Entrevista com a fã e coleccionadora: Denize Machado

Entrevista conduzida por José Carlos Francisco.

Para começar, fale um pouco de si. Onde e quando nasceu? O que faz profissionalmente?
Denize Machado: Olá, sou Denize Lopes Machado, nasci no dia 23 de Outubro de 1982, na cidade de Varginha/MG, Brasil.
Sou professora de informática e trabalho com arte final e silk-screen na estamparia que o meu irmão possui há 16 anos. Estamos atingindo uma área de marketing e propaganda muito boa, fico feliz e gratificada ao ver minhas criações em festas, eventos, revistas, camisetas e brindes em geral, profissionalmente tenho um sentimento que é muito importante: o amor pela profissão!

Quando nasceu o seu interesse pela Banda Desenhada?
Denize Machado: Aprendi a ler com 5 aninhos as revistas do Conan, O Bárbaro. Acha um pouco estranho para uma garotinha? É que convivendo com tantos irmãos homens em casa (sou a mais nova de 5 irmãos), eu adorava o Conan com aquela força de um verdadeiro guerreiro. O meu pai vendo que adquiri cedo esse interesse por quadradinhos e achando o Conan muito “rústico” para mim, ele comprava as revistas da Turma da Mônica e da Disney. Gostava de ler de tudo, mas o Conan era o meu preferido porque gosto de heróis!

Quando descobriu Tex?
Denize Machado: O meu pai tinha uma caixa cheia de revistas de banda desenhada da qual essa era super protegida por ele, não deixava eu colocar as mãos de jeito nenhum! Ele tinha medo de que eu viesse a rabiscá-las e até mesmo a rasgá-las, mesmo assim não desisti, tive contacto com “aquelas” revistas aos 12 anos de idade, na capa havia o nome TEX, com o próprio e um índio atacando-o. Quando terminei de ler a história, achei a aventura mais emocionante do mundo, queria saber mais sobre ele e entendi o motivo de tanta protecção pelas revistas, elas são mesmo valiosas!

Porquê esta paixão por Tex?
Denize Machado: Onde ele vive é um cenário incrível, adoro esse tipo de lugar, tanto que possuímos dezenas de filmes de faroeste, e é uma época interessante onde as pessoas lutam para viver em paz e ter as coisas honestamente. Há inocência, muita maldade, há amizades verdadeiras, são vários os sentimentos que tomam conta de mim cada vez que leio uma aventura de Tex.

O que tem Tex de diferente de tantos outros heróis dos quadradinhos?
Denize Machado: Tex é um homem seguro de si, é corajoso, tem um corpo bem trabalhado, másculo e muito sexy! Tex faz o meu coração disparar!

Qual o total de revistas de Tex que você tem na sua colecção? E qual a mais importante para si?
Denize Machado: A colecção é pequena, tenho aqui 90 revistas. Até pouco tempo atrás o meu pai e eu mantínhamos uma colecção de 235 revistas, mas na minha cidade é muito difícil de encontrar Tex e as novidades demoram a chegar, nós nos dispomos com outros leitores a compartilhar as revistas numa livraria de revistas usadas. Acabamos vendendo algumas e vivemos à base de trocas por outras também. Nisso vem a minha paixão pelos antigos, temos aqui histórias dos anos 60 e 70, optamos por não fazer uma vasta colecção porque assim todos podemos ler as continuações e há sempre quem leva novidades, é uma partilha muito boa! A mais importante para mim é os Grandes Clássicos do Tex nº 1, “O Casamento de Tex”, sou apaixonada pela história dele com Lilyth.

Colecciona apenas livros ou tudo o que diga respeita à personagem italiana?
Denize Machado: Somente revistas do Tex.

Qual o objecto Tex que mais gostava de possuir?
Denize Machado: Confesso que, quando criança, acreditava que Tex existia mesmo e que o actor Giulianno Gemma era ele na vida real, se isso realmente fosse verdade eu gostaria de possuí-lo em pessoa… rsrsrs, mas sendo mais séria e realista, gostaria de ter o boneco e assistir ao filme dele.

Qual o desenhador de Tex que mais aprecia? E o argumentista?
Denize Machado: O Casamento de Tex é a minha história preferida, a história é linda e emociona-me. Admiro muito o talento de Fabio Civitelli e o insubstituível Gian Luigi Bonelli que não posso deixar de comentar que pareço estar vivendo em um filme toda vez que leio as histórias que foram argumentadas por ele e tenho uma grande simpatia por Claudio Nizzi.

O que lhe agrada mais em Tex? E o que lhe agrada menos?
Denize Machado: O que me agrada mais é que Tex fala o que tem que falar na “cara” e não leva desaforo para casa. Adoro as lições de moral que ele passa para os bandidos. Agora, o que me agrada menos às vezes é o modo em que a revista é desenhada, eu reparo muito nas finalizações e às vezes meu pai e eu reclamamos um com o outro quando não gostamos dos traços expressivos das personagens. Tex 455 – “Vingança Selvagem”, por exemplo, (onde até saiu a publicação de uma cartinha minha), é um exemplo de que não me agradou.

Em sua opinião o que faz de Tex o ícone que é?
Denize Machado: Tex arrisca a sua vida para impor justiça e o bem para as pessoas, isso faz dele meu herói. Ele usa a sua inteligência e sabe como se defender. Ele valoriza a amizade e acima de tudo é fiel. Nunca cai, nunca se rotula, ele tem vocação pela justiça, nasceu para ser o mais poderoso Ranger.

Costuma encontrar-se com outros coleccionadores?
Denize Machado: Nunca fui a nenhum encontro, mas gostaria de ir um dia para novas amizades. Tenho curiosidade em visitar as exposições e os festivais.

Para concluir, como vê o futuro do Ranger?
Denize Machado: Ahhh, Tex será eterno! Tem um futuro infinito, meu desejo é que venha muitas divulgações sobre ele, tenho um sonho de que possa existir mais filmes e até um seriado com esse Ranger lindo! Para mim ele será sempre o meu “sexy men” 🙂

Prezada pard Denize Machado, agradecemos muitíssimo pela entrevista que gentilmente nos concedeu.

(Para aproveitar a extensão completa das imagens acima, clique nas mesmas)

16 Comentários

  1. Chega a ser comovente para os leitores de outras gerações (como é o meu caso) sentir tanta paixão, tanto carinho, tanta empatia numa moça tão jovem por um herói como Tex (que também já cá anda há muitos anos… risos) e por uma temática que parece hoje tão fora de moda como o “Western“. Se Tex não existisse ou se já tivesse seguido o mesmo caminho de tantos heróis dos quadrinhos, o que leriam agora estes jovens? Como se teria desenvolvido o seu sentido de humanismo e de ética, a sua afinidade com valores como aqueles que Tex tão firmemente defende? E o seu gosto estético ter-se-ia apurado da mesma maneira?
    Creio que a resposta está nesta mesma entrevista.
    Parabéns e votos de muitas felicidades à Denize (lindo sorriso!). E agradecimentos ao José Carlos, mais uma vez, por nos proporcionar depoimentos tão válidos e sempre bem acompanhados com imagens que ilustram a extraordinária perfeição da arte de muitos desenhadores de Tex.

  2. Ahh João Adolfo!!! Respeitando a sua opinião e colocando a minha, o Gemma não tá tão velhinho assim não! Vai completar 73 anos, continua bonitão e em boa forma! rsrsrs

    Ooh Jorge: Obrigada pelos parabéns, pelos votos e pelo elogio…

    Abraços à todos vocês!!!! 😉

  3. Parabéns Denize.
    Realmente, nesse imenso país, a distribuição das revistas deixa um pouco a desejar, mas não podemos desistir.
    É sempre bom saber que o mundo dos gibis não é exclusivo do sexo masculino ehhehehehhe.

  4. Oi amiga Denise!!

    Finalmente saiu sua entrevista, e que bela entrevista!! Sei que você tava ansiosa para a mesma ser publicada. Interessante essa parte que fala do Giulianno Gemma porque eu também imaginava ele fazendo o papel do Tex, como aconteceu no filme “Tex e os senhores do abismo“, mas infelizmente o filme foi fraco, o ideal é que fosse feito um filme nos moldes de Hollywood, tipo “Dança com lobos” porque aí poderia até fazer sucesso nos cinemas.

    Parabéns e abraços!!!

  5. Pois é Iran, concordo com você!

    Um dia, Tex será de grande sucesso nos cinemas!

    Obrigada, viu? Abraço!!!

  6. Parabéns pela entrevista Denize, é com muito agrado que vejo que TEX é apreciado pelos jovens leitores, eu também tive o primeiro contacto com Tex aos 12 anos e nunca mais parei, já la vão 34 anos.
    Parabéns e felicidades.

    Carlos

  7. Com certeza, Joe Fábio! Serão bem encaminhados para admirar Tex e suas aventuras…

    Obrigada, Carlos. Não tem como parar mesmo, neáh? rs

    Abraços!!!!

  8. Olá Denise.
    Gostei da sua entrevista. É sincera e fala do Tex de forma apaixonada. Tb eu tenho uma grande coleção de filmes Western, principalmente com John Wayne. Gosto do Conan, é pena não ser publicado com regularidade no Brasil. Continue a ler Hq, é uma qualidade…

  9. Nossa que fã… Se Tex te ver ele vai pedir para você colocar uma faixa indígena na testa e te pedir em casamento kkkkk
    Ou quem sabe duelar por você…
    E linda sua paixão por Tex e Conan, viu? E até você também é linda…
    Sabe, eu comecei também lendo Conan, o Bárbaro, mas hoje só leio Tex.
    Parabéns pela entrevista…
    Que Manitu a proteja…

  10. Oi Jorge! Os melhores filmes são do gênero Western, estes realmente são para colecionar. John Wayne é o máximo, mas a maioria que tenho é do Giuliano Gemma… rsrsrs
    Há anos que não tenho contato com revistas do Conan, pena mesmo. Abraços.

    Oi Arlindo, se eu não estivesse casada hoje, até fugiria com ele, hehehe. Obrigada pelo elogio, vc é muito gentil.
    Abraços.

  11. Não haverá filme de Tex, feito por Hollywood, Spielberg, ou lá quem seja, que agradará aos fãs de Tex.
    A expectativa é muito grande, fazemos a projeção de um filme magnífico que ninguém nunca conseguirá realizar.
    O filme de Tex estrelado por Giuliano Gemma foi um bom filme, igual a muitos faroeste que vemos por ai nos cinemas de hoje e de ontem.

  12. Gostei de ver mais uma Pard, firme e forte neste mundo de texian@s!!
    O bacana, que antes, tinha lido uma entrevista da Adriana (desenhou Aranha para Marvel) falando da presença feminina frente as HQs – ela estará na FIQ-BH -, que dantes, permanecia tão escondido e hoje, vemos a mulherada, presente, participando ativamente!!
    Parabéns pela entrevista Denize!

    E, mais um pouco de Curitiba – essa saga texiana à gibicon rendeu!!
    http://wilsonsacramento.blogspot.com/2011/07/passeio-de-trem-curitiba-morretes.html

    Mais uns dias, Sto André: “TEX 500 Brasil“, Denize, virá?!!

  13. Opa! Wilson, estou planejando ir à Sto André com o meu pai… Se tudo der certo, estarei lá!!! Abraço!

  14. Olá Denize, li sua entrevista e fiquei encantada como você sendo mulher é apaixonada pelo Tex, sabia que eu imaginava TEX aparecendo para acabar com toda a violência de hoje?

    Eu sou muita fantasiosa, engraçado que também encontrei as revistas em uma caixa que meu pai guardava e eu achava super chato, porque eu era acostumada com desenhos coloridos, mas hoje eu não consigo parar de ler.

    Só dei um tempo por causa da faculdade, mas me formo no ano que vem e vou trabalhar e vou de tudo para conseguir as edições de nosso ranger.

    Você tem msn?

    Abraços, Marli

    Meu email e msn também: marliufpa2008@yahoo.com.br

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *