As Leituras do Pedro: Universo Tex (Outros protagonistas)

As Leituras do Pedro*

Universo Tex
#1 Maria Pilar
Mauro Boselli
(argumento)
Alessandro Bocci
(desenho)

#2 Terror na Floresta
Chuck Dixon
(argumento)
Michele Rubini
(desenho)
Polvo

Portugal, Dezembro de 2018
175 x 235 mm, 32 p., capa dura
7,90 €

Outros protagonistas

Apesar dos seus 70 anos de idade – o que faz dele o western de banda desenhada há mais tempo em publicação ininterrupta – Tex tem sabido renovar-se e adaptar-se aos tempos. Isso, sem perder o espírito e as características que de certa forma fizeram dele um caso à parte, pela intensa ligação com uma legião de fãs que acompanham todas as edições e, em muitos casos, têm assegurado sucessivas reedições.

Se isto acontece desde sempre em Itália e, há muito tempo, no Brasil, nos últimos anos tem vindo a afirmar-se também em Portugal, em especial graças à acção que o Clube Tex tem desenvolvido, com sucessivas exposições e a presença dos mais destacados autores do ranger.

Dessa forma, não surpreende que a Polvo venha juntar à sua colecção Tex – Romance Gráfico, a nova “Universo Tex“, embora creia que continuamos a falar de tiragens pequenas, vocacionadas essencialmente para um universo determinado.

Se a primeira daquelas colecções publica histórias longas e marcantes do ranger, a actual iniciativa editorial surpreende pela escolha de narrativas, mais curtas nos dois volumes iniciais, mas cuja dimensão será variável, em que o habitual protagonista, agora só figurante ou nem isso, cede o seu lugar aos habituais companheiros.

Dessa forma, Maria Pilar, narra o encontro de um jovem Kit Carson com uma bela mexicana apostada em vingar a morte do pai e afirmar os direitos dos seus conterrâneos, a quem um grupo de texanos quer afastar das terras em que vivem e dos negócios que empreenderam. Ao western tradicional, é acrescentado um tom romântico, acentuado pela sensualidade da jovem, surgindo, como nota de destaque, o facto de o único protagonista possível para este relato ser Kit Carson, desde sempre (re)conhecido pelo fraquinho pelo belo sexo.


O mesmo não acontece com Terror na Floresta que tem por figura central Kit Willer, o filho de Tex. Neste caso, este último, Carson ou mesmo Jack Tigre poderiam ter interpretado o mesmo papel, com variações mínimas, sem que o tom geral do argumento fosse alterado.

Nele, Kit, preso indevidamente para trabalhar num campo ilegal de abate de árvores, devido ao seu carácter forte e determinado, inevitavelmente entra em conflito com os seus captores, ao mesmo tempo que consegue alguns aliados com quem combater a situação.

Em ambos os casos, o protagonismo de quem geralmente fica na sombra de Tex, contribui para aprofundar as características das personagens e dar-lhes uma outra espessura.

E se é verdade que ambas as histórias são suficientemente densas para garantir uma leitura demorada, proporcionalmente ao seu curto número de páginas, a verdade é que para quem está habituado a ler as tradicionais histórias de Tex, com pelo menos duzentas pranchas, elas saberão sempre a pouco.


A edição da Polvo é simpática, consistente e bem impressa, com um texto final que situa o protagonista no universo de Tex, embora  acredite que alguns vão achá-la cara em função do seu número de páginas – uma capa mole, similar às das edições italianas talvez pudesse equilibrar este factor, embora a pudesse tornar menos vendável fora do círculo dos fãs do ranger.

Deixo no entanto duas chamadas de atenção.
A primeira refere-se à escolha da imagem para as páginas de guarda, que deve ser mais cuidadosa, uma vez que são objecto de uma grande ampliação; se a escolhida para Maria Pilar funciona muito bem, já a de Terror na Floresta, choca um pouco e não faz jus à arte do desenhador, pois revela ‘imperfeições’ que passam despercebidas na leitura da narrativa, onde a sua dimensão é bem menor.

A segunda, dirá pouco a muitos dos leitores, possivelmente, mas é uma informação que os leitores (de Tex) mais exigentes agradecem: falta em ambos os livros a indicação da data e local de publicação original das histórias.


*Pedro Cleto, Porto, Portugal, 1964; engenheiro químico de formação, leitor, crítico, divulgador (também no Jornal de Notícias), coleccionador (de figuras) de BD por vocação e também autor do blogue As Leituras do Pedro (http://asleiturasdopedro.blogspot.com/).

(Imagens cedidas pela editora; clicar nelas para as aproveitar em toda a sua extensão; versão revista e aumentada de um texto publicado no Jornal de Notícias de 28 de Janeiro de 2019)

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *