Entrevista com o fã e coleccionador: Eduardo Leite Alves

Entrevista conduzida por José Carlos Francisco.

Eduardo Leite Alves e os Tex's GigantesPara começar, fale um pouco de si. Onde e quando nasceu? O que faz profissionalmente?
Eduardo Leite Alves: Eduardo Leite Alves, nascido em 27/10/1959 em São Paulo, trabalho há 26 anos na área de Recursos Humanos do Hospital Universitário da Universidade de São Paulo. Sou casado tendo um casal de filhos ainda pequenos. Além da banda desenhada gosto muito de seriados e filmes de desenhos antigos anos 50/60/70.

Colecção de Eduardo Leite AlvesQuando é que teve início esta paixão pela Banda Desenhada, em especial pelo Tex?
Eduardo Leite Alves: Desde que fui alfabetizado de imediato já desenvolvi uma paixão pelos quadradinhos, que começou com Disney passando para personagens como a Turma da Luluzinha, Gasparzinho, Pernalonga, mas incluindo também Marvel, DC Comics, FantasmaMandrake, Brucutu e vários outros. Tex surgiu na minha vida por acaso, quando um colega esqueceu duas revistas em minha casa. Tratavam-se ambas da primeira edição: os números 60 (O homem de Denver) e o 75 (Pistoleiros de Laredo). Foi uma paixão à primeira lida, e como na época eu ainda era um garoto (corria o ano de 1976) eu não tinha recursos e tive que esperar um tempo até começar a trabalhar para poder adquirir mais revistas e começar a coleccionar. O mais pitoresco é que eu não tinha acesso a sebos (alfarrabistas, em Portugal) e tive que esperar longos anos para ler o término da primeira aventura na reedição (nº 61, O índio Branco) e o início da outra aventura (nº 74, Na fronteira do Colorado) e imaginem que a reedição ainda estava no número 3…

O herdeiro da colecção, já um Texiano!Porquê o Tex e não outra personagem?
Eduardo Leite Alves: Eu sempre apreciei o género western, e embora nos filmes os índios sempre perdessem, eu cultivava uma grade admiração pelo povo vermelho.Então Tex casou tudo que eu apreciava, o cow-boy justiceiro que tem um laço de amor e respeito ao povo vermelho.

O que Tex representa para si?
Eduardo Leite Alves: Tex representa um modelo de ombridade, honestidade, justiça, sagacidade, carácter além de um humor tudo na medida certa.

Colecção de Tex's de Eduardo Leite AlvesQual o total de revistas de Tex que você tem na sua colecção?
Eduardo Leite Alves: Tenho completos todos os títulos de Tex publicados no Brasil excepto Tex Edição Histórica porque já tenho Tex Coleção.

Colecciona apenas livros ou tudo o que diga respeita à personagem italiana?
Eduardo Leite Alves: Colecciono apenas quadradinhos, pois colecciono também Júlia, Zagor e Mágico Vento e meu orçamento familiar não me permite alçar voos muito altos.

Colecção de Tex's de Eduardo Leite AlvesQual a sua história favorita? E qual o desenhador de Tex que mais aprecia? E o argumentista?
Eduardo Leite Alves: A volta do Dragão, o nº 88 da Vecchi, pois em sua luta contra o bando de Dom Manuel e Wang (O Dragão Negro), Tex junta muita acção com uma elevada dose de bom humor, além disso gosto muito quando Tex age incógnito, camuflado de durão, sem revelar que é um Ranger. Poderia citar diversas outras histórias que me agradam como a extraordinária sequência de As Flechas Pretas Assassinas (adoro aventuras no Canadá com Jim Brandon e companhia). Como bom saudosista,embora existam excelentes desenhadores e argumentistas actualmente, sou fiel à dupla Bonelli/Galep.

Colecção de Tex's de Eduardo Leite AlvesO que lhe agrada mais em Tex? E o que lhe agrada menos?
Eduardo Leite Alves: Para ser sincero só vejo pontos positivos em Tex, talvez porque a personagem me cativou desde a primeira história que li. É uma leitura que me diverte muito e gosto bastante também da citação de factos históricos reais e do conhecimento da cultura indígena que sempre me atraiu.

Em sua opinião o que faz de Tex o ícone que é?
Eduardo Leite Alves: Em virtude de Tex ter personalidade forte como gostam os apreciadores do género western, e também por suas posições em defesa dos índios, contra a escravidão e apolíticas, detestando os esquenta-cadeiras, conta a seu favor.

Eduardo Leite Alves e os Tex's GigantesPara concluir, como vê o futuro do Ranger?
Eduardo Leite Alves: Vejo um futuro bem promissor para o Ranger, haja vista a quantidade de revistas do Tex que a Mythos consegue manter em banca aqui no Brasil, e agora creio que este lançamento colorido será também um sucesso. Creio que muitos jovens que não alcançaram os bons tempos dos westerns no Cinema e na TV nos anos 50/60 têm em Tex uma das poucas oportunidades de conhecer um pouco deste rico universo, e espero que isto ajude na preservação deste nosso querido herói de papel.

Prezado pard Eduardo Leite Alves, agradecemos muitíssimo pela entrevista que gentilmente nos concedeu.
(Para aproveitar a extensão completa das imagens acima, clique nas mesmas)

Um comentário

  1. Parabéns a vc Zeca, por nos fazer conhecer os grandes colecionadores do Ranger mais amado do Brasil e a vc Eduardo pelas belas respostas.

    Abraços Texianos

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *