Reportagem completa da inauguração do VII Festival Internacional de Banda Desenhada de Beja

Por Jorge Machado-Dias (texto e fotos) *[1]


Com um tempo a ameaçar trovoada e a presença de muitos dos membros da tribo da BD deste país, inaugurou-se no passado dia 28 de Maio a sétima edição do Festival Internacional de BD de Beja. Igualmente presentes os autores previstos no programa – Aleksandar Zograf, Andrea Bruno, Fernando Relvas, Victor Mesquita, Ivo Milazzo, Liam Sharp, Jacques Loustal, Ricardo Cabral, Rui Lacas, Pablo Auladell, João Magalhães, Filipe Andrade, Nuno Plati, João Lemos, Ricardo Tércio, Carlos Rico, isto para além de outros autores que lá foram como visitantes e dos autores-residentes do Atelier Toupeira.

Este ano o espaço da Casa da Cultura foi ampliado com uma tenda, ao lado átrio exterior das arcadas, para acolher um Mercado do Livro mais vasto. Os núcleos de exposições foram reduzidos à Biblioteca Municipal de Beja e ao Museu Jorge Vieira – Casa das Artes, para além da Casa da Cultura, obviamente.

Claro que uma apreciação crítica terá de ser feita mais tarde, uma vez que estamos ainda a quente (o Festival decorre até 12 de Junho) e apesar de “sentir” uma ligeira quebra no número de visitantes neste primeiro fim-de-semana, que poderá até ser ilusória, devido ao alargamento do espaço do Mercado do Livro, onde por hábito toda a gente se concentra, mas também devido ao facto de ter lançado um livro nesta edição do Festival – LI MOONFACE, de Fernando Relvas (coisa que nunca tinha acontecido em Beja, para além dos BDjornais do costume), o que me terá roubado alguma da atenção ao Festival em si próprio. Faltará agora saber como vai decorrer o tempo restante.

Assim, ficamos com a apresentação do material impresso, novidades lançadas durante este fim-de-semana e as fotos do costume.

O Programa do Festival foi este ano transformado em jornal (formato tablóide). Aqui mostramos a capa e a contracapa:

O Splaft!,  já tradicional espécie de “Catálogo” de autores, com textos diversos sobre os autores presentes nas exposições:

Venham + 5

Com as histórias As Verdades que Inventei, de Sérgio Chaves (arg) e Karl Murakami (des); Sem Título, de Marco Silva; Usa os Miolos, de Véte, Planeta Opressão – O Início, de Fil e Rui Alex; A Ilha, de Agonia Sampaio; Telefone, de Teresa Câmara Pestana; Espera, de Inês Freitas; O Seixo, de António Pedro; Hôtel LeTangô, de Carlos Páscoa, A Derradeira Tortura, de Sónia Oliveira (a partir de um conto de Villiers); Auto-Stop, de Luís Lourenço Lopes; Seatle, de Diniz Conefrey e Maria João Worm (a partir de um texto de Henry A. Smith); Prémio em Fuga, de André Lima Araújo; Estrada sem Fim, de Carlos Apolo Martins (a partir de um excerto do Diário de Trabalho, de Paulo Monteiro).

Alguns dos lançamentos…

Fotos:.

*Jorge Machado-Dias, Autor – Editor de Banda Desenhada – Director do BDjornal e da BDVoyeur e também autor do blogue Kuentro.
[1] (Texto publicado originalmente no Kuentro Blog, em 31 de Maio de 2011)

(Para aproveitar a extensão completa das imagens acima, clique nas mesmas)

2 Comentários

  1. Que bela reportagem! Adorei os lançamentos. E vendo as fotos, fiquei me imaginando por todos os lugares…

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *