Entrevista com o fã e coleccionador: Ângelo Amarildo Goular

Entrevista conduzida por José Carlos Francisco.

Para começar, fale um pouco de si. Onde e quando nasceu? O que faz profissionalmente?
Ângelo Amarildo Goular: O meu nome: Ângelo Amarildo Goulart. Nascido em 21 de Abril de 1963. Sou natural de Piranguinho – MG. Região localizada no Sul de Minas. Fui nascido e criado em uma fazenda no interior do Estado, trabalhando com os meus pais na lavoura de arroz, milho e café e cuidando de algumas reses. Vida simples e comum, típica do homem do campo. Aos 17 anos mudamos para Piranguinho onde aprendi a profissão de padeiro, que exerci por oito anos. Depois casei-me e converti-me a Cristo, e há dezoito anos sou um Ministro do Evangelho. Mas não esqueci-me da minha origem humilde e procuro vivenciá-la em meu quotidiano.

Quando descobriu Tex?
Ângelo Amarildo Goular: Não sei dizer com exactidão, mas acho que descobri o Tex através de um amigo meu de juventude. Pois era costume na época a gente comprar ler e emprestar as revistas um para o outro para desfrutar da leitura e comentar o assunto. As primeiras revista que eu li deveria ser há uns trinta e cinco anos passados, faz muito tempo mesmo.

Porquê esta paixão por Tex?
Ângelo Amarildo Goular: Gosto muito da personagem, devido ao senso de justiça e à coragem ao enfrentar os grandes desafios. Além da perspicácia, inteligência, atitude e determinação.

O que tem Tex de diferente de tantos outros heróis dos quadradinhos?
Ângelo Amarildo Goular: As aventuras vividas por Tex e seus pards têm um aspecto real e não fictício. Quando mergulhamos na história parece que estamos vivendo a realidade com a personagem dos quadradinhos. São emocionantes e electrizantes as histórias, muito bem elaboradas…

Qual o total de revistas de Tex que você tem na sua colecção? E qual a mais importante para si?
Ângelo Amarildo Goular: Devo ter aproximadamente umas 250 revistas. 150 Tex Coleção, 50 Tex Edição Histórica e 40 Tex Ouro…
Difícil dizer qual destaca mais, fui leitor de Tex dos 18 aos 25 anos depois parei de coleccionar…
Voltei novamente há pouco tempo atrás. As primeiras revistas que eu li foram: Juramento de Vingança, Na Fronteira do Colorado, Terra Prometida, Prisioneiros do Deserto, El Muerto… só clássicos da literatura.

Colecciona apenas livros ou tudo o que diga respeita à personagem italiana?
Ângelo Amarildo Goular: Fui leitor de Cheet, Ken Parker e Zagor. Hoje sou leitor e coleccionador somente de Tex.

Qual o objecto Tex que mais gostava de possuir?
Ângelo Amarildo Goular: Não tenho nenhum objecto de Tex…
Como a maioria dos leitores a minha história predilecta é El Muerto. Gostaria, de preferência ser contemplado, se possível autografado, com uma revista a cores do Tex contando a história do Ranger.

Qual a sua história favorita? E qual o desenhador de Tex que mais aprecia?
Ângelo Amarildo Goular: A minha história favorita já citei de forma antecipadamente. Kkkkkk.
Já os desenhadores preferidos são nesta ordem das prioridades: Letteri, Galleppini, Ticci, Nicolò, Fusco e Monti.

O que lhe agrada mais em Tex? E o que lhe agrada menos?
Ângelo Amarildo Goular: As história são muito bem elaboradas com suspense e acção. Isto é o que realmente me fascina…
Já os desenhos actuais deixam a desejar, prefiro não fazer comentário neste sentido, depreciando os desenhadores… inclusive na última edição do Tex Edição Histórica… Ficou horrível!!!

Em sua opinião o que faz de Tex o ícone que é?
Ângelo Amarildo Goular: A arte gráfica, cenários geográficos, os primeiros desenhadores excelentes, histórias interessantes. Tudo isso contribuiu para expandir no mercado literário conquistando os leitores do género.

Costuma encontrar-se com outros coleccionadores?
Ângelo Amarildo Goular: Na minha região conheço poucos pessoalmente, tenho feito amigos na rede social.

Para concluir, como vê o futuro do Ranger?
Ângelo Amarildo Goular: Já li algo a respeito que a venda do Tex estatisticamente falando está em declínio nos últimos tempos. Eu gostaria muito que a personagem continuasse no mercado por muitos anos. Esta é a minha singela opinião a respeito, um grande abraço…
Suerte, hasta la vista, e viva Tex!!!

Prezado pard Ângelo Amarildo Goular agradecemos muitíssimo pela entrevista que gentilmente nos concedeu.

(Para aproveitar a extensão completa das imagens acima, clique nas mesmas)

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *