Entrevista com o fã e coleccionador: Oscar Christiano Kern

OSCAR CHRISTIANO KERN (1935-2008)

Oscar Christiano Kern

Por um triste acaso do destino, já que estava prevista para sair precisamente hoje uma entrevista neste mesmo blogue do Tex, fui informado há pouco, pela família, que o entrevistado e querido Amigo Oscar Christiano Kern (pessoa que tive o enorme privilégio de conhecer pessoalmente aquando da minha última viagem ao Brasil), faleceu na tarde deste sábado, dia 12 de Janeiro de 2008. Em nome do blogue do Tex e em nome pessoal, endereço publicamente as mais sentidas condolências à família do Amigo Oscar Kern, cuja morte prematura provoca em todos os seus Amigos e admiradores, uma enorme consternação.

Historieta de Oscar Christiano KernEsta entrevista (realizada pelo facto do Oscar também ser um fã do ranger Tex Willer) divulgada com a devida autorização dos seus familiares mais directos, no caso, a filha Carina e a esposa Sônia, pelo blogue português do Tex, concedida precisamente esta semana e sendo provavelmente a sua última entrevista dada em vida, pretende, neste momento de luto e em jeito de homenagem a título póstumo, evocar o autor (chegou a escrever, entre muitas outras histórias de BD, aventuras Disney para a Editora Abril, criando inclusive personagens como o vilão Senhor X e dos seus “assessores” X-1, X-2, X-3 e X-8), o editor (por exemplo do fanzine Historieta, especializado em histórias em quadrinhos brasileiras), o homem, mas sobretudo, o AMIGO no dia do seu falecimento. Um Amigo que dedicou a sua vida à banda desenhada e dignificou a 9ª Arte pelo Brasil e pelo mundo já que a sua obra é conhecida internacionalmente.

Entrevista conduzida por José Carlos Francisco

Oscar Christiano Kern com as plaquinhas Tex e seus pardsPara começar, fale um pouco de si. Onde e quando nasceu? O que faz profissionalmente?
Oscar Kern: Sou de Taquara, Rio Grande do Sul.  Creio que isso faz de mim um roteirista de Taquara.
Nasci em 1/9/35, o que faz 72…

Quando é que teve início esta paixão pela Banda Desenhada, em especial pelo Tex?
Oscar Kern: Fui apresentado aos quadrinhos por meu tio Augusto, que nos visitava aos domingos e que passou a me trazer aquelas revistas exuberantemente ilustradas e que contavam histórias de aventuras, chamadas Gibí e O Globo Juvenil.
Tex aconteceu vários anos depois, em O Signo da Serpente, misturando farwest com dinossauros. Dali em diante, comprei todos os números.

Gervásio Santana de Freitas, José Carlos Francisco e Oscar Christiano KernPorquê o Tex e não outra personagem?
Oscar Kern: Era o farwest, o género cinematográfico por excelência. Alem de Tex, existiam tambem The Lone Ranger e Red Ryder, mas só Tex se fazia presente mensalmente.

O que Tex representa para si?
Oscar Kern: Tex era o defensor da lei e dos oprimidos.  Em quase todas as aventuras, saindo em defesa de alguém, usava de dez a quinze páginas para surrar algum valentão prepotente. Como abomino a prepotência…

Oscar Christiano Kern na Livraria TutatisQual o total de revistas de Tex que tem na sua colecção? E qual a mais importante para si?
Oscar Kern: Actualmente, só colecciono o Tex Gigante.  É que preciso de dinheiro para importar as italianas Martin Mystere e Napoleone (personagens que aprecio mais), que não despertam o interesse da Mythos. Gosto mais do Tex desenhado pelo Magnus.

Colecciona apenas livros ou tudo o que diga respeita à personagem?
Oscar Kern: Actualmente só Tex Gigante.

Gervásio Santana de Freitas, Oscar Christiano Kern e José Carlos FranciscoQual a sua história favorita? E qual o desenhador de Tex que mais aprecia? E o argumentista?
Oscar Kern: Histórias favoritas, tenho muitas… Argumentista: Boselli. Desenhador: Civitelli.

O que lhe agrada mais em Tex? E o que lhe agrada menos?

Oscar Kern: O que me agrada mais é ver a luta em prol da justiça. O que agrada menos é o desinteresse de Tex pelas mulheres. É anti-natural. Só fazia sentido nos antigos farwest’s “B”, onde os cartazes, na rua, já anunciavam a ordem de importância para os meninos: Roy Rogers & Trigger e Dale Evans.

Em sua opinião o que faz de Tex o ícone que ele é?
Oscar Kern: Bom… Não deve ser só por isso, mas Tex é o único farwest a frequentar nossas bancas.

Oscar Christiano Kern com as plaquinhas metálicasPara concluir, como vê o futuro do Ranger?
Oscar Kern: É uma pena os editores não revelarem nada quanto a tiragens e vendas, para se poder opinar em bases mais sólidas. Então, temos de lidar com o que se vê nas bancas e na correspondência dos leitores. Temos o Tex normal, Edição Histórica, Almanaque, Texone e Clássicos, não é isso? Eventualmente, minisséries, que não são minisséries mas sim histórias retiradas da Edição normal, o que demonstra que vende bem. Mas, nestes últimos tempos, há uma novidade: os leitores reclamam da misoginia do cowboy durão, e brincam afirmando que nem tudo nele é durão…
Se o universo feminino for introduzido nas histórias, podem ter certeza de que a longevidade de Tex será muito maior.

Prezado pard e Amigo Oscar Christiano Kern, descanse em paz!

(Para aproveitar a extensão completa das imagens acima, clique nas mesmas)

14 Comentários

  1. Fui pego de surpresa há pouco! Cheguei da rua alegre com um Tex na mão e essa notícia me esperava aqui no meu e-mail.
    O Oscar sempre foi um sábio, suas respostas suscintas apresentam isso. Apesar de não conhecê-lo pessoalmente, batíamos muito bem.
    Ele estava fazendo o Historieta 20, que traria uma história escrita por mim e desenhada pelo Milton Estevam de um personagem chamado Texas.
    No ano passado ele me surpreendeu ao enviar uma plaqueta de alumínio com o Tex e seus pards sendo fotografado por O”Sullivan, o solitário do Oeste.
    Boa viagem amigo Oscar e não serás esquecido. Até o reencontro!
    Grande abraço!
    G. G. Carsan

  2. Também não conheci o Oscar pessoalmente mas tive o grande prazer de falar com ele ao telefone e pelos e-mails que trocávamos.
    O Oscar ficará sempre conosco. Imortalizado aqui nas páginas do blog e nas tantas outras coisas que escreveu, mas principalmente nos nossos corações.
    Como disse o GG, boa viagem, amigo!
    Nanda

  3. Amigo Zeca,

    Impressionante as terríveis coincidências desta nossa vida. Pois, hoje pela manhã recebi umas revistas antigas que comprei pelo Mercado Livre e deparei-me com uma noticia sobre a HISTORIETA e o Oscar. Fiz dois scans para postar durante a tarde nas listas do Yahoo que também participamos. Horas depois, antes mesmo de postar a mensagem e os scans, leio a notícia que ele havia passado para uma nova etapa de crescimento e desenvolvimento de seu espírito.

    Terrível coincidência também a desta sua entrevista com o Oscar, dono de uma tremenda lucidez e verve apuradíssima, mesmo para alguém já com sua idade.

    Ficam aqui meus desejos que o Oscar esteja em paz, nesta nova etapa de seu crescimento espiritual, e que do outro lado esteja a dar boas gargalhadas enquanto prepara uma nova edição de sua HISTORIETA, para sair com a maior tiragem que ele jamais sonhou, pois estará em todos os nossos corações.

    Grande abraço deste Amigo Carioca, que também está enlutado pelo acontecido com o grande OSCAR CHRISTIANO KERN.

    Alvarez

  4. Tambem quero expressar o mais profundo sentimento pela perda do amigo Oscar, que descanse em paz!

  5. Uma coisa que eu gosto de lembrar é que eu era fã do Oscar Kern ainda antes de conhecê-lo.

    Quando eu era pequeno, li uma BD Disney de grande qualidade em que a turma de Patópolis era encolhida por um gás alienígena e precisava lutar com formigas para sobreviver. Uma história relativamente longa (16 páginas) e de qualidade rara nas BDs Disney, que permaneceu em minha memória mesmo após eu ter esquecido de 90% do que eu tinha lido naquele tempo.

    Anos depois, conheci o Oscar via internet e tive a grande surpresa de descobrir que fora ele o anónimo escritor dessa história, cuja qualidade eu nunca cansei-me de celebrar.

    Agora lamento nunca ter tido a oportunidade de me encontrar pessoalmente com ele. Ou mesmo de não ter mantido mais contato via Internet com este homem que, apesar da distância e do relativamente pouco contato, eu tenho o orgulho de chamar de amigo.

    Ele se vai, mas sua memória permanecerá.

    Hunter (Pedro Bouça)

  6. Mais um grande fã de TEX que vai se juntar a muitos outros nas pradarias celestiais!…
    Pelo menos, terá uma calorosa recepção!… Paz a sua alma!

    Coincidência ou não, nesta mesma data, há 7 anos atrás, tambem falecia o “papai” de Tex: Gian Luigi Bonelli (12 de Janeiro de 2001)…
    Dionísio H. de Araújo

  7. Não conheci Oscar Kern, mas mesmo assim deixo aqui as minhas mais sinceras condolências à sua familia e a todos os que o conheceram e com ele privaram. Que repouse em paz.
    Mário João Marques

  8. Quero expressar os meus sentimentos de pesar à família e amigos de Oscar Kern. Apesar de não conhecer pessoalmente, fiquei muito sensibilizado pela sua entrevista. As suas palavras a favor da Justiça, “Como abomino a prepotência…” só conseguem ser ditas por um Grande Homem!
    Orlando Santos Silva-Lisboa-Portugal

  9. Oscar era um grande amigo do meu tempo de fanzines. Tive a honra de ter minhas primeiras histórias publicadas em sua “Historieta”. Vou sentir saudade…

    Mike Deodato Jr.

  10. Olá!
    Agradeço a bela homenagem ao meu pai, que além de me apresentar aos quadrinhos, incentivar a leitura e o gosto pelas artes em geral, foi um grande exemplo de persistência, generosidade e honestidade.
    Nesse momento de dor é confortante ver o carinho que os amigos e colegas do mundo da HQ têm para com ele. Onde ele estiver, com certeza também está muito feliz com as homenagens.
    Abraços,
    Denise Kern

  11. Muito obrigada a todos que homenagearam meu pai. É por causa dele que eu me interessei por desenho, gostava das revistinhas que ele me trazia, dos desenhos da Disney que ele comprava, etc.
    Ler essas mensagens que os amigos dele – virtuais ou não – estão escrevendo me fazem esquecer um pouco a tristeza e me levam a lembrar bastante de todas as maravilhosas qualidades que ele tinha.
    Sem dúvidas, muuuita gente por aí vai sentir falta dele.
    Vai com Deus, paizinho querido…

  12. Fico mudo. A tristeza é imensa. Tive pouco contato com ele, mas era uma referência, uma raiz da HQB.
    O importante é que as sementes das suas idéias e da sua persistência se espalhou pelo Brasil.
    Ataide Braz

  13. Se foi o grande Oscar! Fica contudo a lembrança da sua camaradagem, da sua hospitalidade, e do seu bom carácter! Eu o conheci pessoalmente, fui visitá-lo na sua casa, em 1992. Tornamo-nos bons amigos. Disponho de algumas publicações editadas por ele… No entanto, a mais importante para mim, é o “livro” que foi feito em parceria com o Jorge Barwinkel (outro grande editor de fanzines), o “livro” reproduz todas as capas da antiga revista em quadrinhos “O Novo Globo Juvenil Mensal”… Na ocasião, eu fiz questão de ir a Porto Alegre, só para conhecer os “autores”, e também para fazer com que eles autografassem aquela bela publicação para mim. Que Deus tenha o grande Oscar Kern, em sua misericordiosa memória!

Responder a José Ricardo Cancelar resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *