As Leituras do Pedro: Tex #551 a #553

As Leituras do Pedro*

Tex #551Lua encarnada
Tex #552Caçada sinistra
Tex #553Fetiche mortal
Boselli (argumento)
Mastantuono (desenho)
Mythos Editora
Brasil, Setembro a Novembro de 2015
135 x 175 mm, 114 p., pb, brochado, mensal
R$ 8,30 / 4,00 €

Algumas notas de leitura – breves e soltas, dirão com alguma razão alguns – sobre uma narrativa – longa – que introduz algumas nuances – interessantes e actuais – no Tex tradicional.

História longa, escrevi, pois conta 286 pranchas, ou seja cerca de duas edições e meia de Tex, medida raramente atingida nos últimos anos.

O ‘excesso’ (a tal meia edição) serve de introdução a uma narrativa de crime, resgate e vinganças,  introdução essa que tem lugar 16 anos antes da narrativa principal e realça um dos seus pontos distintivos.

Que é um ganho – inabitual – de realismo consubstanciado na violação – consumada – de uma branca por um comanche que a raptou, e cujas – piores? – consequências se farão sentir os tais 16 anos depois.

A este factor, Boselli, o argumentista, acrescenta o teste de um modelo de escrita raramente visto em Tex: a utilização de textos de apoio em voz off, ao longo de várias páginas – numa longa sequência no deserto – para mostrar – de novo com um acréscimo de um pouco habitual realismo – o estado de espírito de Tex e dos seus companheiros de ocasião, descrentes, desesperados, quase subjugados pelas condições naturais.

Após uma longa perseguição, um toque de misticismo e um longo rasto de mortos, o confronto final, inevitável, apresenta igualmente algumas interessantes nuances, a principal das quais o facto de não ser Tex a assumir o protagonismo…

Mastantuono, responsável pelo desenho, sai da hercúlea tarefa com nota bem alta, pelo realismo de que impregnou as personagens, pela dureza de rostos, corpos e cenários e pelo magnífico jogo de contrastes preto/branco, luz/sombra, claro/escuro.

Por tudo isto atrevo-me a dizer que esta história não desmerecia o destaque (do formato) de um Tex Gigante…

Como nota final, de carácter editorial, fica a saliência para a curta distância temporal – cerca de seis meses – que decorreu entre a publicação original italiana (entre Fevereiro e Abril de 2015) e a sua reprodução no Brasil (Setembro a Novembro do mesmo ano).

*Pedro Cleto, Porto, Portugal, 1964; engenheiro químico de formação, leitor, crítico, divulgador (também no Jornal de Notícias), coleccionador (de figuras) de BD por vocação e também autor do blogue As Leituras do Pedro (http://asleiturasdopedro.blogspot.com/).

(Para aproveitar a extensão completa das imagens acima, clique nas mesmas)


Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *