Entrevista com o fã e coleccionador: Orlando Ferreira Loureiro

Entrevista conduzida por José Carlos Francisco.

Para começar, fale um pouco de si. Onde e quando nasceu? O que faz profissionalmente?
Orlando Loureiro: O meu nome é Orlando Loureiro, nasci em Viseu há 36 anos atrás. Há 14 anos que exerço a mesma profissão, os últimos 12 na mesma empresa, Técnico Comercial.

Quando nasceu o seu interesse pela Banda Desenhada?
Orlando Loureiro: Há muito tempo, ainda era miúdo, não consigo precisar uma idade certa.

Quando descobriu Tex?
Orlando Loureiro: Quando andava na escola um amigo emprestou-me vários livros de banda desenhada, entre eles vinha a história do Bando dos Locos (incompleta) que por acaso agora está a ser reeditada em Tex Coleção.

Porquê esta paixão por Tex?
Orlando Loureiro: Western sempre foi o meu género favorito, quer em filme quer em livros, e Tex tem além de muitas coisas mais, histórias cativantes, diálogos cómicos, abordagem a assuntos sérios e muita aventura.

O que tem Tex de diferente de tantos outros heróis dos quadradinhos?
Orlando Loureiro: Talvez o segredo esteja na escrita, da forma como ele sempre age pela justiça sem ligar a estatutos.

Qual o total de revistas de Tex que você tem na sua colecção? E qual a mais importante para si?
Orlando Loureiro: Tenho 97 revistas, mas em breve a colecção vai aumentar. Todas elas são importantes da mesma forma, já li e reli todas elas várias vezes, e não seria capaz de me desfazer de nenhuma.

Colecciona apenas livros ou tudo o que diga respeita à personagem italiana?
Orlando Loureiro: Apenas livros, mas honestamente nunca encontrei mais nada sobre a personagem.

Qual o objecto Tex que mais gostava de possuir?
Orlando Loureiro: O cinto de Wampum ou a estrela de Ranger.

Qual a sua história favorita? E qual o desenhador de Tex que mais aprecia? E o argumentista?
Orlando Loureiro: A história é sem duvida a do Bando dos “Locos”. O desenhador favorito é Letteri, mas gosto de muitos outros, quanto ao argumentista, G. Bonelli tinha algo de especial, mas também gosto muito de Nizzi.

O que lhe agrada mais em Tex? E o que lhe agrada menos?
Orlando Loureiro: O que mais me agrada é o seu sentido de justiça, e da forma sem rodeios como encara os problemas. Também a forma como pica o velho Carson. Nada me desagrada.

Em sua opinião o que faz de Tex o ícone que é?
Orlando Loureiro: Estar sempre em defesa da justiça, sejam os atingidos brancos, vermelhos ou negros. O argumento sempre empolgante, diferente de todos os outros, sem clichés nem egocentrismos.

Costuma encontrar-se com outros coleccionadores?
Orlando Loureiro: Até agora ainda não tive oportunidade.

Para concluir, como vê o futuro do Ranger?
Orlando Loureiro: Sem nuvens negras no horizonte.

Prezado pard Orlando Ferreira Loureiro, agradecemos muitíssimo pela entrevista que gentilmente nos concedeu.
(Para aproveitar a extensão completa das imagens acima, clique nas mesmas)

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *