A chegada de Pasquale Frisenda e Stefano Biglia à cidade de Lisboa

A chegada de Pasquale Frisenda e

Stefano Biglia à cidade de Lisboa

Comité de recepção a Frisenda e Biglia no aeroporto de Lisboa

Por José Carlos Francisco (texto) e Orlando Santos Silva (fotos)

Aquando da chegada a Portugal para participarem, em Maio, na 2ª Mostra do Clube Tex Portugal, Pasquale Frisenda e Stefano Biglia, ambos na sua primeira visita ao nosso país, tinham à sua espera no aeroporto da Portela, em Lisboa, os seus fãs e admiradores Carlos Moreira, Mário João Marques, Orlando Santos Silva, Hernâni Portovedo, Pedro Bouça e ainda os editores Dorival Vitor Lopes (que veio acompanhado pelo pard Giovanni Voltolini) e Rui Brito, para além das “pequenas” Andreia Sofia e Ana Beatriz, as minhas filhas que me acompanharam nesta recepção a Pasquale Frisenda, Stefano Biglia e Valeria Lantermino, a esposa de Biglia.

À chegada de Frisenda e Biglia a Lisboa, as apresentações

Editor Rui Brito conversando com Frisenda a propósito do "Patagónia" português

Depois dos efusivos cumprimentos e apresentações ainda no aeroporto da Portela, onde antes da chegada dos consagrados autores todos os presentes tomaram contacto com o exemplar português “Patagónia” (cujo lançamento ocorreria na 2ª Mostra do Clube a realizar no dia seguinte) trazido directamente da gráfica, depois de uma incrível maratona para estar pronto a tempo e horas, pelo editor Rui Brito, da Polvo Edições, exemplar que granjeou de pronto os mais rasgados elogios pela alta qualidade da edição portuguesa, registamos para a posteridade esses momentos em várias fotografias, algumas das quais mostradas neste texto.

Autores e seus pards à mesa

Um brinde a Tex

Como a chegada ocorreu por volta das 20.30 horas, antes de levarmos os autores para um merecido jantar num restaurante da capital portuguesa, fomos dar um giro nocturno por Lisboa de modo a ficarem com uma primeira impressão desta cidade de várias colinas que se expande pelas encostas até à frente ribeirinha ao longo do rio Tejo.

Ana Beatriz, Andreia Sofia, Valeria Lantermino e Stefano Biglia

Ouvindo atentamente o Mestre Frisenda

E foi precisamente junto ao rio Tejo, mais em concreto na cervejaria/restaurante Portugália, que desfrutamos de um lauto jantar que encantou os autores já que ficaram de imediato deliciados com a comida portuguesa num local com uma vista fantástica para o rio e para o Padrão dos Descobrimentos, o monumento em forma de nau, com estrutura de betão revestida a cantaria, em cujos lados surgem as figuras esculpidas dos grandes responsáveis pela gesta portuguesa ou pela cultura do tempo, contendo, no interior, um auditório e salas de exposição e que foi feito para homenagear as figuras históricas envolvidas nos Descobrimentos portugueses.

Stefano Biglia à conversa com Pedro Bouça

Valeria Lantermino, Stefano Biglia e Orlando Santos Silva

E assim se passaram as primeiras horas dos autores italianos em Lisboa, já que por volta da meia noite era hora de rumar ao norte do país, mais precisamente até à bela cidade bairradina de Anadia onde a 2ª Mostra do Clube Tex Portugal iria abrir as suas portas nesse sábado…

Mário João Marques, Pasquale Frisenda e Orlando Santos Silva

Pedro Bouça, Hernâni Portovedo, Mário Marques, Pasquale Frisenda, Orlando Silva, José Carlos, Stefano Biglia, Dorival e Giovanni

E assim terminamos este texto que encerra a passagem de Pasquale Frisenda e Stefano Biglia pela 2ª Mostra do Clube Tex Portugal… um texto que deveria ter sido o primeiro, mas que por motivos vários, acabou sendo o último e que traz muitas saudades dos dias passados em companhia de tão especiais e aprazíveis autores e editores do nosso Ranger

José Carlos Francisco e Pasquale Frisenda com o Padrão dos Descobrimentos por cenário

(Para aproveitar a extensão completa das imagens acima, clique nas mesmas)

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *