Entrevista com o fã e coleccionador: Miguel Eduardo Dawagi dos Santos

Entrevista conduzida por José Carlos Francisco.



Para começar, fale um pouco de si. Onde e quando nasceu? O que faz profissionalmente?

Miguel Eduardo dos Santos: Meu nome é Miguel Eduardo Dawagi dos Santos, tenho 15 anos e sou estudante. Nasci na cidade da Lapa,Estado do Paraná, em Agosto de 1999.

Quando nasceu o seu interesse pela Banda Desenhada?
Miguel Eduardo dos Santos: Já lia algumas histórias aos quadradinhos principalmente as de Maurício de Souza.

Quando descobriu Tex?
Miguel Eduardo dos Santos: Descobri Tex pelo meu tio que lia, na sua infância, algumas edições sempre que podia. O meu pai contou-me sobre ele ser um fã desde pequeno e disse-me que qualquer dia que encontrássemos em alguma banca, iria comprar para mim. Enfim, encontramos uma revista de Tex em uma papelaria da cidade. A edição era Tex Coleção 250 -No Castelo dos Bandidos. Isso foi em Julho de 2007 e desde então não parei mais de comprar as revistas todo o mês.

Porquê esta paixão por Tex?
Miguel Eduardo dos Santos: Bem, ao longo dos primeiros meses que comecei a ler, despertou-me um certo apego por Tex que carrego ao longo dos anos de colecção. E depois de me tornar leitor assíduo, houve uma certa fixação que levou à paixão. As histórias de Tex são construídas com muita paixão e isso também me envolve muito.

O que tem Tex de diferente de tantos outros heróis dos quadradinhos?
Miguel Eduardo dos Santos: Não tenho conhecimento de outras BD’s com o tema faroeste e como é um universo que nos envolve bastante, gera sempre a expectativa para uma nova história todo mês.

Qual o total de revistas de Tex que você tem na sua colecção? E qual a mais importante para si?
Miguel Eduardo dos Santos:
Tenho no total 320 revistas em quase 6 anos de colecção e paixão. A edição mais importante é a de Especial de 60 anos de Tex na qual conta a sua história com a sua querida e eterna esposa.

Colecciona apenas livros ou tudo o que diga respeita à personagem italiana?
Miguel Eduardo dos Santos: No momento tenho mais revistas e também o DVD de Tex. Tenho também o póster da edição de Tex Coleção n°300, o qual tenho emoldurado. Futuramente espero comprar mais itens de mídia visual do nosso grande herói para juntar à minha colecção.

Qual o objecto Tex que mais gosta de possuir?
Miguel Eduardo dos Santos: Gosto de possuir o póster já citado a cima.

Qual a sua história favorita? E qual o desenhador de Tex que mais aprecia? E o argumentista?
Miguel Eduardo dos Santos: A minha edição preferida é O Bando dos Irlandeses, relançada recentemente em Tex Ouro. O meu desenhador preferido é o maravilhoso e único Giovanni Ticci e o meu argumentista preferido é Mauro Boselli.

Em sua opinião o que faz de Tex o ícone que é?
Miguel Eduardo dos Santos: Tex é um herói único e a sua humildade o faz espectacular. Por isso sempre o admirei e continuarei admirando.

Costuma encontrar-se com outros coleccionadores?
Miguel Eduardo dos Santos: Infelizmente não costumo encontrar-me pessoalmente com alguns coleccionadores, mas acompanho diariamente o grupo do Facebook e o blogue, sempre que possível.

Para concluir, como vê o futuro do Ranger?
Miguel Eduardo dos Santos: Espero que a SBE e a Mythos Editora continuem fazendo o óptimo trabalho que sempre fizeram trazendo o material de óptima qualidade e conteúdo farto para enriquecer cada vez mais a nossa paixão pelo nosso herói.

Prezado pard Miguel Eduardo dos Santos, agradecemos muitíssimo pela entrevista que gentilmente nos concedeu.
Miguel Eduardo dos Santos: Obrigado eu pela atenção.

(Para aproveitar a extensão completa das imagens acima, clique nas mesmas)

4 Comentários

  1. Parabéns pela coleção, pard Miguel! Legal ver um cara jovem lendo Tex apaixonadamente.

  2. Parabéns Miguel Eduardo, vejo que você é um garoto inteligente e tem muito bom gosto pela arte,escolhendo Giovani Ticci como o seu desenhador preferido,é o meu também.
    Aproveita e lê a minha entrevista.
    Claudinei Pires de Campos: http://texwillerblog.com/?p=33746
    Um Abraço.

  3. Obrigado pelas palavras e que continuemos sempre lendo nosso glorioso Tex. Claudinei, vou conferir sua entrevista. Um grande abraço a todos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *