José Carlos Francisco entrevistado pela Quadrinhosfera

Entrevista publicada no blogue Quadrinhosfera em 20 de Julho de 2012, por Luan Carlos Zanatta Zuchi.

A Quadrinhosfera orgulhosamente entrevista: JOSÉ CARLOS PEREIRA FRANCISCO do renomado Blogue Português do Tex!!!

.

Tex e José Carlos Francisco deram azo à entrevista da Quadrinhosfera

A Quadrinhosfera tem o orgulho e a honra de estrear suas entrevistas com nada mais nada menos que um dos maiores coleccionadores de Tex. O amigo José Carlos Pereira Francisco (Zeca), o timoneiro do blogue do Tex, um dos maiores feitos no que diz respeito à informação e ligação entre fãs e a gigantesca editora Bonelli.
Nesta entrevista falamos sobre o coleccionismo em geral, o mundo dos quadradinhos e todo o universo que o cerca, um pouco do presente e do futuro desta mídia.
Para quem ainda não conhece o Zeca e o blogue do Tex fica recomendado a leitura deste belo material on-line e para aqueles que já conhecem vamos mostrar um pouco deste grande fã dos quadradinhos.


José Carlos (à direita na imagem) em sua casa na óptima companhia do desenhador aretino Fabio Civitelli (no centro) e o editor brasileiro de Tex, Dorival Vitor Lopes (à esquerda).

QuadrinhosferaA princípio fale um pouco de você amigo Zeca, profissão, hobby, etc.
José Carlos Francisco – Chamo-me José Carlos Pereira Francisco, mais conhecido por Zeca e nasci em Lourenço Marques, a antiga designação da actual cidade de Maputo, capital de Moçambique, em África, a 13 de Dezembro de 1967, tendo vindo para Portugal,na companhia dos meus pais, em 1977. Sou casado, pai de duas lindas filhas que são o meu orgulho, a Andreia Sofia de 18 anos e a Ana Beatriz de 7 e como bom chefe de família, sou adepto e simpatizante do glorioso Benfica. Habito actualmente na região centro/norte de Portugal, relativamente próximo ao litoral, entre as cidades de Coimbra e Aveiro, mais precisamente numa localidade chamada Malaposta, pertencente ao concelho de Anadia e profissionalmente sou director de produção numa indústria de mobiliário metálico na região de Águeda, uma empresa jovem e dinâmica fabricante de todo o tipo de expositores metálicos para o comércio e indústria, a Expoluso, sendo também no campo editorial o representante da Mythos Editora em Portugal.

Uma pequena amostra da gigantesca colecção do nosso entrevistado

QuadrinhosferaComo você se tornou um coleccionador?
José Carlos Francisco – Ao longo dos anos a banda desenhada esteve sempre presente na minha vida; quando nasci a minha mãe era proprietária de uma livraria e  ela sempre me incentivou na leitura, aliás sempre me recordo com muito carinho das histórias que a minha mãe lia diariamente para eu adormecer, foi ela que me introduziu no mundo do coleccionismo já que ela comprava e guardava esses mesmos livros, tais como os álbuns da Anita (que serviram mais tarde para eu adormecer a minha filha mais velha e que hoje leio para adormecer a minha filha mais nova com apenas 7 anos) ou do Astérix e desde então comecei a dar valor ao coleccionismo, sendo sempre muito zeloso com os itens que ganhava de presente, ou que, mais tarde, comprava, tornando maravilhosa a “arte” de coleccionar, cujo sentimento é sem dúvida nenhum indescritível, porque o valor sentimental daquilo que coleccionamos com verdadeiro fervor acaba por não ter preço, como acontece por exemplo hoje com tudo que diga respeito à minha colecção de Tex Willer, o Ranger mais temido (mas também o mais amado) do velho Oeste!
Mas antes de coleccionar Tex, coleccionei inúmeras outras revistas e séries de banda desenhada tais como Lucky Luke, Michel Vaillant, Tintin, O Mundo de Aventuras, O Falcão, Condor, Tarzan, Tio Patinhas, Mickey, Pato Donald, Zé Carioca e tantas outras, revistas essas que ainda hoje estão religiosamente guardadas em casa dos meus pais, já que o meu apartamento, infelizmente, não tem condições para eu ter ao pé de mim as milhares de revistas que fui lendo, coleccionando e guardando ao longo de várias décadas, mas a minha faceta de coleccionador não se restringiu apenas à banda desenhada, pois também fui um ávido coleccionador, entre outras coisas, de cromos, selos, moedas e latas de Coca-Cola, mas hoje em dia no que ao coleccionismo diz respeito apenas Tex Willer continua a manter a chama da paixão no seu apogeu e isso devo-o, como disse antes, à minha mãe e por isso estou-lhe eternamente grato devido ao seu empenho e infindável preocupação em que me tornasse alguém mais rico culturalmente falando, já que foi graças ao seu incentivo que me tornei uma pessoa bem informada, culta e com maior capacidade para aproveitar plenamente todas as possibilidades que a vida me foi oferecendo ao longo dos meus 44 anos, quase todos eles sempre passados com o coleccionismo na mente…

José Carlos (à direita) com o livro de ilustração Il Mio Tex, com ilustrações de Fabio Civitelli (à esquerda). E no centro a filha de José Carlos, a Ana Beatriz de 7 anos.

QuadrinhosferaNa sua opinião, porque os quadradinhos tornaram-se um dos objectos mais coleccionados ao redor do globo?
José Carlos Francisco – Creio que a junção de três factores: o universo das personagens, dos autores e das próprias revistas em si, isto porque as histórias aos quadradinhos, como as chamamos em Portugal, desenvolvem no coleccionador uma profunda empatia tanto pelo apelo de determinadas personagens, como de certos autores assim como pelo aspecto gráfico das publicações em si, sempre ricamente ilustradas e cujo mundo de fantasia das histórias, nos podemos imaginar, mas há também quem coleccione tendo em conta apenas a vertente comercial já que cada vez mais a banda desenhada é um negócio rentável sobretudo no que a edições antigas e raras diz respeito.

Um pouco mais da colecção Texiana do Zeca, onde encontram-se algumas raridades relativas à personagem.

QuadrinhosferaNos nossos tempos cada vez mais a Internet é quotidiana, como você vê a relação do coleccionismo de HQs (BDs em Portugal) e a nova mídia?
José Carlos Francisco – A Internet está a converter-se na melhor ferramenta para os coleccionadores de todo o mundo encontrarem “aquela” edição que andam à procura. As viagens que se faziam, ou as cartas que se enviavam em busca do último exemplar que faltava na colecção de cada um, são agora virtuais. Os sites de leilões na Internet são os locais favoritos dos coleccionadores, ou seja, a web transformou-se hoje em dia numa plataforma imprescindível para os coleccionadores de banda desenhada.

Algumas artes originais da "galeria de arte particular" do nosso entrevistado.

QuadrinhosferaE quando poderemos ter o prazer de receber o grande Zeca no Brasil?
José Carlos Francisco – Até o dia 14 de Julho, estava tudo programado para eu comparecer ao próximo Fest Comix de São Paulo, em Outubro próximo (19 a 21) mas um convite de casamento de um sobrinho meu, para esse mesmo fim de semana, inviabilizou a minha presença no evento ao qual compareci em 2010 acompanhando o consagrado desenhador de Tex, Fabio Civitelli, por isso ficou adiado o meu regresso ao Brasil, mas seguramente a minha presença num dos próximos eventos brasileiros relacionados à Nona Arte ficou somente adiado para um futuro breve pois tenciono voltar a terras tupiniquins assim que a ocasião se proporcionar.

No topo edições de luxo da personagem Tex. Abaixo estatuetas da colecção das personagens da saga do ranger.

QuadrinhosferaComo está o cenário europeu dos quadradinhos? Na sua percepção qual é o futuro da banda desenhada?
José Carlos Francisco – No que diz respeito ao meu país, a BD popular, aquela onde se integra Tex, quase que não existe mais em Portugal, pois hoje em dia nos quiosques portugueses praticamente só temos as revistas oriundas do Brasil, as enviadas pela Mythos e pela Panini e certamente com resultados, a nível de vendas, muito modestos. Já quanto à banda desenhada mais luxuosa, aquela com venda em livrarias, essa continua presente em Portugal, sobretudo por intermédio da ASA que com a “aquisição” de Tintin, reforçou a liderança nacional no segmento da banda desenhada. Astérix, GastonLagaffe, Corto Maltese, Blake & Mortimer e Lucky Luke são alguns dos heróis presentes no catálogo da prestigiada editora portuguesa, mas o que tem valido aos apreciadores portugueses de banda desenhada tem sido a colaboração da ASA com o jornal “Público”, que tem permitido a publicação de inúmeros lançamentos (como actualmente acontece com Thorgal) a preços bastante atractivos.
Fora de Portugal, creio que sobretudo em Itália e França o cenário ainda continua bem forte e estou plenamente convencido que o futuro a breve e médio prazo no que diz respeito aos quadradinhos ainda é risonho, sobretudo no que se relaciona aos fumetti e às edições franco-belgas, aquelas com que mais lido habitualmente, mas certamente chegará o dia em que a banda desenhada será apenas para um restrito número de apreciadores, mas acredito que tal ainda demorará umas décadas a acontecer…

Zeca em companhia de Fabio Civitelli e uma bela ilustração deste último no XVII SALÃO DE VISEU 2011

QuadrinhosferaPara encerrar conte-nos um pouco sobre como surgiu o Tex Willer Blog e como o mesmo tornou-se grande e influente fazendo a ponte entre os fãs da personagem (e das demais publicações Bonelli) e a gigante editora europeia?
José Carlos Francisco – O Tex Willer Blog, o blogue português do Tex, é uma criação do meu grande amigo Mário João Marques. Ele,tal como eu, também um grande fã e coleccionador português do Tex. A ideia nasceu da mente dele em 2006 e foi posta em prática pelo próprio Mário em Setembro desse mesmo ano e como necessidade dele publicar muitos dos textos que escrevia sobre Tex e as suas histórias e desse modo dar a conhecer a outros leitores esses mesmos textos, divulgando assim também o herói criado por G. L. Bonelli e também para mostrar que mesmo não sendo Tex publicado em Portugal, havia muita paixão pelo Ranger neste pequeno, mas belo país à beira-mar plantado. Sendo o Mário um grande amigo e sabendo do meu conhecimento sobre Tex e das minhas amizades com editores e muitos dos autores de Tex, convidou-me a fazer parte deste seu projecto logo desde o início, ao que de pronto aceitei com a condição de fazermos algo muito a sério, já que Tex para mim é algo de sagrado e ao entrar para o projecto era para fazermos algo de verdadeiramente grandioso, à altura do Tex e felizmente com o decorrer do tempo e com a ajuda e colaboração de muitos outros fãs e coleccionadores, tornamo-nos hoje em dia uma referência na Internet mundial, destacando-nos sobretudo pelas interessantes iniciativas que promovemos, como por exemplo as belíssimas entrevistas aos argumentistas e desenhadores, para além das inúmeras novidades que vamos dando em rigoroso exclusivo, sobretudo devido à forte amizade que me liga ao editor Dorival Vítor Lopes, assim como acontecia com Sergio Bonelli e hoje em dia acontece com Davide Bonelli, responsável maior da editora e com Mauro Boselli, o editor responsável por Tex na Itália. Hoje em dia creio que o blogue português do Tex se pode bem resumir em três adjectivos: informação, credibilidade e paixão. A nível das postagens, tudo passa somente por mim a nível de editoração, já que o Mário Marques infelizmente não tem tempo disponível para tal, mas a nível de conteúdo, conto com a colaboração de muita gente que me auxilia enviando textos, artigos, críticas, desenhos, fotos, traduções e novidades que eu depois só tenho o trabalho de editar e publicar. Ou seja, há uma grande equipa por trás e que torna possível que hoje em dia sejamos “grandes e influentes”, como você mesmo afirma!

Objectos Texianos da colecção de José Carlos Francisco

Quadrinhosfera Se desejar acrescentar mais alguma coisa que não lhe foi questionada sinta-se à vontade!
José Carlos Francisco – Apenas quero agradecer pelo convite, que me permitiu falar sobre esta minha paixão e agradecer também a quem dedicar-me-á atenção lendo esta entrevista que muito me honrou.

Quadrinhosfera A Quadrinhosfera é que agradece a gentileza de sua parte Pard, José Carlos Pereira Francisco, em dividir com os nossos leitores um pouco de sua intimidade relativa ao coleccionismo e em particular a sua colecção de Tex.
Forte abraço e muito obrigado!

José Carlos Francisco com os editores Sergio Bonelli e Dorival Vitor Lopes

(Para aproveitar a extensão completa das imagens acima, clique nas mesmas)

22 Comentários

  1. Que bacana Zeca!
    Bom vermos a net trazendo boas notícias e, no nosso caso, ligado às BDs (HQs) tão apreciadas por todos.
    Realmente é uma pena não termos você aqui na FestComix 2012, mas sabemos que ‘família é sagrada’, então tome um bom vinho, que a matéria do evento, sem dúvidas, pipocará neste espaço em primeira mão!
    Afinal, pards de primeira, é que não faltarão por lá!
    Abraços!
    Ao pessoal do Quadrinhosfera, valeu pelo trampo, que vai agregando toda a família leitora!

    PS: Vendo os comentários lá no Quadrinhosfera e lembrando do G.G.Carsan e os livros brasileiros do TEX, fiquei matutando que falta um Livro português, não senhor Zeca?!

  2. Fico contente em ver a grande repercussão da entrevista com o amigo Zeca. E a Quadrinhosfera só serviu de fio condutor para levar um pouco mais deste querido amigo dos leitores de Tex, que faz um magnífico trabalho, neste que é o melhor site de fãs do ranger.
    E que venha seu livro também! haha Será uma obra prima.
    Forte abraço

    Luan Z.

  3. Parabéns pela excelente entrevista.

    Viajar ao lado de um dos maiores desenhistas de Tex… quanta sorte!

    Abraço

  4. Amigo Zeca, excelente entrevista, parabéns, pois você é um dos eternos colecionadores de TEX, você é como o Ayrton Senna , o Pelé ou o Rei Roberto Carlos. Serás eterno enquanto durar o homem na Terra, seu nome será lembrado enquanto aqui o homem estiver vivendo.

  5. O entrevistador torna-se o entrevistado!! Não deixa de ser interessante amigo José ou Zeca, é como preferires!
    Quanto à tua entrevista, gostei do que li… acho que dizes tudo aquilo que deves dizer, sem mais nem menos e sem receios! E isso é muito bom!
    Estás, pois, de parabéns e já agora deixo a sugestão de fazeres o mesmo ao Mário Marques , acho que seria interessante.
    Grande abraço amigo Zeca
    Rui Cunha

  6. É verdade… de entrevistador a entrevistado, um pequeno passo, he, he, he…

    Agradeço as palavras de todos vós, dilectos Amigos, inclusive as palavras exageradas do nosso pard Wellington, porque sou apenas um fã e coleccionador de Tex como qualquer um de vós!

    Quanto ao livro de Tex, pards Wilson e Luan, essa é uma ideia que tenho há já algum tempo e seguramente um dia será uma realidade, até porque material para ilustrar o livro é o que não falta, tantos são os desenhos originais de Tex que tenho recebido ao longo dos anos e no que diz respeito ao texto, se for preciso aqui mesmo no blogue do Tex há muito material interessante para poder ser publicado em papel, se bem que conto escrever sobretudo algo de inédito, mas a seu tempo todos saberão mais desta minha iniciativa que um dia sonho levar a cabo, mas atenção, o Mário Marques, mentor do blogue, também conjectura a possibilidade dele também escrever um livro dedicado a Tex por isso acredito que num futuro não muito distante, não teremos um, mas sim dois livros portugueses dedicados a Tex 🙂

    E por falar em Mário Marques, a ideia de entrevistá-lo de modo a dar a conhecer a todos, o Mário, já há muito que me ocorreu e inclusive já convidei o Mário, prezado pard Rui Cunha, mas até hoje ele ainda não aceitou… e começo a pensar que o Mário é um pouco avesso à “fama” mas seguramente um dia ele nos dará esse prazer 😉

    Para finalizar, Clovis, realmente eu sou um texiano de muita sorte… porque desfrutar da companhia de Fabio Civitelli (inclusive na minha própria casa) e de ser considerado amigo de tantos outros autores de Tex (conhecendo também inclusive pessoalmente muitos deles) e de editores de Tex é realmente ter uma sorte danada, se bem que muito modestamente, julgo ter feito um pouco por merecer essa sorte ao longo dos mais de 30 anos em que vivo e convivo lado a lado com o nosso Tex 🙂

  7. O Zeca é um Amigo que luta diariamente para manter o nosso Amigo comum, o Tex, em evidência, ele tem feito grandes feitos pelo Ranger e isso merece ser mostrado.
    Foi-me prazeroso ler esta entrevista!

    Abraços,

    Sílvio Introvabili

  8. Não foi perca nenhuma de tempo ler esta magnífica entrevista.
    Mais uma vez obrigado ao amigo Zé Carlos (permita tratá-lo assim embora não o conheça pessoalmente) por manter a chama do Tex acesa neste cantinho da Europa.

    Cumprimentos:

    António Freire.

  9. O Zé Carlos não precisa de apresentações, todo o mundo o conhece (sem exagero), pelo menos nas grandes pradarias onde cavalga à rédea solta a fantasia dos leitores, dos escribas e dos artistas que dão vida às aventuras de Tex, o ranger mais temido (e mais amado… parafraseando o Zeca) dos westerns de papel. Mas é sempre com prazer que lemos os seus textos e as suas entrevistas, sabendo que sem ele, sem os seus conhecimentos, as suas amizades, o seu entusiasmo, e a sua capacidade de coordenar uma vasta equipa de colaboradores, o blogue do Tex não teria chegado ao patamar de sucesso a que chegou e que resulta, de facto, de três vectores fundamentais: informação, credibilidade e paixão!

    Um grande abraço do
    Jorge Magalhães

  10. Mais uma entrevista maravilhosa do grande Zeca. Acompanho desde o 1º momento o blogue português do Tex, um projecto que foi crescendo na proporção da paixão do Zeca e do Mário Marques e que se tornou um êxito bem merecido.

  11. Conheci o Zeca em 2010 pessoalmente (já o conhecia antes pelo fórum do portal TexBR), e ele é isso aí mesmo: gentil, humilde, acessível e um manancial de conhecimento sobre o Tex!!

    Para mim, é muito bom ver seu trabalho reconhecido em outros sites e blogs sobre quadrinhos, pois ele certamente se esforça para oferecer um conteúdo excelente em seu blog e desenvolve seu trabalho com muita seriedade.

    Beijo, Zeca!!!

  12. Grande entrevista.
    O blogue do Zé Carlos é uma paragem minha quase diária e obrigatória para quem gosta de banda desenhada.
    Foi através dele que soube que o Tex ainda era editado no Brasil e era distribuído nas bancas portuguesas, fazendo-me novamente, já não lia Tex hà mais de 20 anos, ler e coleccionar as suas edições.

  13. Muito obrigado pelos vossos elogios, mas sobretudo pelas vossas palavras, caríssimos Amigos.
    Fico muito satisfeito por terem gostado da entrevista concedida a este maravilhoso blogue do Luan Zuchi. Apenas quis mostrar mais um pouco da minha paixão pelo acto de coleccionar Tex e mais uma vez comprovo que Tex deu-me os melhores AMIGOS do mundo, Amigos esses onde todos vocês, estão obviamente incluídos.

    E quanto ao blogue do Tex, ele é de todos nós e o blogue só é grande por vossa causa também, pois sem vocês e muitos dos que nos visitam diariamente, ele seguramente seria apenas mais um blogue na Internet, mas com a força de todos, somos seguramente o melhor do mundo (sem falsas modéstias) no que ao Tex diz respeito e por isso sou eu que devo agradecer-vos a todos vós, assim como agradeço ao Luan por me ter honrado estrear a sua nova rubrica dando-me a conhecer um pouco mais!
    Abraços (texianos) a todos vós!
    José Carlos Francisco

  14. Excelente entrevista, meu pard ZECA. Abraços brasileiros!

    Rouxinol do Rinaré

  15. Excelente a entrevista Francisco.
    Poucos neste país (e mesmo no mundo) têm a dinâmica apresentada por ti e uma paixão facilmente detectável e transmissível pelo personagem Tex Willer e pelos fumetti em geral.

    Grande Abraço
    Manuel

  16. Estou deveras muito contente com a excelente entrevista ao “nosso” bom querido amigo José Carlos, ele merece de tudo que é de bom de do melhor.
    É sempre um prazer enorme ver a dedicação amor/paixão/carinho que o José Carlos tem conosco, da minha parte, o meu muito obrigado, AMIGO !!!
    Um GRANDE ABRAÇO DO AMIGO

    Marco Avelar

  17. Parabéns José Carlos
    Esta entrevista está um espetáculo, já não é coisa que me admire pois tenho o prazer de trabalhar consigo e com a sua esposa há já alguns anos (16) e sei que são duas pessoas espetaculares continuem assim.
    Graças a Deus que temos outra vida após as 8 horas de trabalho pois é ela que nos faz caminhar para uns novos horizontes e objectivos junto dos nossos entes mais queridos.
    Mais uma vez tudo de bom para si e para as suas meninas (Fátima ,Andreia e Beatriz)

  18. PARABÉNS à Quadrinhosfera por ter dado ainda mais visibilidade ao dinâmico blogue texiano e nos brindado esta reveladora (para mim, em muitos aspectos)entrevista com o pard Zeca: o embaixador texiano por excelência em Portugal e um membro fervoroso da grande família bonelliana.
    Quando há alguns anos tive o imenso prazer de conhecer a galera texiana/bonelliana arrebanhada ao calor do blogue-bivaque do nosso valoroso Tex Willer – especialmente a sua troica: Zeca, Mário Marques e Carlos Moreira – pude comprovar que o apreço pela cultura e o afã pela sua divulgação e preservação é o poderoso laço que permite entretecer a grande rede dos melhores valores da nossa espécie: criatividade, sensibilidade estética, respeito, so-li-da-rie-da-de, amizade… E a dedicação-paixão dos nossos genuínos Zeca e pards encarna à perfeição esse espírito, que em si já é toda uma arte.
    MUITO OBRIGADA a todos por abrir constantemente um horizonte de beleza e esperança aos que cavalgamos neste vale de lágrimas!

  19. É sempre um prazer conhecer mais um pouco do excelente divulgador que tu és. Com elementos como o José Carlos Francisco, o Tex terá, de certeza absoluta uma vida ainda mais longa e continuará a cavalgar pelas pradarias da nossa imaginação por muitos mais anos. E, concordo com o Jorge, mas dos itens que ele enunciou, destaco a paixão. Ela surge bem evidente em qualquer um dos artigos que compõem este blogue. Um abraço.

  20. Entrevista bacana! Parabéns ao José Carlos pela paixão e dedicação aos Quadrinhos de Tex e aos quadrinhos em geral. O blog do Tex pôe sob os holofotes grandes artistas, que nós leitores (principalmente aqui do Brasil) não teríamos como vir a conhecer… e isso é inestimável!

  21. Que prazer poder reencontrar esta entrevista do meu velho e querido bengala friend de além mar, Zeca Willer. Como sempre uma simpatia e objetivo em suas respostas. Sem dúvida, ele é um dos maiores colecionadores do nosso querido ranger e o trabalho que faz de divulgação, via blog do Tex, é simplesmente fantástico.
    Ao publicar a entrevista dele no meu blog batemos recordes de audiência e até hoje é uma das mais populares. Parabéns, ao entrevistador e ao entrevistado.
    Grande mano amplexo à todos e bola pra frente, grande Zeca!
    Tony Fernandes\Estúdios Pégasus

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *