Entrevista com o fã e coleccionador: Pedro Pereira

Entrevista conduzida por José Carlos Francisco.

Pedro Pereira e o Tex nº 1Para começar, fale um pouco de si. Onde e quando nasceu? O que faz profissionalmente?
Pedro Pereira: Tenho 35 anos e nasci numa pequena aldeia no interior de Portugal, perto de Abrantes. Aos 18 anos vim estudar para Lisboa e fiquei por cá. Actualmente tenho 35 anos e trabalho na área da gestão documental e da formação.

Quando é que teve início esta paixão pela Banda Desenhada, em especial pelo Tex?
Pedro Pereira: Para dizer a verdade, penso que comecei a gostar de Tex e de banda desenhada em geral ainda antes de saber ler! É no que dá ter 2 irmãos mais velhos. Assim, ainda antes de saber ler eu já adorava ver os desenhos e tinha cuidado para não os rasgar/estragar, o que muito admirava a minha família!

Chet nº 1 e Zagor nº 1Porquê o Tex e não outra personagem?
Pedro Pereira: Essa é uma pergunta que eu já fiz a mim mesmo muitas vezes e para a qual tenho dificuldade em encontrar uma resposta! Já li muitos outros heróis, mas só mesmo o Tex continua. Em jovem lia o Falcão, Mundo de Aventuras, Guerra, Zagor, Mandrake… só Tex ficou mesmo! Todos os outros foram partindo!

O que Tex representa para si?
Pedro Pereira: Tex para mim é o herói da banda desenhada que devia ser de carne osso. Num mundo cheio de injustiças, em que os fortes oprimem os fracos, a lei serve para defender os opressores… Tex é mesmo uma lufada de ar fresco e representa o ideal do bem, mesmo que para isso seja preciso cometer algumas ilegalidades…

Colecção de Pedro PereiraQual o total de revistas de Tex que tem na sua colecção? E qual a mais importante para si?
Pedro Pereira: Para dizer a verdade nunca as contei (…risos…)! Por alto está lá toda a edição de Tex Normal, os Tex Gigantes, Almanaques Tex, Tex Anuais, uma ou outra edição estrangeira, incluindo um Mondadori e alguns Tex Júnior, talvez uns 600 livros, mas é só mesmo um palpite.
A edição mais importante para mim, no meio de várias é sem dúvida o Tex n.º 1 da 1.ª edição (O Signo da Serpente)! É um livro do qual me orgulho muito e que não está à venda, a menos que seja por uma fortuna, pois todos nós temos o nosso preço, excepto talvez o incorruptível Tex!!!

Edições especiais de Tex WillerColecciona apenas livros ou tudo o que diga respeita à personagem?
Pedro Pereira: Vou coleccionando o que aparece e me interessa, mas 99% da minha colecção são mesmo livros!
O resto pode ser um recorte do jornal ou um porta-chaves, mas nada de miniaturas ou a colecção de cromos publicados na década de 70. Afinal de contas o dinheiro não cai do céu!
Além disso, não colecciono tudo, por exemplo, não colecciono Tex Colecção ou Tex Edição Histórica e desisti de Tex Ouro…

Qual a sua história favorita? E qual o desenhador de Tex que mais aprecia? E o argumentista?
Pedro Pereira: Esta é uma pergunta, melhor dizendo duas, em que a resposta não é nada fácil, além de que para haver alguém melhor… terá que haver alguém pior como é óbvio!
Quanto a histórias favoritas há várias! Adoro “El Muerto” ou “Oklahoma” ou “Tex vence Bufallo Bill” (esta por ser uma história que me ajudou a aprender a ler, tinha eu uns 6 anos).
Adoro o traço genial de Civitelli (que tive o prazer de conhecer pessoalmente e de quem tenho um desenho original), mas terei saudades de Nicolò, adoro Ticci e as histórias de Nolitta, entre tantos outros…

Edições especiais de Tex WillerO que lhe agrada mais em Tex? E o que lhe agrada menos?
Pedro Pereira: Adoro a postura do ranger perante a vida, a sua coragem infinita e o seu espírito de sacrifício. São um verdadeiro exemplo para muita gente, incluindo eu próprio, naturalmente!
Relativamente à personagem em si não há nada que me desagrade particularmente. Com o tempo até aprendi a aceitar bem os abusos de linguagem, de álcool, de violência, de tabaco… faz parte da reconstituição de tempos difíceis! Só gostava mesmo era de o ver um dia ser derrotado por um vilão e até morrer, para depois ressuscitar, tipo Mefisto! Fica a ideia! Às vezes cansa ver que o meu herói vence sempre!
Já agora, talvez uma ou outra “aventura” com o lado feminino ficasse bem a ele e também ao “sempre em brasa” Carson que é a minha personagem favorita no universo texiano, nem eu sei muito bem porquê, espero que não seja da idade!

Em sua opinião o que faz de Tex o ícone que ele é?
Pedro Pereira: O mérito é de muitas pessoas. Inicialmente dos seus criadores, mas também de todos os que o ajudaram a crescer, como a saudosa editora Vecchi ou, mais recentemente a Mythos, os colaboradores do Portal Texbr, deste blogue do Tex e outros pelo mundo fora.
Ou seja, Tex chegou aqui por mérito da personagem em si, mas também pela dedicação e carinho de muita gente e do uso das novas tecnologias, caso da Internet…

Edições especiais de Tex WillerPara concluir, como vê o futuro do Ranger?
Pedro Pereira: Como se costuma dizer, “o futuro é o que dele fizermos” e isso aplica-se também a Tex. Para a personagem de papel (que muitos gostariam que fosse de carne e osso) os 60 anos parece que pararam no tempo e ainda bem! Porém, nem tudo são rosas e um bom exemplo disso é que os próprios preços são bastante caros e isso pode penalizar a sobrevivência e expansão do ranger
Por outro lado, já referi isso noutros locais, na minha modesta opinião a Mythos está a fazer um excelente trabalho, mas também continua a lançar mais e mais edições/colecções e corre o risco de exaurir o filão! Não gostaria que depois viesse a surgir mais um povoado fantasma depois que o filão Tex se esgotou, como sucedeu já com algumas edições, caso de “Tex e os Aventureiros”.
Além disso, pela antevisão do que tenho visto, alguns dos novos desenhadores de Tex têm um traço que considero fraco, para não dizer muito mau, mas isto é apenas a minha opinião! Preferia menos títulos, mas com mais qualidade em termos de argumentos, desenhadores, qualidade das impressões e do próprio papel e menos gaffes/gralhas do que as que teimam em aparecer, apesar de todo o esforço para que isso não suceda!
Seja como for, desejo uma longa vida a Tex e seus pards e a toda a família texiana espalhada pelo mundo inteiro e da qual me orgulho de fazer parte!!!

Prezado pard Pedro Pereira, agradecemos muitíssimo pela entrevista que gentilmente nos concedeu.

(Para aproveitar a extensão completa das imagens acima, clique nas mesmas)

5 Comentários

  1. Nesta entrevista nota-se a importância das editoras brasileiras na divulgação de Tex em Portugal.
    Muito bom conhecer um colecionador do que eu chamo de “geração intermediária”.
    Otima entrevista.
    AMoreira.

  2. Que INVEJA Pedro. Não é bonito invejar, mas neste momento é o que sinto. Você é um sortudo por ter o Nº1 em tão boas condições, parabéns Pedro.
    Quanto ao pard Moreira, eu complemento: Se conhecemos Tex e os outros personagens Bonellianos, temos de agradecer às editoras brasileiras, por nunca nos terem abandonado e nos considerarem mais um “Estado”, na sua distribuição sectorizada, que pode ter muitas falhas, mas têm permitido as publicações nas bancas durante décadas.
    Sérgio Sousa

  3. Conheço o Pedro!

    Grand Pard! Foi ele que me presenteou com o Tex Português, quando esteve em Maceió uns anos atrás, com a esposa.

    Pena que foi numa época em que eu estava participando de um evento puxado e nem deu para mostrar a cidade para ele, nem o “Paredão”, uma rua de alfarrábios daqui, que na época estava com um bom estoque de Tex antigos.

    Inclusive aquele Chet que aparece numa foto foi eu que presentei ao Pedro.

    T+

    Emerson

  4. Olá

    Daqui é o entrevistado! Obrigado a todos pelos comentários e em particular ao Emerson pelo Chet que me presenteou em tempos! Tem um lugar especial na minha colecção!

    Já agora, AMoreira, o que chamas de “Geração intermediária”?

    Pedro

  5. Amigo.
    Chamo de geração intermediária, aqueles fãs que tem menos de 45 anos e acima dos trinta, que conheceram Tex no meio do caminho, e são os responsáveis por levá-lo adiante.
    Acima dos 45 estão aqueles mais antigos, que foram testemunhas do nascimento de Tex no Brasil, são os jurássicos.
    Até os 30 anos, são aqueles jovens que conheceram Tex recentemente, ou seja, os novos fãs que estão na adolescências de sua paixão, e que esperamos não troquem de paixão.
    Espero ter esclarecido sua dúvida.
    Abraços.
    AMoreira.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *