(Ainda) Limeira Tex 70 anos

Por Charles Oto Dickel

Quando recebi o convite para ir à exposição de quadrinhos em Limeira na qual o centro das atenções seria o 70º aniversário da primeira publicação de Tex na Itália logo descartei a possibilidade, devido à minha condição financeira, mas com o passar do tempo e com os factos que foram acontecendo isso foi mudando. Vamos a eles:

Em Março pensando no cordel escrito pelo pard Rouxinol do Rinaré pensei em escrever um poema sobre Tex, ao mesmo tempo comecei um projecto de leitura com meus alunos do 6º e 7º anos na escola em que trabalho. Comecei a levar as minhas revistas para a sala de aula durante um período da minha aula de matemática.

Nesse mesmo mês de Março aconteceu o primeiro Animetoque (um encontro de cosplays de heróis) no qual nasceu então O Tex Willer dos Pampas (assim baptizado e idealizado pelo meu irmão Edemar -Kit Carson dos Pampas). Quem dera eu saber que depois daquele dia a minha relação com o nosso querido Ranger fosse tomar essa proporção.

Em Abril conversando com a minha esposa surgiu a ideia de tentar divulgar o meu poema do Tex. Com a ajuda do Ulisses Miranda (Kit Willer mineiro) consegui o contacto do Dorival (director da Mythos) para o qual enviei um email contando um pouco sobre a minha adoração por Tex e sobre o poema, na resposta ele logo solicitou que eu enviasse o poema. Enviei-o. E durante um longa semana esperei o retorno, o qual não veio. Ai fiquei numa dúvida cruel, será que ele recebeu o email, será que caiu na caixa de spam, será que ele não gostou do que leu… bem, por via das dúvidas enviei novamente o poema, coloquei no final “aguardo retorno”, kkk que desilusão, nenhum retorno, então vida que segue.

O projecto de leitura estava dando super certo, recebi muitas revistas de amigos coleccionadores, então a orientadora da escola me pediu para fazer uma fala sobre a importância da leitura para os professores da escola. Escolhi o dia 10/09. Enquanto isso continuava participando de eventos juntos com o Ede, e neste eventos comecei a distribuir revistas para as crianças.

Então, não tem como esquecer, em 27 de Agosto, numa segunda feira à noite durante a reunião na escola vem a seguinte mensagem no celular “pessoal, o autor desse poema do Tex não é aqui do grupo” e a foto do meu poema publicado, dei um berro na sala, meus colegas me olharam espantados mas não contei o que era.

Lendo Tex desde os 11 anos quando o meu pai me deu dois Tex Coleção (32 e 34) e agora o meu poema publicado na revista, bem fico arrepiado ainda hoje quando lembro. E a publicação saiu justamente antes da minha fala para os colegas professores, do fechamento para a palestra.

Aí tudo mudou, tentamos até roubar um avião para ir a Limeira.

Ede Kit Carson dos Pampas quase se jogou de um penhasco para comemorar a ida ao encontro.

Com um certo jeitinho conseguimos (quando digo conseguimos me refiro ao meu inseparável irmão Edemar) a verba para a tão sonhada viagem, não foi fácil e os respingos dessa aventura ficaram presentes até poucos dias atrás, mas isso é outra história.

O encontro em Limeira, bem ai precisaria quase livro para descrever tudo que aconteceu e o que vivenciamos lá.

Primeiro o “Cabelos de Prata” não queria embarcar no avião, se reclama de trens e diligências imagina entrar num pássaro de ferro, tive que dar com a bota na cabeça para sossegar no avião.

O famoso rodízio de pizzas na sexta-feira a noite.

Conhecer pessoalmente os amigos, ouvir histórias, ensinamentos, ganhar presentes, autógrafos… quanta coisa.

O café da manhã no posto…

O tão esperado bife de três dedos de altura soterrado em uma montanha de batatas fritas acompanhado por um rio de cerveja e uma deliciosa torta de maçã.

A última noite no hotel e mais surpresas…

Galanteador como sempre e um eterno adorador da boémia.

Por último um merecido descanso pois foram dias inesquecíveis.

Ficou um pouco longo o meu relato pois foram muitos momentos marcantes e incríveis.

Grande abraço Texiano,

Charles Oto Dickel

Tex Willer dos Pampas

(Para aproveitar a extensão completa das imagens, clique nas mesmas)

4 Comentários

  1. TEX WILLER DOS PAMPAS
    Interpretado por Charles Otto Dickel

    Meu amigo Charles Joice Pietro Bonatto Dickel há um ditado popular que se encaixa perfeitamente contigo: “Todo o esforço será recompensado”.
    Poucos sabem que nós fomos colegas de trabalho e que nesse breve período jamais havíamos conversado sobre leitura de histórias em quadrinhos e, principalmente, sobre nossa paixão por Tex Willer.
    Essa descoberta só ocorreu porque tive a oportunidade de realizar um encontro de colecionadores de Tex e Zagor em nossa cidade e você acabou “aparecendo” por lá.
    Afinal os encontros realizados tem não só por propósito levar e divulgar nosso personagem. Bem como incentivar a leitura, mas também “descobrir” quem são e por onde andam estes colecionadores.
    Daí em diante, mesmo que de forma tímida, você começou a demonstrar que seria uma das “minhas grandes descobertas” neste meio do colecionismo de Tex.
    Seu relato apresentado no conceituado e mundialmente conhecido “Tex Willer Blog” fez-me viajar no tempo e constatar que fui um privilegiado em acompanhar todo seu esforço e processo evolutivo.
    Fiquei extremamente lisonjeado por você ter citado meu “humilde nome”, ao mesmo tempo, tendo a absoluta certeza de que a dupla Tex Willer dos Pampas e Kit Carson dos Pampas ainda terão muitas aventuras pela frente e que estaremos lado a lado e, que certamente, serão magistralmente relatados e descritos por você em um futuro próximo.
    Não posso deixar de citar que meu afilhado já esta seguindo seus passos: o “Pequeno Falcão” Pietro.
    Que venham os próximos encontros: 17º Encontro Sul-Americano de Motoqueiros (Soledade/RS – 30/03/2019); 2º AnimeToque (Não Me Toque/RS – 14/04/2019), etc.. etc…
    Parabéns meu amigo e um forte abraço!

  2. As histórias envolvendo o universo de Tex são admiráveis e emocionantes, as duas coisas, assim, juntas e misturadas. Sejam no universo dos quadrinhos, sejam no universo dos fãs, cada relato vale a pena ser lido. Isso quando não se mesclam quadrinhos com realidade e tá feita a confusão – não tem lei que corrija esses anacronismos (rsrs)… Já recebi convite com Tex e Karson confirmando presença, em plena aldeia navajo, para encontro num rancho no extremo oeste de São Paulo. Então, neste ambiente bonelliano nada é impossível! Realmente Charles “Tex Willer dos Pampas” Dickel, uma maratona impressionante e muito prazerosa a tua, pelo visto, desde o convite a Limeira até o último dia do evento, como apareces na “siesta” da imagem final! De fato, foi mais um grande momento de texianos! Parabéns pela história! Abraço!

  3. O que eu posso dizer depois de ler tudo isso é OBRIGADO!
    Sim pard obrigado por ser quem você é e por ter estado aqui em Limeira dividindo tudo isso com a gente! Lembro que choramos juntos, naquele corredor, quando expressamos todo o nosso amor por Tex e tenho certeza que o evento ficou muito melhor com a sua presença! Limeira está de portas abertas para você meu irmão! Viva Tex Willer!

  4. Parabéns por esse super artigo. Uma verdadeira saga texiana. Que continues com esse trabalho maravilhoso.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *