Entrevista com o fã e coleccionador: João Marcos

Entrevista conduzida por José Carlos Francisco.

Para começar, fale um pouco de si. Onde e quando nasceu? O que faz profissionalmente?
João Marcos: O meu nome é João Marcos e nasci em Sorocaba, São Paulo, em 1983 (e na FestComix pude conhecer finalmente o meu conterrâneo Marcos Maldonado!). Sou professor de História, Filosofia e Sociologia.

Quando nasceu o seu interesse pela Banda Desenhada?
João Marcos: O meu interesse nasceu desde antes de saber ler. Sempre gostei mais de revistinhas ao invés de brinquedos. E, quando aprendi a ler então… Nunca mais parei! Eu herdei uma boa parte de minhas colecções de primos mais velhos e amigos e fui dando continuidade nelas até hoje!

Quando descobriu Tex?
João Marcos: Quando eu ainda era criança e sempre ia buscar as revistas de super-heróis nas bancas, tinha uma sapataria perto de casa (!) que vendia revistas antigas e usadas! Eu comprava as revistas novas na banca de revistas e, com o troco, eu comprava Akim, Fantasma, Kripta, Conan e TEX na sapataria! Primeiro eu comprava essas revistas porque eram mais baratas, mas para dizer a verdade, não me agradavam tanto por que eram em preto e branco, mas quando consegui o TEX em cores #01 da Globo e o li, acabei por ler todas as revistas preto e branco que tinha e as cores já não me importavam mais. Só que eu era criança, o dinheiro era curto e tive que direccionar a minha colecção a um género só, então optei na época em completar as colecções das revistas da Marvel e da DC.

Porquê esta paixão por Tex?
João Marcos: Eu tenho um amigo que me diz que tenho sorte. E acho que tenho mesmo. Eu, levei mais de 10 anos, mas consegui completar as minhas colecções de Super-Heróis… mas nos últimos anos tenho estado desanimado com os comics… muitas crises, cronologias complicadas, histórias tapa-buracos, histórias ruins… e comecei a valorizar mais ainda o material adulto que eu possuía e comecei a recordar junto a um amigo dos tempos de criança sobre quando comprava todas revistas que eu encontrava e, o mesmo perguntou se as revistas Bonelli eram boas… eu disse que eram óptimas pelo que me lembrava, mas que ele corria o risco de se viciar se as começasse a ler e não pararia mais… foi quando ele começou a comprá-las… não deu outra: eu fui novamente seduzido pelos quadradinhos da Bonelli em geral e, completei tudo o que da Bonelli saiu no Brasil! Graças aos amigos João Batista da Cunha e Gervásio, do TexBR,  hoje tenho todas as colecções de Tex que saíram no Brasil completas, Zagor, Epopeia Tri, Ken Parker, J. Kendall, Dylan Dog, Mister No, Martin Mystère, Histórias do Faroeste, Judas, Chet, … Tex 1ª e 2ª edição… mas acho que enrolei demais e não respondi à pergunta… o porquê da paixão… simples! Porque me trouxe novamente o prazer de coleccionar quadradinhos, a ansiedade pela próxima edição, a satisfação e garantia de sempre ter óptimas histórias e desenhos!

O que tem Tex de diferente de tantos outros heróis dos quadradinhos?
João Marcos: Tex tem um gosto de nostalgia… traz-me lembranças boas de infância… lembra-me de quando assistia aos filmes de Western com o meu avô… traz histórias menos complicadas e que nos fazem lembrar de que a simplicidade é mais divertida! Não que suas histórias sejam simplistas! Pelo contrário! Se hoje você chega numa banca de revista e quer comprar um Batman, um X-Men, um Vingadores, você tem que saber o que aconteceu nos últimos 3, 4 anos por exemplo! Tex, eu pego, leio um arco completo, observo as paisagens, leio a sessão de cartas e já vou observar as próximas edições para saber o que me aguarda! Esse gosto eu estava perdendo com as revistas de Super-heróis… Ah! E não nos esqueçamos de falar que o Tex transpira amizade e não possui uma moral distorcida! Valores esses que estão tão em falta hoje em dia…

Qual o total de revistas de Tex que você tem na sua colecção? E qual a mais importante para si?
João Marcos: Bom… Tenho todas as revistas do Tex… Tex 1ª e 2ª edição… Tex Ouro, Coleção, Normal, Anuais, Especiais, Férias, Gigantes, Ed. Histórica, Grandes Clássicos, em cores! Hoje em dia, eu poderia dizer que o mais importante em minha colecção de Tex são as revistas do Tex que o Civitelli autografou para mim… mas eu acho que o mais importante hoje, é o livro Tex no Brasil, pois está autografado por muitas pessoas importantes: Civitelli, Dorival, Helcio, Marcos Maldonado, Júlio Shneider, Nilson Farinha, G.G. Carsan, João Batista, Gervásio e os amigos texianos que encontrei esse ano na FestComix!

Colecciona apenas livros ou tudo o que diga respeita à personagem italiana?
João Marcos: Tenho coleccionado tudo… Tenho alguns marcadores de página, alguns livros teóricos (Tex no Brasil é livro de cabeceira!), o cigarro de palha Palheiros de Piracanjuba, algumas revistas Júnior, os pósteres que saíram em Tex normal, uma réplica do álbum, estátuas, chaveiros…

Qual o objecto Tex que mais gostava de possuir?
João Marcos: A primeira edição de Júnior em que apareceu TEX (e também essa colecção completa) e uma arte original de alguma página do TEX, de preferência do Civitelli.

Qual a sua história favorita? E qual o desenhador de Tex que mais aprecia?
João Marcos: História preferida…!? hum… PATAGÔNIA! Das mais novas e, claro, El Muerto das antigas, Seminoles eu gostei muito também… e O Ídolo de Cristal… é difícil escolher! Desenhador… CIVITELLI e GALEP!

O que lhe agrada mais em Tex? E o que lhe agrada menos?
João Marcos: O que mais me agrada com certeza é a busca incansável pela justiça e o carácter, sendo alguém incorruptível! O que me agrada menos… parece contradição… mas eu gostaria de ver o Tex apanhar mais! Ele se dá bem em todas! (risos!)

Em sua opinião o que faz de Tex o ícone que é?
João Marcos: Com certeza, o seu carisma, o seu carácter e também, a legião de pessoas competentes que estão por trás dos quadradinhos, quer seja no Brasil ou na Itália. Com certeza, nunca haverá versões de Tex de terras alternativas, com poderes eléctricos, voltando da morte, com a espinha quebrada… coisas que insultam a inteligência de seus leitores… existe a filosofia de se manter o que é bom e de se adaptar apenas o que precisa. Isso mantém leitores e atrai leitores.

Costuma encontrar-se com outros coleccionadores?
João Marcos: Somente com os meus amigos mais próximos mesmo, mas adorei encontrar a todos na Festcomix e em Santo André.

Para concluir, como vê o futuro do Ranger?
João Marcos: Ao invés de dizer como eu o vejo, prefiro dizer com o que contribuo para o futuro do ranger! Como sou professor de História também, eu sempre presenteio os meus alunos com revistas do Tex e utilizo as suas Histórias para ilustrar muitas de minhas aulas. Muitos deles já compram mensalmente as suas próprias revistas de Tex nas bancas. Com isso, aumentam-se as vendas, eles aprendem mais, e o futuro do Tex continua garantido por mais gerações!

Prezado pard João Marcos, agradecemos muitíssimo pela entrevista que gentilmente nos concedeu.

(Para aproveitar a extensão completa das imagens acima, clique nas mesmas)

14 Comentários

  1. Saudações amigo Zeca! Muito legal ver essa entrevista logo após as matérias sobre meu conterrâneo sorocabano, sr. Marcos Maldonado!

    • É verdade, dilecto pard e Amigo João Marcos, Sorocaba está na crista da onda (como aqui dizemos) e muito justamente porque tanto você, como o Mestre e Amigo Marcos Maldonado merecem todo este destaque dado pelo blogue português do Tex por isso envio os meus mais efusivos PARABÉNS a ambos.

  2. Parabéns Zeca por mais esta bela entrevista, tive o prazer de conhecer o João Marcos no Fest Comix quando ele me disse que também morava em Sorocaba, foi um momento de muita felicidade quando ele me procurou e pediu para autografar o primeiro Tex letreirado por mim em 1980 para a Editora Vecchi, o Tex 110 A Sombra do Patíbulo o que fiz com muito prazer conforme foto nessa entrevista em que a minha esposa Dolores segura a revista, espero um dia receber o João Marcos em meu estúdio para que ele veja como é feito o letreiramento do Tex.
    Um grande abraço.
    Marcos Maldonado.

  3. Parabéns pela ESPETACULAR coleção João! Só uma pergunta, o que seriam aqueles Tex encadernados?? São lindos!!

  4. Parabéns João Marcos, pela entrevista e claro pela coleção fabulosa. Estar ao lado de tantos quadrinhos é para nós um paraíso e só quem coleciona sabe o prazer de ter uma coleção completa ou conseguir aquele número que se procurou por tanto tempo. Diferente de você quando eu cheguei no ano 1991 eu não consegui mais aguentar tanta mudança nos heróis Marvel e DC e tanta continuidade e hoje só compro os melhores encadernados. Dos quadrinhos Bonelli que saiu no Brasil a única coisa que não tenho completa e hoje deve estar em valores muito alto é a primeira edição completa de Tex. Tenho do 01 ao 149 da 2ª edição e daí em diante até o ultimo em banca da primeira. Me diga uma coisa essa foto onde tem as encadernações do Tex são juntado quantos números em cada encadernação? Abraços e continue firme e forte.

  5. Bruno Basso e Marcilio Ferreira essas Tex encadernadas são a coleção completa do #01 ao #450. Até que sou fã de encadernações, desde que estejam bem feitas. As comprei de um negociante de minha cidade que simpatizou comigo e as fez a um preço simbólico. Todas elas estão em estado de banca, e, ainda, vieram com os pôsteres. Mas mesmo assim, tenho uma coleção de Tex solta, sendo da 1 ao 149 da segunda edição e também tenho soltas da 150 até a atual. Não me desfaço de nenhuma e realmente, até quem não gosta de encadernações, gosta dessas, visto o estado perfeito de todas as edições. Elas estão encadernadas de 5 em 5 na média. Os Pôsteres estão em perfeito estado também e, recentemente, mandei enquadrá-los. Obrigado pelos elogios!

  6. Muito bom! Também concordo que as encadernações (quando bem feitas) são sempre bem vindas!! E aquele boneco dele? Taí uma coisa que eu nunca vi para comprar, apenas na Itália!

  7. Pard João Sorocaba, que prazer ver tão linda bibliotex e revê-lo em carne e foto com tão lindas edições.

    Cada vez mais encantado com as suas performances, como aquela de estar em Santo André na exposição do pard Adriano Rainho; ao adquirir um desenho do Fabio Civitelli no ultimo Fest Comix; e nesta coleção de encadernados que fiquei curioso, mas esperei até que alguém perguntasse; e esse livro com os autógrafos desse pessoal importante, que torna a obra bem diferenciada; e doar revistas para os alunos e ilustrar as aulas com os exemplos texianos.

    Realmente um grande texiano, entusiasta, gente boa toda vida. Como dizemos em nosso meio, um pard de ouro. Continue assim pard. E será um prazer reencontrá-lo, brevemente, quiçá no FIC de BH, em novembro próximo.

    Obrigado pelas citações ao meu nome e sinto-me honrado de ter o livro Tex no Brasil eleito para a cabeceira. Significa que a intenção de servir de referência está sendo alcançada.

    Hasta la vista, amigo!
    G.G.Carsan

  8. Por falar em colecção de encadernados, vejam esta que se encontra na sede da Sergio Bonelli Editore, em Milão e que eu fotografei em 2008:

    Edições de Tex (encadernadas) na Sergio Bonelli Editore

  9. G.G.Carsan: Uma grande honra ter sido agraciado com seu comentário, amigo! Fiquei feliz ao saber de sua admiração pela minha coleção! Tem muita coisa que mandei emoldurar e que remanejei no meu quarto e, quando possível, vou fotografar e quem sabe até fazer um vídeo e enviar ao Zeca, para divulgar. Sobre a FIC, estou bem desinformado! Se puder me indicar um link e dizer sobre o que vai se tratar, agradeço!

    Zeca: muito interessante essa coleção! Acho que isso agrega mais valor à minha visto que acaba soando menos como uma deturpação de uma coleção e mais como uma questão de gosto pessoal se uma coleção assim é interessante ou não! Obrigado!

  10. Belas coleções! Eu já encadernei muita coisa, principalmente as primeiras edições da EBAL que eu possuía (BATMAN, SUPERMAN, GENE AUTRY, etc.) das quais me desfiz a preço de ouro em pó, oferecidas por um colecionador paulistano – que não lê as revistas, só coleciona! Hoje prefiro ter ( e ler) as revistas avulsas, muitas vezes as encadernações não ficam muito boas e restringem a leitura.

  11. História, Filosofia e Sociologia? Uau, São Marx Braudel de Durkheim que o proteja! Puxa, fiquei realmente impressionado com a tua coleção, bem legal ela, e ainda por cima com encadernações e bonecos, meus parabéns.

  12. Eu tenho o marcador de livro do Tex de 1994 e quero vender. Interessa? Está em ótimo estado.

  13. Bom dia João Marcos, parabéns pelo blog, meu pai é um apaixonado pelas histórias em quadrinhos do Tex e tem uma coleção que ocupa um cômodo inteiro da minha casa, e imagina da onde ele tirou o meu nome, kkkkkkkk.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *