Entrevista com o fã e coleccionador: Ary Otávio Canabarro dos Santos

Entrevista conduzida por José Carlos Francisco.

Ary Otávio Canabarro dos SantosPara começar, fale um pouco de si. Onde e quando nasceu? O que faz profissionalmente?
Ary Canabarro: Sou Ary Otávio Canabarro Dos Santos, natural de São Pedro do Sul, na região central do Rio Grande do Sul, extremo sul do Brasil. Nasci na Primavera de1956 em um rancho de Pau a Pique Barreado às margens do Rio Ibicuí, que faz parte da Bacia do Rio Uruguai. Quando criança pobre e necessitada trabalhei em Olaria, capinei horta, fui Tipógrafo, Fotógrafo, Balconista em Pastelaria e finalmente passei em um Concurso Público e há trinta e um anos sou Funcionário Público da União. Hoje, continuo pobre, mas tenho o suficiente para viver e desfrutar de alguns prazeres. Entre eles o de comprar e ler Tex.

Ary Otávio Canabarro dos Santos e a sua colecçãoQuando é que teve início esta paixão pela Banda Desenhada, em especial pelo Tex?
Ary Canabarro: Quando entrei para a Escola na metade da década de sessenta, em parceria com um amigo que tinha condições de comprar (eu não tinha) revistas, comecei a ler as primeiras Histórias em Quadradinhos. Eram revistas de Bang Bang com vários personagens (Texas Kid, Zorro – aquele das balas de prata -, Cavaleiro Solitário e outras…). Gostava mais do Zorro (Mascarilha em Portugal) e seu Amigo índio chamado Tonto. Tinha também histórias menos realistas, como por exemplo o Superboy, Supermoça, Batman, Fantasma e outros. Não posso esquecer das revistas Disney (Tio Patinhas, Mickey, e seu amigo Pateta, Pato Donald e seus sobrinhos Huguinho, Zezinho e Luizinho, Margarida e suas sobrinhas Lala, Lelé e Lili, Peninha, Gastão e o brasileiríssimo Zé Carioca com seu amigo Nestor). Mas essa parceria com o amigo foi até a metade da década seguinte. Nesse período surgiu uma equipa de Super Heróis que me fascinava. Era a LEGIÃO DOS SUPER HERÓIS. O trabalho em equipa sempre me chamou mais a atenção. Depois vieram outros. O Homem Aranha, Capitão América, Demolidor, Conan… E TEX WILLER e seus Pards.

Ary Otávio Canabarro dos Santos mexendo na colecçãoPorquê o Tex e não outra personagem?
Ary Canabarro: Não lembro bem qual a história de TEX por li por primeiro. O facto é que quando me dei conta, TEX era o meu herói preferido. Talvez por ser um personagem que tem seus Parceiros e com eles divide responsabilidades. Talvez porque com eles tenha uma amizade verdadeira. Talvez porque com eles tenha uma relação de confiança. Talvez porque há respeito entre eles. E não é só com Carson, Tigre e Kit que isso acontece. Com os amigos que aparecem de vez em quando (Pat, Jim, Gross, Montales, Cochise,  El Morisco, etc…) também dá para notar o mesmo comportamento.

O que Tex representa para si?
Ary Canabarro: TEX, a personagem, é corajoso, destemido, valente, forte, habilidoso, não suporta injustiças, mas se não fosse Amigo, se não tivesse princípios e não trabalhasse em equipa, de nada valeria a sua coragem, seu destemor, sua valentia e suas habilidades. E tudo isso torna a leitura agradável, tornando-se assim um entretenimento prazeroso.

Ary Otávio Canabarro dos Santos arrumando a colecçãoQual o total de revistas de Tex que tem na sua colecção? E qual a mais importante para si?
Ary Canabarro: Não sei quantas são, nunca contei. Mas tenho todas as publicações editadas no Brasil. (TEX Normal, TEX Coleção, TEX Edição Histórica, TEX Ouro, TEX Anual, TEX Gigante, TEX e os Aventureiros, TEX de Férias, TEX Mini Séries, Os Grandes Clássicos de TEX, Almanaque TEX, TEX Coloridos, Pósteres, Marca Páginas e o Álbum de Figurinhas, sem figurinhas, pois o que estava quase 50% completo desapareceu). Mas tenho um carinho especial por uma Edição Italiana que ganhei do meu Amigo Gervásio do Portal Texbr. E ainda, entre todas essas Edições as mais significativas são 107, 108, 109 e 110 do Tex Normal. São aquelas que contam a história chamada ”O GRANDE GOLPE”. Tem trabalho de equipa dos dois lados.

Ary Otávio Canabarro dos Santos arrumando a colecçãoColecciona apenas livros ou tudo o que diga respeita à personagem?
Ary Canabarro: Colecciono mesmo é Tex. Compro tudo o que é publicado no Brasil. Só não compro as revistas Italianas por falta de dinheiro. Tenho também Zagor, Ken Parker, Mister No, Martin Mystère, Dylan Dog, História do Oeste e Conan. Além, é claro, de livros de literatura e didácticos diversos.

Qual a sua história favorita? E qual o desenhador de Tex que mais aprecia? E o argumentista?
Ary Canabarro: Como já referi, a aventura ”O Grande Golpe” é uma grande história. Talvez a favorita. Mas “Flechas Pretas Assassinas” é sensacional. Gosto bastante também da aventura chamada “Caçadores de Escalpos”. E gosto de muitas outras. Não posso negar que prefiro aquelas em que aparecem as tribos de índios.
Ary Otávio Canabarro dos Santos e os seus Tex'sE aí temos as Histórias de Lucero, Kento, Navajos em Pé de Guerra, e etc, etc… Gostei da história “A Trilha das Emboscadas”, pois lá o Repetto caracterizou como “Gaúcho”, um dos vaqueiros (ou será que foi o Manfredi que o descreveu assim?). Quanto ao desenhador, gosto de todos, pois entendo que todos são bons. Cada qual com suas características. Porém aprecio de uma forma especial dois. Estou falando de A. Galleppini (aquele de El Muerto e Ídolo de Cristal) e G.Ticci. O argumentista de minha preferência ainda é G.L. Bonelli.

Ary Otávio Canabarro dos Santos e os seus Tex'sO que lhe agrada mais em Tex? E o que lhe agrada menos?
Ary Canabarro: Tex, sendo uma personagem nascida da mente brilhante de G. L. Bonelli, era um bandido fugitivo com senso de justiça e solitário. Foi se moldando com o decorrer do tempo e juntou amigos formando assim uma equipa.  Mas a disposição inabalável de buscar justiça, que continua, e seu trabalho de equipa, são qualidades que me agradam bastante. Poderia ser perfeito. E se fosse, teria vida longa? Não sei. Mas o hábito de fumar é a única coisa que poderia ser abolido neste personagem tão querido. Fumar realmente não é necessário. E os roteiristas actuais poderiam acabar com essa propaganda do tabaco. O facto dele estar sem uma companheira, poderia ser trabalhado melhor. Quem sabe uma esposa e um Rancho, na divisa da reserva dos Navajos. Kit Willer ficaria na aldeia chefiando, tendo Jack Tigre como seu Conselheiro principal. Kit Carson poderia ficar no Rancho com Tex. Ou ele casaria com uma mulher índia e moraria na própria aldeia. Isso com relação ao Tex. Já no que diz respeito à Editora, não me agrada nada as repetições de Aventuras. Essas reedições não ajudam em nada, muito pelo contrário. Peço que os Editores revejam essa prática.

Ary Otávio Canabarro dos Santos e osTex's GigantesEm sua opinião o que faz de Tex o ícone que ele é?
Ary Canabarro: Tex é uma personagem querida e amada por muitas pessoas no mundo em função das características já citadas. Quais são? Coragem, persistência, audácia, força física, senso de justiça, inteligência, equipa, enfim, sua luta ao lado dos mais fracos. Acho que todos nós gostaríamos de praticar isso.

.
Ary Otávio Canabarro dos SantosPara concluir, como vê o futuro do Ranger?
Ary Canabarro: Por certo que o futuro será promissor. Porque tem uma grande equipa por trás de Tex e seus pards. Que equipa é essa? São editores, argumentistas, desenhadores, arte-finalistas, capistas, tradutores, distribuidores e principalmente os coleccionadores (fanáticos ou não) e os leitores eventuais. Espero que estes últimos se tornem coleccionadores também. Pois são os coleccionadores os grandes propagandistas de Tex.
Grande abraço a todas as equipas, que de uma forma ou de outra fazem o sucesso de TEX WILLER!

Prezado pard Ary Canabarro, agradecemos muitíssimo pela entrevista que gentilmente nos concedeu.

(Para aproveitar a extensão completa das imagens acima, clique nas mesmas)

8 Comentários

  1. Grande pard e amigo Ari.
    Parabéns pela bela entrevista,. E aproveito para reforçar o convite para uma visita á ZONA FRANCA COMICS.

    Um forte quebra-costela!

    Jesus Nabor Ferreira

  2. Buenas… Prazer em conhecer o pard Ari Canabarro em carne e foto, pois antes solamente numa caricatura a la Jô Soares.
    Sempre ocorre um encantamento quando conheço um texiano, é como se descobrisse um tesouro, ainda mais quando é um pard com tantas revistas e tantas histórias para nos contar.
    Fico imaginando quantas rodadas de chimarrão tomaríamos até que cansássemos de falar do nosso Tex.
    Inegável que comungo com a maioria dos seus posicionamentos e fiquei feliz de constatar que assim a nossa amizade crescerá ainda mais via fórum, orkut, msn e até nos contatos privados e, talvez, ao vivo, pois só as montanhas não se encontram.
    Parabéns grande pard!

  3. Belíssimas respostas, ponderadas, sérias, apaixonadas e inteligentes, espelhando o caráter noblíssimo do Ary, pessoa que Manitu me colocou como conhecido e amigo nestes tempos. O Ary é um dos colecionadores de TEX de primeira grandeza no Brasil, ele circula o Estado inteiro a trabalho (e parte do Brasil) e, sempre que pode, aproveita para falar sobre o ranger mais temido do oeste e granjear novos amigos! Como TEX, adora estar ao ao livre, e tem um carinho enorme por fotografias e por ornitologia, assunto que, por ser outro o escopo, deste texto, não houve espaço de ser comentado na entrevista. Abração, Ary! iHasta la vista!

  4. Buenas…
    Por descuido meu, ou por outro motivo que desconheço, não tinha lido estes comentários. Agradeço imensamente aos Amigos, as palavras incentivadoras. Grande Abraço e um beijo no Coração de todos. Ary Otávio

  5. O amigo Ari me proporcionou uma enorme alegria confeccionando aquela belissima camiseta amarela (eu tenho uma) comemorativa aos 60 anos de TEX.Parabéns pala entrevista.

  6. É um orgulho para mim vê-lo sempre com tanta paixão por tudo que faz. Meu encantamento por ti será sempre, dia a dia crescente. Parabéns por manter a obra do teu ídolo dos quadrinhos tão impecável. E eu posso atestar o quão importante é para ti mantê-la sempre assim. Para um fã de TEX… um beijo de uma fã tua. Tua Filha. Seila

  7. E aí, seu danado. Cadê você que nunca mais vi? Trabalhamos tantos anos juntos e nunca me disse que gosta tanto do TEX. Engraçado, eu sempre li ele tambêm, inclusive ontem comprei duas revistas. Um abraço do amigo prá ti e dê notícias…

  8. Realmente, a gauchada do pampa está com o Ranger do Arizona. Tudo a ver. Gostei da entrevista do seu Ary, colecionador confirmado. Percebo que muitos fãs e colecionadores colocam nas entrevistas aqui essa questão do Tex arrumar uma namorada, mas particularmente entendo o Tex é meio um padre defensor da lei, compromisso total com o “sacerdócio”, castidade por opção, o que é uma característica factível da personagem, principalmente pelo período histórico em que se situa. Melhor que virar um mulherengo com uma mulher em cada canto ou ser um esposo ausente.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *