Descobrindo TEX…

Por Carlos Moreira *
 
Carlos MoreiraTinha treze anos (1978) quando tive o primeiro contacto com TEX. Foi através  de um amigo que me propôs a troca, por dez revistas (Falcão, Condor, Xerife), na altura pensei, “fui enganado“, hoje digo “enganado” foi ele.
 
A Quadrilha do Ás de EspadasDepois  de ler essa revista, o Tex nº20 ” A quadrilha do ás de espadas” foi a procura em tudo o que era papelaria ou quiosque, de revistas usadas que abundavam pelas estações de comboio e não só… que tempos felizes esses.
 
Dos amigos e colegas de escola, poucos se interessavam por esta personagem, o interesse ia para as outras revistas e assim, o que aparecia de Tex era para mim, pois todos trocavam ou me ofereciam aquelas revistas diferentes de todas as outras, e assim a minha colecção aumentou rapidamente.
 
Pacto de SangueEntretanto já com 18/19 anos a minha namorada (hoje esposa) trabalhava numa papelaria e assim contribuía para que não perdesse nenhum número e cada revista que chegava era logo reservada para mim. A busca de mais revistas, novas e usadas continuou ao longo dos anos e foi dando alguns frutos, apesar das mudanças de editora a revista ia saindo nos quiosques portugueses, embora com alguns interregnos pelo meio onde se perdiam alguns números.
 
Hoje em dia colecciono tudo o que sai de Tex, faltando-me apenas um exemplar (Tex nº 94), da edição normal de Tex e alguns Tex Coleção. Tenho ainda algumas edições de Itália, França e Holanda.
 
Acima de tudo, Tex trouxe-me grandes e boas amizades e por isso digo que aquelas dez revistas que dei em troca do meu primeiro exemplar de Tex foram muito bem empregues.
 
Um grande abraço Texiano a todos que lerem este meu depoimento.


* Coleccionador de Tex desde 1978
 

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *