As Leituras do Pedro – Mercurio Loi: La Roma de los locos

As Leituras do Pedro*

Mercurio Loi: La Roma de los locos
Alessandro Bilotta (argumento)
Matteo Mosca (desenho)
Panini
Espanha, Julho de 2020
195 x 259 mm, 208 p., cor, capa dura
ISBN: 9788413344874
22,00 €

Por detrás das máscaras

“Yo creo que es al contrario… esta época nos ha dado a todos dos identidades y una máscara.”
Mercurio Loi in La Roma de los Locos
.
Nascido na colecção LeStorie, Mercurio Loi impôs-se pelos seus méritos – e pela sua diferença – e tornou-se uma personagem de eleição no catálogo Bonelli, com direito a colecção própria com 16 tomos, de que este livro agrupa os dois primeiros.
.
Algures entre o policial, o fantástico e o intimista, com o fundo histórico da Roma do início do século XIX, esta é uma improvável viagem balizada por um inesperado triângulo: o mestre, Mercurio Loi, professor e investigador; Tarcisio, o anterior discípulo, que o quer derrotar e afirmar a sua superioridade; e Ottone, o actual discípulo, que se quer libertar da sua influência controladora para seguir o seu próprio caminho.

Quase derrotado e morto no início da história, Mercurio Loi, também vagabundo, gourmet, génio… terá pela frente um misterioso assassino (em série, diríamos hoje) que escolhe as suas vítimas entre os folgazões do Carnaval romano.

Ultrapassada a necessidade de ser fechada em si mesmo, que naturalmente se sentia no volume de estreia, este (re)início oficial é oportunidade também para saber um pouco mais sobre aqueles que rodeiam o extravagante protagonista. E sobre ele próprio porque, como expressa na frase que transcrevi acima, em La Roma dos los Locos são muitos os mascarados e poucos os que mostram o que realmente são, num relato mais uma vez sob o signo de uma certa loucura que perpassa um pouco por todos os intervenientes mas tem o seu expoente em Loi.
.
Narrativa insinuante e misteriosa, este livro arrasta-nos por uma Roma caótica mas, mais do que isso, pelo mais íntimo de Mercurio, Tarcisio, Ottone, cujos actos e ditos nem sempre coincidem na forma e no propósito, o que lhe confere igualmente um incómodo tom intimista. Ao mesmo tempo, entreabre umas poucas portas que só poderemos espreitar devidamente numa próxima viagem pela loucura

*Pedro Cleto, Porto, Portugal, 1964; engenheiro químico de formação, leitor, crítico, divulgador (também no Jornal de Notícias), coleccionador (de figuras) de BD por vocação e também autor do blogue As Leituras do Pedro

(Para aproveitar a extensão completa das imagens acima, clique nas mesmas)

Um comentário

  1. Espero ver este material em breve no Brasil. Afinal temos 6 editoras publicando fumettis da Bonelli no momento.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *