Tex Willer presente em Grande Exposição de Banda Desenhada, no Museu da Imagem e do Som (MIS)

Por José Carlos Francisco (texto) e Thiago Gardinali (fotos)

O jornalista Thiago Gardinali com Tex Willer na Grande Exposição de Banda Desenhada, no Museu da Imagem e do Som (MIS)

Foi inaugurada na passada quarta-feira, dia 14 deste mês de Novembro, uma das maiores exposições já realizadas no Brasil sobre a Nona Arte. Exposição essa denominada,’Quadrinhos‘ (com curadoria de Ivan Freitas da Costa) e que contém uma ampla retrospectiva do universo da Banda Desenhada e que decorre no Museu da Imagem e do Som (MIS) até ao dia 31 de Março de 2019.

O Museu da Imagem e do Som – MIS – localiza-se na Avenida Europa, 158, Jardim Europa, São Paulo e está aberto ao público de terça a sábado, das 10h às 20h (com permanência até às 22h) e aos domingos e feriados, das 9h às 18h (com permanência até às 20h). Os ingressos custam 30 Reais (bilhete inteiro) e 15 Reais (meio-bilhete) e podem ser adquiridos no site www.ingressorapido.com.br

Quadrinhos, a Grande Exposição de Banda Desenhada, no Museu da Imagem e do Som (MIS)

Nas 16 áreas da exposição (Origens, Caricaturas e charges, Tiras, Europa, Mangá, Erótico, Mauricio de Sousa, Angelo Agostini, Ziraldo, Brasil, Brasil nas últimas décadas, América Latina, América do Norte, Disney, DC e Marvel) temos expostas revistas, artes originais e itens raros dos diversos géneros das histórias aos quadradinhos – super-heróis, infantis, terror, aventura, romance, mangá, faroeste, erótico e muitos outros, inclusive o Oeste do nosso Tex Willer – em ambientes temáticos e imersivos que ocupam os dois andares do Museu, apresentando também a influência da Histórias aos Quadradinhos na cultura pop e em outras mídias como cinema, rádio e TV.

Tex Willer na Grande Exposição de Banda Desenhada, no Museu da Imagem e do Som (MIS)

Entre os itens expostos o público poderá ver de perto raridades como a revista com a primeira aparição de Luluzinha, publicada na The Saturday Evening Post em 1935; a edição número 1 de “O Pato Donald” (1950); uma ilustração original de Tintim, de As Aventuras de Tintim, uma das histórias mais conhecidas do belga Hergé; uma arte original da personagem erótica Valentina desenhada pelo seu criador, o italiano Guido Crepax; exemplar da revista Giant-Size X-Men 1 (1975); uma ilustração original de The Spirit, que traz o personagem mais conhecido de Will Eisner; uma edição do jornal O Mosquito (1873) com capa de Angelo Agostini, desenhista ítalo-brasileiro que teve intensa actividade em favor da abolição da escravatura no Brasil, assim como a mítica capa nº 1 de Tex (1971) e ainda a revista Júnior nº 263 (1957) que conteve a última aparição de Tex na colecção Júnior, para além de um belíssimo quadro e algumas artes originais como podemos ver nas fotos enviadas pelo nosso correspondente Thiago Gardinali.

Míticas e valiosíssimas edições de Tex Willer na Grande Exposição de Banda Desenhada, no Museu da Imagem e do Som (MIS)

Aproveitamos também para dar a conhecer uma reportagem-vídeo divulgada na Globo, no passado dia 14 e que mostra um pouco desta fantástica exposição que aconselhamos a todos que amam a Nona Arte e que a possam visitar:

Também mostramos um segundo vídeo, onde a presença do Ranger Tex Willer é bem visível (a partir do terceiro minuto), vídeo esse realizado pelo Canal Yotube BesTV Oficial e que mostramos de seguida:

(Para aproveitar a extensão completa das imagens acima, clique nas mesmas)

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *