Entrevista com a fã e coleccionadora: Fernanda Bender

Entrevista conduzida por José Carlos Francisco.

Para começar, fale um pouco de si. Onde e quando nasceu? O que faz profissionalmente?
Fernanda Bender: Sou gaúcha, nasci em Novo Hamburgo, no Estado brasileiro do Rio Grande do Sul, em Julho de 1984. Trabalho em uma gráfica e, apesar de já estar com 30 anos, ainda não sei bem o que quero da vida, hehehe! Sou viciada em histórias aos quadradinhos, romances e no bom e velho rock n’ roll.

Quando nasceu o seu interesse pela Banda Desenhada?
Fernanda Bender: Os quadradinhos foram a minha primeira leitura. Cresci lendo Disney, Turma da Mônica, Luluzinha & Bolinha, Recruta Zero, O Menino Maluquinho… tanto que ainda guardo boa parte das minhas revistas da infância com muito carinho e saudosismo de uma época tão boa. Há uns anos atrás, reabri as caixas onde as revistas estavam guardadas e o amor pelos quadradinhos reacendeu com força total. Hoje procuro conhecer outros tipos de histórias aos quadradinhos, como produções independentes ou adaptações de obras clássicas.

Quando descobriu Tex?
Fernanda Bender: Já tinha lido em alguns blogues de amigos recomendações sobre TEX, mas até então não sabia por onde começar. Depois de umas dicas com um blogueiro amigo, comprei uma Edição Ouro por conter uma história fechada e apaixonei-me imediatamente. E isso faz pouquíssimo tempo.

Porquê esta paixão por Tex?
Fernanda Bender: Eu já lia livros de bolso de faroeste, então foi fácil me agradar das histórias. Também gostei demais dos desenhos, achei tudo uma combinação perfeita no fim das contas. As histórias são dinâmicas, tem bons diálogos, acção e até umas pitadas de humor que me fizeram apreciar o conjunto instantaneamente.

O que tem Tex de diferente de tantos outros heróis dos quadradinhos?
Fernanda Bender: Ele não possui superpoderes ou usa roupas chamativas. É um homem comum, mas dotado de grandes valores e de palavra. Seu senso de justiça aliado a uma personalidade forte acabam inspirando quem lê, justamente por ele ser apenas um ser humano como todos nós. Aliás, isso é que torna a sua coragem ainda mais notável.

Qual o total de revistas de Tex que você tem na sua colecção? E qual a mais importante para si?
Fernanda Bender: Comecei a colecionar TEX faz pouco tempo, então tenho pouquíssimas revistas. Creio que no momento umas dez. Gosto de todas, mas a Edição Histórica nº 60 marcou-me bastante pela história de peso e reflexão que traz.

Colecciona apenas livros ou tudo o que diga respeita à personagem italiana?
Fernanda Bender: Por enquanto apenas as revistas.

Qual o objecto Tex que mais gostava de possuir?
Fernanda Bender: Seria maravilhoso ter alguma miniatura dele ou uma camiseta estampada.

Qual a sua história favorita? E qual o desenhador de Tex que mais aprecia? E o argumentista?
Fernanda Bender: Das poucas que li, gostei muito de “A Volta do Mestre”, pois nela há a presença de duas personagens históricas e muitas surpresas ao longo da narrativa.  Quanto a artistas que desenham ou roteirizam, realmente não sei dizer no momento.

O que lhe agrada mais em Tex? E o que lhe agrada menos?
Fernanda Bender: Tudo me agrada nas histórias de TEX. Gosto muito de ver Tex e Carson interagindo, sempre com diálogos espirituosos e por vezes engraçados. Não há nada que eu não tenha gostado até o momento.

Em sua opinião o que faz de Tex o ícone que é?
Fernanda Bender: Justamente o facto de ele ser apenas um homem de carne e osso que honra a sua palavra e vive a vida em defesa da justiça, fazendo o que é necessário para obtê-la. Ele é íntegro e impõe não só medo, mas respeito em seus adversários. Também acho óptima a maneira directa com que ele lida com os bandidos, na base do soco ou do tiro mesmo, e além de tudo ele possui raciocínio rápido e inteligente. Tex coloca-se no meio do fogo cruzado, arrisca a pele… é um homem de atitude e bravura admiráveis.

Costuma encontrar-se com outros coleccionadores?
Fernanda Bender: Converso online com alguns leitores de Tex. Do meu convívio mesmo, ninguém lê. Depois que passei a registar as minhas leituras em um blogue pessoal, fui encontrando outros que também são fãs do ranger, podendo assim trocar ideias e opiniões.

Para concluir, como vê o futuro do Ranger?
Fernanda Bender: Espero que mais pessoas possam conhecer estas revistas e apreciar tanto a leitura quanto eu. Tex vem encantando gerações e creio que continuará assim por muito tempo.

Prezada pard Fernanda Bender, agradecemos muitíssimo pela entrevista que gentilmente nos concedeu.

(Para aproveitar a extensão completa das imagens acima, clique nas mesmas)

9 Comentários

  1. Grande entrevista da amiga Nanda.
    Estou a um bom tempo sem visitar o seu blog, vou resolver isso em breve.
    Aliás perdemos o contato, não sei mais que plataformas você acessa já a bastante tempo.
    Abraço e boas leituras.

  2. Bem vinda à Familia Bonelli!…
    Parabéns pela entrevista, mais uma gaúcha no rol das Texianas. Faça parte do Fã Clube Tex Brasil no Face! Você vai encontrar milhares de colecionadores.

  3. Parabéns, Fernanda, pela entrevista – respostas seguras e inteligentes! – Parabéns também ao pard ZECA por nos fazer conhecer, sempre, novos leitores de nosso herói.
    É gratificante saber de pessoas que estão encontrando Tex agora e, assim, renovando esse público leitor (somando) para que essas belas histórias continuem sendo publicadas!

  4. Olá,
    Coleciono Tex desde Abril de 1977, e fico muito contente sabendo que ainda há jovens que se interessan em ler a revista Tex como a jovem Fernanda Bender. Obrigado por todo o empenho a este excelente Blog…
    Vida longa aos nossos queridos Pards Tex e companhia…!

  5. Parabéns Fernanda pela bela entrevista e claro pela sua coleção, que pelas fotos percebe-se que a mesma está crescendo. É muito bom saber que Tex também tem um público feminino que aprecia suas histórias. Abraços.

  6. Bom dia,
    Parabéns Fernanda pela sua entrevista, gostei muito, uma entrevista muito simples e “bonita” nas palavras que diz.
    Até que enfim, vejo, uma jovem a dizer, no blog,”…sou viciada nos quadrinhos, romances e no bom velho rock n’ roll“. Que saudade tenho do bom velho rock como Alice Cooper, Guns n’ Roses, Van Halen, Kiss, Led Zeppelin, AC/DC, ZZ Top, até Bill Haley rock around the clock, huey lewis and the news, etc,etc.
    Viciada, que palavra bonita e forte no mundo dos quadrinhos, são poucas as pessoas que dizem, os meus parabéns. Tenho a certeza que a sua coleção vai crescer e muito, e se precisar de alguma revista, eu posso até arranjar é só dizer.
    Pela primeira vez vejo uma jovem a dizer que lia livros de bolso de faroeste, Fernanda, tens muito bom gosto.
    Cada vez mais o público feminino aprecia e lê com muito carinho os títulos do Tex, e são muito bem-vindas.
    Os meus mais sinceros parabéns pela entrevista, pelas palavras e pelas fotos, que a sua coleção cresça muito e se precisar de ajuda é só dizer.
    Um abraço amigo dos Açores,
    Marco Avelar

  7. Nossa, faz tantos anos já que dei essa entrevista. Com a maternidade tive que despachar meus exemplares de TEX pois não tinha espaço para o quarto do bebê. Mas que arrependimento… entretanto continuo adorando o ranger, com certeza as HQs dele estão entre as minhas favoritas.

    • Olá, prezada pard Fernanda Bender,
      Que bom vê-la de novo por aqui… é um enorme prazer “rever” quem já colaborou com o Tex Willer Blog, como foi o seu caso com esta entrevista.
      Mas antes de mais nada, deixe-me dar-lhe os parabéns por já ser mãe, uma dádiva de Deus, a quem auguro muita saúde e alegria vida fora.
      Quanto a si, compreendo o seu “arrependimento” mas foi por uma causa mais do que justificada e quem sabe um dia você não volta a coleccionar o nosso Tex e até incutir a paixão pelo Ranger no seu príncipe 😉
      Termino desejando a si e a todos que a rodeiam um BOM ANO!

Responder a Daniel Ianegitz Vieira Cancelar resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *