Entrevista com o fã e coleccionador: Esdras Stevany

Entrevista conduzida por José Carlos Francisco.

Para começar, fale um pouco de si. Onde e quando nasceu? O que faz profissionalmente?
Esdras Stevany: Olá, o meu nome é Esdras Stevany, nasci no dia 30 de Maio de 1997, na cidade de Lagoa Salgada, cidade próxima à capital do estado do Rio Grande do Norte, Brasil.
Passei toda a minha infância até os 20 anos em um lugar de praia, um pequeno vilarejo chamado Diogo Lopes, distrito da cidade de Macau. Faz um ano apenas que moro em outro lugar do Brasil, chama-se Goiás, na cidade de Catalão.
Sou um jovem muito sonhador, sou ilustrador profissional, trabalho com diferentes estilos artísticos, desde pintura de telas, banners, design de logomarcas, quadrinhos, caricaturas e etc…
Desenhar é o que faço profissionalmente, desde os 15 anos de idade, porém também trabalho em outras actividades para melhor manter a minha renda. No mundo artístico o meu nome é “Stevany“,  deixei o meu sobrenome porque é mais fácil de se pronunciar. (Risos)

Quando nasceu o seu interesse pela banda desenhada?
Esdras Stevany: Desde pequeno eu li muitos quadrinhos, mangá  e banda desenhada, mas o interesse pela banda desenhada começou com Tex, quando aos 12 anos eu vi uma revista de Tex na banca, e comprei. Ali começou para mim um mundo de imaginação e nostalgia que vivencio até hoje. Ao ler Tex me deparei com diversos autores, escritores e desenhadores, e aquilo me fascinou a buscar por conhecer e aprender mais desse universo.
Me deparei em seguida com as BD’s de Julia Kendall, Mágico Vento e o incrível Zagor (personagem que amo muito). Tex e Zagor para mim é tudo de melhor que eu já li, e eu os desenho constantemente, aprendendo com cada artista, e aos poucos aumentando o meu nível artístico através dos mestres italianos.

Quando descobriu Tex?
Esdras Stevany: A paixão por Tex como falei antes, veio aos 12 anos quando descobri e comprei uma revista nas bancas. Porém logo mais tive a sorte de encontrar um “mega-fã “ de Tex na minha cidade, um homem conhecido pelo nome  de “Itá”,  ele emprestou-me algumas edições de Tex para ler, e para minha surpresa ele era um exímio coleccionador de Tex!!! Tinha desde o número 1 de Tex até o actual, e muitas edições especiais.
Eu fiquei louco quando vi aquela imensa pilha de revistas, (risos), eu fui pedindo a ele emprestado, e  de uma por uma cheguei a ler todas as edições do Tex normal que tinha saído no Brasil, num total de mais de 500 revistas, e fui acompanhando mensalmente, só parei de ler as revistas do Itá quando mudei de cidade, mas sempre acompanhando os novos lançamentos como faço até hoje.


Porquê esta paixão por Tex?
Esdras Stevany: A paixão por Tex está ligado directamente ao instinto de justiça do personagem, a busca por dar o melhor e resolver problemas, não só os seus mas também dos outros, e eu posso dizer que Tex moldou o meu jeito de ver o mundo, de tentar melhorar a cada dia, como o pouco que cada pequeno acto de justiça faz uma tão grande diferença.

O que tem Tex de diferente de tantos outros heróis dos quadradinhos?
Esdras Stevany: Como falei, Tex é um justiceiro nato, intrinsecamente dá o seu melhor, e ele não tem poderes sobrenaturais como muitos personagens diversos, isso o faz resolver suas situações difíceis com aquilo que está ao seu alcance. Armas, facas, flechas e o seu próprio punho!!
Mas o que mais me fascina em Tex é o seu lado humano, o poder verdadeiro do Tex está no seu coração, fazer pelos outros aquilo que ele faria por si mesmo.

Qual o total de revistas de Tex que você tem na sua colecção? E qual a mais importante para si?
Esdras Stevany: A minha colecção não é lá das maiores (risos), tenho umas 50 revistas de Tex, particularmente só comprei essas por conta dos desenhadores, colecciono as melhores histórias e mais bem desenhadas, amo desenhar. E o facto de não ter mais revistas, remete aquilo que falei anteriormente, eu li quase todas revistas de Tex que saíram no Brasil, pegando emprestado de meu amigo “Itá”. por isso não tenho muuuitas (risos).
A mais importante é uma edição especial colorida, desenhada por Civitelli, é a que mais gosto, pelo facto de no início da entrevista ter a história do começo da Sergio Bonelli Editore, e muitos making off de desenhadores falando a sua trajectória e bastidores de como é feito o Tex.

Colecciona apenas livros ou tudo o que diga respeita à personagem italiana?
Esdras Stevany: Basicamente tudo o que tenho são livros e edições especiais de Tex.

Qual o objecto Tex que mais gostaria de possuir?
Esdras Stevany: O que mais eu gostaria de possuir, mmmm, seriam três páginas originais de Tex, desenhadas por Claudio Villa, Alessandro Piccinelli e Alessandro Bocci.  Esses são os meus artistas predilectos e que sonho conhecer um dia!! Ter alguma arte deles para mim é como zerar a vida!!

Qual a sua história favorita? E qual o desenhador de Tex que mais aprecia? E o argumentista?
Esdras Stevany: A minha história favorita é a que conta a vida de Jack Tigre, aquela edição é fantástica! Realmente e difícil escolher (risos). O escritor de Tex que mais gosto é Claudio Nizzi. E o desenhador, esse é o mais difícil, sendo sincero não posso escolher apenas um, tenho que pôr os três lado a lado, Claudio Villa, Alessandro Piccinelli e Alessandro Bocci.

O que lhe agrada mais em Tex? E o que lhe agrada menos?
Esdras Stevany: O que mais me agrada é o senso de justiça, o que menos me agrada é o facto de Tex não querer casar de novo (risos).

Em sua opinião o que faz de Tex o ícone que é?
Esdras Stevany: Tex é a justiça em pessoa, qualquer coisa que se contrapõe à lei, Tex sabe resolver, sabe pôr ordem ao que está em desordem, é o homem que acha o corrupto e o desmascara, tudo isso junto faz Tex ser o ícone que é.

Costuma encontrar-se com outros coleccionadores?
Esdras Stevany: Raramente encontro alguém apaixonado por Tex, não que não tenha muitos próximo a mim, mas é pelo facto de que onde moro é bem distante dos outros coleccionadores aqui no Brasil, mas por muita sorte tive a honra de conhecer o Itá, um grandiosíssimo coleccionador e apaixonado pelo Ranger, graças a ele pude ler muuuuitíssimas histórias do Ranger mais famoso do Oeste!!! Tex Willer!!

Para concluir, como vê o futuro do Ranger?
Esdras Stevany: O futuro do Ranger será grandioso, graças aos grandes autores que levam os personagem a diversas fronteiras imaginárias, creio que Tex é e sempre será a melhor banda desenhada que pude pegar em minhas mãos, com 18 anos eu já tinha lido mais de 500 revistas do personagem, isso mostra que Tex nunca deixou e nem deixará de quebrar recordes tanto na Itália e no mundo, o futuro de Tex está em boas mãos!!
Um dia quando eu chegar a desenhar o Ranger mais famoso do Oeste, eu vou lembrar desta pergunta (risos). Eu vou realizar esse sonho, tenham certeza disto!! No momento estou  desenhando amostras de páginas de quadrinhos. Em breve penso em mostrá-las à editora Sergio Bonelli, será uma honra desenhar futuramente algum personagem bonelliano, creio que terei esse prazer. Estou batalhando por isso.


Prezado pard Esdras Stevany, agradecemos muitíssimo pela entrevista que gentilmente nos concedeu.

(Para aproveitar a extensão completa das imagens acima, clique nas mesmas)

Um comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *