Pranchas originais de Tex, da autoria de Ivo MILAZZO, expostas no Festival Internacional de BD de Beja

Por José Carlos Francisco

Está patente em Beja, integrada na VII Edição do Festival Internacional de Banda Desenhada dessa cidade alentejana, até ao dia 12 de Junho uma exposição com originais de Tex Willer ( assim como de Ken Parker, Tom’s Bar, Baden-Powell e Uomo Faber) da autoria de Ivo MILAZZO, consagrado desenhador que ilustrou um Tex Gigante que acabou sendo publicado em Julho de 1999: Sangue sul Colorado («Sangue no Colorado»; Tex Gigante 8, Mythos Editora), naquele que foi o décimo terceiro volume da colecção italiana e simultaneamente o primeiro trabalho de Ivo Milazzo após a dissolução da parceria artística com Giancarlo Berardi.

Aventura escrita por Claudio Nizzi, Sangue no Colorado tem um argumento credível, apaixonante e carregado de uma certa densidade dramática, onde Tex (acompanhado de Kit Carson, Kit Willer e Jack Tigre) vai a Carbon Valley, região mineira do Colorado, no Oeste Americano, em auxílio de um amigo a quem um rico proprietário pretendia roubar umas minas auríferas e onde Ivo Milazzo aproveitou para se confrontar com aquele que era o seu imaginário adolescente, metendo em jogo o seu profissionalismo com uma personagem que é um ícone da banda desenhada europeia e não somente italiana, tentando respeitar todos aqueles ditames ditados pelas características de Tex, inserindo obviamente também um pouco da sua própria personalidade, o que resultou em vinhetas essenciais, cruas, cortantes, num jogo de luzes e sombras, sugerindo em vez de mostrar, mas onde as suas personagens recitam sofrimento, drama, raiva, ódio, determinação e ironia, com uma eficácia rara de se encontrar. Escassos mas ágeis e fluidos traços que bastaram para contar uma história especial.

Ler uma história de Tex, é uma aventura maravilhosa,  mas poder apreciar os originais, é uma aventura muito maior. É uma daquelas coisas que nos ficará na memória para toda a vida. Quem ainda vier a Beja para ver as pranchas originais expostas no Festival, realizadas pelo desenhador italiano  poderá constatar isso mesmo. Até porque hoje a BD tem o estatuto de Arte – a 9ª – e os seus originais podem valer milhares de euros. Além disso, através da visão e apreciação ao pormenor dos originais, apercebe-se que entre a prancha desenhada pelo autor e a página que será impressa, por vezes há algumas mudanças, umas mais subtis, outras menos.

Para aguçar ainda mais a curiosidade e o desejo de se deslocarem a Beja, deixamo-vos com algumas fotografias da exposição dedicada a Ivo Milazzo e ao Ranger, até porque todos aqueles que visitaram este festival no fim de semana inaugural não lhe ficaram indiferente.

Por isso a todos os amantes da 9ª arte em geral e do Tex em particular e àqueles que têm curiosidade em conhecer um pouco mais do mundo de Tex Willer, o blogue do Tex convida-os a irem nos  próximos dias passear até Beja, aproveitando inclusive o feriado do dia 10, duvidando que se venham a arrepender da comparência na VII Edição do Festival Internacional de Banda Desenhada de Beja!


(Para aproveitar a extensão completa das fotos, clique nas mesmas)

3 Comentários

  1. Que inveja, caro Zeca, de poder ver mais de perto esses originais. Tenho dois exemplares de Sangue no Colorado. Um para estudar o magnífico trabalho de Milazzo. Já o outro está bem guardado para o momento em que o primeiro exemplar esteja caindo aos pedaços…

  2. Quem não gostaria de ganhar uma prancha desta??? Para enriquecer mais ainda sua BiblioTex?? Só que, se eu tivesse, colocaria na minha sala de estar, para que todos pudessem ver assim que chegassem em minha residência para uma visita.

  3. Obrigado Zeca por nos transmitir essas belíssimas informações sobre o mundo de Tex. Lamento muito não poder estar aí em Beja junto aos amigos texianos.
    Abraço

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *