Entrevista com a fã e coleccionadora: Darrimar Lopes de Andrade Lucena

Entrevista conduzida por José Carlos Francisco.

Para começar, fale um pouco de si. Onde e quando nasceu? O que faz profissionalmente?
Darrimar Lucena: Nasci no dia 5 de Dezembro de 1952, na cidade de Caicó, Estado do Rio Grande do Norte no Brasil. Eu sou casada e meu marido é sanfoneiro. Tenho duas filhas e dois netos. A filha mais velha é cantora de forró e a mais nova é jornalista. Profissionalmente, hoje estou aposentada, mas sou bacharel em Pedagogia com capacitação em saúde pela NESA (Núcleo de Estudos da Saúde de Adolescentes) pela Universidade do Estado do Rio de Janeiro. Paralelamente sou escoteira do 15º Grupo de Escoteiros Valle Sobrinho e, como não consigo ficar parada, administro uma pequena loja de confecções na minha cidade que possui aproximadamente 70 mil habitantes e tem o terceiro melhor carnaval da região nordeste.

Quando nasceu o seu interesse pela Banda Desenhada?
Darrimar Lucena: Certa vez estava procurando uma revista para ler em um dos sebos (em Portugal: alfarrabistas) da minha cidade, e entre tantas encontrei uma Tex. Parei, li e gostei. Ainda lembro que a edição foi A Flecha Negra.

Quando descobriu Tex?
Darrimar Lucena: Na década de 80.

Porquê esta paixão por Tex?
Darrimar Lucena: A maneira como a história é conduzida, sempre destacando a astúcia, criatividade, honestidade, coragem e respeito pelas classes descriminadas tornaram-me esta fã incondicional. A personagem Tex identifica nos pequenos detalhes as provas, a partir daí cria estratégias simples, mas eficazes no cumprimento dos seus deveres.

O que tem Tex de diferente de tantos outros heróis dos quadradinhos?
Darrimar Lucena: O não sensacionalismo comum entre os heróis criados até hoje, esta é a diferença. O porte físico de Tex, a amizade pelos seus pards, o respeito e a consideração pelos amigos, a postura de defensor dos oprimidos e a autenticidade como lida com os factos narrados na história.

Qual o total de revistas de Tex que você tem na sua colecção? E qual a mais importante para si?
Darrimar Lucena: Edição normal: 507 exemplares + 30 duplicatas
Tex Coleção: 48 exemplares
Almanaque Tex: 42 revistas
Tex Aventureiro: 5 exemplares
Tex Especial: 3 exemplares
Almanaque Faroeste: 3 revistas
Tex Histórica: 81 exemplares
Tex Anual: 13 exemplares
Tex e os Aventureiros: 5 revistas
Tex em Cores: 4 exemplares
Tex Mini-Série: 4 revistas
Tex Especial Civitelli: 1 exemplar
Tex Grandes Clássicos: 21 exemplares
Tex Edição Gigante são 26 e 5 duplicatas
Tex Ouro: 41 revistas
Tex Especial 60 anos: 1 revista
Tex Especial Férias: 7 exemplares
Tex Edição Cores: 3 revistas
No total a minha colecção tem 850 revistas. A mais importante para mim é a edição nº 94 – Pacto de Sangue, na qual Tex é obrigado a casar com uma índia para viver.

Colecciona apenas livros ou tudo o que diga respeita à personagem italiana? E que mais colecciona?
Darrimar Lucena: Quando eu era solteira, coleccionava revistas como a Contigo, Capricho e outras italianas, mas traduzidas para o Português. No entanto, quando casei deixei na casa dos meus pais e sumiram. Quanto a livros, coleccionei obras de escritores como Jorge Amado e José de Alencar. Voltando às revistas tentei coleccionar edições de Conan – O Bárbaro, Zagor, Tio Patinhas e no caso da Manequim eu ainda colecciono.

Qual o objecto Tex que mais gostava de possuir?
Darrimar Lucena: Completar a Tex Coleção.

Qual a sua história favorita? Qual o desenhador de Tex que mais aprecia? E o argumentista?
Darrimar Lucena: A Dança do Fogo (Tex nº 114). Quanto ao desenhador, eu gosto muito de Rossano Rossi que capricha nos detalhes e deixa os traços de Tex bastante originais. Na minha opinião, o argumentista que mais tem se destacado é Boselli.

O que lhe agrada mais em Tex? E o que lhe agrada menos?
Darrimar Lucena: Gosto muito das brincadeiras com o Kit Carson. No entanto, não gosto da solidão amorosa de Tex. Acho que ele merece uma companheira.

Em sua opinião o que faz de Tex o ícone que é?
Darrimar Lucena: As pessoas sonham muito com um Tex totalmente brasileiro, um ídolo, um astro que reflecte na mente de cada fã uma idolatria dirigida ao criador, génio de Tex que tem uma imaginação privilegiada de um autêntico profissional e suas ideias totalmente inéditas.

Costuma encontrar-se com outros coleccionadores?
Darrimar Lucena: Às vezes eu empresto as minhas edições a alguns amigos que gostam de ler, mas não são coleccionadores. 

Para concluir, como vê o futuro do Ranger?
Darrimar Lucena: Com o decorrer do tempo acredito que surgirão novos autores, argumentistas e desenhadores que darão muitos anos de vida a Tex, sem perder a sua originalidade.

Prezada pard Darrimar Lopes de Andrade Lucena, agradecemos muitíssimo pela entrevista que gentilmente nos concedeu.

(Para aproveitar a extensão completa das imagens acima, clique nas mesmas)

19 Comentários

  1. Darrimar,

    parabéns pela entrevista… colecionamos Tex desde a mesma época (década de 80). Moro no Ceará e tenho amigos na sua terra RN

  2. Não é muito comum encontrar leitoras de Tex, mas ainda menos (julgo eu) uma fã e colecionadora tão entusiasta como Dona Darrimar, que lê as aventuras do Ranger há três décadas, sem nunca ter perdido o interesse.
    Exemplos como este provam que Tex consegue atingir até o coração das senhoras, independentemente da sua idade, o que deve ser caso único na banda desenhada.
    Parabéns a Dona Darrimar pela entrevista e pela sua coleção, com 850 revistas (número que eu estou ainda muito longe de alcançar!).

  3. Poxa, muito legal a sua história, Srta Darrimar!…
    Eu sempre passo aí na sua cidade (Caicó, né?), quando estou de viagens com minha esposa… Da próxima vez vou dar uma paradinha aí na sua casa e conhecer de perto a sua “BIBLIOTEX” – Se a Srta permitir, é claro!!

    Um grande abraço e continue com TEX!!
    O MAIOR FAROESTE DO MUNDO!!!

  4. Olá, pessoal! Sou filha dessa fã incondicional do Tex e, posso dizer pra vocês, ela gosta mais da coleção do que das filhas… kkkk… tem um ciúme. Morro de orgulho… beijo mãe! Parabéns…

  5. Que legal! Que bacana!
    Percebi que a Darrimar é muito elegante e tem um porte de mulher emancipada, de sucesso e dona do pedaço. Parabéns!
    Não obstante, não perdeu o entusiasmo com o nosso Grande Tex e por isso está nessa viagem mundial (sim, vista e admirada em vários países).
    Percebi também que é muito suscetível a alguns pontos interessantes, como o fato ‘solidão’ e ‘modo de investigação’ levado a cabo pelo herói.
    Darrimar pode inclusive trocar ideias com texianos a partir de agora via internet, através do fórum do TexBr, mas Caicó fica perto de Currais Novos (Lázaro) e Mossoró (Railson) e Natal (Lucio Andrade, Toni Rocha), onde estão estes pards colecionadores…
    Senti ainda a falta do livro ‘Tex no Brasil – o grande herói do faroeste’ fazendo volume nessa coleção maravilhosa que você tem aí.
    Parabéns, continue conosco e mantenha contato.
    G.G.Carsan (João Pessoa – PB)

  6. Que bom ter uma senhora como D. Darrimar não só colecionando Tex, mas debatendo sobre o tema e as histórias com mais propriedade que muito colecionador existente por aí.
    Eu infelizmente falhei em meu intento de fazer brotar a paixão texiana nas duas mulheres de minha família, (mulher e filha), mas pelo menos se minha esposa não lê, também não implica com as revistas e me acompanha nos encontros com os amigos colecionadores.
    Um abraço e tudo de bom, e se puder, siga o conselho desse tição do inferno que é o GG conhecendo os meninos colecionadores aí de sua região…

  7. Incrível coleção. Parabéns, 850 não é pra qualquer um não.
    Continue com Águia da Noite e seus Pards.
    Abraços, fica com Deus!

  8. Grande entrevista sem dúvida nenhuma Darrimar e grande também sua bela coleção. Parabéns pela sua paixão pelo nosso querido Tex e apareça sempre no forum para dar sua opinião. Abraços.

  9. Parabéns ao blog do Tex, que nos proporciona conhecer mesmo que “virtualmente” pessoas fantásticas como a Senhora Darrimar!!!

  10. Isso aí Camelo Velho Neimar… tem que interagir e se enturmar… isso que nos faz fortes e felizes.
    E volto principalmente para citar um texiano de Natal, o Gerson Bezerra, que esqueci. Mais um para a Darrimar tentar conhecer, se for de sua vontade.
    Quem sabe no próximo evento patrocinado pelo Lázaro, não se reúnam todos em volta de uma fogueira?

  11. E peço licença para divulgar a imagem que mais me chamou a atenção nessa matéria, no meu facebook = (Gege Carsan). Abraços

  12. Mais uma leitora das pradarias da Caatinga do Brasil. Parabéns pela entrevista e coleção.
    Viva Tex!

  13. Parabéns pela excelente entrevista, que gostei de ler! E 850 revistas não é para qualquer fã, só uma super-fã-texiana.

  14. Amei sua entrevista. Sou Arlindo Jackson (Arlindo Tex), tou no Google. Amei toda sua coleção, legal!
    Eu amo Tex. Comprou o livro de Tex? É show de bola.
    Um beijo.

  15. Que legal. Dá vontade de ir na casa da Darrimar e levar toda essa ruma de revistas para minha casa para eu passar o dia lendo.

  16. Olha aí uma grande leitora de Tex!!! E com uma coleção muito bacana, de respeito. Pessoa simpática a senhora, ainda mais com uma família bem musical. Só imagino as festas na sua residência!

  17. Olá Darrimar, que felicidade pra nós Texianos, ter você de sexo feminino, também como pard. Parabéns!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *