As Leituras do Pedro: Dragonero – Nacido de las llamas

As Leituras do Pedro*

Dragonero: Nacido de las llamas
Luca Enoch
(argumento)
Alfio Buscaglia (desenho)
Panini Comics
Espanha, 25 de Junho de 2020
195 x 259 mm, 208 p., cor, capa dura
ISBN: 9788413344133
22,00 €

Vendável

Geralmente pouco receptivo ao género narrativo, confesso-me rendido a Dragonero, por estes dias possivelmente a mais vendável franquia ‘moderna’ da Sergio Bonelli Editore.

Na verdade, volume após volume – disponíveis em edições robustas e generosas da Panini espanhola, compreensivelmente a cores, embora em termos pessoais talvez as preferisse no preto e branco original, tal como as está a publicar a Mythos no Brasil – Dragonero vai ganhando consistência e unidade, ao mesmo tempo que se expande pelos reinos de Erondar que lhe servem de cenário(s).

Desta vez, o aparecimento de um inusitado ser, que se revela mortal e apresenta uma conexão mental com Ian, leva este caçador de dragões e Gmor, o ogre que é seu companheiro, em mais uma perigosa missão nos confins da zona civilizada, onde as surpresas, os adversários e as vítimas se irão multiplicando.

Com uma narrativa sólida, feita de avanços e recuos, fortes momentos de acção e com as revelações a surgirem de forma progressiva, Nacido de las llamas, para além de envolvente, serve também para alargar o conhecimento dos leitores sobre o universo de Dragonero, os seus protagonistas e a sua fauna.

Como complemento, este volume apresenta ainda El último vuello, uma narrativa curta – para os padrões Bonelli, pelo menos – que, a posteriori, explica a origem do ser que Ian defronta na primeira história, fechando de alguma forma o círculo implícito. E fá-lo de forma muito interessante, pelo modo assertivo com complementa algumas lacunas que a narrativa principal (implicitamente) deixara.

Nota final

Vale o que vale – e até não seria a minha primeira escolha – mas se desejasse editar alguma série Bonelli em Portugal, a seguir a Tex – estando Dylan Dog de fora uma vez que já está de alguma forma em curso de publicação – Dragonero parece-me a escolha mais óbvia, comercialmente falando.

*Pedro Cleto, Porto, Portugal, 1964; engenheiro químico de formação, leitor, crítico, divulgador (também no Jornal de Notícias), coleccionador (de figuras) de BD por vocação e também autor do blogue As Leituras do Pedro
(http://asleiturasdopedro.blogspot.com/).

(Para aproveitar a extensão completa das imagens acima, clique nas mesmas)

2 Comentários

  1. Dragonero é uma ótima estória de fantasia e aventura, ao melhor estilo dos RPG’s. Se no início a leitura era por mera curiosidade, ao termina-la tornei-me fã, aguardando os próximos volumes, no bom e magnífico preto e branco.

Responder a Eduardo Minamino Cancelar resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *