La telefonata – O telefonema

La telefonata

.
(O telefonema)

Por Sílvio Raimundo

Paradoxalmente, apesar de nunca ter estado em um evento dedicado à banda desenhada, eu sempre estou lá, todos os anos. Sem nunca ter enfrentado uma fila de autógrafo, tenho vários exemplares e vários desenhos devidamente dedicados a mim pelos grandes Mestres que fazem parte da SBE e da Mythos, Inclusive eventos de fora do Brasil.

Mas como isso é possível?

Ora, é simples, eu faço parte de uma nação que não apenas gosta das longevas personagens da Casa Bonelliana, mas, que não mede esforços para, sob vários aspectos, fazer com que elas, as personagens, os seus criadores e os seus admiradores, coexistam. Isso não é fabuloso?

Claro, há de se ter um tantinho de cara-de-pau para pedir os “favores” aos Amigos, a fim de que eles entrem nas filas, seja para comprar os álbuns, quer para pedir aos Mestres que os  autografem dedicando-os ao fã assiduamente distante.

O facto é que no lançamento do magnífico Livro O meu Tex, de Civitelli, Verger e Burattini na 19ª Fest Comix, a bola da vez, que tinha a incumbência de adquirir o Livro e apanhar os autógrafos do Civitelli, do Burattini e do Júlio Schneider, foi o meu Amigo e fornecedor o ZR, também chamado de José Ricardo do Socorro Lima, fã inveterado do Spirito con la scure, o Zagor. Como a Mythos tinha anunciado o lançamento do Livro com um preço um tanto salgado, havíamos combinado que ele me ligaria para acertarmos de facto a compra a partir do desconto que a Comix daria, assim, no domingo à tarde eu estava lendo o segundo encadernado do Thor lançado pela Panini, O nome do Pai, quando o meu telemóvel (celular no Brasil) tocou. Do outro lado o ZR confirmou o valor do Livro e foi logo perguntando como andava o meu italiano, ao que prontamente respondi que apesar da ferrugem conseguia me comunicar, o ZR então pôs ao telefone simplesmente o Moreno Burattini!

Não dá para explicar a alegria e a incredulidade que o momento me propiciou, afinal, no meu telemóvel a falar comigo estava um dos mais cultuados Escritores Bonellianos.

A conversa foi breve, pois ele estava participando do evento, e também estava uma barulheira terrível, mas, foi o suficiente para que eu notasse sua extrema gentileza e simplicidade. Ele sorriu e agradeceu-me a sinceridade por eu ter lhe dito que não era um leitor de Zagor (será que eu devia ter dito isso?) e disse-me que quando eu fosse à Itália, o procurasse, pois, gostaria de conhecer-me pessoalmente.

Na quinta-feira seguinte recebi outro telefonema, dessa vez era a D. Mariinha, minha Mãe, avisando-me que havia chegado à sua casa um pacote grande, enviado pelo Nosso Amigo ZR. Já com o pacote em mãos, abri e fui logo para a primeira página, ver os autógrafos, eles estavam lá, tornando ainda mais fantástico aquele Livro que por si só já é extraordinário, mas, além disso, havia três desenhos, sendo dois deles cópias autografadas pelo Diso e pelo Burattini e, o terceiro era um desenho original do Tex, feito pelo Diso e dedicado a mim!

Nas palavras do meu Caro Amigo, o ZR, ao colocar o Burattini ao telefone ele apenas queria compartilhar comigo um pouco da alegria que estava sentindo ao  estar na Fest Comix ladeado pelos Mestres Bonellianos. Realmente, através dele, aquele foi um grande domingo que me reservou grandes e alegres surpresas. O melhor dos eventos da Nona Arte que eu não participei!

PS.: Tudo bem que não sou um Zagoriano, tal qual o Vander, o ZR e o Nilson Farinha, mas, na minha colecção tem algumas preciosidades do Amigo do Chico…  Ayaaaak!!!

(Para aproveitar a extensão completa das imagens acima, clique nas mesmas)

4 Comentários

  1. Lindo texto, linda história!
    Os fãs de Tex são uma nação à parte e não fazem parte da mesquinharia egoísta, mas sim, sempre estão felizes em colaborar para a alegria do próximo!
    Ahhh, se essa nação fosse maior!
    hahahah!

    Abraço a todos!

  2. Caros amigos

    gostaria de saber como consigo essas figuras de ação de TEX que ilustram o texto. Me parecem formidáveis, bonitas mesmo.

    Grande abraço e felicidades a todos.

    André Maschietto

  3. Oi André!

    Elas são formidáveis mesmo, mas, não são figuras de ação, são estátuas.
    Elas foram lançadas pela Hachette, uma Empresa italiana, por volta de 2005, num total de 43 ou 44 peças e hoje estão esgotadas. Tu as pode conseguir no e-Bay, ou no MLA ou ainda poderás falar com o José Ricardo da BonelliHQ, a loja virtual dele é a http://www.bonellihq.com.

    Boa sorte,

    Sílvio Introvabili

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *