11. Quando era menino, comprava e lia Tex por causa desse monstro aí, Ticci, aprendi a desenhar admirando esse desenhista fantástico. Obrigado Ticci pela a inspiração ofertada.

  12. AO SUL DE NOGALES matou-me… o desenlace ao longo do livro, os movimentos, nunca me esqueci desta historia e comecei a ler Tex aos 12 e agora com 46 ainda me marca.
    Desenhistas não há melhor ou pior fica ao gosto de cada um ,mas os tradicionais marcaram uma geração e TICCI então esta no pódio.

  13. Os desenhistas que mais gosto são Fusco, Lettèri, Galep, Seijas, Villa, Civitelli, Muzzi, Ruju, Piccinelli, Nicolò. Admiro demais o trabalho desses grandes, sempre admirarei (principalmente o de Fusco, que infelizmente nos deixou em 2015).
    Mas, como a maior parte dos fãs de Tex Willer e seus pards, também elejo Ticci o melhor desenhista, não só de Tex, como o melhor desenhista de todos os tempos, em minha opinião. São desenhos que sofreram grande evolução (o Tex ticciano começou muito magro e com uma cara de caveira. Depois foi encorpando-se até virar o Tex taurino que se reconhece hoje nos desenhos de Ticci: forte, alto e espadaúdo), assim como os de Galep (o Tex de Galep dos começos da saga texiana também era um homem magro da cara macilenta, que aos poucos foi se tornando o brutamontes que reconhecemos nas histórias desenhadas por Galep a partir da década de 1970). Galep e Ticci são mitos da Nona Arte, e até hoje são o standard do Tex padrão. Mas, como quase todos os fãs de Tex, reconheço que os desenhos de Ticci são lindos e ricamente detalhados, as paisagens, rostos, armas e cavalos desenhados por Ticci parecem reais. Não quer dizer que os de Galep também não sejam lindos, pois são, e muito realistas também. Com a diferença que Galep é um desenhista que tende ao “desenho redondo”, enquanto que Ticci tende aos pormenores de luz, ângulos, sombras e toda espécie de artifício gráfico que se imaginar, o que só se vê mesmo em Ticci, e em nenhum outro desenhista. Villa, Civitelli, Piccinelli, Seijas também são demais no que toca a desenhos realistas a altamente detalhados, mas Ticci ainda ganha de todos eles ao retratar em seus desenhos a realidade como ela parece ser. Os desenhos de Ticci mais parecem fotografias e negativos de fotografias do que propriamente desenhos, às vezes.
    Estou de acordo sobre eleger Giovanni Ticci como o maior desenhista do maior ranger de todos os tempos! As histórias “A Noite dos Assassinos“, “Selva Cruel“, “O Desertor“, “Fuga de Anderville“, “O Passado de Jack Tigre“, “Kento Não Perdoa“, “O Assalto ao Trem“, “Nameless Town” e tantas outras estão aí pra nos provar a maior característica dos desenhos ticcianos: a riqueza em detalhes, a sensação realista de movimentos, os jogos de luz e sombra (que ele domina como ninguém), e a riqueza detalhada dos ângulos e vincos faciais dos personagens (Ticci também ganha de longe de todos os outros desenhistas nesse aspecto)!
    Ticci realmente é o número um do pódio dos desenhistas de Tex! Posição assegurada pela maioria dos fãs, e mais do que merecida! Ademais, existe a era pré e pós-Ticci! Antes de Ticci, todos os desenhistas tendiam a um desenho redondo e traços suaves; após a entrada de Ticci em cena, os desenhos foram ficando cada vez mais retilíneos e com traços altamente carregados… pode-se mesmo dizer que os desenhistas que vieram após Ticci, mesmo tendo seus estilos próprios, seguiam o traçado quadrado e detalhista de Ticci, por mais que tivessem seus estilos próprios!

  14. Quatro desenhistas, entre inúmeros outros muito bons, são os meus prediletos: Letteri, Nicolò, Ticci e Fusco. São 4 gênios, cada um com à sua característica.

Responder a Antonio Carlos Moreira Cancelar resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *