A extraordinária PUJANÇA de Tex (no Brasil): Mythos, Salvat e… Panini

Tex na Panini Comics

Tex Willer continua a ser um fenómeno extraordinário de vendas à escala planetária tendo em conta os milhões de exemplares que a cada novo ano são vendidos em países, sobretudo, como Itália e Brasil, mas também Portugal, França, Finlândia ou até na Índia, apesar da “crise” que assola a banda desenhada mundial onde praticamente se constata que a cada ano a Nona Arte vai perdendo milhares de leitores no seu todo.

E um dos países onde Tex tem uma extraordinária pujança e até uma expansão cada vez maior é no Brasil, a segunda casa do Ranger, já que depois de Itália não há a menor dúvida que a legião mais fervorosa de texianos se encontra no Brasil, sobretudo em número de exemplares adquiridos, número esse que somente é suplantado, obviamente, pelo mercado italiano.

Tex está presente, ininterruptamente, nos quiosques brasileiros desde 1971 e no próximo ano comemorará 50 anos de contínua publicação no Brasil e comemorará essa data com um vigor e energia de fazer inveja a qualquer outro personagem da BD mundial, como certamente veremos.

Panóplia de Tex com o selo da Mythos Editora, Brasil

Actualmente a Mythos Editora, a casa de Tex no Brasil há mais de duas décadas, brinda os seus leitores com uma panóplia de séries (Tex mensal, Tex Coleção, Tex Edição Histórica, Tex Ouro, Tex Gigante, Tex em Cores, Tex Colorido, Tex Anual, Tex Platinum, Maxi Tex, Almanaque Tex, Tex Willer, As Grandes Aventuras de Tex, Tex Especial Civitelli, etc.) que atendem todo o tipo de público e que não tem paralelo a nível mundial, nem sequer na Itália e só por aí poderíamos ver a popularidade e robustez do Ranger no Brasil, mas para além da Mythos Editora Tex também é actualmente publicado pela Editora Salvat que publica a luxuosa série Tex Gold e podemos já informar, para quem ainda não sabe, que também a Panini, depois de algumas “experiências” bonellianas (Deadwood Dick, Mister No: Revolução, Chanbara, etc.) vai “emprestar” o seu selo ao mítico Ranger nascido em 1948 pelas mãos e mente de Gianluigi Bonelli e Aurelio Galleppini.

Trata-se da “Biblioteca Tex“, cujo número inaugural deverá ser publicado ainda durante este mês de Outubro e trará a história “Os justiceiros de Vegas” escrita por Mauro Boselli e ilustrada por Corrado Mastantuono. Terá 224 páginas, a cores e o mesmo formato da colecção Tex Gold da Salvat. O preço ainda não foi divulgado. Quanto à capa, com as presenças de Tex e Carson em posição de duelo, é da autoria do desenhador da aventura: Corrado Mastantuono.
Em Vegas, Novo México, a paz e a tranquilidade reinam graças a um grupo de justiceiros do gatilho rápido que faz a lei ser respeitada a qualquer custo. Seguindo a pista de uma quadrilha de assassinos e assaltantes que agem na fronteira sul do Estado, Tex descobre que alguns dos bandidos foram enforcados justamente em Vegas. Mas as contas não fecham porque, depois da data da morte dos facínoras, eles assaltaram uma diligência! Para conseguir esclarecer a situação, os quatro pards devem enfrentar Hoodoo Brown e Dave Mather, respectivamente presidente municipal e xerife daquela que, aparentemente, é uma cidade livre do crime.

Os justiceiros de Vegas, capa original italiana da autoria de Corrado Mastantuono

O segundo número da “Biblioteca Tex“, série inspirada na colecção dos cartonados de Tex na Itália, anteriormente publicada pela Mondadori e actualmente pela própria Sergio Bonelli Editore, trará a história “A volta do Juiz Bean“, escrita também por Mauro Boselli, mas ilustrada por Pasquale Frisenda, sendo também a capa da autoria do próprio Frisenda que deste modo se estreará no Brasil com a sua assinatura numa capa de Tex, depois de já ter cometido esse feito em Portugal, primeiro com duas magníficas capas para a editora Polvo e mais recentemente com outras duas deslumbrantes capas para a revista do Clube Tex Portugal. O lançamento do número 2 da “Biblioteca Tex” está previsto já para Novembro.
Em perseguição do bandido Lonnie Moon, Tex e Carson chegam a Langtry, pequeno povoado onde vive o juiz Roy Bean, “a lei a oeste do Pecos”, acabando por ajudá-lo a enfrentar Pablo Morientes e seus acólitos, interessados nos vinte mil dólares roubados pela quadrilha de Collins, dos quais acreditam ter o juiz tomado posse. Depois de auxiliar à fuga de Moon da prisão, Morientes monta duas armadilhas: uma destinada a Tex e Carson, para serem massacrados pelos Comanches de Cachorro Louco, seus cúmplices; a outra dirigida ao juiz Bean, que é atraído a San Antonio depois de receber uma carta anónima em que lhe anunciam o iminente rapto da actriz inglesa Lillie Langtry, por quem o juiz nutre uma profunda paixão. Após derrotarem os guerreiros Comanches e libertarem o juiz, que entretanto tinha sido sequestrado por Morientes, Tex e Carson chegam a San Antonio no final da apresentação da Senhorita Langtry, quando os sobreviventes do bando de Morientes e ele próprio estão prestes a entrar em acção. É então que tudo se precipita…

O juiz Bean, capa original italiana da autoria de Pasquale Frisenda

E deste modo, depois de 72 anos de vida editorial, efeméride comemorada a semana passada, Tex é assim publicado por quatro editoras, de língua oficial portuguesa, diferentes: Mythos, Polvo, Salvat e Panini… e podemos já assegurar que não se ficará por aqui… 2021 trará mais novidades a respeito… 

Colecção original italiana dos cartonados de Tex. Coleccção de Marco Murineddu

(Para aproveitar a extensão completa das imagens, clique nas mesmas)

5 Comentários

    • O sucesso e o continuar da colecção Biblioteca Tex dependerá das vendas, pard Antônio Marcos Matias… a Panini está a apostar forte…
      Para já teremos estes dois números, com um espaçamento mensal…
      Mas acredito que será um sucesso de vendas (Tex jamais desilude) e que teremos muitos mais números nesta colecção…

      • Tex para todos os gostos e bolsos!
        Aos Iniciantes e aos Iniciados!
        No geral parabéns à Panini.
        Mas cada um fica a reflexão, se vale realmente a pena INICIAR mais uma coleção de Tex a fazer!?

  1. Interessante, espero que a Panini venha com força total… dependendo da proposta eu vou pegar tudo que eles publicarem!!

  2. Só vejo um grande monopólio a se estabelecer no mercado editorial de quadrinhos no Brasil.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *