Entrevista com o fã e coleccionador: Gabriel da Silva Santana

Entrevista conduzida por José Carlos Francisco.

Para começar, fale um pouco de si. Onde e quando nasceu? O que faz profissionalmente?
Gabriel Santana: O meu nome é Gabriel da Silva Santana, nasci no dia 28 de Agosto de 1996, na cidade de Ipatinga (MG), actualmente, trabalho com electrónica e dou aulas de música.

Quando nasceu o seu interesse pela banda desenhada?
Gabriel Santana: Começou através dos meus primos, que tinham uma pilha de gibis, de várias personagens como Turma da Mônica, Homem Aranha, entre outras. Muita das vezes passava a noite inteira lendo as revistas que eles possuíam.

Quando descobriu Tex?
Gabriel Santana: Em duas ocasiões: na primeira foi quando o meu pai achou umas páginas de uma revista do Tex (se não me engano, foram umas 10), em que a história foi quando o Carson e o Tex adiaram a torta de maçã para pegarem um barco que estava quase partindo (…risos…). Aí uns 7 anos depois, eu estava andando no pátio da minha escola, quando vi umas folhas da revista do Tex ‘Coleção’ com a história “O filho de Mefisto“. Juntei todas e colei unindo as páginas que estavam soltas. Aí na biblioteca da minha escola, a bibliotecária estava descartando alguns livros e revistas velhas, dentre as revistas, estavam três do Tex: as edições históricas 34, 38 e 67.

Porquê esta paixão por Tex?
Gabriel Santana: Ele mostra uma personalidade que muitos iniciantes (coleccionadores) buscam numa revista: amizade verdadeira, amor para com o próximo, e ajudar sem olhar a cor, religião ou raça.

O que tem Tex de diferente de tantos outros heróis dos quadradinhos?
Gabriel Santana: Foi o que eu disse na resposta anterior, mas para complementar, é uma personagem que busca justiça, ajudando os necessitados e “trocando” xerifes corruptos pelos honestos (…risos…).

Qual o total de revistas de Tex que você tem na sua colecção? E qual a mais importante para si?
Gabriel Santana: Recentemente não havia contado, mas estou rumando às 300 revistas. A que eu mais achei interessante foi essa recente do Tex Edição Histórica 102: “Missão em Great Falls“.

Colecciona apenas livros e tudo o que diga respeita somente à personagem italiana?
Gabriel Santana: Colecciono outras revistas de outras personagens também.

Qual o objecto Tex que mais gostaria de possuir?
Gabriel Santana: Apenas três: o arco e flecha do Tex que saiu na edição número 1 do Tex da editora Vecchi de 1971, umas das estatuetas que saiu na Itália e que foi em “Limited Edition” e uma das revistas que saiu no Brasil em formato de talão de cheques nos anos 50 conhecidos como “Tex Junior“.

Qual a sua história favorita? E qual o desenhador de Tex que mais aprecia?
Gabriel Santana: Foi a Tex Edição Histórica 93 com a história ‘Prendam Tex Willer‘ em que ele foi acusado de assaltar um banco sendo que na verdade alguém assumiu as suas feições físicas para incriminá-lo. Os meus desenhadores favoritos são o Galep, Ticci e Mastantuono. Já o escritor é Claudio Nizzi.

O que lhe agrada mais em Tex? E o que lhe agrada menos?
Gabriel Santana: O que mais me agrada são as histórias que são criadas em fases cronológicas, ligando uma história a outra (passados de intrigas, filhos de bandidos que querem vingar os pais, magia negra, entre outras). O que me agrada menos é o que alguns ‘pards‘ já reclamaram; a má qualidade de impressão, os preços absurdos a demora de entrega na editora.

Em sua opinião o que faz de Tex o ícone que é?
Gabriel Santana: Confesso que não sei o como explicar; mas ele tem um carácter que nenhuma outra personagem tem.


Costuma encontrar-se com outros coleccionadores?
Gabriel Santana: Aqui na minha cidade, tem um amigo que compra na banca, e depois, revende pra mim pela metade do preço, e pelas redes sociais converso com alguns e combinamos algumas revistas para compra e venda.

Para concluir, como vê o futuro do Ranger?
Gabriel Santana: Um futuro com muitas historias inéditas. E eu sei que a Bonelli Editora vai sempre surpreender a gente com novidades como por exemplo a juventude de Tex com algumas histórias de antes entrar para o corpo dos Rangers, amigos que fizera e que duram até hoje, etc.


Prezado pard Gabriel Santana agradecemos muitíssimo pela entrevista que gentilmente nos concedeu.

(Para aproveitar a extensão completa das imagens acima, clique nas mesmas)

Um comentário

  1. Bela entrevista, os meus parabéns, com tempo vais ter uma bela enorme coleção, muita fé. Abraço

Responder a Marco Aurélio Cancelar resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *