Entrevista com o fã e coleccionador: Erik Hilton

Entrevista conduzida por José Carlos Francisco.

Para começar, fale um pouco de si. Onde e quando nasceu? O que faz profissionalmente?
Erik Hilton: Olá Pards. Chamo-me Erik Hilton, nasci e moro em Timbaúba, Pernambuco, Brasil. Tenho 36 anos de idade, sou pai de duas crianças e sou micro-empresário do ramo de lacticínios.

Quando nasceu o seu interesse pela banda desenhada?
Erik Hilton: Quando criança os meus pais me levavam nas feiras e eu comprava a um senhor que vendia e trocava na praça. Eu comecei lendo Mónica e Disney. Assistia muito faroeste na sessão coruja e no cacareco, um cinema de bairro aqui da cidade. Então um dia o meu tio me deu um gibi do Tex.

Quando descobriu Tex?
Erik Hilton: Um tio meu decidiu desfazer-se de umas revistas velhas que tinha em casa e no meio delas tinha uns gibis do Tex. Ele me deu para eu pintar, porque era preto e branco, mas depois que li uma aventura, apaixonei-me.

Porquê esta paixão por Tex?
Erik Hilton: Tex é o maior herói do Oeste, suas aventuras são carregadas de drama, acção, humor e honestidade para com os seus parceiros. Sem falar no senso de justiça que impera quando o nosso Ranger decide agir.

O que tem Tex de diferente de tantos outros heróis dos quadradinhos?
Erik Hilton: Tex não tem super-poderes como muitos dos heróis mais famosos, ele enfrenta perigos reais e credíveis, ele luta até à ultima bala, defende os seus ideais e amigos como se nunca houvesse amanhã, pois naqueles tempos malditos ninguém sabia muito como seria o próximo dia.

Qual o total de revistas de Tex que você tem na sua colecção? E qual a mais importante para si?
Erik Hilton: Na minha mais recente contagem do Tex Mensal tenho 542, faltam 26 para completar a colecção. Tex gigante: 29; Tex Almanaque: 49; Grafic Novel Tex: 2; Tex Edição Ouro e Histórico: Aleatório tal como Tex Anual e Platinum e em cores. Mais ou menos 1000 revistas, com algumas que não foram aqui citadas.
Todas as histórias são importantes. Mas as minhas favoritas são: A volta de Montales, O turbilhão da morte, O passado de Kit Carson, Os justiceiros de Vegas. Essas são as que eu mais me identifico, não dá para escolher só uma.

Colecciona apenas livros ou tudo o que diga respeita à personagem italiana?
Erik Hilton: Eu colecciono tudo. As revistas, os livros, os pósteres, atc. Tenho um apreço enorme pelo póster do Pard Rouxinol do Rinaré, um cabra arretado da gota serena. Tenho também o item de maior importância dos últimos anos que é o livro teórico do grande Tex da América Latina, meu grande Amigo, GG Carsan. Nome do livro O grande herói do faroeste e Justiça a qualquer preço. Ainda falta o terceiro livro, Um tributo ao chefe dos Navajos, que está na minha lista de desejo.

Qual o objecto Tex que mais gosta de possuir?
Erik Hilton: Desejo ter na minha colecção o terceiro livro do GG Carsan e uma caricatura minha feita pelo mestre Jim Halley.

Qual a sua história favorita? E qual o desenhador de Tex que mais aprecia? E o argumentista?
Erik Hilton: História favorita: Flechas pretas assassinas. Desenhador tenho dois: Fusco e José Ortiz, Escritor também dois: Claudio Nizzi e Mauro Boselli. Junto aos criadores que são os principais.

O que lhe agrada mais em Tex? E o que lhe agrada menos?
Erik Hilton: O que me agrada mais é o senso de verdade. E o que menos me agrada é falta de uma parceira nas aventuras. Uma das coisas que me desagrada também é a falta de uma história desenhada por um artista brasileiro.

Em sua opinião o que faz de Tex o ícone que é?
Erik Hilton: Mesmo até hoje em tempos modernos, com tantas maravilhas tecnológicas e outras distracções mais, como Internet, cinema 3D, redes sociais, mesmo o nosso famigerado cowboy, continua a encantar gerações passadas e vindouras.

Costuma encontrar-se com outros coleccionadores?
Erik Hilton: Sim, vou sempre a eventos, realizei um encontro na minha cidade, onde contamos com a ilustre presença do Pard GG Carsan e do Pard Inaldo Rodrigues. Também fui na ExpoTex, em João Pessoa, na Paraíba, onde encontrei também outros Pards: Raissa Lira, Lúcio Andrade, Antonio Carlos, Ricardo Elesbão, Clecia Almeida, Jário Costa, Iranildo Silva, Linda Muranaka, e outros tantos que um dia terei a satisfação em conhecer pessoalmente.

Para concluir, como vê o futuro do Ranger?
Erik Hilton:
Vejo o destino em nossas mãos de coleccionadores, com atitudes de demonstrações, como, ler em local público (ler em metro, praça, ônibus), participar de eventos Geeks, feira de quadradinhos, fazer doações, estas são as atitudes que já estou tomando. Não ter vergonha de ler o nosso TEX. Viva o nosso Ranger!
Agora que chegamos ao fim, agradeço ao Pard José Carlos, por ceder este espaço para eu poder mostrar um pouco da minha paixão.

Prezado pard Erik Hilton agradecemos muitíssimo pela entrevista que gentilmente nos concedeu.

(Para aproveitar a extensão completa das imagens acima, clique nas mesmas)

6 Comentários

  1. Parabéns pela excelente entrevista pard amigo Erik Wilton!!! Sei do esforço e dedicação que emprega para completar aos poucos sua coleção, que vai além de Tex. Você como eu adora os demais personagens do universo Bonelli, e vejo com gosto as fileiras de heróis que só vai crescendo, e Você sempre empolgado querendo mais. Fica um abraço forte desse seu amigo conterrâneo.

  2. Olá, uma pergunta ao pard José Carlos, agora que a personagem Lupe Velasco irá retornar, saberia dizer se a primeira personagem a aparecer na revista Tex depois dele a índia Tesah (antes de qualquer outro personagem) vai retornar também? Seria muito bom uma história nova de Tex com a Tesah desenhada pelo Fabio Civitelli.
    Òtima entrevista, e o Erik disse certo ao afirmar que o destino de Tex está nas mãos dos colecionadores.

    • Pard Teodoro Barros, que eu saiba não há notícias de um eventual regresso da filha de Urso Cinzento, a índia Tesah… mas com tantos retornos em cogitação por parte de Mauro Boselli é uma hipótese a considerar… aguardemos 😉

  3. Ficou excelente, Pard! Espero te encontrar mais vezes nos próximos eventos, gente finíssima.

  4. Estou feliz pelo pard citar meu nome, a caricatura vai sair sim assim que conseguir retomá-las…

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *